Ciencia

6.267 visualizações

Publicada em

0 comentários
5 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
6.267
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
531
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
5
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Ciencia

  1. 1. Professor Nuno Alves A Ciência, o poder e os riscos Maio de 2009 Filosofia | 11ºG
  2. 2. O Homem vai à Lua; O Homem fabrica novos transportes; O Homem descobre novos medicamentos; O Homem inventa novas técnicas de guerra; O Homem inventa novas máquinas nucleares; O Homem cria novas técnicas industriais, etc. … Mas a que preço? Será que todas estas invenções só têm trazido benefícios à Humanidade? Filosofia | 11ºG
  3. 3. “Será que o bem-estar da bem- Humanidade está dependente do progresso científico e tecnológico?” Filosofia | 11ºG
  4. 4. O que é a Ciência? Ciência? É um conhecimento organizado, sistemático que, para além da experiência, utiliza raciocínios e demonstrações para obter conclusões gerais/universais. Toda a Ciência tem história. Filosofia | 11ºG
  5. 5. Quando se começou a desenvolver a Ciência? Quais as diferenças face à actual? Desde a Grécia Antiga As finalidades/objectivos da Ciência eram diferentes As investigações eram menos complexas A Natureza era vista como algo Divino Mas, a partir dos séculos XVI/XVII, foi instituída uma nova forma de investigar a Natureza, manipulando-a, manipulando- através de métodos experimentais. Aqui surgem cientistas como Galileu Galilei e Isaac Newton. Filosofia | 11ºG
  6. 6. Principalmente no século XIX, começou a desenvolver-se uma nova ideia de Ciência: Podia resolver os problemas que afectam os seres humanos; cientismo, que se apoiava no positivismo; Tinha um carácter objectivo e neutro. No entanto, este optimismo generalizado teve implicações: A Ciência estava posta ao serviço do Homem, aumentando, assim, o poder dos seres humanos para manipular a Natureza A Ciência e a técnica foram concebidas como sendo os elementos estratégicos para o desenvolvimento das sociedades Filosofia | 11ºG
  7. 7. O desenvolvimento da Ciência está dependente do progresso da tecnologia e este da Ciência, sendo uma dependência mútua. Ciência e tecnologia têm uma estreita relação, pelo que pode falar-se em tecnociência Filosofia | 11ºG
  8. 8. Apesar da Ciência ter começado a desenvolver-se desde a Antiguidade, a Ciência dos dias de hoje é diferente, porque: Os objectos que são alvo de estudo são mais complexos, obrigando a investigações também mais desenvolvidas Porque o conhecimento nunca é Neutro (o sujeito detém o papel mais importante na elaboração de um conhecimento científico) O principio da neutralidade e objectividade têm um poder mais fraco; Mudança de paradigma Filosofia | 11ºG
  9. 9. As descobertas científicas moldaram as nossas sociedades tanto para o bem como para o mal. Foi possível: Minorar o sofrimento humano; Melhorar condições de vida; mas também… Aumentar a capacidade destrutiva dos aparelhos militares; Aumentar a degradação da vida na Terra, etc. … As experiências são exploradas por redes de interesse; As descobertas científicas e tecnológicas estão condicionadas por domínios económicos, políticos e/ou religiosos; Os seres humanos podem ser reduzidos a meras cobaias; Estão em risco princípios morais e éticos e valores da dignidade humana. Filosofia | 11ºG
  10. 10. O bem-estar da Humanidade está dependente do progresso científico. As máquinas e as técnicas não servem só para nos salvar O desenvolvimento da tecnociência não foi acompanhado por um desenvolvimento espiritual, moral e civilizacional idêntico o ser humano tornou-se numa ameaça para o próprio ser humano, para a vida em geral, e para a Terra – a nossa casa comum. Filosofia | 11ºG
  11. 11. Vamos tomar como exemplo duas situações: O Projecto Manhattan e as experiências médicas realizadas nos campos de concentração alemães. O Projecto Manhattan, As experiências nome de código para os realizadas durante a E.U, que é um projecto Segunda Guerra Mundial secreto do governo que foi nos campos de concentração criado antes da Segunda alemães (1933-1945) Guerra Mundial e culminou mataram milhares de seres com o desenvolvimento da humanos em experiências bomba nuclear. medicas. Principio da neutralidade Quebra de princípios quebrado. éticos e morais As experiências foram realizadas com fins políticos Filosofia | 11ºG
  12. 12. Face aos métodos tecnocientíficos e à forma como a ciência actua nas sociedades, dois importantes filósofos do séc. XX defenderam que era necessário adoptar atitudes criticas perante esta realidade. Karl Popper Thomas Kuhn Entre os cientista deve haver uma Propõe uma nova concepção de nova atitude, valorizando o diálogo e ciência: a discussão (intersubjectividade) Esta deve ser vista como conjectura (aproximação sucessiva); A Ciência não se consegue separar da subjectividade objectividade Deve haver uma postura crítica fraca A Ciência evolui não de forma contínua mas sim com a descoberta de novos paradigmas. Preocupação epistemológica Preocupação sociológica; Filosofia | 11ºG maior envolvência mental
  13. 13. É necessário adoptar uma atitude crítica perante a Ciência, estabelecendo limites e regras que obriguem a comunidade científica a respeitar certos princípios que visem a protecção da vida dos seres humanos e de toda a Natureza. BIOÉTICA ECOÉTICA Procura estabelecer Reflecte sobre os problemas regras/normas que devem levantados pela reger a acção no campo da tecnociência na Natureza, intervenção técnico- impondo o dever de avaliar científica do Homem sobre os riscos e acautelar os a sua própria vida. efeitos nocivos das suas acções. Reconhecida a VIDA como um valor, temos de o respeitar Filosofia | 11ºG
  14. 14. O ser humano é uma entidade bio-psicossocial, O ser humano é o único com capacidades racionais e reflexivas. Também nas experiências científicas deve haver discussão de temas, ideias (intersubjectividade) O progresso científico deve evoluir sem serem impostos grandes obstáculos, mas este deve sempre respeitar os valores da dignidade humana, não a violando AGE SEMPRE «…de tal maneira que os efeitos da tua acção sejam compatíveis com a permanência de uma vida humana autêntica.». Adaptação da formulação do imperativo kantiano Filosofia | 11ºG
  15. 15. “As sociedades definem-se, não por aquilo que criam, mas por aquilo que se recusam a destruir” John Sawhill, antigo presidente de The Nature Conservancy Filosofia | 11ºG
  16. 16. Trabalho realizado por: Ana Luísa nº3 Bruno Cruz nº8 Cátia Cruz nº9 Marta Bairres nº19 Filosofia | 11ºG

×