CONSIDERAÇÕESGERAIS SOBRE O  ESTRESSE
ESTRESSE“Reação do organismo causado poralterações psicofisiológicas que ocorremquando a pessoa se confronta com umasituaç...
Inicialmente não é doença. É umapreparação do organismo para lidar comdiferentes situações. É uma resposta doorganismo a u...
Pressões, tensões e cobranças estão noambiente e no cotidiano de cada um(agentes estressores).Mas as respostas a tais agen...
TIPOS POSITIVO ( EUSTRESS) – Ligado a situações prazerosas                           e com retorno agradável
TIPOSNEGATIVO (DISTRESS)-Agudo (mais intenso e de curta duração) – morte de alguém,        situações traumáticas, etc. A ...
TIPOS DE ESTRESSE             Acontecimento, fato ou situaçãoDISTRESS                               EUSTRESSMedo          ...
FISIOLOGIA DO ESTRESSE
PRIMEIRA FASE              Reação de alarmeTodas as respostas do organismo entram em umestado de prontidão geral. Todo o o...
PRIMEIRA FASE                    Reação de alarmeHipotálamo  ativa o SNC simpático. Ativa as respostas físicas,          ...
PRIMEIRA FASE                Reação de alarmeHipótálamo  Hipófise – Liberação de vasopressina,              prolactina, h...
PRIMEIRA FASE               Reação de alarmeHipótálamo  Hipófise  Glândulas suprerrenais                        corticói...
PRIMEIRA FASE                             Reação de alarme- Aumento da freqüência cardíaca e pressão arterial- Aumento da ...
PRIMEIRA FASE                 Reação de alarme                OBSERVAÇÕESAo desaparecer o agente estressor, todas as alter...
SEGUNDA FASE       Fase de resistência ou intermediáriaA tensão se acumula e aparecem flutuações no modo habitualde ser. O...
SEGUNDA FASE    Fase de resistência ou intermediária              CONSEQUÊNCIAS FÍSICAS atrofia do baço (queda da defesa ...
SEGUNDA FASE    Fase de resistência ou intermediária              CONSEQUÊNCIAS FÍSICASSupressão das funções relacionadas...
SEGUNDA FASE    Fase de resistência ou intermediária           CONSEQUÊNCIAS EMOCIONAISAGITAÇÃO ( maior irritabilidade, “...
SEGUNDA FASE      Fase de resistência ou intermediária            CONSEQUÊNCIAS EMOCIONAIS mudança de comportamento: lent...
SEGUNDA FASE       Fase de resistência ou intermediária             CONSEQUÊNCIAS EMOCIONAIS hábitos: passa a beber, usa ...
TERCEIRA FASE       Fase de exaustão ou esgotamentoComeçam a falhar os mecanismos de adaptação. Nestafase os sintomas somá...
TERCEIRA FASE           Fase de exaustão ou esgotamentopele               alergias, psoríase, urticária, acne, herpes,    ...
TERCEIRA FASE         Fase de exaustão ou esgotamentorespiratório   asma, rinite, tuberculose pulmonar,               disp...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Estresse artigo

1.814 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.814
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
212
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
31
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Estresse artigo

  1. 1. CONSIDERAÇÕESGERAIS SOBRE O ESTRESSE
  2. 2. ESTRESSE“Reação do organismo causado poralterações psicofisiológicas que ocorremquando a pessoa se confronta com umasituação que, de um modo ou de outro, airrite, amedronte, excite ou confunda, oumesmo que a faça imensamente feliz.” (Lipp, 1996)
  3. 3. Inicialmente não é doença. É umapreparação do organismo para lidar comdiferentes situações. É uma resposta doorganismo a um determinado estímulo eque varia de pessoa para pessoa naquelemomento.
  4. 4. Pressões, tensões e cobranças estão noambiente e no cotidiano de cada um(agentes estressores).Mas as respostas a tais agentes (estresse)estão dentro de cada um de nós.
  5. 5. TIPOS POSITIVO ( EUSTRESS) – Ligado a situações prazerosas e com retorno agradável
  6. 6. TIPOSNEGATIVO (DISTRESS)-Agudo (mais intenso e de curta duração) – morte de alguém, situações traumáticas, etc. A resposta é lutar ou fugir. (1ª fase)-Crônico – é o que afeta a maioria das pessoas no dia-a dia. As alterações descritas na 1ª fase são bem menos intensas, mas duradouras.
  7. 7. TIPOS DE ESTRESSE Acontecimento, fato ou situaçãoDISTRESS EUSTRESSMedo EntusiasmoAmeaça DesafioPessimismo OtimismoMinha REAÇÃO depende de minha ATITUDE
  8. 8. FISIOLOGIA DO ESTRESSE
  9. 9. PRIMEIRA FASE Reação de alarmeTodas as respostas do organismo entram em umestado de prontidão geral. Todo o organismo émobilizado, sem envolvimento específico ouexclusivo de algum órgão.
  10. 10. PRIMEIRA FASE Reação de alarmeHipotálamo  ativa o SNC simpático. Ativa as respostas físicas, mentais e psicológicas do estresse pela liberação de neuro-hormônios como a dopamina, nor-epinefrina, fator liberador de corticotrofina e hormônio liberador das gonadotrofinas.
  11. 11. PRIMEIRA FASE Reação de alarmeHipótálamo  Hipófise – Liberação de vasopressina, prolactina, hormônio somatotrófico, hormônio estimulador da tireóide, corticotrofina, hormônios gonadotróficos
  12. 12. PRIMEIRA FASE Reação de alarmeHipótálamo  Hipófise  Glândulas suprerrenais corticóides e catecolaminas (adrenalina e nor-adrenalina)
  13. 13. PRIMEIRA FASE Reação de alarme- Aumento da freqüência cardíaca e pressão arterial- Aumento da freqüência respiratória e dilatação dos brônquios- Aumento das células de defesa- Liberação de glicose pelo fígado- Contração do baço- Redistribuição sangúinea- Dilatação das pupilas- Diminuição do tempo de coagulação- Diminuição da produção de saliva (boca seca)- Frieza de mãos e pés
  14. 14. PRIMEIRA FASE Reação de alarme OBSERVAÇÕESAo desaparecer o agente estressor, todas as alteraçõestendem a se interromper e regredir.Nesta fase, o impulso é LUTAR OU FUGIR
  15. 15. SEGUNDA FASE Fase de resistência ou intermediáriaA tensão se acumula e aparecem flutuações no modo habitualde ser. O organismo começa a busca para se adaptar à estasituação.A reação de estresse pode ser canalizada para um órgão ousistema (coração, pele, sistema muscular, sistema digestivo).
  16. 16. SEGUNDA FASE Fase de resistência ou intermediária CONSEQUÊNCIAS FÍSICAS atrofia do baço (queda da defesa imunológica e maior propensão à infecções) úlceras aparecimento de alergias aumento da propagação do câncer
  17. 17. SEGUNDA FASE Fase de resistência ou intermediária CONSEQUÊNCIAS FÍSICASSupressão das funções relacionadas ao comportamento sexual: - queda na produção de espermatozóides - redução da testosterona - diminuição do apetite sexual - impotência - desequilíbrio ou suspensão do ciclo menstrual - falha na ovulação
  18. 18. SEGUNDA FASE Fase de resistência ou intermediária CONSEQUÊNCIAS EMOCIONAISAGITAÇÃO ( maior irritabilidade, “explode” fácil, paciência zero, cinismo)APATIA (cansaço, não fala com as pessoas, tristeza, sente-se incapaz)EFEITO IOIÔ – fase de euforia e aumento de energia X fase de apatia
  19. 19. SEGUNDA FASE Fase de resistência ou intermediária CONSEQUÊNCIAS EMOCIONAIS mudança de comportamento: lentificação de movimentos, comprometimento da coordenação motora, fala de forma abrupta e mais alto, ocupa-se com várias funções e não termina nenhuma.
  20. 20. SEGUNDA FASE Fase de resistência ou intermediária CONSEQUÊNCIAS EMOCIONAIS hábitos: passa a beber, usa roupas espalhafatosas. distúrbios: raciocínio confuso, desaparecimento da lógica, adiamento de decisões, dificuldade em estabelecer prioridades, memória diminuída.
  21. 21. TERCEIRA FASE Fase de exaustão ou esgotamentoComeçam a falhar os mecanismos de adaptação. Nestafase os sintomas somáticos e psicossomáticos ficam maisexuberantes.Queda acentuada da imunidade e aparecimento damaioria das doenças.
  22. 22. TERCEIRA FASE Fase de exaustão ou esgotamentopele alergias, psoríase, urticária, acne, herpes, transpiração abundante, eczemas, suor friocabelo caspa, seborréiamúsculos dores musculares por contração crônica, cefaléia tensional, bruxismocardiovascular hipertensão arterial, taquicardia, infarto, arteriosclerosegastrointestinal intoxicações, úlceras, gastrite, diarréia, constipação
  23. 23. TERCEIRA FASE Fase de exaustão ou esgotamentorespiratório asma, rinite, tuberculose pulmonar, dispnéia ansiosa (respiração rápida e curta)sono insônia, pesadelo, sono em excessoemocional depressão, ansiedade, fobias, hiperatividade, hipervigilância, pessimismo frente à vidasintomas dificuldade de aprendizagem, lapsos decognitivos memória, dificuldade de concentraçãooutros alteração de peso, diabetes, boca seca, envelhecimento

×