Ofensiva1906

182 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
182
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Ofensiva1906

  1. 2. Gamebox : 2007/2007: Enquadramento - Liga Bwin: 1-A média de assistências da Liga Bwin atingiu pouco mais de 10.000 espectadores durante a época 2006/2007; 2-O Futebol enfrenta vários produtos substitutos que são cada vez mais acessíveis; 3-O preço de uma deslocação (gasolina+portagens+preço dos bilhetes) p. ex. a Braga, Guimarães, Paços de Ferreira, ou de estas mesmas cidades a Lisboa, é mais cara do que uma viagem a Londres. As despesas disparam para um adepto do Algarve ou Alentejo; 4-Permanente clima de suspeição confirmado com o processo do Apito Dourado e as suas escutas telefónicas; 5-O Patrocínio da Bwin ao principal campeonato português ronda os 2,5 milhões de euros. A mesma marca patrocina o Real Madrid pagando ao clube merengue 75 milhões de euros; 6-As despesas do Chelsea com pessoal atingem 169 milhões de euros que chegam e sobram para cobrir todas as despesas com o pessoal dos clubes da Liga; 7-Violência brutal e indiscriminada nos estádios portugueses perpetrada por agentes policiais; Gamebox : 2007/2007: Enquadramento – Económico: 1-O Crescimento económico de Portugal é muito ténue, não obstantes as constantes declarações de que o País se encontra no bom caminho relativamente a esta matéria. Mas o que vale estar no bom caminho se “somos” constantemente ultrapassados, pelos restantes países membros da UE? 2-Índices de confiança dos portugueses muito baixos, no que concerne ao crescimento económico do País. Portugal está em penúltimo lugar, à frente apenas da Hungria Conclusão: O Futebol da Liga Bwin enquanto produto é pobre, fraco e de baixa qualidade. Não tem poder de resposta ao poder de negociação dos patrocinadores, que têm um ROI ( Return on Investiment ) bastante superior, comparado com o seu parco investimento. Todavia, o futebol na principal liga nacional é induzido como um produto de qualidade, aos adeptos de futebol, através de três jornais diários desportivos (mais um que é gratuito), de vários programas de rádio e televisão e sobretudo por dois canais pay per view dedicados exclusivamente a Desporto, tornado-o assim como algo de luxo, quando na realidade não o é. O Futebol da Liga Bwin é cada vez mais inacessível em termos financeiros e desprovido de interesse para os adeptos. A tendência, inclusivamente, não é de melhoria, independentemente do incremento nesta época de mais uma competição. Em Economia só é possível, ser-se viável, se se obtiver uma qualidade elevada e um custo baixo. E não é possível obter alta qualidade e baixo custo se não se tiver uma cultura de elevada confiança, o que não existe no Futebol Português. É neste contexto nacional (LigaBwin+Economia) que os sportinguistas são convidados a renovar ou adquirir a Gamebox 2007/2008.
  2. 3. O Sporting Clube de Portugal vendeu na época transacta 34.129 Gameboxes. Num universo de cerca de 90.000 sócios e num estádio com capacidade de 52.000 lugares, mesmo expurgando os lugares que não são ocupados por razões de segurança e lugares para a ocupação de adeptos forasteiros, podemos considerar que a Gamebox atinge apenas um nicho do universo sportinguista e que não faz parte, para já, da cultura leonina. No que concerne às actuais renovações da Gamebox, os sportinguistas receberam uma carta que se apresenta com um desmazelo e uma incúria incríveis, com imagens mal formatadas e erros ortográficos. Para quem solicita uma renovação que tem presente aspectos de ordem financeira todos os pormenores devem ser permanentemente revistos. Isto para além de na mesma carta ser anunciado... que há-de ser anunciado..., vantagens exclusivas. Paga-se primeiro e depois logo se vê. Nenhum detalhe é pequeno demais quando se trata de lidar com os sócios do Clube ainda para mais quando a massa associativa do Sporting Clube de Portugal é uma área de excelência em proveitos financeiros. Naturalmente que os sportinguistas que tenham possibilidades financeiras irão continuar a aderir à Gamebox, possivelmente, sem pestanejar. E os responsáveis do Marketing do Sporting sabem disso mesmo. De que existe um nicho de sportinguistas irredutíveis que renovam “ no matter what ”. A comunicação do Sporting melhorou. Abdicou do constante endeusamento ao “Projecto-Roquette” e estrategicamente voltou-se para a abordagem de assuntos que interessam, que preocupam e que unificam os sportinguistas. Pulverizou de confiança o universo leonino. No entanto, o Marketing no Sporting não dá continuidade a este trabalho. Não cria envolvimento e por consequência não consegue transformar o valor emocional em valor comercial, nem mesmo se apostasse em Economias de Escala. O Marketing do Sporting tem que ser holistico. Tem que se colocar na mente dos sportinguistas que pensam Sporting 365 dias e trabalhar dessa forma e nesse âmbito. A Ofensiva 1906 fez o benchmarking com a A.S. Roma e forneceu-o ao Marketing do Sporting onde foi aproveitado a promoção especial para famílias. Mas falta mais. Com tristeza perspectivamos que os marketeers leoninos irão provavelmente somente aprender com os recém promovidos Vit. Guimarães e Leixões. Salva-se no entanto o desconto para a assinatura anual do Jornal Sporting e aguarda-se o contributo que eventualmente terá a constituição do plantel para a presente época, as primeiras exibições da pré temporada e o sorteio da Liga dos Campeões para a performance de vendas da Gamebox para a época 2006/2007.
  3. 4. ofensiva 1906 Os objectivos reais e exequíveis traçados em 1985, por dirigentes sportinguistas que não eram regiamente pagos como os actuais gestores das empresas do Grupo Sporting:

×