RÁDIO ESCOLAR - LETRAMENTOS E GÊNEROS TEXTUAISMarcos BaltarCaxias do Sul, EDUCS (2009)<br />Capítulo 7 A EXPOSIÇÃO ORAL CO...
Objetivo do capítulo<br /><ul><li> Refletir sobre a exposição oral (EO) como gênero </li></ul>  de texto<br /><ul><li> Por...
O que isso acarreta? <br /><ul><li> Dificuldade de relacionamento com esse tipo de texto </li></ul>   por parte do estudan...
A EO pode ser incluída...<br /> “...ao conjunto de gêneros que podem ser trabalhados<br /> na implantação/implementação de...
O autor introduz a possibilidade de... <br /><ul><li> Pensar a EO como uma ação de linguagem em </li></ul>   que o estudan...
 ORGANIZAÇÃO DO QUE VAI SER DITO</li></li></ul><li>A EOradiofônica escolar<br /><ul><li> A EO é um gênero de texto em que ...
Exemplos...<br /><ul><li> No primeiro caso: o aluno assume papel de </li></ul>   orador, lançando mão de recursos visuais,...
Em ambos os casos é necessário...<br /><ul><li>Saber usar os recursos de ampliação de voz
 Decidir se vai usar ou não um microfone
Conhecer as peculiaridades dessas ações de </li></ul>   linguagem de acordo com as diferentes situações <br />  de produçã...
Para isso, Baltar (2009) sugere...<br /><ul><li> Uma proposta baseada em sequênciasdidáticas </li></ul>(SD) visando discut...
SequênciaDidática (SD)                            Para quê? O que são?<br /><ul><li> Para se trabalhar com o gênero EO
 São estratégias de ensinagem para a apropriação </li></ul>  de gêneros textuais <br /><ul><li> Segundo Baltar, SD são:</l...
Proposta de SD para o gênero EO<br /><ul><li>  PRIMEIRO ENCONTRO</li></ul>    Apresentação da situação inicial de produção...
Proposta de SD para o gênero EO(continuação)<br /><ul><li>  QUARTO ENCONTRO</li></ul>    Trabalhando estratégias de exposi...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Cap 7

1.316 visualizações

Publicada em

Slides do capitulo 7 do livro Radio na escola - Marcos Baltar
Equipe: Marina Siqueira Drey, Marta Camilo, Marta de Faria e Cunha Monteiro e Odalvia Vaulrek

Publicada em: Tecnologia
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.316
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
539
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
5
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Cap 7

  1. 1. RÁDIO ESCOLAR - LETRAMENTOS E GÊNEROS TEXTUAISMarcos BaltarCaxias do Sul, EDUCS (2009)<br />Capítulo 7 A EXPOSIÇÃO ORAL COMO UM GÊNERO DE TEXTO<br />Equipe: Marina Siqueira Drey, Marta Camilo, Marta de Faria e Cunha Monteiro e OdalviaVaulrek<br />
  2. 2. Objetivo do capítulo<br /><ul><li> Refletir sobre a exposição oral (EO) como gênero </li></ul> de texto<br /><ul><li> Porquê? Por ser uma questão raramente </li></ul> abordada em sala de aula de língua portuguesa <br /> (LP)<br /><ul><li> O que ocorre, de fato? A apropriação do gênero </li></ul> EOcomo forma de avaliação, não sendo <br /> concebida como atividade textual comunicativa e <br /> lingüística<br />(p.83)<br />
  3. 3. O que isso acarreta? <br /><ul><li> Dificuldade de relacionamento com esse tipo de texto </li></ul> por parte do estudante<br /> A EO É UMA IMPORTANTE FERRAMENTA PARA:<br /><ul><li> O desenvolvimento da competência discursiva do </li></ul> aluno, atuando tanto na oralidade, quanto na escrita<br /><ul><li> A ensinagem de conteúdos conceituais, procedimentais </li></ul> e atitudinais da LP<br /> (p.83)<br />
  4. 4. A EO pode ser incluída...<br /> “...ao conjunto de gêneros que podem ser trabalhados<br /> na implantação/implementação de uma rádio<br /> escolar, pois, adaptada a esse ambiente <br />discursivo, torna-se um excelente <br />recurso de divulgação científica, de trabalho<br /> transdisciplinar e de aprimoramento das<br /> atitudes discursivas da ordem do expor e do<br /> argumentar, em que o estudante toma o papel de<br /> especialista do que vai expor na Radioesc ou de<br /> critico de um determinado tema controverso.”<br />(p.83)<br />
  5. 5. O autor introduz a possibilidade de... <br /><ul><li> Pensar a EO como uma ação de linguagem em </li></ul> que o estudante possa exercitar sua verve crítica <br /> e defender suas opiniões<br /><ul><li> Lembrando que o estudante cultive algumas </li></ul> habilidades da pauta da escrita como <br /><ul><li> PLANEJAMENTO
  6. 6. ORGANIZAÇÃO DO QUE VAI SER DITO</li></li></ul><li>A EOradiofônica escolar<br /><ul><li> A EO é um gênero de texto em que predominam as </li></ul> atitudes discursivas do expor e/ou do argumentar<br /><ul><li> A EO tem características básicas que a </li></ul> diferenciam da EO radiofônica<br />(p.84 e 85)<br />
  7. 7. Exemplos...<br /><ul><li> No primeiro caso: o aluno assume papel de </li></ul> orador, lançando mão de recursos visuais, faz uso <br /> de gestos, olhares, postura corporal, etc, <br /> conseguindo adaptar sua fala conforme a <br /> receptividade do público presente<br /><ul><li> Já em um programa de rádio, o expositor oral </li></ul> assume papel de locutor, não vê seu público, <br /> logo, precisa organizar sua fala de forma clara e <br /> objetiva, para que a interação seja bem-sucedida <br />(p.85)<br />
  8. 8. Em ambos os casos é necessário...<br /><ul><li>Saber usar os recursos de ampliação de voz
  9. 9. Decidir se vai usar ou não um microfone
  10. 10. Conhecer as peculiaridades dessas ações de </li></ul> linguagem de acordo com as diferentes situações <br /> de produção e recepção, que é tarefa para os <br /> professores coordenadores que vão trabalhar a <br /> ensinagem desses gêneros <br />
  11. 11. Para isso, Baltar (2009) sugere...<br /><ul><li> Uma proposta baseada em sequênciasdidáticas </li></ul>(SD) visando discutir alternativas para a <br /> condução de alternativas de apropriação da EO<br /> na escola<br /><ul><li> Seja para o estudante atuar como orador em sala </li></ul> de aula ou para atuar como locutor na produção <br /> de uma Radioesc<br />(p.85)<br />
  12. 12. SequênciaDidática (SD) Para quê? O que são?<br /><ul><li> Para se trabalhar com o gênero EO
  13. 13. São estratégias de ensinagem para a apropriação </li></ul> de gêneros textuais <br /><ul><li> Segundo Baltar, SD são:</li></ul>“...o conjunto de atividades didático-pedagógica, desenvolvidas ao longo de um período de tempo delimitado, visando à apropriação de um determinado gênero de texto.” <br />(p.41)<br />
  14. 14. Proposta de SD para o gênero EO<br /><ul><li> PRIMEIRO ENCONTRO</li></ul> Apresentação da situação inicial de produção<br /><ul><li> SEGUNDO ENCONTRO</li></ul> Apresentação da situação inicial de produção <br /> (continuação)<br /><ul><li> TERCEIRO ENCONTRO</li></ul> Preparando-se para uma produção inicial<br />(p.86 a 88)<br />
  15. 15. Proposta de SD para o gênero EO(continuação)<br /><ul><li> QUARTO ENCONTRO</li></ul> Trabalhando estratégias de exposição oral<br /><ul><li> QUINTO ENCONTRO</li></ul> Trabalhando técnicas vocais<br /><ul><li> SEXTO ENCONTRO</li></ul> Trabalhando pausas<br />(p.88 a 90)<br />
  16. 16. Proposta de SD para o gênero EO(continuação)<br /><ul><li> SÉTIMO ENCONTRO</li></ul> Trabalhando expressão corporal<br /><ul><li> OITAVO ENCONTRO</li></ul> Trabalhando o roteiro<br /><ul><li> NONO E DÉCIMO ENCONTROS</li></ul> Apresentação/Avaliação<br />(p.91 a 96)<br />
  17. 17. Proposta de SD para o gênero EO(continuação)<br /><ul><li> DÉCIMO PRIMEIRO ENCONTRO</li></ul> Socialização dos resultados da avaliação<br /> Trabalhando os problemas da primeira produção<br /><ul><li> DÉCIMO SEGUNDO ENCONTRO</li></ul> Transposição para o ambiente radiofônico <br /> A exposição oral radiofônica<br /><ul><li> DÉCMO TERCEIRO ENCONTRO</li></ul> Ajustes na lauda- Ensaio de locução – Gravação<br />(p.96 e 97)<br />
  18. 18. Finalizando...<br /><ul><li> Baltar (2009) apresenta dois exemplos de EO </li></ul> vindas de uma experiência em sala de aula de <br /> Educação de Jovens e Adultos – EJA<br /><ul><li> Houve resultados significativos quanto à </li></ul> desinibição e ao desenvolvimento de habilidades <br /> orais e escritas dos envolvidos<br /><ul><li> Também, para o entrosamento e respeito mútuo </li></ul> da turma, fazendo com que os estudantes se <br /> sentissem valorizados como pessoas e como <br /> profissionais <br />(p.98)<br />

×