Slide livro Sociologia ensino médio capitulo 04 do Tomazi

13.521 visualizações

Publicada em

Slide do capítulo 04 do livro "Sociologia para o Ensino Médio" de Nelson Dácio Tomazi. Material de apoio para ser utilizado na sala de aula. Créditos by Tiago Lacerda.

Publicada em: Educação
4 comentários
11 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
13.521
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
796
Comentários
4
Gostaram
11
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Slide livro Sociologia ensino médio capitulo 04 do Tomazi

  1. 1. Unidade 2 Trabalho e sociedade Há sempre muitas perguntas a fazer sobre o trabalho. Por exemplo: por que ele existe? Quem o inventou? Seu significado é semelhante nas diferentes sociedades?
  2. 2. Capítulo 4O trabalho nas diferentes sociedades Em nossa sociedade, a produção de um objeto envolve uma complexa rede de trabalhadores e de trabalho. Outros tipos de sociedade apresentam características bem diversas, como veremos a seguir. Campo de cultivo de trigo na Índia (1995) e panificadora no Brasil (2001). Cada produto resulta do trabalho de uma infinidade de pessoas com diferentes especialidades. ©ArvindGarg/Corbis/LatinStock LuizCarlos Murauskas/Folhapress
  3. 3. Capítulo 4O trabalho nas diferentes sociedades A produção nas sociedades tribais As sociedades tribais diferenciam-se umas das outras em muitos aspectos, mas em geral não são estruturadas pela atividade que em nossa sociedade denominamos trabalho. Nelas todos fazem quase tudo, e as atividades relacionadas à obtenção do que as pessoas necessitam para se manter integram-se a todas as esferas da vida social.
  4. 4. Capítulo 4O trabalho nas diferentes sociedades A explicação para o fato de os membros das sociedades tribais trabalharem menos do que nós está no modo como se relacionam uns com os outros e com a natureza. O antropólogo estadunidense Marshall Sahlins as denomina “sociedades da abundância” ou “sociedades do lazer”, pois seus membros têm todas as necessidades materiais e sociais satisfeitas dedicando um mínimo de horas ao que chamamos trabalho.
  5. 5. Capítulo 4O trabalho nas diferentes sociedades AnísioMagalhães/SambaPhoto Xingu, Mato Grosso, 1995. Jovem yawalapity prepara folhas de buriti para artesanato. Nas sociedades tribais, todos compartilham os conhecimentos necessários para a obtenção de matérias-primas e a elaboração de objetos. Apenas a idade e o sexo definem a divisão das tarefas.
  6. 6. Capítulo 4O trabalho nas diferentes sociedadesEscravidão e servidão Nas sociedades grega e romana, a mão de obra escrava garantia a produção necessária para suprir as necessidades da população. Representação do trabalho escravo em detalhe de mural romano do século IV. MausoléudeSantaConstanza,Roma,Itália Os gregos utilizavam diferentes termos para expressar suas concepções de trabalho: labor significava esforço físico; poiesis, atividade manual; práxis, a atividade do discurso.
  7. 7. Capítulo 4O trabalho nas diferentes sociedades Nessas sociedades, havia outras formas de trabalho, como as atividades artesanais, desenvolvidas nas cidades e nos feudos, e as atividades comerciais. Nas sociedades medievais, a terra era o principal meio de produção, e os trabalhadores tinham direito a seu usufruto e ocupação, mas nunca à propriedade. Prevalecia um sistema de deveres do servo para com o senhor e deste para com aquele.
  8. 8. Capítulo 4O trabalho nas diferentes sociedades Da Antiguidade até o fim da Idade Média, o trabalho não orientava as relações sociais. Estas se definiam pela hereditariedade, pela religião, pela honra, pela lealdade e pela posição em relação às questões públicas: elementos que permitiam a alguns viver do trabalho dos outros.
  9. 9. Capítulo 4O trabalho nas diferentes sociedades Com a emergência do mercantilismo e do capitalismo e o fim do serviço compulsório, era preciso convencer as pessoas de que trabalhar para os outros era bom. Foi preciso, então, mudar a concepção de trabalho: de atividade vil, passou a ser visto como atividade que dignifica o ser humano. Trabalho artesanal representado em iluminura do século XVI. Coleçãoparticular/AKG/LatinStock As bases do trabalho na sociedade moderna
  10. 10. Capítulo 4O trabalho nas diferentes sociedades A transformação dos artesãos e pequenos produtores em assalariados ocorreu por meio de dois processos de organização do trabalho: a cooperação simples e a manufatura. Cooperação simples  o artesão desenvolvia todo o processo produtivo, mas trabalhava para quem financiava a matéria-prima e os instrumentos de trabalho, e definia o local e a jornada de trabalho.
  11. 11. Capítulo 4O trabalho nas diferentes sociedades Manufatura  o trabalho continuava a ser artesanal, mas uma pessoa não fazia tudo, do começo ao fim. Cada indivíduo passou a fazer apenas uma parte do trabalho. Trabalho em manufatura na Inglaterra. Fotografia do século XIX. TheBridgemanArtLibrary/Keystone
  12. 12. Capítulo 4O trabalho nas diferentes sociedades Na manufatura, o produto tornou-se resultado das atividades de muitos trabalhadores. O trabalho transformou-se em mercadoria que podia ser vendida e comprada. Surgiu, então, a maquinofatura, na qual o espaço de trabalho passou a ser a fábrica. A destreza manual do trabalhador foi substituída pela máquina.
  13. 13. Capítulo 4O trabalho nas diferentes sociedades O trabalhador foi convencido de que a situação presente era melhor do que a anterior. Diversos setores da sociedade colaboraram para essa mudança: as igrejas; os governantes; os empresários; as escolas. Cena da fábula “A cigarra e a formiga”, em gravura de Gustave Doré, 1867. As escolas passaram às crianças de várias gerações a ideia de que o trabalho era fundamental para a sociedade: quem não trabalhava “levava sempre a pior”. ©ChrisHellier/Corbis/LatinStock
  14. 14. Capítulo 4O trabalho nas diferentes sociedades O trabalhador estava livre apenas legalmente porque, na realidade, via-se forçado pela necessidade a fazer o que lhe impunham. E trabalhava mais horas do que antes. De acordo com Max Weber, em seu livro História econômica (1923), isso era necessário para que o capitalismo existisse. Thinkstock/Getty Images
  15. 15. Capítulo 4O trabalho nas diferentes sociedades Não foi fácil submeter os trabalhadores às longas jornadas e aos horários rígidos, pois a maioria deles não estava acostumada a isso. A maior parte da população que foi para as cidades trabalhava anteriormente no campo, onde o único “patrão” era o ritmo da natureza. Thinkstock/GettyImages
  16. 16. Capítulo 4O trabalho nas diferentes sociedades Exercícios 1. Leia um resumo da fábula “A cigarra e a formiga”, atribuída a Esopo. Durante todo o verão, enquanto a formiga trabalhava, a cigarra só cantou. Quando chegou o inverno, a cigarra pediu comida à formiga que, indignada, perguntou: − Mas o que você fez no verão? − No verão eu cantei. − Então agora dance.
  17. 17. Capítulo 4O trabalho nas diferentes sociedades 2. Junte-se um colega e reescrevam essa fábula com base no que as tarefas relacionadas à produção representavam para: a) as sociedades tribais; b) as sociedades medievais.

×