1    AFAMÍLIA COMO  IDEIA DIVINA
2ESTUDO BIBLÍCO    SOBRE   FAMÍLIA      PAULO FRANCISCO DOS SANTOS          Pastor, escritor, poeta e teólogo.
3                                                ÍNDI CEP R E F Á C I O . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . ...
4                                     PREFÁCIO     A    família     como   idéia    divina       é   sem    dúvida     um ...
5                              O PRINCIPIO DE TUDO       Como iniciamos este tópico falando do principio nada mais obvio d...
6inimaginável, aquilo que conhecemos em parte (1 Co 13:12) seria plenamente conhecido, omundo governado com equidade, o cé...
7     A FAMILIA NOS PLANOS:      DE                     DO                        DO     DEUS                  HOMEM      ...
8                   O PRINCIPIO DE UM MUNDO DEFORMADO       Com a queda de Adão a harmonia foi desfeita, agora o homem, a ...
9                             A FAMILIA DESESTRUTURADA        A doença da alma_ Vemos Adão adquirindo uma doença de alma j...
10       A violência (Gn.04.01-16, Gn. 06.11)_o pecado criando raiz no coração despertou a inveja de Caim (Gn.04.05) o qua...
11                              O INICIO DA FAMILIA       A família se inicia com a união de um homem e uma mulher (Gn 2.2...
12felizes e tristes, de dificuldades que devem ser superadas, em outras palavras eles fazem aviagem da vida. “VIVER É UMA ...
13                                    CASAMENTO        Marca-se a data, casa-se no cartório e caso seja da vontade dos noi...
14começar vida nova (Provérbios 28.13), não dispensando o aconselhamento pastoral doministro que tem a confiança do casal....
15paz, longanimidade, etc. – Gl 5.22,23) remove do coração o fantasma dos ressentimentos eamarguras que destroem o prazer ...
16              O DESENROLAR DA VIDA EM CONSTRUÇÃO       Começando este capitulo em a construção quero que observem este t...
17feliz e lutar para isso com toda a nossas forças e neste momento sabemos que aquele(a) queverdadeiramente ama lutará par...
18       No segundo ponto os autores dizem: “é uma ilusão pensar que o romance do iniciode um relacionamento durará para s...
19aconselhamos diversas pessoas que, por terem dificuldades no casamento, acreditavam quetinha escolhido a pessoa errada. ...
20entenda e aceite as diferenças entre homens e mulheres.; 4. peça desculpas se necessário.; 5.comunique-se por meio do to...
21                        RELACIONAMENTO PAIS E FILHOS       Os filhos são a herança do Senhor. (Salmos 127.03) Como folha...
22material vital e precioso de nossos pais, que nos capacitou a ser tudo o que somo hoje.Algumas pessoas estão sendo bem s...
23cinco ou seis minutos, ele levantou-se abruptamente e deixou a sala de jantar. Ela seguiu-o às pressas. A esta altura, v...
24sucedida em Nova Iorque, que ia a cada dois meses visitar os pais no estado deConnecticut. Ela temia cada visita. O pai ...
25   que não é que não goste dos pais, mas não gosta de si mesma quando esta com eles.   Os padrões antigos são difíceis d...
26   poucos anos procurou-me depois de uma aula e pediu-me que orasse por ela.   Sentia-se muito aborrecida com o tempo qu...
27   tornar-se adulta é o de perder – ou jamais merecer – o respeito dos pais. Se você   percebe que seus pais, que são fi...
28historia do filho pródigo. Que verdade esta historia revela? O pai é Deus. Um Deusamoroso que deseja ajudar você a relac...
294. Aprenda a rejeitar a chantagem emocional. A chantagem emocional diz: não amareivocê, a menos que me faça isto. Você p...
30   Você tem a obrigação bíblica de honrar e respeitar a seus pais. Você deve ouvir o   conselho de seu pais ainda que nã...
31                                      CONCLUSÃO       Realmente a família é uma ideia divina, pois o criador estabeleceu...
32Bibliografia.   1. Bíblia sagrada   2. Como Salvar seu Casamento. Edta. Vida. Autores. Dr. Lês Parrott III e Dra. Leslie...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

A familia como idéia divina

1.794 visualizações

Publicada em

Estudo sobre a família numa perspectiva cristã.

Publicada em: Espiritual
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.794
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
46
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

A familia como idéia divina

  1. 1. 1 AFAMÍLIA COMO IDEIA DIVINA
  2. 2. 2ESTUDO BIBLÍCO SOBRE FAMÍLIA PAULO FRANCISCO DOS SANTOS Pastor, escritor, poeta e teólogo.
  3. 3. 3 ÍNDI CEP R E F Á C I O . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . Pág. 04 O PRINCIPIO DE TUDO............................................................ Pág. 05 A FAMILIA NOS PLANOS......................................................... Pág. 07 O PRINCIPIO DE UM MUNDO DEFORMADO............................ Pág. 08 A FAMILIA DESESTRUTURADA............................................... Pág. 09 O INICIO DA FAMILIA.............................................................. Pág. 11 CASAMENTO............................................................................ Pág. 13 VIDA A DOIS: LUA DE MEL...................................................... Pág. 13 OUTRA VISÃO DO INÍCIO DO CASAMENTO........................... Pág. 13 O CLIMAX................................................................................ Pág. 14O DESENROLAR DA VIDA EM CONSTRUÇÃO..........................Pág. 16 RELACIONAMENTO PAIS E FILHOS.........................................Pág. 21CONCLUSÃO......................................................................... Pág. 31 BIBLIOGRAFIA......................................................................... Pág. 32
  4. 4. 4 PREFÁCIO A família como idéia divina é sem dúvida um temamaravilhoso para colocarmos neste trabalho no qual apesquisa de alguns livros nos proporciona uma coletânea deprincípios que remontam o inicio da criação, mas quepermanecem imutáveis no que tange ao propósito supremo docriador ao estabelecer a família como instituição quepropague não somente a espécie, mas que leva adiante ospadrões para existir uma sociedade possuidora de equilíbrio eequidade, num mundo em que os valores e a família parecemnaufragar. Dias turbulentos são estes em que vivemos, mas apalavra de Deus ainda é o ponto de partida para a família seapoiar e viver o potencial pleno que o Senhor determinou. Paulo Francisco dos Santos
  5. 5. 5 O PRINCIPIO DE TUDO Como iniciamos este tópico falando do principio nada mais obvio do queexaminarmos o livro de Gênesis capitulo primeiro que revela como Deus criou o mundo;maravilho-me de ver esta passagem bíblica e ver como tudo que Deus criou é chamado porEle de muito bom. “Tudo era bom!” Nada foi criado ruim, os céus, a terra, as águas, a luz, a noite, osvegetais, os animais, o tempo, a ordem, os padrões e a raça humana tudo que Deus criouera bom. A harmonia no universo é claramente demonstrada nestes versículos do capituloprimeiro; a perfeição da criação original, o homem como coroa desta criação foi posto paracom sabedoria governar (Gn. 1.28) e debaixo das ordens de Deus viver uma eternafelicidade. Podemos então focalizar a plenitude deste mundo antes da queda do homem, nãohavia morte, doenças, fome, terremoto, guerra, o pecado; o próprio criador na viração dodia vinha conversar, ensinar e orientar Adão e o propósito divino era que o homem vivesseo potencial máximo da vida. Adão como pai da humanidade juntamente com Eva seriam espelhos de todas a sfamílias criando seus filhos no temor do Senhor, alicerçariam uma sociedade digna deaplausos pelo mundo atual. Se Adão continua-se obedecendo ao senhor o mundo seria bemdiferente em todos os aspectos, a ciência teria se multiplicado de uma maneira
  6. 6. 6inimaginável, aquilo que conhecemos em parte (1 Co 13:12) seria plenamente conhecido, omundo governado com equidade, o céu e a terra em perfeita ciclonia, ora, isto não é umautopia, nem um exagero, este mundo era o desejo de Deus.
  7. 7. 7 A FAMILIA NOS PLANOS: DE DO DO DEUS HOMEM DIABOE DEUS OS ABENÇOU... OPTOU PERDER SUA CONTRIBIU PARAGN. 01.28 BENÇÃO COMENDO DO QUEDA DO HOMEM E FRUTO PROIBIDO... SUA FAMILIA GN. 03.06-07 GN. 03. 01-05CRESCEI E CONTRA A ORDEM MATAR, ROUBAR EMULTIPLICA, E ENCHEI DIVINA. DESTRUIR...A TERRA.... GN. 01.28 GN.11. 01-08 S.JOAO 10:10CONCEDEU SER OPTOU ESCOLHER A CONVENCEU-OS AIMORTAL AO HOMEM E MORTE PRA SI E SUA PERDER ASUA FAMILIA. FAMILIA. GN. 03.19 IMORTALIDADE.GN. 02. 16,17 GN.03.04DEUS QUER ABENÇOAR O HOMEM MUITAS ELE ENGANAA FAMILIA. VEZES ESCOLHE A CONTRIBUINDO PRA OSALMOS 128 MALDIÇAO JR.11.3 e HOMEM NÃO SER DT. 27.15-26 ABENÇOADO 1.TIM. 04.01DEUS PROMETE O HOMEM AGUARDA ELE LUTA PRA ORESTAURAR O HOMEM ESSA RESTAURAÇAO. HOMEM E SUA FAMILIAE SUA FAMILIA GN.03.15 ROM. 15.12 NÃO SER RESTAURADO. EF. 6.11,12, 2 TES. 02.09-11EM CRISTO TODAS AS EM CRISTO ESTA A ELE LUTA PRA NÃOFAMILIAS DA TERRA BENÇÃO E CABE O ESCOLHER A BENÇÃORECEBEM A BENÇAO HOMEM ESCOLHER. EF. 6.11,12,DIVINA. GN. 12.03, COL. 03.23-25, 2 TES. 02.09-11GAL. 03.08, EF.2.17-19 APOC. 22.17
  8. 8. 8 O PRINCIPIO DE UM MUNDO DEFORMADO Com a queda de Adão a harmonia foi desfeita, agora o homem, a família e ouniverso seriam vitimas de um mal que só pode ser erradicado por Deus. Aparentemente com um simples ato o pai da humanidade destruiu um mundoperfeito. Em Gênesis capitulo três detalhadamente nos mostra o homem optando a serinimigo do seu criador erguendo uma parede de separação que só seria derrubada com osacrifício vicário de nosso Senhor Jesus Cristo na cruz do calvário. Acompanhando a narração de Moises o homem não seria o mesmo a partir de então,pois destituído da glória de Deus (Rm. 3.23) sua vida passou a ser um caus profundo queteve a tendência de aumentar cada vez mais e conduzi-lo a degradação e a destruição de sipróprio numa lamentável seqüência que descrevemos abaixo:
  9. 9. 9 A FAMILIA DESESTRUTURADA A doença da alma_ Vemos Adão adquirindo uma doença de alma já no cap. 03 vers. 10, “O MEDO” queenraizado no coração veio a separar a humanidade de Deus de uma forma assustadora. Foisomente o inicio das doenças que afetam a alma daí em diante surgiu o ódio, rancor, inveja,rivalidade e etc. A morte ( Gn. 03 )_ Um grande golpe veio sobre a família com a entrada da morte no mundo, pois a dor daseparação entre familiares seria inevitável para todos os homens. A partir do momento emque nascemos , começamos a morrer!“A CADA DIA QUE VIVO, É UM DIA A MENOS QUE VIVEREI NA TERRA, POISSE APROXIMA O DIA DE MINHA MORTE”O corpo envelhece, se torna frágil surge doenças, e por fim, se deteriora. A dor (Gn.03)_ a mulher irá conceber com dores multiplicadas seus filhos
  10. 10. 10 A violência (Gn.04.01-16, Gn. 06.11)_o pecado criando raiz no coração despertou a inveja de Caim (Gn.04.05) o qual matou seuirmão Abel expressando seu ódio (Gn.04.08) e essa raiz de pecado se multiplicou fazendo omundo se encher de violência (Gn.06.11). Desde de então a humanidade conheceu situações em que a família sofreuterrivelmente, e vemos que de tanto o homem pecar, Deus resolveu destruir o mundo com odilúvio escolhendo salvar a Noé que era homem justo e sua família para não exterminar porcompleto o ser humano; os descendentes de Noé também se multiplicaram e com eles a raizdo pecado que devastou o mundo antigo também se multiplicou, porém por intervençãodivina vemos Deus chamando Abraão e constituindo uma nação dando leis e princípiossobre diversos aspectos (espirituais, governamentais, religiosos e morais) que vieram abeneficiar não somente a Israel, mas a nós mesmos, pois elas vem a ser a base doconhecimento para estabelecer uma vida familiar não somente no passado, mas também nopresente. Resumidamente abordei o principio de tudo para poder falar acerca da família que éuma idéia divina, e por isso merece nossa total atenção.
  11. 11. 11 O INICIO DA FAMILIA A família se inicia com a união de um homem e uma mulher (Gn 2.23-24), quelevados por uma decisão própria e desejo mutuo querem viver juntos. Obedecendo o livrearbítrio, ou direito de escolha outorgado por Deus, o matrimonio deve ser opção exclusivado ser, sem interferência de outros que o possam influenciar, todavia para os cristãossegundo o apostolo Paulo esta escolha deve ser feita no Senhor. (I Cor 07.39) “NÃO É BOM QUE O HOMEM VIVA SÓ...” (Gn 2.18) São palavras do criador eforam elas que iniciaram uma instituição tão antiga quanto o próprio mundo. Ao ver denosso criador o desejo de construir uma família é algo natural e ainda “muito bom”.(Gn01.31), Ele mesmo disse: multiplicai-vos, enchei a terra... ( Gn 01.28 ), vou fazer-lhe umaajudadora como complemento dele... (Gn 02.18). Nós somos seres sexuais e uma criação maravilhosa de Deus; somos perfeitos,cabeça, pés, mãos, órgãos, a inteligência, a necessidade de alimento, a necessidade sexualtudo vem do Senhor. Ele é o autor do corpo humano, e o nosso corpo no que diz respeito deser criado por Deus é muito bom, o problema é que muitos não sabem viver com aliberdade com o poder de gerenciar suas vidas, pois usando esse poder de forma errada seprejudicando a si mesmo. Para constituir uma família deve se haver a união entre o homeme uma mulher, pois um vem a completar o outro ( Gn 02.23 ), apesar de serem dois,homem e mulher se fundem e se tornam participantes de uma viagem que tem momentos
  12. 12. 12felizes e tristes, de dificuldades que devem ser superadas, em outras palavras eles fazem aviagem da vida. “VIVER É UMA VIAGEM NUM MUNDO TRANSITÓRIO”. Ao realizar a escolha de sua companheira (o) deve se passar um período que chama-se namoro, uma época de conhecimento, onde cada um revela-se a si mesmo, ondeprocuram colocar os alicerces do que no futuro será seu casamento. Quando colocamosrevelar-se, digo o que cada um gosta de fazer, hobbies, estudar, passear, demonstra seucomportamento, temperamento e expor seus planos concernentes ao presente e o futuro. Aconselhamos os jovens a se preparar para o futuro matrimônio estudando,trabalhando e economizando sendo prudente para quando chegar a hora do casamentopoder sustentar material e emocionalmente o lar. Deve-se haver um acompanhamento pastoral de aconselhamento para jovensnamorados e noivos para sanar dúvidas, também a leitura de livros evangélicos e secularesque abordem o casamento nos aspectos emocionais, sexuais e financeiros. E ao se aproximar a data do casamento deve ser realizados exames médicos para veras condições físicas do casal.
  13. 13. 13 CASAMENTO Marca-se a data, casa-se no cartório e caso seja da vontade dos noivos se realiza acerimônia na igreja e a festa compartilhando a alegria, então vemos terminar-se uma fase davida e iniciar-se outra. VIDA A DOIS: LUA DE MEL Depois de casados o casal passa a ser conhecer fisicamente na união conjugal que éum ao emocional, físico e espiritual. Apesar de participar de palestras, ler livros e terorientação neste momento os dois vão aprender na pratica o sentido da palavra uma sócarne e nesta hora a única fonte de apoio é o amor mutuo que os dirigirão a ter momentosmaravilhosos. OUTRA VISÃO DO INÍCIO DO CASAMENTO Há, porém casais que se conheceram (tiveram relações) antes do casamento entre si,ou com outros parceiros e o sentimento de culpa atrapalha o seu relacionamento, deve senestes casos o melhor remédio confessar ao Senhor Jesus o erro e receber seu perdão e
  14. 14. 14começar vida nova (Provérbios 28.13), não dispensando o aconselhamento pastoral doministro que tem a confiança do casal. O CLIMAX Em 1 Cor 07.02-05 vemos conceitos que delinearemos em quatro princípiosensinados nesta passagem com referência ao sexo: 1. Tanto o marido como a mulher possuem carências de ordem sexual, que devem ser satisfeitas no matrimônio. 2. Quando uma pessoa se casa, ela perde, para o cônjuge, o direito ao domínio sobre seu corpo. 3. Ambos são proibidos de se recusarem a satisfazer as necessidades sexuais do cônjuge. 4. O ato sexual é aprovado por Deus. O clímax é a expressão máxima na relação sexual onde a mulher e o homem sentemprazer, algo divino e maravilhoso que o criador presenteou para proporcionar felicidade aocasal. Segundo uma pesquisa realizada no livro o ato conjugal pág. 110,190-193, casaiscristãos tem regularmente atingido o clímax no ato conjugal , formulando a tese que estesgozam sublimidades da união sexual bem mais que a outras pessoas de nossa sociedade. O relacionamento que os cristãos desfrutam com Deus resulta em maior capacidadede expressar e receber amor, do que o não crente. O fruto do Espírito Santo (amor, gozo,
  15. 15. 15paz, longanimidade, etc. – Gl 5.22,23) remove do coração o fantasma dos ressentimentos eamarguras que destroem o prazer da vida sexual. Todavia não se dispensa a informação que vem da educação sexual que é adquiridana escola, palestras, aconselhamentos e livros. Também existem problemas de ordem física, tais como doenças e distúrbiosorgânicos que devem ser acompanhados por médicos que apontaram qual tratamento deveser feito para cada caso especifico. O prazer mutuo entre o casal é uma dádiva divina doada pelo criador paraproporcionar felicidade ao casal e é obtida quando existe a disposição em satisfazer anecessidades um do outro. O segredo é se doar, deixando de lado o egoísmo demonstrandotodo amor em palavras e gestos. O ato conjugal não se inicia somente na cama no momento da relação, mas eleantecede a tudo isso, ele começa na harmonia, no respeito ente o casal; seria dizer que fazparte do dia a dia, no viver, no carro, no passeio, na igreja. A comunhão é a palavra chaveno casamento feliz. O clímax é o resultado da comunhão com Deus + comunhão entre o casal + aorientação.
  16. 16. 16 O DESENROLAR DA VIDA EM CONSTRUÇÃO Começando este capitulo em a construção quero que observem este texto tirado dolivro como OBTER O MÁXIMO DA VIDA (Editora Vida, autor Ken Davis). Que seencontra na pag. 47 e 48 que diz: Nietzsche dizia: Se temos o nosso porque da vida,podemos enfrentar todo e qualquer como. Muitas pessoas não vivem a vida. Simplesmente deixam a vida lhes acontecer.Como vitimas passiva, elas se tornam prisioneiras do seu passado, escravas dascircunstancias do presente e temerosas do futuro. As pessoas que vivem com prazer sãohomens e mulheres que tem propósitos definidos. Para essas pessoas, a vida é muito maisdo que simplesmente reagir ao que aparece: é o veiculo para realizar alguma coisasignificativa. Os seres humanos que vivem com propósito produzem um impacto duradourosobre o seu mundo. A verdade desse principio é tão poderosa, que ate mesmo as pessoas cmmaus propósitos causam um mau impacto duradouro no mundo . Muitos de nos, embora às vezes demos passinhos de bebes na direção certa,raramente corremos na pista de corrida da vida com verdadeira liberdade. Com demasiadafreqüência, começamos correr antes mesmo de saber por que ou para onde. Considere, porexemplo, a ênfase que colocamos sobre alvos. O estabelecimento de alvos tornou-se umgrande negocio em todo mundo. São metas a serem alcançadas em vários segmentosprofissionais. Com isso quero transmitir que temos que ter o propósito de ter um casamento
  17. 17. 17feliz e lutar para isso com toda a nossas forças e neste momento sabemos que aquele(a) queverdadeiramente ama lutará para o bem estar de seu relacionamento Segundo o livro COMO SALVAR SEU CASAMENTO.( Edtora. Vida. Aut. Dr.Lês Parrott III e Dra. Leslie Parrott ) o casamento é uma casa em construção devendo serconstruída com esforço mutuo de ambos os lados. Numa seqüência bem planejada declaramque ao iniciar-se na vida de casado deve-se encarar o relacionamento com realidaderetirando todas as fantasias que impedem o casamento de ser feliz, devido cada um quererdo outro algo impossível, que é ser um homem ou mulher de conto de fadas tornando ocasamento num barco afundando. Aqui estão três pontos em que eles abordam os mitos: 1. Nada mudará quando nos casarmos. 2. Tudo que temos de bom em nosso relacionamento ficará ainda melhor. 3. tudo de ruim em nossas vidas desaparecerá 4. meu cônjuge me completará. No primeiro ponto vemos a inrealidade desse conceito, pois em duas vidasdiferentes criados em lares e com ensinos diferentes tendem a se levar um tempo pra seadaptar com a nova vida proporcionada pelo casamento. Os autores dizem o seguinte: “asexpectativas que vocês tem quanto ao seu relacionamento podem moldar ou desfazer seucasamento. Não desperdice os melhores momentos de sua vida a dois porque seus ideaisnão combinam com os de seu parceiro. Não acredite no mito de que você e ele tem asmesmas expectativas em relação ao casamento. Em vez disso, lembre-se de que, quandomais francamente vocês conversarem sobre suas diferentes expectativas, mais chances terãode criar uma visão do casamento com a qual concordem- e isso [e algo que somente vocêspodem fazer.
  18. 18. 18 No segundo ponto os autores dizem: “é uma ilusão pensar que o romance do iniciode um relacionamento durará para sempre. Pode ser difícil de engolir, mas desmascararomito da paixão eterna é extremamente importante para se construir um casamento feliz.Eis a conclusão: Todos construímos uma imagem idealizada da pessoa com quem noscasamos. Essa imagem surge a partir do esforço de nosso parceiro em nos mostrar o melhorde si, mas acaba se enraizando no rico terreno de nossas fantasias românticas. Nósqueremos ver o melhor lado de nosso parceiro. Imaginamos, por exemplo, que ele nuncaserá irritante nem engordará. Nós buscamos e respondemos a tudo o que achamosadmirável e eliminamos todos os defeitos. Ele parece mais nobre, atraente, inteligente etalentoso do que realmente é. Mas não por muito tempo. A verdade é que essa faseinevitavelmente passará.” No terceiro ponto eles dizem: “muitas pessoas se casam para evitar ou se livrar decoisas desagradáveis. Porém, não importa quão gloriosa seja a instituição do casamento,ela não substituirá o árduo trabalho da cura espiritual. O casamento não elimina osofrimento interior nem a solidão. Por que? Porque as pessoas se casam principalmentepara prolongar seu bem-estar e não para atender as necessidades de seu parceiro. Os maussentimento e características que você possuía antes do casamento permanecerão consigomesmo depois de sair da igreja. A certidão de casamento não [e um sapatinho mágico decristal. O casamento é, na realidade, apenas um modo de vida. Antes dele, não esperávamosque a vida fosse um mar de rosas com eternos dias ensolarados, mas [e assim que achamosque todo vai ficar depois dele.” Em quarto lugar tiramos também uma nota interessante sobre este ultimo mitocolocado pelos autores : “ este mito geralmente começa com a crença de que as pessoa quetiveram uma união bem sucedida foram feitas uma pra outra e isso é obra do destino. Já
  19. 19. 19aconselhamos diversas pessoas que, por terem dificuldades no casamento, acreditavam quetinha escolhido a pessoa errada. Se tivessem escolhido o sr. Fulano de tal ou a srta. Sicrana, tudo teria dado certo. Ora, vamos! É ridículo acreditar que o sucesso de um casamentodepende de descobrirmos aquela pessoa, em meio às cinco bilhões existentes na Terra, quefoi feita sob medida para você. Se você for solteiro, o fato de que não existe uma e somenteuma pessoa não diminuirá a sua procura cuidadosa de possíveis companheiros. Mas se vocêjá é casado e esta achando que seu parceiro não o completou instantaneamente isso nãosignifica que se casou com a pessoa errada. Os indivíduos que acreditam no mito de queseu conjugue os completará torna-se dependentes de seu parceiro de uma forma que não ésaudável em nenhum aspecto. Esses casais cultivam o que os especialistas chamam derelacionamento intrincado, caracterizado por uma entrega total ao conjugue, em uma buscaconstante de apoio, segurança e inteireza. Geralmente, isso esta associado à auto-estima eao sentimento de inferioridade que pode ser facilmente controlado pelo parceiro.” Ao terminarem sua exposição sobre os mitos dos casamentos começam a classificaro modo de amar em que os casais estão se encontrando usando um modelo triangular dopsicólogo Americano Robert Sternberg para abordar este assunto: Paixão, intimidade ecompromisso. Os autores de Como salvar seu casamento também acrescentam que o amor possuicinco estágios que são : romance, luta pelo poder, cooperação, reciprocidade e co-criatividade. Ainda apresentam o que se não deve fazer: apaziguador em demasia, acusador,calculista e dissimulado; e em seguida expõem o que deve haver em uma boa comunicaçãono casamento: cordialidade, franqueza e empatia, colocando algumas regras interessantesque são: 1. use o pronome eu e não você.; 2.experimente demonstrar que escutou; 3.
  20. 20. 20entenda e aceite as diferenças entre homens e mulheres.; 4. peça desculpas se necessário.; 5.comunique-se por meio do toque. Existem em todo livro partes muito interessantes e aqui quero expor frase que noslevam a meditar como devemos agir na construção de um casamento feliz : “a felicidade nocasamento não depende de sorte e sim de vontade “. ; se você achar que é feliz, será feliz. “;“sua vida não esta livre de decepções e problemas, mas isso não o impede de ter umcasamento feliz.”; “ as interpretações negativas certamente desgastam a felicidade nocasamento. Ma como fazer para cultivar atitudes positivas quando nossos conjugues fazemalgo de que não gostamos? A resposta esta em assumir a responsabilidade por nossospróprios sentimentos.”; “você pode ser mais famoso, belo, inteligente, saudável e rico doque qualquer outras pessoas, mas se não souber cultivar o contentamento em cada situação,certamente será infeliz.”; “você pode se acha que pode.”; “sou homem e você mulher nãoexiste combinação melhor.”; “a disposição em aceitar suas diferenças permitirá que vocêsse complementem e melhorem suas vidas”.
  21. 21. 21 RELACIONAMENTO PAIS E FILHOS Os filhos são a herança do Senhor. (Salmos 127.03) Como folhas de sulfite embranco são as crianças escritas em sua personalidade pelos seus pais. Existe um cuidadoespecial que devemos tomar com nossos filhos, alem de fornecerem o que necessitamfisicamente (comida e roupas) devemos contribuir espiritual e psicologicamente em seucrescimento administrando bem o tempos os pais devem dar o apoio necessário em que ascrianças devem ter, completá-las afetivamente e molda-las para que no futuro possamtambém construir lares que tenham a benção da felicidade sobre si. Algo muito importante o autor de a UNIVERSIDADE DA PALAVRA (Edta. Vida,Aut. Dick Eastman) nos transmiti ao relatar que certa vez disse palavras a sua filha Denaque lhe feriram sua auto estima e iria prejudica-la no futuro e impulsionado pelo Senhorpediu a sua filha perdão quebrando a influencia maligna que suas palavras ofensivascausaram. (capitulo 03, págs. 55 à 60), demonstrando que o relacionamento de pais e filhosrequer amor, compreensão, humildade e perdão. O que é maravilhoso nesta vida é que malaprendemos a ser filhos e começamos a se pais, em si a vida é um intenso curso deaprendizagem. O escritores de EXITO NOS LAÇOS FAMILIARES ( Editora Vida, aut. Ron Ball eDester Yager ) expõem de maneira excelente sete marcas de um relacionamento doentioentre pais e filhos e suas soluções dando em seu livro algo importante para os pais e filhosrefletirem. : A maioria das pessoas que conheço opera em um de dois níveis: ou sãoimpelidas pelos pais ou são atormentadas por eles. Todos somos produtos de um conjuntocomplexo de experiências pelas quais passamos ao crescer. Alguns de nós recebemos
  22. 22. 22material vital e precioso de nossos pais, que nos capacitou a ser tudo o que somo hoje.Algumas pessoas estão sendo bem sucedidas hoje apesar de seus pais. Outras vem lutandohá anos e anos com tremenda amargura, grande ressentimento e tremenda hostilidadecontra os pais. Estou chegando à casa dos quarenta, e a cada ano descubro novos fatos sobrecomo meus pais me influenciaram para o bem e para o mal: como eles me fizeram grandebem e como tenho tentado desaprender algumas coisas que eles me ensinaram. E não digoisso desrespeitosamente. Desejo que você focalize no relacionamento com seus pais ou norelacionamento com seus filhos ou netos. Porque se houver algum padrão perigoso,destrutivo ou doentio, é preciso parar, e parar agora mesmo! Se você estiver prejudicandoseus filhos, pare. Se estiver exibindo perante seus filhos atitudes que criam neles tremenda tensão,isso também precisa parar. E se você estiver recebendo tensão, hostilidade e pressão,precisa encontrar o caminho de Deus para chegar a uma trégua com seus pais a fim depoder operar não na base do ressentimento e hostilidade, mas num relacionamento adultooperante e saudável que exalte Jesus Cristo. Alguns meses atrás, minha esposa e eu estávamos almoçando num belo clubepraiano, no estado de Nova Jersey,. Estávamos sentados ali quando uma senhora de seusquarenta anos, trajando a ultima moda, chegou acompanhada por um cavalheiro bemmais velho. Eles se sentaram à mesa vizinha da nossa, e observei cuidadosamente o dramaque se desenrolou. Dava para ver a tensão que se desenvolvia entre os dois. Ouvi a mulherdizer ao homem que ela achava que aquela mesa era aceitável. Ele não concordava deforma alguma e reclamou amargamente, dizendo que não aprovava o lugar, não gostavada mesa, e não queria comer ali. A senhora esforçava-se para manter a calma. Depois de
  23. 23. 23cinco ou seis minutos, ele levantou-se abruptamente e deixou a sala de jantar. Ela seguiu-o às pressas. A esta altura, você provavelmente já adivinhou que aquele homem era o paida senhora. Ela lhe dizia: - Papai, por que nunca as coisas dão certo entre nós? Por eu nunca podemos aproveitar e gozar a companhia um do outro? Tudo o que eu queria fazer era almoçar com você. Isso nunca deu certo.você acha que um dia dará? Eu podia sentir a dor e a angustia daquela mulher, que dizia: “Papai, será que nunca as coisas darão certo entre nós?” Caminho de Deus pode fazer esses relacionamentos darem certo. Você pode estaresmagado sob gigantesca carga de ressentimento, e esta na hora de deixar Deus cura-lo.Você precisa chegar a um acordo com seus pais. A seguir examinaremos sete marcas de um relacionamento doentio com seus pais.Depois, quero dar-lhe sete caminhos bíblicos para um relacionamento correto com seuspais. As descrições que se seguem são principalmente os efeitos da pressão que seus paisexerceram sobre você, sobre sua própria vida, mas você poderá reconhece-los tambémcomo elementos seus como pai ou mãe. 1. Controlado pela compulsividade. A primeira marca da pressão doentia por parte dos pais é a tendência de deixar-se controlar por uma compulsão, especialmente compulsão as regras dos pais, quer essas regras tenham depois se tornado suas, quer não. Essa compulso pode aparecer na maneira como você age quando esta com os pais. É uma força a puxa-lo para as antigas formas de agir. Li recentemente o caso de Margaret, mulher de trinta e dois anos. Era jornalista bem
  24. 24. 24sucedida em Nova Iorque, que ia a cada dois meses visitar os pais no estado deConnecticut. Ela temia cada visita. O pai era homem muito passivo que não seenvolvia emocionalmente com a família. A mãe era dominante, critica feroz, semprenegativa em relação ao pai, cuja vida ela tornava miserável. Margaret finalmentedecidiu que não mais deixaria sugar para dentro o que produzia tensão continuana família. Na visita seguinte, ela passou pela porta e o pai a cumprimentou. Eladisse que lhe queria falar. Ele ficou surpreso, mas concordou em conversar depoisque seu programa de televisão terminasse. Ela sentou-se para assistir junto comele, novamente para grande surpresa dele.Não demorou muito e a mãe de Margaret a chamou da cozinha, pedindo-lhe quefosse ajuda-la. E , sabendo que esse seria seu primeiro grande teste, Margaretrespondeu que ia fazer companhia ao pai. Na cozinha, silencio total. Dez minutosse passaram. Depois, outros cinco minutos. Margaret estava tendo a conversa maispositiva com o pai de que conseguia lembrar-se. Por fim, veio da cozinhanovamente a voz da mãe, pedindo sua ajuda. Margaret despistou-a, dizendo quequeria conversar com o pai. Dois minutos se passaram e então um prato quebrou-se. A mãe chamou desesperadamente, dizendo haver cortado a mão e precisar daajuda de Margaret. A essa altura, o pai olhou para Margaret e disse-lhe que fosseajudar a mãe. Margaret encorajou o pai a ajudar a esposa, mas ele insistiu em euMargaret o fizesse. Margaret havia-se saído bem até esse ponto; mas, quando o pai disseaquilo, ela desmoronou. Foi à cozinha, viu o arranhãozinho na pele da mãe, e fez-lhe um curativo. Durante a próxima hora, ela viu-se deslizando de volta aos antigospadrões de comportamento. Foi embora aborrecida. Ela conclui a historia dizendo
  25. 25. 25 que não é que não goste dos pais, mas não gosta de si mesma quando esta com eles. Os padrões antigos são difíceis de quebrar. O comportamento copulsivo controla a pessoa.2. Impelido pelo perfeccionismo. Não me estou referindo a fazer o melhor que podemos. Fazer o melhor que se pode é empenhar-se na busca da excelência, é colocar o coração e a alma na realização de alguma tarefa. Mas o perfeccionismo é ilusão a dizer-lhe que se você não fizer algo com perfeição, não tem valor algum; se não o fizer exatamente certo, há aalgo errado com você. Se acredita nisso a respeito de sua própria pessoa, você esta sendo governado por expectativas impossíveis. Você não pode ser perfeito. A sentença eu cria o perfeccionismo nas crianças é: “Será que você não consegue fazer nada certo?” Quando uma criança ouve essas palavras repetidas vezes, ela ou se retrai ou resolve ser perfeita. Se você descobrir que, como adulto, ainda é impelido pelo perfeccionismo, esta preso numa teia doentia de pressão por parte dos pais.3. Dividido pela tensão. Ficar divido pela tensão após ter tido contato com os pais [e revela;ao involuntária de que você esta vivendo um relacionamento doentio , marcado pela pressão. Conhecido psiquiatra de Nova York disse que os sete sintomas físicos mais comuns que as pessoas relatam, após contato doentio e tenso com os pais são : dores de cabeça, problemas respiratórios, asfixia, exaustão, espasmos musculares, dificuldades com o colon, e dores na parte inferior das costas. Você descobre que qualquer contato com sal mãe, ou pai, ainda o faz desejar que houvesse um analgésico mais forte do que aspirina? Algo que ajudasse a curar sua violenta dor de cabeça ou respirar com mais facilidade? Percebi isso ano passado quando realizava breve estudo bíblico. Uma senhora de trinta e
  26. 26. 26 poucos anos procurou-me depois de uma aula e pediu-me que orasse por ela. Sentia-se muito aborrecida com o tempo que passava com a mãe. O que mais a preocupava era o efeito que a tensão exercia sobre sua própria família. Ela não gostava da forma como tratava o marido depois de haver estado com a mãe, e o seu filho de oito anos tinha problemas de estomago toda a vez que a avó vinha visita- los.4. Nas garras da culpa. Seu pai ou sua mãe faze você sentir-se culpado. Seus pais moralizam tudo. A técnica comum usada neste tipo de estratégia é a vergonha: você não pode fazer isso, você não deve fazer aquilo. Sendo você adulto, seus pais o envergonham de outra maneira: “Como pode fazer isso comigo?” Eu lhe dei à luz! Trabalhei duro toda a minha vida! Como pode tratar-me dessa forma? Isso detem totalmente qualquer raciocínio, impedindo-os de orar um com o outro. Os pais manipulam através da culpa para você faça o que desejam. Os pais moralizadores geralmente ficam chocados diante de trivialidades. Poderão ter um acesso de raiva porque você passou fora a noite toda quando saiu com alguém. Talvez você tenha vindo para a casa embriagado. Seus pais ficam furiosos e com muita razão. Mas aqui esta o problema. O mesmo pai que fica tão chocado com algo errado de verdade, pode ficar de igual modo chocado se você não tiver limpado o seu quarto. Ou você deveria ter estudado piano por uma hora e estudou só cinqüenta minutos. Tudo é moralmente errado. Tudo é pecado horrível, mesmo que seja sem importância e trivial. Isso produz uma consciência extremamente sensível. Você fica sensível, sente dores, e se agita e absorve mais culpa do que pode dar conta.5. Aprisionado na infância. Ficar aprisionado ou enroscado na infância cm seus pais significa que eles ainda tratam você como criança. Um temor que a criança tem ao
  27. 27. 27 tornar-se adulta é o de perder – ou jamais merecer – o respeito dos pais. Se você percebe que seus pais, que são figurões gigantescos em sua vida, não respeitam você, talvez você se julgue indigno de respeito mesmo. Isso pode criar tremendo temor que o escravizara a um nível infantil de reação para com eles – sempre tentando merecer o respeito deles.6. Encarcerado pela tendência de julgar. Se você foi educado por pais críticos e bisbilhoteiros, pose perceber que essas características são aprendidas. Se seus pais são sempre negativos e críticos, sempre ferem e cortam verbalmente, ao atacar outra pessoa, você talvez aprenda a fazer o mesmo. Você, como adulto, pode estar fazendo o mesmo: ataca os pais que lhe ensinaram esse comportamento. Lembre-se deste versículo: sem lenha, o fogo se apaga; e , não havendo maldizente, cessa a contenda. (Prov. 26:20).7. Dilacerado pelo ressentimento. Seu relacionamento com seus pais dilacera você pelo ressentimento. Eis aqui o problema: se você for cristão e conhecer pessoalmente a Jesus Cristo, pode pensar que admitir que se ressente dos pais não é procedimento cristão. E que acontecera? Você apenas evita resolver o problema, por que o ressentimento suprimido sempre explode em outra parte. É inevitável. Você sabe eu ama seus pais, mas toda a vez em que eles telefonam, você se encolhe. Jamais enfrenta o problema, mas sofre as conseqüências, e seus filhos também. O ressentimento exerce efeito danoso generalizado sobre o lar e a vida.As sete soluções. As soluções são: 1. Visão realista de Deus. Você precisa em primeiro lugar de umavisão realista de Deus, antes de agir. Examinemos Lucas 15, o famoso relato da
  28. 28. 28historia do filho pródigo. Que verdade esta historia revela? O pai é Deus. Um Deusamoroso que deseja ajudar você a relacionar-se de maneira apropriada com seus pais.Não é um Deus que se zanga com você, por causa desse seu problema com seus pais, eaguarda a oportunidade para moer você em pedacinhos. É um Deus que corre ao seuencontro. Você não pode vencer enquanto Jesus Cristo não for Senhor de sua vida.2. Respeite a seus pai. Efésios 6.02 . A palavra chave honra é uma palavra grega quesignifica literalmente atribuir grande peso ou preço a algo. Você vê o poder dessapalavra? Você deve respeitar seus pais ainda que eles tenham vivido vidas miseráveis,iníquas. Mesmo assim você honra a eles como tendo grande valor. Você ainda é capazde dizer-lhes: Mamãe e papai, eu os amo, e u os honro, eu os respeito, dou-lhes grandepeso em minha vida. Eu os valorizo.3. Reconheça que seu pais são humanos. Eles são assim mesmo, daquele jeito. Issosignifica que você poderá ter que livrar-se de sentimentos de deslealdade. Lembre-sede que admitir que seus pais tem problemas ou que estão errados não significa quevocê esta sendo desleal para com eles. Isso não é desrespeito. Você precisa entenderessa realidade, antes que se crie um enorme vulcão de ressentimento que despedaçarávocê. O salmo 103.14 diz: pois ele conhece a nossa estrutura e sabe que somos pó. Àsvezes você precisa olhar seus pais bem de frente e conscientizar-se de que não é vocêquem esta causando a dificuldade mas alguma magoa dentro deles. Deus sabe que seuspais são humanos, e você também precisa saber isso. Lembre-se: não rebaixe os seuspais, mas também não os eleve. Seja realista com relação a eles. Algumas pessoas temuma visão tão irreal dos pais que precisam convencer todo mundo de que eles sãomaravilhosos, sem jamais tentar enfrentar os problemas que os arrasam. Basta quevocê reconheça que seus pais são humanos.
  29. 29. 294. Aprenda a rejeitar a chantagem emocional. A chantagem emocional diz: não amareivocê, a menos que me faça isto. Você precisa aprender a maneira santa de rejeitar essetipo de chantagem. Gálatas 5.01 diz: para a liberdade foi que Cristo nos libertou.Permanecei, pois, firmes e não vos submetais de novo a jugo de escravidão. Seus paispodem estar manipulando o sentimento de culpa, a pressão e as criticas paraestabelecer as condições para dar seu amor. Se você não aprender a rejeitar essachantagem emocional, provavelmente reproduzira os mesmos padrões em seu filhos, eas próximas gerações sofrerão.5. Exponha as expectativas diante de Deus. Refiro-me tanto as expectativas de seuspais para com você quanto as suas expectativas com relação a eles. Você pode estarsofrendo da síndrome do botão mágico. É a expectativa de que, se tão somente puderaprender a apertar o botão mágico do relacionamento com seus pais, tudo funcionarabem. Se tão somente você disser a coisa certa, seu pai não agira mais daquela formahorrível, com você. Se você acertar o jeito sua mãe não tratara mais você daquelamaneira pavorosa. Bastaria que você apertasse o botão mágico para o problemadesaparecer. Mas essa é uma expectativa falsa, que continuara levando você aodesapontamento. Para a maioria das situações, não existe botão mágico nenhum. Vocêterá de deixar suas expectativas nas mãos de Deus. Caso contrario, você continuarasofrendo magoas.6. Aprenda a definição correta de independência. Tomo Maximo cuidado com istoporque existe uma diferença entre independência e rebelião. É uma questão de atitude.Efésios 6.1-2 diz: filhos, obedecei a vossos pais no Senhor pois isto é justo. Honra a teupais e a tua mãe. A palavra chave é filhos. A raiz no grego significa filhos pequenos,dependentes. Portanto, como adulto, você não tem obrigação de obedecer a seus pais.
  30. 30. 30 Você tem a obrigação bíblica de honrar e respeitar a seus pais. Você deve ouvir o conselho de seu pais ainda que não concorde com eles . ora, não estou instando para que você mantenha um mau relacionamento com seus pais. Estou tentando ajudar você a criar um bom relacionamento. A bíblia não lhe ordena que viva em obediência cega a adultos. Mas ordena-lhe honrar e respeitar a seus pais. Note bem as diferenças. 7. Ore para receber regras e diretrizes. É preciso orar especialmente se o relacionamento é difícil. Estabeleça diretrizes depois de muita oração, muito tempo dedicado à palavra de Deus. Firme-as em obediência a Deus. Pode ser que você tenha que dizer a seu pai: Papai, amo-o, mas há certas coisas que não vamos sequer considerar. É possível que você precise fazer o que um pastor disse certa vez a Amy e a mim: aprendam a amar a certa distancia. Nesse caso, você talvez tenha que limitar suas visitas a seus pais a fim de evitar as tensões. A paz de sua família imediata, seu cônjuge e filhos, é o fator determinante. Se sua família estiver sendo arrasada por pressões por parte dos pais, você precisa por um paradeiro nisso com a ajuda amorosa de Deus .Com essas palavras de Ron Ball e Dester Yager concluímos que ser esposo e esposa, pai emãe, ser filho e filha, enfim, formar uma família é algo complicado se fixarmos os olhosapenas nas dificuldades, porém se colocarmos nossos olhos em Jesus que é autor econsumador da fé (Hb 12.2) essa tarefa será prazerosa e grata, pois alcançaremos opropósito divino.
  31. 31. 31 CONCLUSÃO Realmente a família é uma ideia divina, pois o criador estabeleceu-a para ser amenor parte da sociedade, mas não a menos importante. A importância da família estáinserida na responsabilidade que ela tem como geradora do individuo que será a pessoacidadã que comporá com outras a sociedade que forma o ambiente de convivência comumdurante o período de vida. A situação do mundo atual está ruim devido a deterioração do conceito e valor dafamília e é necessário que a igreja cristão levante sua voz em favor do resgate e restauraçãoda família para que a sociedade possa ser sarada. O evangelho trás uma mensagemtransformadora para cada ser humano, mas também trata do núcleo familiar de tal maneiraque faz lares destruídos em lares abençoados. A benção está em ter amor pela Palavra deDeus e enxergar o privilegio de ter recebido a família como um presente divino e ainda aoportunidade de ter a ajuda do Senhor para fazer corretamente o proposito da famíliaacontecer. O assunto sobre família e a arte de dirigi-la não se esgota com este simples estudo,mas acredito que apenas amplia-se o desejo de conhecer mais, por isso, recomendo aosleitores que leiam a palavra e façam anotações, participem de palestras e estudos elaboradospela igreja e que possam montar uma biblioteca pessoal com varias publicações – algumasestão nesta bibliografia e outras caberá a cada um pesquisar. Que Deus abençoe grandemente a sua família!
  32. 32. 32Bibliografia. 1. Bíblia sagrada 2. Como Salvar seu Casamento. Edta. Vida. Autores. Dr. Lês Parrott III e Dra. Leslie Parrott 3. Como Obter o Maximo da Vida. Edta. Vida. Autor Ken Davis 4. Êxito nos Laços Familiares. Edta. Vida. Autores. Ron Ball e Dexter Yager. 5. Universidade da Palavra. Edta. Vida. Autor. Dick Eastman 6. O Ato Conjugal. Edta. Betania. Autores. Tim LaHaye e Beverly LaHaye

×