Congresso celebrando a bíblia pentateuco (manual)

1.440 visualizações

Publicada em

Manual do congressista - contendo a sintese das palestras feitas durante o congresso

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.440
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
23
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Congresso celebrando a bíblia pentateuco (manual)

  1. 1. Congresso Celebrando a Bíblia - Pentateuco Coordenação de Educação da ABM Pr. Davi Freitas de Carvalho“Porque a Bíblia é a Palavra de Deus, tem relevância eterna; fala para toda a humanidade em todas as eras e em todas as culturas. Porque é a Palavra de Deus, devemos escutar – e obedecer.” (Gordon D. Fee) Site para aprofundamentos e avaliação on-line http://a-biblia-viva.blogspot.com/ Nossa missão: “Promover o reino de Deus pela instrução bíblica, treinamento e capacitação de lideranças comprometidas com os ideais de Cristo”. •1
  2. 2. SumárioSegunda-feira – Gênesis: criação e movimento patriarcal ..... 3Terça-feira – Êxodo: coletânea de memórias do pacto ............ 5Quarta-feira – Levítico: a Carta Magna do pacto ...................... 7Quinta-feira – Números: a experiência no deserto .................11Sexta-feira – Deuteronômio: releitura da lei ao povo .............14Notas bibliográficas......................................................................16 Introdução “E a palavra de Deus crescia e se multiplicava” (At 12.24) A Coordenadoria de Educação da AssociaçãoBatista Mageense tem o privilégio de ofereceràs igrejas e seus membros uma ocasião única: oaprofundamento teológico e o conhecimento bíbliconum Congresso sobre a Bíblia que tem a previsãode vários anos, sempre na semana que antecede odia da Bíblia. Neste primeiro momento, nosso olhar se voltapara o Pentateuco. Durate os dias de 5 a 9 dedezembro, na Igreja Batista em Vila Jaguaribe, das19h30 às 21h00, estarão ocorrendo as palestras ediscussões. Pastor Davi Freitas de Carvalho Coordenador do Departamento2 • CONGRESSO CELEBRANDO A BÍBLIA
  3. 3. Aula 1 Gênesis - criação e movimento patriarcal “No princípio criou Deus os céus e a terra...” O LIVRO TRAZ A PRIMEIRA PARTE DOS LIVROSDA LEI ou Pentateuco (cinco rolos). A composição do livro: Tradição oral + relatos de Moisés + compilação e organização pela classe sacerdotal no exílio. 1) Gênesis 1 a 11 (Relatos da criação) Gênesis apresenta duas divisões principais: 2) Gênesis 12 a 50 (Relatos dos patriarcas). Cap. 1 e 2 – O relato da criação • Esboço do conteúdo da primeira parte – Gênesis 1 a 11 Cap. 3 – Tentação e pecado Cap. 4 – Problemas na primeira família Cap. 5 – Genealogia de Adão a Noé COORDENADORIA DE EDUCAÇÃO DA ABM • 3
  4. 4. Cap. 6 – Corrupção social e espiritual do mundo Cap. 7 a 10 – Noé, a arca, o dilúvio e o recomeço Cap. 11 – O relato bíblico da origem dos idiomas As primeiras famílias (clãs) eram de agricultores e pastores • Esboço de conteúdo - Relatos patriarcais – 12 a 50– a revelação divina tem estreita relação com o Egito. => Abraão – o primeiro a res-ponder ao chamado de Deus (paida fé) => Isaque (o filho da promessa) => Jacó (Pai das famílias queformaram as 12 tribos) A revelação divina se dá na história humana, que é o palco dos • Gênesis traz NARRATIVASconflitos vividos pelos personagens... => O PERSONAGEM PRINCIPAL É... DEUS. => DESTACAM-SE PERSONAGENS SECUNDÁRIOS AOS QUAISDEUS SE REVELA (JOSÉ, em especial) NOSSA FÉ INDEPENDE DE COMPROVAÇÕES CIENTÍFICAS, • O fio da meada (para entender o livro)POIS CREMOS NUM DEUS CRIADOR E SENHOR DA HISTÓRIA. 1) Gênesis não tem pretensões científicas - o antigo debate-criacionismo versus darwinismo (evolucionismo) não interessaà fé. 2) A história que se desvenda é a da REVELAÇÃO DE DEUS.4 • CONGRESSO CELEBRANDO A BÍBLIA
  5. 5. Aula 2 Êxodo - coletânea de memórias do pacto de Deus com o povo hebreu O nome do livro significa “SAÍDA”: referência à libertação dosisraelitas da escravidão egípcia, sob a liderança de Moisés. O LIVRO TRAZ A SEGUNDA PARTE DOS LIVROS DA LEI ouPentateuco (cinco rolos) 1) Memórias (relatos dos livramentos e da • Formas literárias do Livro:providência divina) 2) Poesia (15.1-18) - uso no louvor do culto 3) Alianças e códigos legais (20.1-23.33) Estes relatos têm paralelos com os mitosmesopotâmicos e cananeus, que oferecem ocontexto sociorreligioso da produção do livro. Cap. 1 a 13 – A presença salvadora de Deus • ESBOÇO TEOLÓGICO Cap. 13 a 18 – A presença orientadora e provedora de Deus Cap. 19 a 24 – A presença exigente de Deus (Aliança) Cap. 25 a 31 – A presença de Deus no culto (regras) Cap. 32 a 34 – A presença de um Deus disciplinador e perdoador Cap. 35 a 40 – A presença permanente no culto (prática). COORDENADORIA DE EDUCAÇÃO DA ABM • 5
  6. 6. = Êxodo 19.4-6,8 • A ênfase: ALIANÇA (concerto/pacto) 1) JAVÉ: O Deus da aliança (fiel, poderoso, salvador e santo) 2) Israel: o povo da aliança (ela define a tarefa sacerdotal dopovo). O chamado de Deus para a aliança é da livre escolha de Deus!Não se baseia nos méritos do povo. A revelação divina se dá na história humana, que é o palco • Êxodo traz NARRATIVASdos conflitos vividos pelos personagens... => O PERSONAGEM PRINCIPAL É... DEUS. => DESTACAM-SE PERSONAGENS SECUNDÁRIOS AOS QUAISDEUS SE REVELA (Moisés, Arão, Faraó). A revelação divina se dá na história humana, que é o palcodos conflitos vividos pelos personagens... => ACONTECIMENTOS COBREM de 2100 a.C. a 1400 a.C • O fio da meada (para entender o livro) => Relação estreita com o Egito. => Códigos legais têm relação com tratados legais hititas (as => A páscoa hebraica festeja o ato central do livro: a intervençãoprimeiras formas legais do mundo antigo).de Deus para livrar o povo da escravidão. Juntamente como Pentecostes e os Tabernáculos, a Páscoa era uma das festasanuais de peregrinação (Dt 16.16)6 • CONGRESSO CELEBRANDO A BÍBLIA
  7. 7. Aula 3 Levítico - a Carta Magna da Aliança “Levítico é a CARTA MAGNA da aliança de Deus com Israel de-lineando os meios pelos quais o povo poderia ter acesso a ele” O nome significa “(O livro dos) Levitas” - referência não aossacerdotes em si, mas às instruções específicas para o culto aDeus a ser ministrado por eles. É O TERCEIRO LIVRO da Torá. COORDENADORIA DE EDUCAÇÃO DA ABM • 7
  8. 8. 1) Material legal (Sistema sacrificial – Lv 1 a 16 + Código de • Formas literárias do Livro:santidade – Lv 17 a 26) 2) Narrativa (Lv 8 – 10: Nadabe e Abiú) 3) Seção de bênção ou maldição (Lv 26) Cap. 1 a 7 – A necessidade do sacrifício. • ESBOÇO TEMÁTICO (Manual Bíblico Vida Nova, p. 185) Cap. 8 a 10 – Necessidade de mediadores sacerdotais. Cap. 11 a 15 – A necessidade de separação entre o puro e oimpuro. Cap. 16 – A necessidade de um dia de expiação. Cap. 17 a 25 – A necessidade de um viver santo. Cap. 26 – A bênção e a maldição (consequências). Cap. 27 – As ofertas de dedicação. => Lv 1; 6.8-13 - HOLOCAUSTO – significa rendição, devoção, • O SISTEMA SACRIFICIAL (OFERTAS VOLUNTÁRIAS)compromisso completo com o Senhor (Gado, novilho, carneiro,pombo ou rolinha sem defeito); => Lv 2; 6.14-23 - Oferta de MANJARES – Significa gratidãopelas primícias (farinha, pão ou grão preparados com azeite esal, sem fermento; ou incenso); => Lv 3; 7.11-36 - Oferta PACÍFICA – Simboliza comunhão comDeus. Significa gratidão por umabênção específica; oferece uma ex-pressão ritual de um voto; simboli-za gratidão geral (levada a um doscultos religiosos exigidos. (Qualqueranimal sem defeito).8 • CONGRESSO CELEBRANDO A BÍBLIA
  9. 9. • O SISTEMA SACRIFICIAL (OFERTAS OBRIGATÓRIAS) => Lv 4.1-5.13; 12.6-8 - Oferta pelo PECADO – Oferecida porquem tivesse cometido pecado involuntário ou estivesse impuro– para obter purificação (variava de acordo com a pessoa: gadopelo sumo sacerdote; bode pelo rei; cabra ou cordeiro por qual-quer pessoa; rola ou pombo pelo pobre; um décimo de efa defarinha pelo mais pobre); => Lv 2; 6.14-23 - Oferta pela CULPA – Oferecida por quemtivesse privado alguém de seus direitos ou profanado algo santo(Carneiro ou cordeiro sem defeito). • Festas de Israel (pelo nosso calendário) Mês Festa ComemoraçãoQuisleu (nov/dez) DEDICAÇÃO Purificação do templo porTebete (dez/jan) (Hanukkah) das luzes Judas Macabeu em 164 a.C.Adar (fev/mar) PURIM (de Ester) Livramento do povo judeu nos dias de EsterNisã (mar/abr) PÁSCOA Libertação do EgitoNisã (mar/abr) DOS PÃES ASMOS Idem – inclui um dia das“primavera” primícias pela colheita cevadaSivã (Mai/Jun) PENTECOSTES A entrega da Lei no Sinai (7 semanas) Inclui o dia das primícias pela colheita do trigoTisri (Set/Out) TROMBETAS O início do ano civil – dia de descanso, comemorado com toque de trombetas e ofertasTisri (Set/Out) CABANAS ou Quarenta anos de TABERNÁCULOS peregrinação no deserto (sukkot) COORDENADORIA DE EDUCAÇÃO DA ABM • 9
  10. 10. Tisri (Set/Out) DIA DA EXPIAÇÃO O sumo sacerdote faz a (YOM KIPPUR) expiação do pecado da nação; Dia de jejum solene. = O único dia do ano em que o sumo sacerdote entrava no Santo dos Santos => Temas principais: a santidade de Deus, a explicitação da • O fio da meada (para entender o livro)sua aliança com o povo, as exigências de um viver santo (Lv11.45); => O Sábado era a festa religiosa mais importante para os He-breus por ser semanal. Comemora não apenas o descanso (Ex20.11), mas o fato de tê-los libertado da escravidão egípcia (Dt5.15); => O ano sabático - a cada 7 anos, a terra devia ter um ano dedescanso. Os campos não eram cultivados. As vinhas não erampodadas; => O ano do Jubileu - O quinquagésimo ano era especial. Asterras precisavam ser devolvidas à família que fosse sua pro-prietária original. Os escravos hebreus e suas famílias deviamser libertados. A terra recebia um novo descanso; => À luz de Hebreus, entendemos melhor como Cristo e seusacrifício cumpriram integralmente o sistema sacrificial do An-tigo Testamento, substituindo-o; => Em Levítico, santidade é “posição” e tb “condição”; => Os cristãos precisam resgatar os princípios da aliança, nãoos rituais ali descritos. Para saber mais: HARRISON, R.K. Levítico: introdução e comentário. Série Cultura Bíblica. São Paulo: Vida Nova, 1983.10 • CONGRESSO CELEBRANDO A BÍBLIA
  11. 11. Aula 4 - Exposição pelo Pr. Alexandre - PIB Ponte Preta Números - a experiência no deserto “O nome hebraico do livro (bemidbar) significa NO DESERTO- que é bem adequado para descrever seu conteúdo: um trata-do inteiramente ambientado nos desertos do Sinai, Neguebe eTransjordânia.” O título “Números” vem da tradução grega da Versão dos 70(Septuaginta), refletindo o CENSO DAS TRIBOS DE ISRAEL noinício do livro e outras listas e contagens. É O QUARTO LIVRO da Torá. Números é história narrativa - estilo diário - cobrindo 40 anosda peregrinação do povo no deserto - visando instruir o povo. COORDENADORIA DE EDUCAÇÃO DA ABM • 11
  12. 12. = Preparação junto ao Monte Sinai – Cap. 1 a 10 • ESBOÇO SIMPLIFICADO = Viagem do Sinai até Moabe, região da planície junto ao Jor-dão – 10.11 a 25.31 = Os eventos nas terras de Moabe antes da travessia – 22.1 –36.13. • Em muitos momentos, o livro mostra nossas limitações = Incredulidadecomo pecadores que somos: = Rebeldia (Tabera, espias, Corá, Data e Abirão e as serpentesabrasadoras) = Murmuração – o povo tinha uma tendência a questionar omodo operante de Deus. • O significado da Liderança (Personagens chaves da alian-ça – Josué e Calebe) = Todo líder precisa de mentoria (10.29-31) = Todo líder precisa de outros líderes que alcancem a mesmavisão para o cumprimento da missão (11.16,17). = O grande líder é aquele que produz novos líderes (27.18-23). = Cuidados administrativos – recenseamentos e distribuição • Números mostra os cuidados de Deusdas tribos nos territórios e heranças. = Cuidados religiosos – leis e regras (5, 9, 35). = Cuidados espirituais – dedicação e exercício do sacerdócio. = Murmurações e incredulidade (1Co 10.5-11; Hb 3.16-19) • O livro de Números nas citações do NT = A síndrome de Balaão (2Pe 2.13-17) = A serpente como protótipo de Cristo (Jo 3.14,15).12 • CONGRESSO CELEBRANDO A BÍBLIA
  13. 13. Aula 5 Deuteronômio - Hora de assumir compromissos Este Livro é “um sermão de despedida centralizado na aliança.” Deutero (segunda) + nomos (lei) – no sentido da repetição dalei por Moisés às novas gerações, nos momentos que antecedema conquista de Canaã. É O QUINTO LIVRO da Torá. COORDENADORIA DE EDUCAÇÃO DA ABM • 13
  14. 14. 1) Prólogo narrativo (Cap. 1 a 4) • Formas literárias do Livro: 2) Leis e ordenanças (Lv 8 – 10: Nadabe e Abiú) 3) Seção de bênção ou maldição (Dt 27,28) 4) Homilia ou discurso (sermão) – Cap 30 em diante (em tompoético - cântico de Moisés) O ambiente da aliança (1.1-5) • ESBOÇO TEMÁTICO (Manual Bíblico Vida Nova, p. 185) Lições da história do povo de Deus (1.6-4.40) Princípios básicos da aliança (4.44-6.25) Princípios suplementares da aliança (7 a 11) Recursos e ameaças ao culto único (12-16.17) A peculiaridade do povo de Deus (16 a 26) Bênçãos e a maldições (consequências – 27,28) Renovação do compromisso da aliança (29.1-30.20) O futuro da aliança (31.1-29) Moisés se despede e orienta o povo (31.30-34.12)14 • CONGRESSO CELEBRANDO A BÍBLIA
  15. 15. • O fio da meada para entender o livro 1) Cada geração precisa ouvir e responder à aliança de Deus; 2) O futuro do povo de Deus é garantido pela fé historicamen-te revelada, isto é, Deus intervém para salvar; 3) A libertação do Egito está no âmago da apresentação queMoisés faz da aliança: o único e verdadeiro Deus que elege seupovo requer adoração exclusiva e lealdade total; 4) Em Deuteronômio, obediência é “prova de amor a Deus” 5) A exemplo de Levítico, Deuteronômio tb possui um “códigode santidade (22.5-23.18). Josué, o sucessor de Moisés, é um grande exemplo para nós, hoje, no que se refere ao serviço a Deus COORDENADORIA DE EDUCAÇÃO DA ABM • 15
  16. 16. Timor Domini initium sapientiae est16 • CONGRESSO CELEBRANDO A BÍBLIA

×