Arquitetura surge quando se colocam dois tijolos                                                                     junto...
O programa da casa é composto por um quarto, um escritório do “cavalheiro”,uma sala das damas, uma sala de estar, além de ...
O arquitetoLudwig Mies van der Rohe, 1886 - Alemanha, 1969 - EUALudwig Mies van der Rohe, juntamente com Walter Gropius e ...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Casa lemke_mies van der rohe

1.696 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.696
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
251
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
20
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Casa lemke_mies van der rohe

  1. 1. Arquitetura surge quando se colocam dois tijolos juntos cuidadosamente. Ali ela começa. Ludwig Mies van der RoheA obraLemke Haus, Ludwig Mies van der Rohe - 1933, Berlim, AlemanhaA casa projetada para Karl e Martha Lemke pode ser considerada uma ilustra-ção da célebre frase de Mies van der Rohe de que: “(...) a arquitetura começaquando dois tijolos são cuidadosamente colocados juntos.”¹Isto se traduz de forma literal e volumétrica na casa Lemke, uma pequena e sim-ples casa de tijolos em forma de “L”, composto por dois retângulos, situada emum terreno perto do lago Obersee, em Berlim, e cuja construção foi terminadaem 1933. Esta configuração em L marca uma mudança na arquitetura residen-cial de Mies: até então, suas residências voltavam suas aberturas para o espaçopublico; com a casa Lemke, as suas casas passaram a se voltar para o jardim,ficando mais voltadas para o interior do terreno.Uma análise cuidadosa das dimensões da casa mostrou que os dois retângulosque formam o L têm proporção áurea. Além disso, as janelas voltadas para oespaço público têm dimensões relacionadas: há dois módulos diferentes, cadaqual com submúltiplos e múltiplos. Percebe-se, também, que as dimensões dotijolo foram usadas como módulo para as dimensões da casa.
  2. 2. O programa da casa é composto por um quarto, um escritório do “cavalheiro”,uma sala das damas, uma sala de estar, além de áreas de serviço. Para os pa-drões burgueses da época, tal programa era dimensionalmente bastante limita-do.A casa se abre para o jardim e para o lago; as fachadas respondem a isso comgrandes aberturas para o terraço e com janelas menores voltadas para a rua.Mies manipulou paredes e a cobertura para enquadrar a paisagem, extenden-do os limites entre o interior e o exterior. A experiência máxima da casa se dáenquanto se está na sala ou no quarto: o exterior está no meio, e o observadorolha para fora, e para dentro novamente. A porta de entrada é completamenteenvidraçada e contribui com a relativa transparência do prédio maciço.O hall de estar é o cômodo mais importante da casa. Definido pelo bloco quecontém o quarto e pelo bloco que contém a area social, é ele que cria a articu-lação entre os espaços internos e com o exterior: a grande extensão de vidrodo hall, ao mesmo tempo que conecta as duas partes, separa-o do jardim fisi-camente, restando a conexão visual, que sugere um adentramento do mesmopara dentro da casa.Seu jardim foi projetado pelo escritório de Karl Foerster, Herta Hammerbach eHermann Mattern, importante escritório de paisagismo que atuava na região. Ointerior conta com móveis projetador por Lilly Reich e pelo próprio Mies. A casa foi aberta ao público em 1990, e passou por reforma entre os anos de2000 e 2002.
  3. 3. O arquitetoLudwig Mies van der Rohe, 1886 - Alemanha, 1969 - EUALudwig Mies van der Rohe, juntamente com Walter Gropius e Le Corbusier,são considerados os mestres da Arquitetura Moderna. Mies, como muitosdos seus conterrâneos do pós-guerra, buscaram estabelecer um novo estiloarquitetônico que pudesse representar os temos moderno, asim como o Clas-sicismo e o Gótico fizeram nas suas épocas. Ele criou um estilo arquitetônicoinfluente, marcado por uma clareza e simplicidade extremas.Chamava seus prédios de arquitetura de pele e ossos; buscou um um enfoqueracional que guiaria o processo criativo de criação. Nas suas obras, usou emprofusão materiais modernos e de extrema qualidade.Casa Farnsworth, 1946 Edifício Seagram, 1958Pavilhão Barcelona, 1929 Crown Hall - IIT, 1956Villa Tugendhat, 1928 Neue Nationalgalerie, 1962Fontes¹ http://www.galinsky.com/buildings/lemke/index.htmhttp://www.germangalleries.com/MiesVanDerRoheHhttp://www.miessociety.org/legacy/projects/lemke-house/aus/MiesVanDerRoheHaus3E.htmlhttp://en.wikipedia.org/wiki/Ludwig_Mies_van_der_RoheRILEY, TERENCE; BERGDOLL, BARRY. Mies in Berlin. Nova Iorque: MOMA.

×