Aula cabeça e pescoço 3

2.051 visualizações

Publicada em

Sistema Nervoso Central

Publicada em: Saúde e medicina
0 comentários
7 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.051
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
86
Comentários
0
Gostaram
7
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Aula cabeça e pescoço 3

  1. 1. SISTEMA NERVOSO PERIFÉRICO É composto pelos nervos espinhais e cranianos. Os nervos espinhais se originam na medula e os cranianos no encéfalo.
  2. 2. Os motores (puros) são os que movimentam o olho, a língua e acessoriamente os músculos látero- posteriores do pescoço. São eles: III - Nervo Oculomotor IV - Nervo Troclear VI - Nervo Abducente XI - Nervo Acessório XII - Nervo Hipoglosso
  3. 3. Os sensitivos (puros) destinam-se aos órgãos dos sentidos e por isso são chamados sensoriais e não apenas sensitivos, que não se referem à sensibilidade geral (dor, temperatura e tato). Os sensoriais são: I - Nervo Olfatório II - Nervo Óptico VIII - Nervo Vestibulococlear
  4. 4. Os mistos (motores e sensitivos) são em número de quatro: V – Trigêmeo VII - Nervo Facial IX - Nervo Glossofaríngeo X - Nervo Vago
  5. 5. Cinco deles ainda possuem fibras vegetativas, constituindo a parte crânica periférica do sistema autônomo. São os seguintes: III - Nervo Oculomotor VII - Nervo Facial IX - Nervo Glossofaríngeo X - Nervo Vago XI - Nervo Acessório
  6. 6. EXAME NEUROLÓGICO material Semiologia Neurológica 15
  7. 7. A sequencia craniocaudal dos nervos cranianos é como se segue: I. NERVO OLFATÓRIO
  8. 8. A sequencia craniocaudal dos nervos cranianos é como se segue: I. NERVO OLFATÓRIO lâmina crivosa do etmoide bulbo olfatório
  9. 9. • Raramente testado • Anosmia/hiposmia - Unilateral (lesão frontal unilateral - meningioma ou glioma) - Bilateral (trauma, envelhecimento, doença de Parkinson) I - Nervo Olfatório EXAME NEUROLÓGICO nervos cranianos Semiologia Neurológica 18
  10. 10. I - Nervo Olfatório EXAME NEUROLÓGICO nervos cranianos Semiologia Neurológica 19 • Olhos fechados • Odor de substancias conhecidas (por exemplo: café, cravo, baunilha, canela) • Não se deve utilizar substância irritativa (ex.: álcool, éter, acetona) pois essas substâncias estimulam fibras sensitivas do trigêmeo, e não o nervo olfatório.
  11. 11. II. NERVO OPTICO
  12. 12. II. NERVO OPTICO •Transmite informações provenientes da retina ao corpo geniculado lateral •Cada n. óptico se une ao do lado oposto quiasma óptico
  13. 13. II. NERVO OPTICO Quiasma óptico Canal óptico
  14. 14. II. NERVO OPTICO
  15. 15. • Pupilas • Acuidade • Campos visuais • Fundo de olho EXAME NEUROLÓGICO nervos cranianos II - Nervo óptico Semiologia Neurológica 24
  16. 16. II - Nervo óptico (pupilas) EXAME NEUROLÓGICO nervos cranianos Semiologia Neurológica 25
  17. 17. II - Nervo óptico (pupilas) EXAME NEUROLÓGICO nervos cranianos Semiologia Neurológica 26 Reflexo Fotomotor • Direto • Consensual Direto Consensual
  18. 18. isocoria = pupilas iguais EXAME NEUROLÓGICO nervos cranianos II - Nervo óptico (pupilas) Semiologia Neurológica 27
  19. 19. anisocoria II - Nervo óptico (pupilas) EXAME NEUROLÓGICO nervos cranianos Semiologia Neurológica 28
  20. 20. midríase II - Nervo óptico (pupilas) EXAME NEUROLÓGICO nervos cranianos Semiologia Neurológica 29
  21. 21. miose II - Nervo óptico (pupilas) EXAME NEUROLÓGICO nervos cranianos Semiologia Neurológica 30
  22. 22. II - Nervo óptico (pupilas) EXAME NEUROLÓGICO nervos cranianos Semiologia Neurológica 31 Pupilas de Marcus-Gunn (lesões/atrofia na retina ou no nervo óptico)
  23. 23. II - Nervo óptico (pupilas) EXAME NEUROLÓGICO nervos cranianos Semiologia Neurológica 32 Pupilas de Argyll Robertson (neurossífilis)
  24. 24. EXAME NEUROLÓGICO nervos cranianos II - Nervo óptico (pupilas) Semiologia Neurológica 33 Síndrome de Horner Olho afetado
  25. 25. • Pupilas • Acuidade • Campos visuais • Fundo de olho EXAME NEUROLÓGICO nervos cranianos II - Nervo óptico Semiologia Neurológica 34
  26. 26. Hermann Snellen, 1862 II - Nervo óptico (acuidade visual) EXAME NEUROLÓGICO nervos cranianos Semiologia Neurológica 35
  27. 27. • Pupilas • Acuidade • Campos visuais • Fundo de olho EXAME NEUROLÓGICO nervos cranianos II - Nervo óptico Semiologia Neurológica 36
  28. 28. II - Nervo óptico (campos visuais) EXAME NEUROLÓGICO nervos cranianos Semiologia Neurológica 37
  29. 29. II - Óptico Semiologia Neurológica 38
  30. 30. II - Óptico Semiologia Neurológica 39 • Hemianopsia Binasal, Bitemporal ou Hemianopsias Heterônimas • Hemianopsia Homônima • Quadrantopsia
  31. 31. • Pupilas • Acuidade • Campos visuais • Fundo de olho EXAME NEUROLÓGICO nervos cranianos II - Nervo óptico Semiologia Neurológica 40
  32. 32. fundo-de-olho normal II - Nervo óptico (fundo de olho) EXAME NEUROLÓGICO nervos cranianos Semiologia Neurológica 41
  33. 33. Semiologia Neurológica 42
  34. 34. II - Nervo óptico (fundo de olho) EXAME NEUROLÓGICO nervos cranianos Semiologia Neurológica 43
  35. 35. II - Nervo óptico (fundo de olho) EXAME NEUROLÓGICO nervos cranianos Semiologia Neurológica 44
  36. 36. II - Nervo óptico (fundo de olho) EXAME NEUROLÓGICO nervos cranianos Semiologia Neurológica 45
  37. 37. edema de papila EXAME NEUROLÓGICO nervos cranianos II - Nervo óptico (fundo de olho) Semiologia Neurológica 46
  38. 38. edema de papila EXAME NEUROLÓGICO nervos cranianos II - Nervo óptico (fundo de olho) Semiologia Neurológica 47
  39. 39. atrofia óptica EXAME NEUROLÓGICO nervos cranianos II - Nervo óptico (fundo de olho) Semiologia Neurológica 48
  40. 40. III. Nervo Oculomotor IV. Nervo Troclear VI. Nervo Abducente •São nervos motores que penetram na órbita pela fissura orbital superior; •distribuindo-se aos músculos extrínsecos do bulbo ocular: -elevador da pálpebra superior, -reto superior, reto inferior, -reto medial, -reto lateral, -oblíquo superior, -oblíquo inferior. •Todos estes músculos são inervados pelo oculomotor, com exceção do reto lateral e do oblíquo superior, inervados respectivamente, pelos nervos abducente e troclear.
  41. 41. III. NERVO OCULOMOTOR
  42. 42. III. NERVO OCULOMOTOR •M. elevador da pálpebra superior •M. reto superior •M. reto inferior •M. reto medial •M. oblíquo inferior
  43. 43. III. NERVO OCULOMOTOR Ptose completa Ptose parcial Pupila normal Midríase
  44. 44. III. NERVO OCULOMOTOR
  45. 45. IV. NERVO TROCLEAR Colículo inferior
  46. 46. IV. NERVO TROCLEAR •M. oblíquo superior
  47. 47. IV. NERVO TROCLEAR •M. oblíquo superior
  48. 48. VI. NERVO ABDUCENTE
  49. 49. VI. NERVO ABDUCENTE •M. reto lateral
  50. 50. EXAME NEUROLÓGICO nervos cranianos III, IV e VI – nervos da motilidade ocular Semiologia Neurológica 59
  51. 51. RL RM RS RI OS OI RS RI RL DIREITA VI III
  52. 52. EXAME NEUROLÓGICO nervos cranianos III, IV e VI – nervos da motilidade ocular Semiologia Neurológica 61
  53. 53. III, IV e VI – nervos da motilidade ocular EXAME NEUROLÓGICO nervos cranianos Semiologia Neurológica 62
  54. 54. III, IV e VI – nervos da motilidade ocular EXAME NEUROLÓGICO nervos cranianos Paralisia do nervo oculomotor à direita Semiologia Neurológica 63
  55. 55. III, IV e VI – nervos da motilidade ocular EXAME NEUROLÓGICO nervos cranianos Paralisia do nervo abducente à esquerda Semiologia Neurológica 64
  56. 56. V. NERVO TRIGÊMEO
  57. 57. V. NERVO TRIGÊMEO •Divisão: Oftálmico, maxilar e mandibular •Fibras sensoriais transmitem informações da face e ATM •As fibras motoras inervam os músculos da mastigação
  58. 58. V. NERVO TRIGÊMEO
  59. 59. V. NERVO TRIGÊMEO
  60. 60. V. NERVO TRIGÊMEO Oftálmico Maxilar Mandibular
  61. 61. V. NERVO TRIGÊMEO
  62. 62. V – nervo trigêmeo EXAME NEUROLÓGICO nervos cranianos sensibilidade motricidade Semiologia Neurológica 71
  63. 63. V – nervo trigêmeo EXAME NEUROLÓGICO nervos cranianos Semiologia Neurológica 72
  64. 64. V – nervo trigêmeo EXAME NEUROLÓGICO nervos cranianos reflexo córneo-palpebral Encostar algodão molhado ou gaze na margem da córnea Semiologia Neurológica 73
  65. 65. VII. NERVO FACIAL
  66. 66. VII. NERVO FACIAL •Se dirigem paralelamente ao meato acústico interno onde penetram juntamente com o nervo vestibulococlear •Possui uma raiz motora e uma raiz sensitiva e visceral, o nervo intermédio.
  67. 67. VII. NERVO FACIAL •Fibras sensoriais: tato, dor e pressão da língua e faringe •dá inervação motora para todos os músculos cutâneos da cabeça e pescoço (músculo estilo-hioideo e ventre posterior do digástrico). •NERVO FACIAL-INTERMÉDIO •Sensitivo •Gustação 2/3 anterior da língua •N. lingual •N. corda do tímpano
  68. 68. VII. NERVO FACIAL •Misto •Fibras sensoriais:tato, dor e pressão da língua e faringe •A inervação motora incluem os músculos que fecham os olhos, movem os lábios e produzem expressão facial •NERVO FACIAL-INTERMÉDIO •Sensitivo •Gustação 2/3 anterior da língua •N. lingual •N. corda do tímpano
  69. 69. central periférica VII – nervo facial EXAME NEUROLÓGICO nervos cranianos Semiologia Neurológica 78
  70. 70. VII – nervo facial EXAME NEUROLÓGICO nervos cranianos Semiologia Neurológica 79
  71. 71. VII – nervo facial EXAME NEUROLÓGICO nervos cranianos Sinal de BellSemiologia Neurológica 80
  72. 72. VIII. NERVO VESTÍBULO-COCLEAR
  73. 73. VIII. NERVO VESTÍBULO-COCLEAR •Ocupa juntamente com os nervos facial e intermédio, o meato acústico interno, na porção petrosa do osso temporal.
  74. 74. VIII. NERVO VESTÍBULO-COCLEAR •Parte vestibular-Equilíbrio: movimento da cabeça •Parte coclear - Audição
  75. 75. Rinne Weber VIII – nervo vestíbulo-coclear EXAME NEUROLÓGICO nervos cranianos Semiologia Neurológica 84
  76. 76. VIII – nervo vestíbulo-coclear EXAME NEUROLÓGICO nervos cranianos Teste de Rinne Semiologia Neurológica 85
  77. 77. IX. NERVO GLOSSOFARÍNGEO
  78. 78. IX. NERVO GLOSSOFARÍNGEO •1/3 posterior da língua •Faringe •Úvula •Tonsilas •Tuba auditiva •Seio e Corpo carotídeo
  79. 79. X. NERVO VAGO
  80. 80. X. NERVO VAGO •Essencialmente visceral •Percorre o pescoço e o tórax, terminando no abdome.
  81. 81. X. NERVO VAGO •Motor •M. faringe e laringe •Sensitivo •Faringe, laringe, traqueia, esôfago, vísceras do tórax e abdome •Responsável pela inervação parassimpática das vísceras torácicas e abdominais.
  82. 82. X. NERVO VAGO
  83. 83. X. NERVO VAGO
  84. 84. EXAME NEUROLÓGICO nervos cranianos Semiologia Neurológica 93
  85. 85. XI. NERVO ACESSÓRIO
  86. 86. XI. NERVO ACESSÓRIO •Formado por uma raiz craniana e uma espinhal. •A raiz espinhal é formada por filamentos que emergem da face lateral dos cinco ou seis primeiros segmentos cervicais da medula, constituindo um tronco que penetra no crânio pelo forame magno. •A este tronco unem-se filamentos da raiz craniana que emergem do sulco lateral posterior do bulbo.
  87. 87. XI. NERVO ACESSÓRIO •M. da laringe •M. esternocleidomastoideo e trapézio
  88. 88. XI. NERVO ACESSÓRIO •Motor •M. da laringe •M. esternocleidomastoideo e trapézio
  89. 89. XI – nervo acessório EXAME NEUROLÓGICO nervos cranianos MOTOR: músculos esternocleidomastóideo e porção superior do trapézio Semiologia Neurológica 98
  90. 90. XII. NERVO HIPOGLOSSO
  91. 91. XII. NERVO HIPOGLOSSO •Músculos intrínsecos e extrínsecos da língua ipsilateral
  92. 92. XII – nervo hipoglosso EXAME NEUROLÓGICO nervos cranianos MOTOR: músculos intrínsecos da língua Semiologia Neurológica 101
  93. 93. XII – nervo hipoglosso EXAME NEUROLÓGICO nervos cranianos Semiologia Neurológica 102
  94. 94. 31 Pares de nervos, sendo que: •8 pares cervicais •12 pares torácicos •5 pares Lombar •5 pares sacrais •1 par coccígeo Com exceção do primeiro par de nervos cervicais, os nervos espinhais deixam o canal vertebral através dos forames intervertebrais. Os Nervos espinhais inervam parte da cabeça, tronco e membros inferiores e superiores.
  95. 95. Após passarem pelo forame intervertebral, cada nervo se divide em 2 ramos: Ramo dorsal - inervam músculo do dorso e pele (sensitivo) Ramo ventral - motor • plexo cervical • plexo braquial • plexo lombar • plexo sacral
  96. 96. Classificação dos ramos do plexo cervical •Nervo cervical transverso •Nervo auricular magno •Nervo occipital menor •Nervos supra-claviculares Nervo frênico Alça cervical
  97. 97. Classificação dos ramos do plexo cervical –Ramos profundos: •os ramos musculares inervam os músculos reto lateral da cabeça (C1), •reto anterior da cabeça (C1 e C2), •longo da cabeça (C1, C2 e C3), •longo do pescoço (C2-C4), •raiz inferior da alça cervical (C2-C3), •músculos infra-hióideos (com exceção do tireoideo) •nervo frênico (C3-C5), que inerva o diafragma.
  98. 98. Classificação dos ramos do plexo cervical –Ramos profundos: •Os ramos profundos laterais do plexo cervical comunicam-se com as raízes espinhais do nervo acessório (C2,C3,C4) no músculo esternocleidomastoideo, trígono posterior do pescoço e parte posterior do trapézio; •os ramos musculares são distribuídos para o músculo esternocleidomastoideo (C2,C3,C4) e para os músculos trapézio (C2,C3), levantador da escápula (C3,C4) e escaleno médio (C3,C4).

×