DERMATOLOGIA – TUMORES CUTÂNEOS
RAUL BARROS
TUMORES BENIGNOS
Queratose Seborreica Muito comum; pápulas ou placas de aspect...
Linfangioma Proliferação de vasos linfáticos; aspecto de pápulas agrupadas em padrão anárquico, tendendo a virarem
vesícul...
Doença de Paget Adenocarcinoma ductal de mama – envia células de paget para a pele – placa eritematodescamativa. Ocorre
ta...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Resumo tumores cutâneos benignos, pré-malignos e malignos

2.458 visualizações

Publicada em

dermatologia, tumores cutaneos

Publicada em: Saúde e medicina
0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.458
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
23
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
39
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Resumo tumores cutâneos benignos, pré-malignos e malignos

  1. 1. DERMATOLOGIA – TUMORES CUTÂNEOS RAUL BARROS TUMORES BENIGNOS Queratose Seborreica Muito comum; pápulas ou placas de aspecto graxento, geralmente hipercrômicas, com pequenos orifícios (pseudo-cistos córneos), surgidas em áreas fotoexpostas. Variante – Dermatose Papulosa Nigra (múltiplas lesões menores, em indivíduos mais jovens e de pele mais escura, com alta recorrência após tratamento). Por questão estética – Shaving, crioterapia, eletrocoagulação. Hiperplasia sebácea Hiperplasia de glândulas sebáceas – pápula ou nódulo amarelado, geralmente no 1/3 superior do corpo (principalmente face), em idosos e pessoas de pele oleosa. Variante – acometimento de áreas mucosas (jugal, lábios), chamados Grânulos de Fordyce (não devem ser tratados) Estético; eletrocoagulação Siringoma Hiperplasias de glândulas sudoríparas écrinas (principalmente em região paraesternal e periocular), formando pápulas achatadas; geralmente pequeno número – Variante de grande número: Siringoma Eruptivo. Estético, shaving, ácido tricloroacético, crioterapia Queratoacantoma Reclassificada: MALIGNO! Lesões vegetante, crescimento rápido (semanas), áreas fotoexpostas, bordos elevados com centro tendendo à atrofia e bordas circinadas. Variantes: Múltiplo, Gigante, Centrífugo Marginado (borda periférica nítida com áreas anulares). Pode ter regressão espontânea. Semelhante ao CEC. Tratamento mandatório. Exérese cirúrgica borda a borda. Fibroma Mole (Nevo Molusco) Lesão pedunculada rica em tecido conjuntivo, geralmente se forma em área de dobras. Variante: Acrocórdon – histologicamente igual, geralmente vem em grande número, na região do pescoço. Estético + Minimizar traumas. Shaving, eletrocoagulação (retirar base da lesão) Fibroqueratoma Digital Adquirido Tumor rico em colágeno, na região entre-dedos, desencadeado por traumas reppetidos. Estético + Dificuldade Motora Fina – exérese borda a borda ou eletrocauterização. Angioma Proliferação capilar; pequenos ou gigantes (tuberosos), incômodo estético ou à vida – regiões periorificiais (atrapalha alimentação, por exemplo), sequestro de plaquetas (plaquetopenia) Expectante. Grandes/ameaçadores – Corticóide, Beta-Bloqueadores
  2. 2. Linfangioma Proliferação de vasos linfáticos; aspecto de pápulas agrupadas em padrão anárquico, tendendo a virarem vesículas Eletrocauterização, exérese Angioqueratoma Proliferação capilar com quepa queratinizada (aspecto mais grosso) Expectante; sangramnto - exérese Granuloma Piogênico Não é nem granuloma, nem piogênico. Proliferação capilar reativa (a traumas) Cauterização, ácido tricloroacético Queilóide Produção excessiva de colágeno em resposta à uma inflamação inespecífica em indivíduo predisposto; mais comum no 1/3 superior do corpo e em indivíduos de pele mais escura Individualizado – local e extensão; infiltração de betametasona; radioterapia Dermatofibroma Pápula eritematosa ou hipercrômica, endurecida, comum em extremidades; quando se faz compressão – depressão central (Sinal da Cova). Baixo risco de transformação em dermatofibrossarcoma Expectante TUMORES PRÉ-MALIGNOS Leucoplasia Mancha ou placa hipocrômica ou acrômica, áreas de mucosa e semimucosa, geralmente com algum fator desencadeante – aparelho ortodôntico, cigarro. Risco de CEC de até 10% Retirar desencadeantes Queratose Actínica Placas eritematosas descamativas em áreas fotoexpostas, principalmente em região pré-esternal em idosos; risco de malignidade de até 30% - tratamento é mandatório. Lesão pré-maligna mais comum nos de pele clara 5-Fluoracil creme 2x/dia 21 dias – aumento da inflamação inicialmente e depois regressão. Alternativas: crioterapia, terapia fotodinâmica Corno Cutâneo Excrecência ceratótica, em formato de chifre, pacientes idosos; sua base pode contar lesões pré-malignas como a ceratose actínica ou mesmo um CEC já. Exérese borda a borda Doença de Bowen CEC in situ. Placa eritematosa com áreas exulcerada, em regiões fotoexpostas da pele. Variante: região de mucosas – Eritroplasia (bowenóide), ocorre mais em indivíduos não circuncisados na mucosa da glande. Outra – papulose bowenóide (lesões condilomatosas com um CEC de base) Exérese (melhor); crioterapia prolongada, 5-FU...
  3. 3. Doença de Paget Adenocarcinoma ductal de mama – envia células de paget para a pele – placa eritematodescamativa. Ocorre também em região da vulva Tratar doença de base NEOPLASIAS MALIGNAS DA PELE Carcinoma Basocelular (CBC) Nneoplasia maligna mais coum e de melhor prognóstico em seres humanos. Originada em células basais no folículo piloso. Fatores de risco – exposição solar, ao arsênica e à radioterapia. Clínica: lesões em áreas fotoexpostas, principalmente 2/3 superiores da face (“da boca pra cima é CBC”), aspecto brilhante (perolado), telangiectasias, pode ter áreas pigmentadas, sangramentos espontâneos. Formas clínicas: Nodular (nódulo ulcerativa), superficial (placa), esclerodermiforme (placa atrófica), fibroepitelioma (pedunculada, área do abdome). Raras metástases; pode ter invasão local. Biópsia excisional (diagnóstico e tratamento ideais); alternativa – Imiquimot (CBC superficial) Carcinoma Espinocelular (CEC) Um pouco mais agressivo; origem nas células da camada espinhosa. Mesmos fatores de risco; “da boca para baixo é CEC”. Formas – Nodular, Placa, Ulcerada, Verrucosa Xeroderma Pigmentoso Alteração genética – mecanismos de reparo de DNA deficientes: paciente predisposto à formação de várias neoplasias dermatológicas, de vários tipos. Alta sensibilidade à radiação ultra-violeta. Vida noturna; morte na adolescência Melanoma Origem nos melanócitos; câncer mais agressivo, altamente metastizante. Fatores de risco: exposição solar intermitente e intensa, nevos displásicos, história familiar/pessoal. Lesão suspeita: ABCDE (Assimétrico, Bordos irregulares, várias Cores, Diâmetro > 0,6cm; Elevação). Formas clínicas: Extensiva superficial (70%), Lentigo maligno melanoma (in situ; face, idosos), Lentiginoso acral (negros, asiáticos), nodular (5-30%). Biópsia incisional em lesão suspeita; pesquisar linfonodo sentinela/metástases Exérese do tumor.

×