Avaliação de Saúde no IdosoAvaliação de Saúde no Idoso
Otávio Castello de Campos PereiraOtávio Castello de Campos Pereira
...
Envelhecimento Populacional - MundoEnvelhecimento Populacional - Mundo
Octagenários – BrasilOctagenários – Brasil
3 milhões3 milhões
(2009)(2009)
14 milhões14 milhões
(2050)(2050)
ComoComo
envelhecemos?envelhecemos?
3 Histórias de3 Histórias de
VidaVida
Quais são osQuais são os
padrões depadrões de
envelhecimento?envelhecimento?
Idoso Autônomo eIdoso Autônomo e
IndependenteIndependente
Frágil eFrágil e
dependentedependente
Envelhecimento Bem SucedidoEnvelhecimento Bem Sucedido
O declínio funcional para fragilidadeO declínio funcional para fragilidade
Capacidade FuncionalCapacidade Funcional
AvaliaçãoAvaliação
GeriátricaGeriátrica
independenteindependente dependentedepend...
Objetivos da Geriatria e GerontologiaObjetivos da Geriatria e Gerontologia
Restaurar eRestaurar e
maximizar amaximizar a
C...
ComoComo
alcançá-los ?alcançá-los ?
O Olhar GeriátricoO Olhar Geriátrico
Distinção entreDistinção entre
senil esenil e
senescentesenescente
GrandesGrandes
Sín...
O Olhar GeriátricoO Olhar Geriátrico
30%30%
BiologiaBiologia
70%70%
BiografiaBiografia
Doenças CrônicasDoenças Crônicas
0 10 20 30 40 50 60
Nenhum acima
Os 5 fatores
tabagismo
diabetes
obesidade
hipertensão
sedentarismo
Probabilidade de estar...
Alguns elementos...Alguns elementos...
• Imobilidade
• Instabilidade / Quedas
• Incontinência
• Comprometimento Intelectual (demência)
• Iatrogenia
• Fragilidade...
Esquecimento. Será Alzheimer?Esquecimento. Será Alzheimer?
Normal x patológico:Normal x patológico:
alteração funcionalalt...
Incontinência UrináriaIncontinência Urinária
30%30%
mulheresmulheres
idosasidosas
ProblemaProblema
higiênico e socialhigiê...
Osteoporose e QuedasOsteoporose e Quedas
Causas:Causas:
menopausa, sedentarismo,menopausa, sedentarismo,
tabagismo, obesid...
DepressãoDepressão
Causas biológicas eCausas biológicas e
psíquicaspsíquicas
QuadroQuadro
atípicoatípico
Problemas de sono...
Hábitos de VidaHábitos de Vida
AtividadeAtividade
FísicaFísica
Alimentação Adequada eAlimentação Adequada e
Estado Nutrici...
SexualidadeSexualidade
Reflexo deReflexo de
toda a vidatoda a vida
Dificuldades: doenças,Dificuldades: doenças,
auto-estim...
EspiritualidadeEspiritualidade
Despertar naDespertar na
MaturidadeMaturidade
Mais saúdeMais saúde
maiormaior
longevidadelo...
Vida Social e FamiliarVida Social e Familiar
Amizades eAmizades e
Rede SocialRede Social Satisfação noSatisfação no
trabal...
Melhor Idade?Melhor Idade?
““A velhice nãoA velhice não
é paraé para
maricas”maricas”
Bette Davis,Bette Davis,
atrizatriz
Como avaliarComo avaliar
o idoso?o idoso?
Avaliação Geriátrica AbrangenteAvaliação Geriátrica Abrangente
Medicina
Enfermagem
Fonoaudiologia
Fisioterapia
Terapia
Ocu...
O idoso em avaliação...O idoso em avaliação...
• Visão Interdisciplinar
• Saúde Física
• Saúde Mental
–Cognição e Transtornos psiquiátricos
• Capacidade Funcional
• Dete...
• Queixas
• Medicações em uso
• Diagnósticos Conhecidos / Antecedentes
• IC/ISDA
• Exame Físico e Mental
• Perfil funciona...
Desenho doDesenho do
RelógioRelógio
Avaliação Cognitiva e HumorAvaliação Cognitiva e Humor
Mini Exame doMini Exame do
Esta...
• Autocuidado
– banho, higiene bucal, unhas, vestuário ,’etc
• Alimentação
• Controle de Esfíncteres
• Transferência
• Loc...
Qual nossa própria expectativaQual nossa própria expectativa
quanto ao envelhecimento?quanto ao envelhecimento?
““A velhice é comoA velhice é como
qualquer coisa:qualquer coisa:
para ela ser umpara ela ser um
sucesso, você temsucesso,...
““Ao longo da vida recebemosAo longo da vida recebemos
algumas pistas que nos fazemalgumas pistas que nos fazem
lembrar a ...
Quem euQuem eu
quero ser?quero ser?
Idoso jovial ...Idoso jovial ...
ou jovem envelhecido ...ou jovem envelhecido ...
2002 – 31 anos2002 – 31 anos1985 – 17 anos1985 – 17 anos
Perguntas ?Perguntas ?
otavio@einstein.brotavio@einstein.br
11-9184-345011-9184-3450
Avaliacao De Saude No Idoso   Dr Otavio Castello   27abr09   Versao Slideshare
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Avaliacao De Saude No Idoso Dr Otavio Castello 27abr09 Versao Slideshare

3.788 visualizações

Publicada em

Aula ministrada na reunião da Unidade Jardins do Hospital Israelita Albert Einstein em 29abr09

Publicada em: Saúde e medicina, Tecnologia
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.788
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
17
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
165
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • <number>
  • <number>
  • <number>
  • <number>
  • <number>
  • <number>
  • <number>
  • <number>
  • <number>
  • <number>
  • <number>
  • <number>
  • <number>
  • <number>
  • <number>
  • <number>
  • <number>
  • <number>
  • <number>
  • <number>
  • Avaliacao De Saude No Idoso Dr Otavio Castello 27abr09 Versao Slideshare

    1. 1. Avaliação de Saúde no IdosoAvaliação de Saúde no Idoso Otávio Castello de Campos PereiraOtávio Castello de Campos Pereira Médico Geriatra – HIAE- UVMMédico Geriatra – HIAE- UVM Unidade JardinsUnidade Jardins 29abr0929abr09
    2. 2. Envelhecimento Populacional - MundoEnvelhecimento Populacional - Mundo
    3. 3. Octagenários – BrasilOctagenários – Brasil 3 milhões3 milhões (2009)(2009) 14 milhões14 milhões (2050)(2050)
    4. 4. ComoComo envelhecemos?envelhecemos? 3 Histórias de3 Histórias de VidaVida
    5. 5. Quais são osQuais são os padrões depadrões de envelhecimento?envelhecimento?
    6. 6. Idoso Autônomo eIdoso Autônomo e IndependenteIndependente Frágil eFrágil e dependentedependente
    7. 7. Envelhecimento Bem SucedidoEnvelhecimento Bem Sucedido
    8. 8. O declínio funcional para fragilidadeO declínio funcional para fragilidade
    9. 9. Capacidade FuncionalCapacidade Funcional AvaliaçãoAvaliação GeriátricaGeriátrica independenteindependente dependentedependente semi-semi- dependentedependente Capacidade deCapacidade de desempenhar tarefas quedesempenhar tarefas que garantam autonomia,garantam autonomia, independência e bem estar.independência e bem estar.
    10. 10. Objetivos da Geriatria e GerontologiaObjetivos da Geriatria e Gerontologia Restaurar eRestaurar e maximizar amaximizar a CapacidadeCapacidade FuncionalFuncional AumentarAumentar Qualidade de VidaQualidade de Vida Prevenir o DeclínioPrevenir o Declínio FuncionalFuncional AconselhamentoAconselhamento TerminalidadeTerminalidade DignaDigna
    11. 11. ComoComo alcançá-los ?alcançá-los ?
    12. 12. O Olhar GeriátricoO Olhar Geriátrico Distinção entreDistinção entre senil esenil e senescentesenescente GrandesGrandes SíndromesSíndromes GeriátricosGeriátricos DoençasDoenças Crônicas eCrônicas e Hábitos de VidaHábitos de Vida AspectosAspectos psicossociaispsicossociais
    13. 13. O Olhar GeriátricoO Olhar Geriátrico 30%30% BiologiaBiologia 70%70% BiografiaBiografia
    14. 14. Doenças CrônicasDoenças Crônicas
    15. 15. 0 10 20 30 40 50 60 Nenhum acima Os 5 fatores tabagismo diabetes obesidade hipertensão sedentarismo Probabilidade de estar vivo aos 90 anos (%) '' Aos 70 anos, qual é a chance deAos 70 anos, qual é a chance de atingirmos os 90 anos ?atingirmos os 90 anos ?
    16. 16. Alguns elementos...Alguns elementos...
    17. 17. • Imobilidade • Instabilidade / Quedas • Incontinência • Comprometimento Intelectual (demência) • Iatrogenia • Fragilidade ““Gigantes da Geriatria “Gigantes da Geriatria “
    18. 18. Esquecimento. Será Alzheimer?Esquecimento. Será Alzheimer? Normal x patológico:Normal x patológico: alteração funcionalalteração funcional Demências:Demências: “família” de doenças“família” de doenças aumenta com idadeaumenta com idade Alterações daAlterações da cognição, comportamentocognição, comportamento e físicase físicas DeterioraçãoDeterioração cognitiva: sintomascognitiva: sintomas leves ou gravesleves ou graves Tratamento:Tratamento: medicamentos e reabilitaçãomedicamentos e reabilitação aconselhamentoaconselhamento Prevenção:Prevenção: vida saudável e ativavida saudável e ativa estímuloestímulo intelectualintelectual Normal é envelhecerNormal é envelhecer lúcidolúcido
    19. 19. Incontinência UrináriaIncontinência Urinária 30%30% mulheresmulheres idosasidosas ProblemaProblema higiênico e socialhigiênico e social Diminuição atividades eDiminuição atividades e isolamento socialisolamento social PerdaPerda involuntáriainvoluntária Tratamento comTratamento com medicamentos, fisioterapia emedicamentos, fisioterapia e cirurgiacirurgia
    20. 20. Osteoporose e QuedasOsteoporose e Quedas Causas:Causas: menopausa, sedentarismo,menopausa, sedentarismo, tabagismo, obesidadetabagismo, obesidade Assintomática até fraturasAssintomática até fraturas FRATURA FÊMUR:FRATURA FÊMUR: 270mil casos/ano nos EUA270mil casos/ano nos EUA mata mais octagenárias que o câncermata mais octagenárias que o câncer altamente incapacitantealtamente incapacitante Osso PorosoOsso Poroso “Ladrão Silencioso”“Ladrão Silencioso” Tratamento: Dieta,Tratamento: Dieta, exercícios, medicamentos,exercícios, medicamentos, adaptação ambientaladaptação ambiental
    21. 21. DepressãoDepressão Causas biológicas eCausas biológicas e psíquicaspsíquicas QuadroQuadro atípicoatípico Problemas de sono eProblemas de sono e aumento dor crônicaaumento dor crônica Não é normal naNão é normal na velhicevelhice Associada com ansiedadeAssociada com ansiedade Rabugice e isolamentoRabugice e isolamento Prevenção:Prevenção: alimentação, saúdealimentação, saúde física, exercícios,física, exercícios, lazer, atitude ativalazer, atitude ativa
    22. 22. Hábitos de VidaHábitos de Vida AtividadeAtividade FísicaFísica Alimentação Adequada eAlimentação Adequada e Estado NutricionalEstado Nutricional SonoSono AdequadoAdequado Álcool deÁlcool de TabacoTabaco Outros...Outros...
    23. 23. SexualidadeSexualidade Reflexo deReflexo de toda a vidatoda a vida Dificuldades: doenças,Dificuldades: doenças, auto-estima, medo doauto-estima, medo do ridículo, incontinênciaridículo, incontinência AIDSAIDS Mito daMito da velhicevelhice assexuadaassexuada Sempre é tempoSempre é tempo para amar!para amar!
    24. 24. EspiritualidadeEspiritualidade Despertar naDespertar na MaturidadeMaturidade Mais saúdeMais saúde maiormaior longevidadelongevidade MelhorMelhor qualidade vidaqualidade vida Parte Natural da VidaParte Natural da Vida EspontaneidadeEspontaneidade Incluir naIncluir na anamneseanamnese
    25. 25. Vida Social e FamiliarVida Social e Familiar Amizades eAmizades e Rede SocialRede Social Satisfação noSatisfação no trabalhotrabalho Sentir-seSentir-se útilútil VidaVida Conjugal eConjugal e familiarfamiliar
    26. 26. Melhor Idade?Melhor Idade?
    27. 27. ““A velhice nãoA velhice não é paraé para maricas”maricas” Bette Davis,Bette Davis, atrizatriz
    28. 28. Como avaliarComo avaliar o idoso?o idoso?
    29. 29. Avaliação Geriátrica AbrangenteAvaliação Geriátrica Abrangente Medicina Enfermagem Fonoaudiologia Fisioterapia Terapia Ocupacional Nutrição Psicologia Serviço Social
    30. 30. O idoso em avaliação...O idoso em avaliação...
    31. 31. • Visão Interdisciplinar • Saúde Física • Saúde Mental –Cognição e Transtornos psiquiátricos • Capacidade Funcional • Determina grau de vulnerabilidade • Uso de escalas padronizadas • Subsidia plano de tratamento Avaliação Geriátrica AbrangenteAvaliação Geriátrica Abrangente
    32. 32. • Queixas • Medicações em uso • Diagnósticos Conhecidos / Antecedentes • IC/ISDA • Exame Físico e Mental • Perfil funcional e social • Impressão e hipóteses diagnósticas • Conduta (dieta / med / exames) • Programação para o retorno Consulta GeriátricaConsulta Geriátrica
    33. 33. Desenho doDesenho do RelógioRelógio Avaliação Cognitiva e HumorAvaliação Cognitiva e Humor Mini Exame doMini Exame do Estado MentalEstado Mental FluênciaFluência VerbalVerbal Geriatric Depression ScaleGeriatric Depression Scale
    34. 34. • Autocuidado – banho, higiene bucal, unhas, vestuário ,’etc • Alimentação • Controle de Esfíncteres • Transferência • Locomoção • Comunicação • Cognição Social • Tarefas do Cotidiano – Compras, finanças, telefone, cozinha, medicamentos, etc Variáveis da Avaliação FuncionalVariáveis da Avaliação Funcional
    35. 35. Qual nossa própria expectativaQual nossa própria expectativa quanto ao envelhecimento?quanto ao envelhecimento?
    36. 36. ““A velhice é comoA velhice é como qualquer coisa:qualquer coisa: para ela ser umpara ela ser um sucesso, você temsucesso, você tem de começar jovem”de começar jovem” Fred AstaireFred Astaire
    37. 37. ““Ao longo da vida recebemosAo longo da vida recebemos algumas pistas que nos fazemalgumas pistas que nos fazem lembrar a direção a seguir. Se nãolembrar a direção a seguir. Se não prestar atenção, você acabaprestar atenção, você acaba fazendo escolhas ruins e tendofazendo escolhas ruins e tendo uma vida infeliz. Se ficar atento,uma vida infeliz. Se ficar atento, aprenderá lições e terá uma vidaaprenderá lições e terá uma vida plena, e uma morte digna”plena, e uma morte digna” Elisabeth Kubler-Ross - PsiquiatraElisabeth Kubler-Ross - Psiquiatra
    38. 38. Quem euQuem eu quero ser?quero ser?
    39. 39. Idoso jovial ...Idoso jovial ...
    40. 40. ou jovem envelhecido ...ou jovem envelhecido ... 2002 – 31 anos2002 – 31 anos1985 – 17 anos1985 – 17 anos
    41. 41. Perguntas ?Perguntas ? otavio@einstein.brotavio@einstein.br 11-9184-345011-9184-3450

    ×