Introdução ao continente americano

1.956 visualizações

Publicada em

Breve debate sobre os aspectos físicos e regionalização da América

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.956
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
33
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Introdução ao continente americano

  1. 1. Um continente chamado América Éderson Dias de Oliveira ADAS, Melhem. Geografia da América: aspectos da geografia física e social. S. Paulo: Ed. Moderna, 1982.
  2. 2. • Se limita ao norte com o Ocea. Glacial Ártico, a leste com o Ocea. Atlântico e a oeste com o Ocea. Pacífico; • Se localiza totalmente no Hemisfério Ocidental; • É cortado por quatro paralelos principais: Círculo Polar Ártico, Trópico de Câncer, Equador e Trópico de Capricórnio; • A grande extensão (17 mil km) no sentido norte-sul confere ao continente enorme variedade de climas, solos e formações vegetais;
  3. 3. Austral Meridional Oriente Setentrional Boreal Ocidente
  4. 4. • É o segundo maior continente, com uma área de cerca de 42 milhões de km² (8,3% da Terra) e uma pop. de cerca de 940 milhões de hab. (14% da mundial); • Foi colonizada pelos europeus que ora pacificamente, ora de forma violenta, juntaram-se aos milhares de nativos que viviam na região;
  5. 5. Pontos extremos insulares • O seu extremo meridi- onal é o ilhéu Águila per- tencente ao arquipélago Diego Ramírez localizado no cabo Horn (Chile); • O seu ponto mais setentrional é a ilha Kaffeklubben que se encontra na costa nordeste da Groelândia; • O seu extremo oriental encontra-se no cabo de Nordostrundingen (Groelândia) – apesar de não ser politicamente; • O seu extremo ocidental encontra-se na ilha Attu (arquipélago Near), sendo assim o território mais ocidental do grupo das Ilhas Aleutas (Alasca);
  6. 6. Pontos extremos não-insulares ou continentais • No ocidente é o cabo Príncipe de Gales, que integra a penín- sula de Seward no Alasca; • No oriente é a ponta do Seixas localizado na Paraíba; • O ponto mais ao norte fica na península de Boothia, no cabo Promontório Murchison - Canadá; • No extremo meridional é o cabo Froward situado na costa norte do estreito de Magalhães - Península de Brunswick – Chile;
  7. 7. Regionalização da América • É a 2ª maior porção de terras emersas do planeta, sendo preenchido por diversos elementos naturais e humanos; • Clima, vegetação, relevo, hidrografia, população, cultura, economia e poluição são ex. de características geográficas que se apresentam de maneira diversificada no continente; • Isso permite regionalizar o continente de várias maneiras, separando-o conforme as semelhanças e diferenças geográficas do seu território; • Há três principais formas de regionalizar a América: 1) Física; 2) Socioeconômica e 3) Histórico-cultural.
  8. 8. * Regionalização significa organizar o espaço, com suas características semelhanças entre os lugares, seja nos aspectos Naturais (clima, vegetação, relevo, etc.) ou Humanos (políticos, sociais, culturais, etc). * Por exemplo a regionalização do mundo em continente é uma forma de regionalização este leva em conta a divisão natural (oceano, montanhas, rios, etc). * Num primeiro momento o espaço foi dividido em continente, devido as placas tectônicas; * Placas tectônicas – a litosfera é formada por vários fragmentos ou placas, tanto nos continentes quanto fundo dos oceanos. É nestas placas que se constitui os continente e oceanos.
  9. 9. Regionalização Física • Divide o continente conforme suas características naturais - formato das terras emersas, que é regionalizada em três porções territoriais: • Ao observar a América, há duas grandes porções de terras (A. do Norte e Sul), interligadas por uma terceira porção estreita (istmo) de terra (A. Central);
  10. 10. América do Norte • Com 55% da área total, compreende o Canadá, EUA e México, e uma possessão europeia - Groenlândia, que é administrada pela Dinamarca; • Encontra-se com terras distribuídas totalmente no hemisfério boreal;
  11. 11. • América Central - (contém 2% da América, é formada por uma parte continental (istmo com 7 países) e outra insular (ilhas Caribenhas) que abriga 13 países e 11 territórios;
  12. 12. • A porção insular é denominada Antilhas e pode ser dividida em: Grandes Antilhas (Cuba, Jamaica, Haiti, R. Dominicana e Porto Rico); Pequenas Antilhas (Barbados, Granada, Dominica, Trinidade e Tobago, Santa Lúcia e etc) e Bahamas;
  13. 13. • A América Central é banhada pelo mar das Antilhas/Caribe - Está totalmente situada na porção tropical do globo terrestre; • Possui grande dependência das antigas metrópoles europeias e também dos EUA;
  14. 14. América do Sul • Corresponde a 43% do continente - é formada por doze países independentes e uma possessão europeia - Guiana Francesa; • Com relação aos atributos naturais pode ser ainda subdividida em: • América Andina; • América Platina; • Guianas e; • Brasil;
  15. 15. Regionalização Socioeconômica • Divide a América conforme suas características históricas e econômicas; • De uma lado, a América Anglo-saxônica, a região mais desenvolvida econômica e socialmente; • De outro, a América Latina, região com os piores níveis de desenvolvimento; • A América Anglo-Saxônica foi, predominantemente colônia de povoamento, enquanto a América Latina colônia de exploração.
  16. 16. • A origem dos nomes, Anglo-Saxônica e Latina, está associada a uma divisão baseada na origem dos povos europeus que colonizaram o continente; • Anglo-saxão é a denominação dada à fusão dos povos germânicos (anglos, saxões e jutos) que se fixaram em parte da Grã-Bretanha no século V. • Latinos são os povos que falam línguas de origem latina, predominante no sul da Europa (portugueses, espanhóis, italianos, franceses e romenos); • Sob o nome de América Latina foram agrupadas as sociedades em que a língua dominante tem origem no latim.
  17. 17. • Contudo, a expressão América Latina, refere-se também a países onde se fala inglês, como a Jamaica, ou holandês, como o Suriname; • Isso acontece porque o critério também passou a levar em conta aspectos como a predominância da religião católica e desequilíbrio das condições socioeconômicas; • Portanto, apesar de utilizar essa nomenclatura, a divisão socioeconômica da América não se submete mais somente as questões linguísticas.
  18. 18. Regionalização Histórico-cultural • Divide a América a partir das características históricas, relacionadas a formação da população dos países; • Marcada pela miscigenação heterogênea entre os povos indígenas com europeus, africanos e asiáticos, denota aspectos raciais e culturais da população • Assim, a América se divide em sete principais regiões culturais: • América Anglo-Saxônica, • Região Centro-americana, • Antilhas, • Guianas, • América Andina, • América Platina e • América Portuguesa.
  19. 19. Regionalização Histórico-cultural do continente americano
  20. 20. Povos Pré-Colombianos – Indivíduos alóctones • A questão da antiguidade da ocupação humana nas Américas é ainda controversa; • A hipótese mais aceita é de que os povos pré-colombiano são alóctones; • Sua origem está relacionada a correntes migratórias: (Paul Rivet – hipótese multirracial)
  21. 21. • Acredita-se que os primeiros habitantes da América tenham migrado para o continente: estreito de Bering / Oceano Pacífico – 12.000 - 40.000 anos ?; • Milhares de anos após as migrações, surgiram as civilizações complexas no continente, com base em comunidades agrícolas - assentamentos sedentários a 6000 a.C; Hipóteses para o povoamento da América • Beríngia (Ponte Terrestre de Bering) foi uma porção de terra firme, com cerca de 1600 km de norte a sul na sua máxima extensão, que juntou o atual Alasca e Sibéria, durante as glaciações.
  22. 22. • Comunidades asiáticas teriam atravessado o estreito de Bering, alcançado o Alasca e, lentamente, se espalhado pela América até sua extremidade meridional; • Um outro caminho teria sido trilhado atravessando o arquipélago das Aleutas. • A corrente asiática é a mais aceita dada a uniformidade de traço culturais e raciais; • Essa ocupação teria acontecido quando a Ásia e a América estavam interligados, devido ao rebaixa- mento das águas dos oceanos durante a última glaciação;
  23. 23. • Malaio-polinésia - grupos melanésios e polinésios teriam aproveitado o sentido das correntes marítimas e navegado, de ilha em ilha, desde a polinésia até a costa ocidental da América Central e do Sul; • Australiana - comunidades teriam navegado de ilha em ilha e, bordejando a Antártica alcançaram a Terra do Fogo, no América austral; • Seus representantes mais expressivos seriam certos grupos do sul da Argentina e Chile – índios Patagões;
  24. 24. • Esquimó ou uraliana: povos dos Montes Urais (entre a Europa e Ásia) teriam penetrado na América pelo ártico.
  25. 25. Civilizações Pré- colombianas Na chegada dos europeus a América, os primitivos americanos encontravam-se em diferentes níveis de civilização;
  26. 26. Sociedades avançadas com produção agrícola excedente; • Corresponde aos Astecas; Maias; Incas • Contudo desenvolveram técnicas de cultivo, como a irrigação, o plantio em terraços e o emprego de instrumentos agrícolas com a produção de excedentes agrícolas; • Seu nível de desenvolvimento se comparavam as civilizações asiáticas e africanas; • Eram impérios teocráticos de regadio (irrigação); • A base econômica era a agricultura;
  27. 27. Sociedades de agricultura de subsistência; • A esse tipo pertencem os grupos: tupis-guaranis; arua- ques, caraíbas, chibchas, araucanos, iroqueses, algon- quianos, huronianos, tainos, seminoles, puebloes emuiros e outros; • Essas sociedades praticavam a agricultura de subsistência em vários estágios – eram menos numerosas, com base em produção comunitária; • A baixa produção impedia liberar contingente de mão- de-obra para outras atividades;
  28. 28. Sociedades coletoras e caçadoras; • Estas se encontravam num estágio cultural primitivo – povos nômades que se dedicavam a caça e à coleta; • Entre eles se incluem os povos: jês, botocudos, patagões, comanches, cheyennes, atabascos, esquimós e muitos outros; • Pouco restou dessas sociedades nos dias atuais;
  29. 29.  Os povos encontrados na nova terra foram apelidados genericamente de índios, mas não havia nenhum povo, tribo ou clã com essa denominação;  Cada “índio” pertence a uma etnia identificada por uma denominação própria, ou seja, a autodenominação, como o Guarani, o Yanomami etc. Por que Índios ou Indígenas  Segundo o dicionário, o termo índio significa nativo, natural de um lugar. É o nome dado aos primeiros habitantes do continente americano, os chamados povos indígenas;  Todavia esta denominação é o resultado de um mero erro náutico. O navegador italiano C. Colombo, empreendeu uma viagem em 1492 rumo às Índias, sendo que desembarcou na realidade na América (Novo Mundo);
  30. 30.  O termo índios dada aos nativos continua até os dias atuais;  Para muitos brancos, o “índio” tem um sentido pejorativo (ser sem civilização, sem cultura, incapaz, selvagem, preguiçoso e traiçoeiro), resultado de todo o processo histórico de discriminação e preconceito por eles sofrido;  A denominação original de caboclo na Amazônia, por ex., está fortemente relacionada a uma negação de identidades étnicas dos índios;  Invenção dos que não queriam se identificar como índios, mas também não podiam se ver como brancos ou negros - identidade de transição  Para outros ainda, o índio é um ser romântico, protetor das florestas, símbolo da pureza, quase um ser como o das lendas e dos romances.
  31. 31. O Extermínio do primitivo americano – epopeia trágica  Estimativas controvérsias contam de 15 a 80 milhões de habitantes na América antes de Colombo; Após um século e meio do conquistar no Novo Mundo, esse número havia reduzido para 3,5 milhões – extermínio brutal e violento; Quando não eram mas- sacrados pela ganância de riquezas, era as doenças exógenas os afligia; Após o saque das soci- edades mais avançados, os indígenas foram utilizados como mão-de-obra escrava;
  32. 32. Perda do saber/cultura acumulado ao longo de gerações; Usurpação das terras com a consequente retração dos indígenas para o interior do continente; Criação de “heróis” brancos (Hollywood) - o branco é o homem bom e civilizados – o indígena é o mau, o selvagem; Criação de uma imagem a serviço dos interesses e penetração do capital; Assim como as cruzadas foram usadas para converter os mouros, foi utilizada como pretexto, a moral e a religião para roubar e explorar o ameríndio; Eurocentrismos egocêntrico desmedido;
  33. 33. A. Central O mais extenso Nicarágua 130.000 km2 O menos extenso Granada 344 km2 Com a maior densidade populacional Barbados 697,6 hab./km2 Com a menor densidade populacional Belize 8,6 hab./km2 Com a maior esperança de vida Dominica 80 anos Com a menor esperança de vida Haiti 48 anos A. do Norte O mais extenso Canadá 9.970.610 km2 O menos extenso México 1.958.201 km2 Com a maior densidade populacional México 50,1 hab./km2 Com a menor densidade populacional Canadá 3,2 hab./km2 Com a maior esperança de vida Canadá 81 anos Com a menor esperança de vida México 70 anos A. do Sul O mais extenso Brasil 8.547.403,5 km2 O menos extenso Suriname 163.265 km2 Com a maior densidade populacional Colômbia 35,9 hab./km2 Com a menor densidade populacional Suriname 2,5 hab./km2 Com a maior esperança de vida Chile/Uruguai 76 anos Com a menor esperança de vida Bolívia 59 anos Extremos Geográficos da América

×