Livro dos Espiritos q259 ESE cap19 item11

463 visualizações

Publicada em

Reuniao Publica GECD ' Dubai

Publicada em: Espiritual
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
463
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
144
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
10
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Livro dos Espiritos q259 ESE cap19 item11

  1. 1. Dubai, 24/08/2014 Estudo de O Livro dos Espíritos e do Evangelho Segundo o Espiritismo L.E. – Parte 2ª. Cap. VI - DA VIDA ESPÍRITA - Questão 259 ESE –Cap. XIX A FÉ TRANSPORTA MONTANHAS
  2. 2. Parte 2ª. - Cap. VI - DA VIDA ESPÍRITA Escolha das provas REENCARNAÇÃO “uma só existência corpórea é claramente insuficiente para que o Espírito possa adquirir todo o bem que lhe falta e de desfazer de todo o mal que traz em si.” • uso do livre arbítrio são ações que provocam reações, no tempo e no espaço. • As boas escolhas produzem progresso evolutivo, enquanto as escolhas infelizes geram provações ou expiações que se configuram como mecanismos evolutivos…
  3. 3. Parte 2ª. - Cap. VI - DA VIDA ESPÍRITA Escolha das provas 259. Do fato de pertencer ao Espírito a escolha do gênero de provas que deva sofrer, seguir-se-á que todas as tribulações que experimentamos na vida nós as previmos e buscamos? “Todas, não, porque não escolhestes e previstes tudo o que vos sucede no mundo, até às mínimas coisas. Escolhestes apenas o gênero das provações. As particularidades correm por conta da posição em que vos achais; são, muitas vezes, consequências das vossas próprias ações. Escolhendo, por exemplo, nascer entre malfeitores, sabia o Espírito a que arrastamentos se expunha; ignorava, porém, quais os atos que viria a praticar. Esses atos resultam do exercício da sua vontade, ou do seu livre-arbítrio. Sabe o Espírito que, escolhendo tal caminho, terá que sustentar lutas de determinada espécie; sabe, portanto, de que natureza serão as vicissitudes que se lhe depararão, mas ignora se se verificará este ou aquele êxito.
  4. 4. Parte 2ª. - Cap. VI - DA VIDA ESPÍRITA Escolha das provas (...) Os acontecimentos secundários se originam das circunstâncias e da força mesma das coisas. Previstos só são os fatos principais, os que influem no destino. Se tomares uma estrada cheia de sulcos profundos, sabes que terás de andar cautelosamente, porque há muitas probabilidades de caíres; ignoras, contudo, em que ponto cairás e bem pode suceder que não caias, se fores bastante prudente. Se, ao percorreres uma rua, uma telha te cair na cabeça, não creias que estava escrito, segundo vulgarmente se diz.”
  5. 5. Parte 2ª. - Cap. VI - DA VIDA ESPÍRITA Escolha das provas
  6. 6. Parte 2ª. - Cap. VI - DA VIDA ESPÍRITA Escolha das provas A 18 de abril de 1957, a Codificação Kardequiana, sob a égide do Cristo de Deus, celebrará o seu primeiro centenário de valiosos serviços à Humanidade terrestre. Um século de trabalho, de renovação e de luz. Para contribuir nas homenagens ao memorável acontecimento, grafou André Luiz as páginas deste livro. Escrevendo-o, nosso amigo desvelou uma nesga das regiões inferiores a que se projeta a consciência culpada, além do corpo físico, para definir a importância da existência carnal como sendo verdadeiro favor da Divina Misericórdia, (…) Em síntese, demonstra-nos o Autor que as nossas possibilidades de hoje nos vinculam às sombras de ontem, exigindo-nos trabalho infatigável no bem, para a construção do Amanhã, sobre as bases redentoras do Cristo.” Pedro Leopoldo, 1º de Janeiro de 1957. EMMANUEL.
  7. 7. Parte 2ª. - Cap. VI - DA VIDA ESPÍRITA Escolha das provas Hilário e eu procuramos o Instrutor Druso, que aconselhou; _Precisamos reconhecer que todos criamos o destino ou renovamo-lo, todos os dias, (…)Entre os Espíritos encarnados, porém, mais facilmente se nos revela o mecanismo da Lei, através da qual vive a alma nas suas próprias edificações. No vaso da carne, a planta da existência se desenvolve, floresce e frutifica. Cap. 12 – Dívida Agravada Luísa - Trata-se de companheira da Mansão, reencarnada há quase trinta anos, sob os auspícios de nossa casa. Prestar-lhe-emos o necessário auxílio, ao mesmo tempo que vocês poderão examinar um problema de débito agravado. Marina, pois era ela a irmã para quem aflito coração materno (Luísa) suplicara socorro Marina veio de nossa Mansão para auxiliar a Jorge e Zilda, dos quais se fizera devedora em seculo passado.
  8. 8. Parte 2ª. - Cap. VI - DA VIDA ESPÍRITA Escolha das provas
  9. 9. O Evangelho Segundo o Espiritismo Cap. XIX – A FÉ TRANSPORTA MONTANHAS Dubai, 05/02/2013
  10. 10. Cap. XIX – A FÉ TRANSPORTA MONTANHAS INSTRUÇÕES DOS ESPÍRITOS A fé: mãe da esperança e da caridade 11. Para ser proveitosa, a fé tem de ser ativa; não deve entorpecer-se. Mãe de todas as virtudes que conduzem a Deus, cumpre-lhe velar atentamente pelo desenvolvimento dos filhos que gerou. A esperança e a caridade são corolários da fé e formam com esta uma trindade inseparável. Não é a fé que faculta a esperança na realização das promessas do Senhor? Se não tiverdes fé, que esperareis? Não é a fé que dá o amor? Se não tendes fé, qual será o vosso reconhecimento e, portanto, o vosso amor?
  11. 11. Cap. XIX – A FÉ TRANSPORTA MONTANHAS Inspiração divina, a fé desperta todos os instintos nobres que encaminham o homem para o bem. É a base da regeneração. Preciso é, pois, que essa base seja forte e durável, porquanto, se a mais ligeira dúvida a abalar que será do edifício que sobre ela construirdes? Levantai, conseguintemente, esse edifício sobre alicerces inamovíveis. Seja mais forte a vossa fé do que os sofismas e as zombarias dos incrédulos, visto que a fé que não afronta o ridículo dos homens não é fé verdadeira. A fé sincera é empolgante e contagiosa; comunica-se aos que não na tinham, ou, mesmo, não desejariam tê-la. Encontra palavras persuasivas que vão à alma. Ao passo que a fé aparente usa de palavras sonoras que deixam frio e indiferente quem as escuta. Pregai pelo exemplo da vossa fé, para a incutirdes nos homens. Pregai pelo exemplo das vossas obras para lhes demonstrardes o merecimento da fé. Pregai pela vossa esperança firme, para lhes dardes a ver a confiança que fortifica e põe a criatura em condições de enfrentar todas as vicissitudes da vida.
  12. 12. Cap. XIX – A FÉ TRANSPORTA MONTANHAS Ensinamentos e Dissertações Espíritas Revista Espírita, fevereiro de 1862 (Bordeaux, Médium, senhora Cazemajoux.) A FÉ. Pelo Espírito GEORGES, Bispo de Périgueux https://www.youtube.com/watch?v=EsePbc4vWkE

×