Livro dos Espiritos questao 208 Evangelho cap.15 item 2

1.376 visualizações

Publicada em

Reuniao Publica GECD

Publicada em: Espiritual
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.376
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
122
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
24
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Livro dos Espiritos questao 208 Evangelho cap.15 item 2

  1. 1. Estudo de O Livro dos Espíritos e do Evangelho Segundo o Espiritismo L.E. – Questão 208 Evangelho – Cap XV – Item 2 Dubai, 27/10/2013
  2. 2. Parte II - Cap. IV – Da pluralidade das Existências. Parecenças físicas e morais 208. Nenhuma influência exercem os Espíritos dos pais sobre o filho depois do nascimento deste? “Ao contrário: bem grande influência exercem. Conforme já dissemos, os Espíritos têm que contribuir para o progresso uns dos outros. Pois bem, os Espíritos dos pais têm por missão desenvolver os de seus filhos pela educação. Constitui-lhes isso uma tarefa. Tornarse-ão culpados, se vierem a falir no seu desempenho.” GECD - Grupo Espírita Cristão Despertar 2
  3. 3. Parte II - Cap. IV – Da pluralidade das Existências. Parecenças físicas e morais Deus usa as criaturas para a ascensão dos próprios filhos. É na família que se dá o crescimento das almas. “Os pais que não cuidam de seus descendentes se encontram cegos e surdos à voz da consciência em Deus. Não se pode descuidar da disciplina, desde mesmo a gestação. O corpo está se formando, mas o Espírito já se encontra ao lado, vivendo a formação do seu fardo físico e, por vezes, ajudando os seus futuros pais, dependendo da sua condição evolutiva. Se for um Espírito menos esclarecido lembremo-nos do que disse Jesus: São os doentes que precisam de médico”. - Miramez GECD - Grupo Espírita Cristão Despertar 3
  4. 4. Parte II - Cap. IV – Da pluralidade das Existências. Parecenças físicas e morais “Muito comum se alterem as condições afetivas, depois que o navio do casamento se afasta do cais do sonho para o mar largo da experiência. Converte-se, então, a esperança em trabalho e desnudam-se problemas que a ilusão envolvia. Em muitos casos, a altura da afeição permanece intacta; entretanto, na maioria das posições, arrefece o calor em que se aquecia o casal nos dias primeiros da comunhão esponsalícia. Urge, porém, salvar a embarcação (...)”. Parceiro e parceira, nos compromissos do lar, precisam reaprender na escola do amor, reconhecendo que, acima da conjunção corpórea, fácil de se concretizar, é imperioso que a dupla se case, em espírito - sempre mais em espírito -, dia por dia. GECD - Grupo Espírita Cristão Despertar 4
  5. 5. Parte II - Cap. IV – Da pluralidade das Existências. Parecenças físicas e morais “os filhos que surgem são igualmente peças do matrimônio, compelindo o lar a recriar-se, de maneira incessante, em matéria de instituto endereçado ao trabalho de assistência recíproca. O carinho repartido, em princípio, a dois, passa a ser dividido por maior número de partícipes do núcleo familiar, e esses mesmos, em muitas circunstâncias, são os associados da doce hipnose do namoro e do noivado, que mantinham nos pais ainda solteiros, a chama da atração entusiástica até a consumação do enlaçamento afetivo. GECD - Grupo Espírita Cristão Despertar Quase sempre, Espíritos vinculados ao casal, ora mais fortemente ao pai, ora mais especialmente ao campo materno, interessavam-se na Vida Maior pela constituição da família, à face das próprias necessidades de aprimoramento e resgate, progresso e autocorrigenda.” 5
  6. 6. Parte II - Cap. IV – Da pluralidade das Existências. Parecenças físicas e morais Aproveitemos o tempo, começando pela oração, reformando os pensamentos no lar, porque o recém-chegado se encontra assimilando tudo o que os familiares pensam e sentem. Cada vício ou hábito dos genitores impregnara os sentimentos do filho, e pode se desenvolver, se esse não tem uma formação elevada adquirida em outras vidas. Cada virtude vivenciada no seio da família é semente de luz que se planta no coração dos filhos, por amor, e que se multiplica em favor do agricultor. Pois é dando que se recebe. Os pais devem franquear as boas maneiras todos os dias, pensando, falando e vivendo, para que a luz de Deus ilumine a cidade de seu coração, para que a missão que ombreia ante a consciência e Deus seja bem cumprida, e que, quando voltar ao mundo de origem, as suas mãos levem os frutos de todos os seus esforços, cumulando a paz em sua consciência. GECD - Grupo Espírita Cristão Despertar 6
  7. 7. O Evangelho Segundo o Espiritismo Cap. XV – Fora da caridade não há salvação Item 2 - O de que precisa o Espírito para ser Salvo Dubai, 05/02/2013
  8. 8. Cap. XV – Fora da caridade não há salvação Item 1 e 2 – O de que precisa o Espírito para ser Salvo 2. Então, levantando-se, disse-lhe um doutor da lei, para o tentar: _Mestre, que preciso fazer para possuir a vida eterna? Respondeu-lhe Jesus: - Que é o que está escrito na lei? Que é o que lês nela? Ele respondeu: - Amarás o Senhor teu Deus de todo o coração, de toda a tua alma, com todas as tuas forças e de todo o teu espírito, e a teu próximo como a ti mesmo. Disse-lhe Jesus: - Respondeste muito bem; faze isso e viverás. Mas, o homem, querendo parecer que era um justo, diz a Jesus: - Quem é o meu próximo? Jesus, tomando a palavra, lhe diz: GECD - Grupo Espírita Cristão Despertar 8
  9. 9. Cap. XV – Fora da caridade não há salvação Item 1 e 2 – O de que precisa o Espírito para ser Salvo Um homem, que descia de Jerusalém para Jericó, caiu em poder de ladrões, que o despojaram, cobriram de ferimentos e se foram, deixando-o semimorto. Aconteceu em seguida que um sacerdote, descendo pelo mesmo caminho, o viu e passou adiante. Um levita, que também veio àquele lugar, tendo-o observado, passou igualmente adiante. Mas, um samaritano que viajava, chegando ao lugar onde jazia aquele homem e tendo-o visto, foi tocado de compaixão. Aproximou-se dele, deitou-lhe óleo e vinho nas feridas e as pensou; depois, pondo-o no seu cavalo, levou-o a uma hospedaria e cuidou dele. - No dia seguinte tirou dois denários e os deu ao hospedeiro, dizendo: Trata muito bem deste homem e tudo o que despenderes a mais, eu te pagarei quando regressar.Qual desses três te parece ter sido o próximo daquele que caíra em poder dos ladrões? - O doutor respondeu: Aquele que usou de misericórdia para com ele. Então, vai, diz Jesus, e faze o mesmo. (S. LUCAS, cap. X, vv. 25 a 37.) GECD - Grupo Espírita Cristão Despertar 9
  10. 10. Cap. XV – Fora da caridade não há salvação Item 1 e 2 – O de que precisa o Espírito para ser Salvo GECD - Grupo Espírita Cristão Despertar 10
  11. 11. Cap. XV – Fora da caridade não há salvação Item 1 – O de que precisa o Espírito para ser Salvo Quem é o meu próximo? Quem se transforma no próximo? Aquele que exerce misericordia. “Misericórdia é colocar o coração na miséria dos outros! Por que é fácil mergulhar o pensamento na miséria alheia”. GECD - Grupo Espírita Cristão Despertar 11

×