Psicologia objeto e método.

10.308 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
4 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
10.308
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
95
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
259
Comentários
0
Gostaram
4
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Psicologia objeto e método.

  1. 1. 1 Psicologia B Objeto(s) e método(s)
  2. 2. Os antigos gregos -- por exemplo Hipócrates (460 – 377 a.C.), Platão (428 - 347 a.C.) e Aristóteles (384 - 322 a.C.) -- entendiam a alma como:  Fonte da vida;  Princípio imaterial do movimento da vida  Centro da consciência, das emoções, dos desejos Psicologia - objeto
  3. 3. Constituição Etimológica da Palavra Psicologia Etimologicamente a palavra psicologia provém da junção de dois vocábulos gregos: Psiqué – Alma Logos – Estudo / Razão Psicologia era originalmente entendida como ciência ou estudo da alma. Psicologia - objeto
  4. 4. • Desde Hipócrates (470377 a.C.) que se distingue o carácter dos indivíduos de acordo com o predomínio de um destes quatro humores: – – – – sangue, fleuma, bílis amarela e bílis negra. • que originavam os quatro temperamentos: – – – – Psicologia - objeto sanguíneo, fleumático, bilioso e melancólico.
  5. 5. A psyché como objeto da psicologia na Grécia antiga  A ideia de uma alma como ente substancial residente no corpo com capacidade de existência independente começou a ser considerada a partir de Pitágoras. Sócrates, Platão e Aristóteles fizeram as perguntas fundamentais sobre temas de que se ocupa hoje a psicologia: o que é consciência? As pessoas são intrinsecamente racionais ou irracionais? … Psicologia - objeto
  6. 6. Platão Para a cultura grega anterior a Platão, a psyche é a força vital que abandona o corpo quando se morre (Homero). Para Platão (429 aC – 347 aC), a psyche possui funções para além das associadas à vida: a psyche seria também responsável por processos que hoje atribuímos à mente (percepção, desejar, acreditar...). Psicologia - objeto
  7. 7. Aristóteles Objeto geral da psicologia aristotélica é o mundo animado, isto é, vivente, que tem por princípio a alma e se distingue essencialmente do mundo inorgânico, pois, o ser vivo diversamente do ser inorgânico possui internamente o princípio da sua atividade, que é precisamente a alma, forma do corpo Psicologia - objeto
  8. 8. Aristóteles • A alma seria o que dá unidade às distintas funções do corpo. • A alma é a causa formal, eficiente e final da existência desse organismo. Todas as acções e comportamentos de um organismo se explicam em termos das funções da sua alma. Psicologia - objeto
  9. 9. Alma … Uma realidade metafísica, ou seja, uma realidade fora do alcance dos nossos sentidos, que não pode ser objecto de qualquer experiência. Psicologia - objeto
  10. 10. O dualismo de René Descartes Descartes aceitou a posição dualista [Dualismo substancial]: o ser humano é composto por duas substâncias: – “res cogitans”, ou “coisa pensante”: a mente imaterial – “res extensa”, ou “coisa extensa”: o corpo material. Mente e corpo são distintos, mas as relações entre a mente e o corpo são muito mais estreitas do que se pensava no passado Psicologia - objeto
  11. 11. Descartes: o interaccionismo mentecorpo (1596-1650) Psicologia - objeto • Foi o primeiro a oferecer uma explicação acerca do problema mente corpo no campo físicopsicológico. • Centrou o estudo da mente nas operações da mente. • Os métodos de investigação passam do campo metafísico para o campo objetivo e da observação.
  12. 12. Descartes Divide os actos humanos : • Involuntários, automáticos, reacções inatas a estímulos externos, próprios dos animais porque da responsabilidade do corpo • Voluntários, dirigidos pela mente, resultantes da reflexão e da decisão, especificamente humanos Psicologia - objeto
  13. 13. Repercussão das ideias de Descartes no desenvolvimento da Psicologia Moderna Quadro conceptual para o estudo da mente: a atenção do filósofo deve centrar-se na mente e nas operações mentais e não na alma e suas virtudes. O método de investigação da mente deixa de ser a reflexão metafísica e a dedução e passa a ser a observação direta. Delimitação das funções da alma e explicação fisiológica do corpo; – muitas das funções anteriormente atribuídas à alma são atribuídas por Descartes ao corpo, passando a ter explicação fisiológica. Doutrina das ideias: distinção entre conteúdos mentais inatos e adquiridos. Psicologia - objeto
  14. 14. No seguimento da filosofia de Descartes, surgem duas abordagens que são os antecedentes próximos da Psicologia Moderna Mente → abordagem filosófica As correntes filosóficas no seguimento de Descartes preocuparam-se em explorar os conteúdos e processos mentais. Psicologia - objeto
  15. 15. Corpo → abordagem fisiológica A Fisiologia é o ramo da Biologia dedicado ao estudo do funcionamento dos organismos vivos. A Fisiologia estuda os mecanismos envolvidos nas funções corpóreas (digestão, circulação, excreção, etc). Em meados do século XIX, começou a haver interesse em conhecer os mecanismos fisiológicos subjacentes aos fenómenos mentais (fisiologia do sistema nervoso). Psicologia - objeto
  16. 16. Para o nascimento da Psicologia Moderna contribuíram dois aspectos: Uma atitude: acreditar que os “mistérios da alma” não eram do foro religioso mas que podiam ser estudados de forma objectiva, como qualquer outro aspecto do mundo natural; as problemáticas que os filósofos de então formularam continuaram a ser exploradas pelos primeiros psicólogos; Psicologia - objeto Um método: tal como os físicos, os químicos e os fisiologistas observavam, mediam, testavam os fenómenos a investigar, também era necessário desenvolver formas adequadas de investigar problemáticas psicológicas com outros métodos que não a especulação e a opinião.
  17. 17. A Psicologia moderna estabelece com a Filosofia uma continuidade temática mas uma descontinuidade em termos metodológicos. Existe continuidade com a Fisiologia em termos metodológicos mas não em termos temáticos. Psicologia - objeto
  18. 18. Nascimento da Psicologia científica Wilhelm Wundt médico, filósofo, psicólogo Funda na universidade de Leipzig, Alemanha, em 1879, o primeiro laboratório de psicologia experimental, garantin do para a psicologia o estatuto de ciência.  manual, p. 160 Psicologia - objeto
  19. 19. 2 O objeto da psicologia Psicologia - objeto
  20. 20. Psicologia Psicologia - objeto Texto 127, p 142 / 2º Texto 127, p 142 / 2º v http://prezi.com/tphoyk6gcsil/dicotomias-naexplicacao-do-comportamento-humano/
  21. 21. Psicologia, ciência… Porque baseia as suas teorias nos resultados de investigações válidas, estruturadas por uma metodologia científica, sobre a parcela da realidade que estuda: – Produzir conhecimento válidio, operativo, aplicável na previsão, explicação e controle de fenómenos que estuda; – Ser compartilhável e transmissível porque pautadas por exigências de objetividade; – Ser passível de submissão a testes Psicologia - objeto
  22. 22. Psicologia - objeto procura fazer previsões sobre a possibilidade de se virem a verificar certos comportamentos, ou a desenvolver determinados processos mentais. CONTROLAR: procura dar explicações para os fenómenos descritos. PREVER: descrever uma determinada situação, que se traduz num certo comportamento ou num problema mental específico. EXPLICAR: DESCREVER: OBJECTIVOS DA PSICOLOGIA 141/2º vol. procura controlar a ocorrência de futuros comportamentos ou processos mentais.
  23. 23. Psicologia, ciência… Para a sua produção, a psicologia precisa de É encontrar e definir todo um conjunto de processos que permitam a compreensão e a explicação apropriadas e rigorosas do seu objecto. Método – Refere-se a procedimentos ou técnicas específicas para a recolha e analise de dados. Psicologia - objeto
  24. 24. Psicologia, objeto… Objecto – O campo de investigação de uma ciência, o conjunto de problemas específicos de que se ocupa: Conduta: Todos os atos que realiza o organismo que podem ser observados: são as respostas de uma pessoa ou de um animal perante uma situação e dirigida a garantir a sobrevivência mediante a adaptação / modificação do meio – O que os outros vêm. – Aspecto Fisiológico. Psicologia - objeto Situação – Conjunto de estímulos que levam um organismo a dar uma dada resposta.
  25. 25. a experiência /aprendizagem Psicologia - objeto alterações fisiológicas BIOLOGIA Alterações do meio A conduta alterase com CULTURA AMBIENTE
  26. 26. Psicologia, objeto… Processos mentais: são estados internos que explicam a variabilidade das respostas comportamentais. – Através deles percebemos, atuamos, aprendemos e recordamos. – Toda e qualquer atividade que não pode ser diretamente observável. Psicologia - objeto
  27. 27. O objeto da psicologia 141 /2ºVol OBJECTO DA PSICOLOGIA COMPORTAMENTO PROCESSOS MENTAIS Ato efetuado pelo organismo que pode ser observado e registado Psicologia - objeto Fenómeno interno e subjectivo, inferido a partir dos comportamentos observados
  28. 28. Psicologia 1. 2. 3. 4. É uma ciência experimental É una ciência eclética Opera com diferentes níveis de análise Diferentes concepções segundo a ideia de natureza humana das formas de conhecimento
  29. 29. Psicologia - objeto
  30. 30. Métodos… Nas investigações em psicologia são usados diversos métodos e técnicas.. A escolha de um método depende dos objectivos que se tenham em vista atingir, os recursos e o tempo disponível. Psicologia - objeto – – – – – Experimental Introspetivo Clínico Fenomenológico …
  31. 31. Métodos 1. experimental Utiliza o método hipotético dedutivo Observação fenómenos psíquicos Invenção da hipótese explicativa da regularidade Verificação de consequências deduzidas da hipótese. •Investigação que permite estabelecer uma relação causa – efeito. •Atua-se sobre uma VI (variável independente) para comprovar empiricamente as repercussões que tem sobre uma VD (variável dependente)

×