As duas rãs

359 visualizações

Publicada em

As Duas Rãs - Conta-nos uma história de superação, em que a ação é a protagonista principal. Tudo na vida requer ação e acima de tudo nas alturas em que achamos que menos falta faz.
Queres saber como ganhar dinheiro a contar histórias? Vê aqui como: http://oliviercorreia.com/c/dinheiro-blog&ad=2rasslideshare

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
359
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
7
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

As duas rãs

  1. 1. As duas rãs É impossível, diz o orgulho. É arriscado, diz a experiência. É sem saída, diz a razão. Experimentemos, diz o coração. - William Arthur Ward
  2. 2. Duas pequenas rãs eram amigas de longa data. Uma delas era alegre e otimista, enquanto que a outra estava muitas vezes de humor cinzento. Num final de tarde, enquanto passeavam na floresta, à beira de um charco, viram ao longe uma luz. Aproximaram-se e depararam-se com um alpendre de uma casa bem iluminado. Curiosas, entraram na casa e descobriram um verdadeiro parque de diversões para rãs. A pequena casa de madeira, estava repleta de jarros, potes de todos os tamanhos e feitios e um número infinito de todo o tipo de recipientes. Puseram-se então a saltar que nem umas loucas, estavam completamente eufóricas de tanta brincadeira. Até que caíram as suas dentro de um enorme pote de natas!
  3. 3. Aflitas e sem conseguirem sair do enorme pote, que tinha as paredes lisas e gordurosas das natas, apenas lhes restava dar à perna para não se afundarem. A rã de humor cinzento disse: - Este cheiro a natas é completamente enjoativo, e de qualquer forma nunca sairemos daqui! - Continua a dar à perna disse a rã otimista, nunca ninguém viu uma rã afundar-se num pote de natas! - Não aguento mais, disse a rã de humor cinzento, não serve de nada! Deixou-se ir e afogou-se nas natas… A rã otimista, cheia de tristeza pela sua amiga, continuou a dar à perna até ficar sem forças. Já tinha a cabeça á roda e a visão turva e, quando estava no limite, sentiu algo firme debaixo dela e conseguiu sentar-se! Estava sentada num enorme pedaço de manteiga!
  4. 4. A moral desta história, é que sempre que a vida te prega uma partida e achares que tudo está perdido, é então aí que deves meter mais ação. É aí que deves reagir e fazer muito mais do que farias se tudo estivesse bem. Sai da tua zona de conforto, mete ação! Um grande abraço e até à próxima história Olivier Correia: http://blog.oliviercorreia.com RECEBE OS MEUS EMAILS

×