Agrupamento Vertical de Escolas da Trofa                 Workshop de Apresentação                      Novembro 2010MODELO...
PLANIFICAÇÃO DO WORKSHOPObjectivos       • Reflectir sobre o papel da Biblioteca Escolar                 •Compreender o mo...
CONCEITOS SUBJACENTES À MISSÃO DAS BENOVOS DESAFIOS   Abordagem ao conhecimento baseada no trabalho de pesquisa e de uso ...
CONCEITOS SUBJACENTES À CONSTRUÇÃO DOMODELO   Noção de valor: a existência da biblioteca bem apetrechada e bem gerida dev...
RELAÇÃO ENTRE A EXISTÊNCIA DA BE E OSRESULTADOS ESCOLARES DOS ALUNOS   As Bibliotecas Escolares podem contribuir    posit...
ESTUDO INTERNACIONAIS CONFIRMAM   “Em geral, tanto nas escolas básicas como nas    escolas secundárias onde existe um    ...
MODELO DE AVALIAÇÃO – RAZÃO DA SUA EXISTÊNCIA   Como demonstrar o contributo e o impacto da    BE nas novas aprendizagens...
O QUE É O MODELO DE AUTO-AVALIAÇÃO DA BE?   Instrumento pedagógico e de melhoria contínua    que permita aos Órgãos de Ge...
DOMÍNIOS A AVALIARA. Apoio ao Desenvolvimento CurricularA.1 Articulação curricular da BE com as estruturas pedagógicas e o...
QUADRO DE CADA DOMÍNIO/SUBDOMÍNIO   Indicadores     Factores Críticos de       Recolha de         Acções para             ...
PERFIS DE DESEMPENHONível                   Descrição4 (Excelente)           A BE é muito forte neste domínio. O          ...
ETAPAS DO PROJECTO1.    Selecção do domínio ( 1 domínio por ano)2.    Calendarização do processo3.    Escolha da amostra (...
NÍVEIS DE PARTICIPAÇÃOProfessores         • Capacidade de liderança do processo, organização e análise dasbibliotecários d...
NÍVEIS DE PARTICIPAÇÃO    De todos os intervenientes espera-se:  •Participação activa e envolvimento no processo  de Auto-...
APLICAÇÃO DO MODELO:                    OPORTUNIDADES   Melhorar o desempenho da BE;   Ter impacto positivo na melhoria ...
APLICAÇÃO DO MODELO: CONTRANGIMENTOS   Falta de formação da equipa educativa.   Horário insuficiente da assistente opera...
RELEMBRANDO O MOTIVO QUE NOS TROUXEAQUI HOJE   As BE podem contribuir positivamente para o    ensino e a aprendizagem se:...
PARA TERMINAR   “When effective school libraries are in place,    students do learn. 13.000 students can’t be    wrong.”R...
BIBLIOGRAFIA  IFLA/Unesco (1999) Manifesto da Biblioteca Escolar Rede de Bibliotecas Escolares. Modelo de Auto-Avaliação...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Maabe problemáticas e conceitos implicados - sessão 2 - trabalho final

342 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
342
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
6
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Maabe problemáticas e conceitos implicados - sessão 2 - trabalho final

  1. 1. Agrupamento Vertical de Escolas da Trofa Workshop de Apresentação Novembro 2010MODELO DE AUTO-AVALIAÇÃO DABIBLIOTECA ESCOLAROLÍVIA QUEIROZ
  2. 2. PLANIFICAÇÃO DO WORKSHOPObjectivos • Reflectir sobre o papel da Biblioteca Escolar •Compreender o modelo e a necessidade de o aplicar •Sensibilizar para a colaboração na aplicação do modeloMetodologia • Apresentação de um PowerPoint • Discussão sobre o tema apresentado •Esclarecimento de dúvidasPúblico-alvo •Membros do Conselho Pedagógico e Professores dos DepartamentosDuração 60 minutosCalendarização Novembro 2010
  3. 3. CONCEITOS SUBJACENTES À MISSÃO DAS BENOVOS DESAFIOS Abordagem ao conhecimento baseada no trabalho de pesquisa e de uso de fontes de informação. “as actividades significativas e autênticas ajudam os alunos a construir conhecimentos e a desenvolver competências relevantes para a resolução de problemas” (Wilson, 1996) Introdução das TIC e novos ambientes (Web 2.0) no desenvolvimento de novas literacias e uma aprendizagem contínua ao longo da vida. Conhecer o impacto que a BE tem na escola. Impacto é medido pelos benefícios que os utilizadores retiram do seu contacto e uso dos serviços. Hoje, a avaliação centra-se no impacto qualitativo da biblioteca e na eficácia dos seus serviços. Construtivismo –“Os alunos constroem o conhecimento por si mesmos” (Hein, 1991) Recolha sistemática de evidências com o objectivo de melhorar as práticas e coloca a ênfase nos resultados da aprendizagem dos alunos
  4. 4. CONCEITOS SUBJACENTES À CONSTRUÇÃO DOMODELO Noção de valor: a existência da biblioteca bem apetrechada e bem gerida deve estar associada ao cumprimento dos objectivos da escola. Pretende-se avaliar a qualidade e a eficácia da BE . A auto-avaliação deve ser encarada com um processo pedagógico e regulador, tendente à procura contínua de melhoria. Origina mudanças concretas na prática ao permitir reestruturar acções futuras e analisar os pontos fortes e os pontos fracos. Não constitui um fim em si mesma, antes deves ser entendida como um processo que deverá conduzir à reflexão e a mudanças efectivas na prática. Aponta para uma utilização flexível, adaptada à realidade de cada escola e BE. Exequível e pretende-se que seja facilmente integrável nas práticas de gestão da equipa da BE.
  5. 5. RELAÇÃO ENTRE A EXISTÊNCIA DA BE E OSRESULTADOS ESCOLARES DOS ALUNOS As Bibliotecas Escolares podem contribuir positivamente para o ensino e a aprendizagem, podendo-se estabelecer uma relação entre a qualidade do trabalho da e com a BE e os resultados escolares dos alunos. Existem vários estudos internacionais que comprovam esta relação.
  6. 6. ESTUDO INTERNACIONAIS CONFIRMAM “Em geral, tanto nas escolas básicas como nas escolas secundárias onde existe um bibliotecário que toma a iniciativa e trabalha colaborativamente com os professores propondo semanal ou mensalmente recursos relevantes para o ensino, os alunos tendem a obter melhores resultados nos exames”. School libraries work! (Lance et al., 2008)
  7. 7. MODELO DE AVALIAÇÃO – RAZÃO DA SUA EXISTÊNCIA Como demonstrar o contributo e o impacto da BE nas novas aprendizagens e a eficácia dos seus serviços? •Recolha de evidências •Análise da informação recolhida •Divulgação dos resultados da acção da BE Implementação do Modelo de Auto-Avaliação
  8. 8. O QUE É O MODELO DE AUTO-AVALIAÇÃO DA BE? Instrumento pedagógico e de melhoria contínua que permita aos Órgãos de Gestão e aos coordenadores avaliar o trabalho da biblioteca escolar e o impacto desse trabalho no funcionamento global da escola e nas aprendizagens dos alunos e identificar as áreas de sucesso e aquelas que, por apresentarem resultados menores, requerem maior investimento, determinando, nalguns casos, uma inflexão das práticas. (pág. 2- Modelo)
  9. 9. DOMÍNIOS A AVALIARA. Apoio ao Desenvolvimento CurricularA.1 Articulação curricular da BE com as estruturas pedagógicas e os docentesA.2. Desenvolvimento da literacia da informaçãoB. Leitura e LiteraciasC. Projectos, Parcerias e Actividades Livres e de abertura à comunidadeC.1. Apoio a actividades livres, extra-curriculares e de enriquecimento curricularC.2. Projectos e parceriasD. Gestão da Biblioteca EscolarD.1. Articulação da BE com a Escola/Agrupamento. Acesso e serviços prestados pela BED.2. Condições humanas e materiais para a prestação dos serviçosD.3. Gestão da colecção/da informação
  10. 10. QUADRO DE CADA DOMÍNIO/SUBDOMÍNIO Indicadores Factores Críticos de Recolha de Acções para Sucesso Evidências MelhoriaApontam as zonas Apresentam Dão exemplos de Dão sugestões comnucleares de exemplos de instrumentos de vista à melhoria.intervenção em situações e recolha decada acções que evidências para oDomínio. operacionalizam o indicador em indicador. questão. São um guia orientador para a recolha de evidências.
  11. 11. PERFIS DE DESEMPENHONível Descrição4 (Excelente) A BE é muito forte neste domínio. O trabalho desenvolvido é de grande qualidade e com um impacto bastante positivo.3 (Bom) A BE desenvolve um trabalho de qualidade neste domínio , mas ainda é possível melhorar alguns aspectos.2 (Satisfatório) A BE começou a desenvolver trabalho neste domínio, sendo necessário melhorar o desempenho, para que o seu impacto seja mais efectivo.1 (Fraco) A BE desenvolve pouco ou nenhum trabalho neste domínio, o seu impacto é bastante reduzido, sendo necessário intervir com urgência.
  12. 12. ETAPAS DO PROJECTO1. Selecção do domínio ( 1 domínio por ano)2. Calendarização do processo3. Escolha da amostra (20% dos professores e 10% dos alunos)4. Definição dos instrumentos de recolha5. Produção e adaptação dos instrumentos6. Recolha de evidências7. Análise dos dados8. Identificação do perfil de desempenho9. Elaboração do relatório de auto-avaliação10. Apresentação e discussão do relatório em reunião do C.P.11. Integração de uma síntese do relatório no documento de avaliação interna da escola12. Elaboração de um Plano de Acção, baseado nos pontos fortes e pontos fracos e prevendo acções de melhoria
  13. 13. NÍVEIS DE PARTICIPAÇÃOProfessores • Capacidade de liderança do processo, organização e análise dasbibliotecários do evidênciasagrupamentoÓrgão de Gestão • Acompanhar a implementação do Modelo de auto-avaliação das BE, envolvendo os diferentes intervenientes no processo. • Integrar os resultados obtidos nos resultados da avaliação global do agrupamentoProfessores, • Colaborar com o (s) professor(es) bibliotecário(s) na aplicação doalunos e E. Modelo de auto-avaliação da BE, através do preenchimento deEducação inquéritos e grelhas de observação • Responder com seriedade e objectividadeConselho • Analisar e emitir parecer sobre o Relatório de Auto-Avaliação ePedagógico sobre o Plano de Melhoria
  14. 14. NÍVEIS DE PARTICIPAÇÃO De todos os intervenientes espera-se: •Participação activa e envolvimento no processo de Auto-avaliação da BE • Adopção de uma cultura de avaliação.
  15. 15. APLICAÇÃO DO MODELO: OPORTUNIDADES Melhorar o desempenho da BE; Ter impacto positivo na melhoria das aprendizagens dos alunos; Valorização do papel da BE; Permite identificar os pontos fortes e os pontos fracos; Sublinha a importância do trabalho colaborativo; Inovar; Proporciona a prática de recolha de evidências; Articular com os departamentos, professores e alunos na planificação e desenvolvimento de actividades educativas e de aprendizagem; Liderança do professor bibliotecário e da equipa; Evidenciar a importância das literacias e colocar a BE no centro da sua promoção; Incorpora novos desafios que se colocam à educação em geral – p.e. Transformar a informação em conhecimento e o project-based-learning e research-based learning; Promover uma cultura de auto avaliação.
  16. 16. APLICAÇÃO DO MODELO: CONTRANGIMENTOS Falta de formação da equipa educativa. Horário insuficiente da assistente operacional Alguns elementos da equipa disporem de poucas horas na BE, para as necessidades da mesma; Não valorização da importância da BE por parte de alguns elementos da comunidade escolar; Dificuldades da aplicação do modelo por falta de colaboração dos intervenientes, pois os docentes têm pouca disponibilidade horária, centralizando, assim, no Professor bibliotecário, todo o processo de avaliação. Tempo dispendido na análise dos instrumentos; Inexistência de projectos de Formação de utilizadores e de Literacia da Informação; Falta de uma Política Documental partilhada com departamento e órgãos pedagógicos.
  17. 17. RELEMBRANDO O MOTIVO QUE NOS TROUXEAQUI HOJE As BE podem contribuir positivamente para o ensino e a aprendizagem se: houver práticas sistemáticas de colaboração entre PB e os docentes prestar serviços de qualidade, acessíveis a todos houver uma correcta adequação da colecção e dos recursos tecnológicos
  18. 18. PARA TERMINAR “When effective school libraries are in place, students do learn. 13.000 students can’t be wrong.”Ross Todd e Carol Kuhlthau (2004) Após um estudo sobre bibliotecas escolares que envolveu 13.000 alunos do Ohio
  19. 19. BIBLIOGRAFIA IFLA/Unesco (1999) Manifesto da Biblioteca Escolar Rede de Bibliotecas Escolares. Modelo de Auto-Avaliação (Outubro 2010) Research Foundation Paper (2008), “School libraries work!http://listbuilder.scholastic.com/content/stores/LibraryStore/pages/images/SLW3. pdf - acedido em 10/11/2010 Texto da sessão Todd, Ross (2001) “Transições para futuros desejáveis das bibliotecas escolares” Todd, Ross (2008) “O manifesto para os Bibliotecários Escolares sobre a prática baseada em evidências”. Jornal da Biblioteca Escolar. 4/1/2008.

×