UNIVERSIDADE FEDERAL DE ITAJUBÁ
NOE ASSUNÇÃO
DESIGN INSTRUCIONAL DO CURSO VIRTUAL
“SOCIOLOGIA: CULTURA, PODER E CIDADANIA”...
UNIVERSIDADE FEDERAL DE ITAJUBÁ
NOE ASSUNÇÃO
DESIGN INSTRUCIONAL DO CURSO VIRTUAL
“SOCIOLOGIA: CULTURA, PODER E CIDADANIA”...
UNIVERSIDADE FEDERAL DE ITAJUBÁ
NOE ASSUNÇÃO
DESIGN INSTRUCIONAL DO CURSO VIRTUAL
“SOCIOLOGIA: CULTURA, PODER E CIDADANIA”...
DEDICATÓRIA
À memória de Joaquim Assunção e Irene Alves de Assunção que estarão
sempre presentes em mim, em meus pensament...
AGRADECIMENTOS
Aos meus verdadeiros amigos e amigas de uma vida inteira, familiares, em
especial a minha sobrinha Profa. J...
“Por um lado é preciso uma mudança das
condições de criar um sistema de instrução
novo; por outro lado, é preciso um siste...
RESUMO
Este trabalho pretende discutir a importância do Designer Instrucional (DI),
profissional encarregado do planejamen...
LISTA DE ILUSTRAÇÕES
Figura 1 - Storyboard da aula 2, tela 1, do curso "Sociologia: Cultura, Poder e
Cidadania"..............
LISTA DE QUADROS
Quadro 1 – Dados do projeto do curso ............................................................16
Quadr...
LISTA DE ABREVIATURAS E SIGLAS
AVA - Ambiente Virtual de Aprendizagem
DI - Designer Instrucional
EaD - Educação a Distânci...
SUMÁRIO
Introdução...........................................................................................................
12
INTRODUÇÃO
Com a chegada das TICs -Tecnologias da Informação e Comunicação no
cotidiano escolar, um novo horizonte se a...
13
constituir-se em elemento de exclusão para os indivíduos que não detém o
manuseio das novas técnicas. (MORAN, 2000)
A e...
14
design instrucional da Universidade Federal de Itajubá, mais precisamente na aula 3
"Planejando seu curso de EaD - fase...
15
Capítulo 1
Apresentação do projeto
O curso virtual “Sociologia: Cultura, Poder e Cidadania” será destinado aos
alunos d...
16
1.1 DADOS DO PROJETO
O curso "Sociologia: Cultura, Poder e Cidadania" é um projeto experimental
que será implementado n...
17
O design é a etapa em que os profissionais selecionados estarão reunidos, a
fim de desenvolver o mapa de atividades do ...
18
Quadro 2 – Dados do curso "Sociologia: Cultura, Poder e Cidadania”. (continua)
Nome do curso Sociologia: Cultura, Poder...
19
avaliação final igual ou superior a 6,0.
Quadro 2 – Dados do curso "Sociologia: Cultura, Poder e Cidadania”. (conclusão...
20
Na fase da análise reservou-se 3 semanas para identificar a necessidade da
implementação do curso enquanto suporte a di...
21
Avaliação
Avaliação da
efetividade do
curso
A fase do desenvolvimento pretende abarcar sete semanas do cronograma,
send...
22
Professor conteudista 1 1.000,00 1.000,00
Web designer 1 300,00 300,00
Revisor 1 250,00 250,00
CUSTO DE DESIGN/DESENVOL...
23
A SEEDUC-RJ não cobrará nenhum valor dos participantes, visto que o
curso é destinado exclusivamente para alunos do ter...
24
Capítulo 2
Design instrucional do curso: apresentação e análise
dos recursos de planejamento
2.1 INTRODUÇÃO
Os recursos...
25
2.2.1 Mapa de atividades
O mapa de atividades, é num instrumento de planejamento de um curso na
modalidade EaD. Recurso...
26
Quadro 5 – Mapa de atividades do Curso “Sociologia: Cultura, Poder e Cidadania”(continua)
Aula/
Semana
Período
Unidade
...
27
Aula/
Semana
Período
Unidade
Tema
principal
Subunidad
es
Subtemas
Objetivos
específicos
Atividades teóricas e mídias/
f...
28
Semana
Período
Tema
principal
Subtemas ferramentas de EAD
Aula 3
7 h
7 dias
Cidadan
ia e
participa
ção
política
- Conce...
29
Período principal Subtemas
Aula 4
7 h
7 dias
Violência:
conflitos
e
segregaç
ões
sociais.
-
Diferentes
facetas do
conce...
30
O mapa de atividades para que possa atingir a sua validade de acordo com
os seus objetivos, faz-se necessário considera...
31
os estudos, visto que o curso se relaciona com a reflexão sobre a sociedade, suas
permanências e transformações, bem co...
32
com estilo de aprendizagem visual,. Os vídeos e filmes possuem estímulo auditivo e
visual. A música atende aos alunos c...
33
1) reflexivo (Esses alunos preferem refletir sozinhos e calmamente. Estilo
presente em todas as atividades teóricas e a...
34
aulas. Torna-se imprescindível detectar, qual a abrangência de conhecimento dos
alunos sobre cultura. Apesar de pontuad...
35
níveis de aproveitamento e rendimento alcançado pelos alunos acerca dos
conteúdos propostos. (HAYDT, 1988,p/18).
No map...
36
Mapa de
atividades
Atividade 20
Título da dinâmica: Elaboração de slides no Power point (ppt)e
postagem no slide share
...
37
de ambiente virtual de aprendizagem será necessário para a otimização das
atividades. (FILATRO, 2008, p/44)
A matriz de...
38
mesmo (Produção dos alunos/avaliação); avaliação somativa e feedback das
atividades executadas pelos cursistas (Feedbac...
39
necessário criar cenários, eles também são detalhados no
documento de especificação.
No storyboard do curso "Sociologia...
40
Figura 1 - Storyboard da aula 2, tela 01, do curso "Sociologia: Cultura, Poder e
Cidadania".
Figura 2 - Storyboard da a...
41
Figura 3 - Storyboard da aula 2, tela 03, do curso "Sociologia: Cultura, Poder e
Cidadania".
O SB (figuras 1 a 3), aten...
42
propicia ao aluno sintetizar e consolidar o conhecimento sobre o conteúdo. Na figura
3, a construção de um diagrama sin...
43
teóricas e práticas como: fóruns de discussão, tarefas, wiki, elaboração de slides e
sua publicação em sítios da intern...
44
Por tratar-se de um curso mantido por uma instituição pública de ensino o
orçamento foi elaborado de maneira enxuta, a ...
45
CONSIDERAÇÕES FINAIS
Ao trazer à luz da discussão a possibilidade de associar um curso na
modalidade a distância, enqua...
46
REFERÊNCIAS
BARRETO, Raquel Goulart. (org.).Tecnologias educacionais e educação a
distância. Rio de Janeiro: Quartet, 2...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Monografia Design Instrucional - NEAD UNIFE - Prof. Noe Assunção (Aprovada)

502 visualizações

Publicada em

Monografia elaborada como requisito final para a conclusão do curso Design Instrucional da UNIFEI.

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
502
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
28
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
18
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Monografia Design Instrucional - NEAD UNIFE - Prof. Noe Assunção (Aprovada)

  1. 1. UNIVERSIDADE FEDERAL DE ITAJUBÁ NOE ASSUNÇÃO DESIGN INSTRUCIONAL DO CURSO VIRTUAL “SOCIOLOGIA: CULTURA, PODER E CIDADANIA” Resende – RJ 2015
  2. 2. UNIVERSIDADE FEDERAL DE ITAJUBÁ NOE ASSUNÇÃO DESIGN INSTRUCIONAL DO CURSO VIRTUAL “SOCIOLOGIA: CULTURA, PODER E CIDADANIA” Monografia submetida à banca examinadora do curso de pós- graduação lato sensu em Design Instrucional para EaD Virtual como requisito para obtenção do título de Especialista em Design Instrucional. Orientadora: Profa. Dra. Herlane Costa Calheiros. Resende – RJ 2015
  3. 3. UNIVERSIDADE FEDERAL DE ITAJUBÁ NOE ASSUNÇÃO DESIGN INSTRUCIONAL DO CURSO VIRTUAL “SOCIOLOGIA: CULTURA, PODER E CIDADANIA” Monografia aprovada por banca examinadora em 07 de novembro de 2015. Banca Examinadora: Profa. Dra. Herlane Costa Calheiros – (Orientadora) Prof. Dr. José Hamilton Chaves Prof. Dr. Fabiano Leal Resende – RJ 2015
  4. 4. DEDICATÓRIA À memória de Joaquim Assunção e Irene Alves de Assunção que estarão sempre presentes em mim, em meus pensamentos e em meu coração. Aos amigos pelo apoio incondicional em todos os momentos, principalmente nos de incerteza, muito comuns para quem tenta trilhar novos caminhos. Aos professores, professoras e tutoras desse curso, o meu reconhecimento pela oportunidade de realizar este trabalho ao lado de educadores e educadoras que transpiram sabedoria; meu respeito e admiração pela serenidade, pelo Dom no ofício de otimizar o processo de ensino e aprendizagem, inibindo sempre a vaidade em prol da simplicidade e eficiência.
  5. 5. AGRADECIMENTOS Aos meus verdadeiros amigos e amigas de uma vida inteira, familiares, em especial a minha sobrinha Profa. Jovelina Coelho que soube direcionar um momento das nossas vidas, com a inteligência e amor, armas dignas dos vitoriosos que amaram e amam verdadeiramente. Aos companheiros e companheiras que conheci no decorrer do curso e que foram essenciais na caminhada, pois a companhia de todos e todas foi como luz para se atingir vários objetivos em diferentes situações, não esquecendo a ajuda mútua na caminhada. À professora Herlane Costa Calheiros pelo tempo disponível para poder me auxiliar nessa reta final de curso. Obrigada por fazer parte desse momento de minha vida. Aos trabalhadores e trabalhadoras que estiveram envolvidos neste projeto. À UAB - Universidade Aberta do Brasil que custeou essa especialização, à Prefeitura Municipal de Resende que mantém o polo de apoio presencial, em especial ao Núcleo de Educação a Distância da Universidade Federal de Itajubá (NEAD - UNIFEI) que acredita na possibilidade de uma especialização na modalidade a distância. Mais do que manifestar meus sinceros agradecimentos e meu apreço, reafirmo o carinho e respeito aos professores, professoras e tutoras que estiveram sempre atentos e dedicados em clarear caminhos, muitas vezes, nebulosos para mim e tão claros para a sabedoria de cada um, além da paciência e generosidade no decorrer do curso.
  6. 6. “Por um lado é preciso uma mudança das condições de criar um sistema de instrução novo; por outro lado, é preciso um sistema de instrução já novo para poder mudar as condições sociais (...) É preciso partir da situação atual.” KARL MARX
  7. 7. RESUMO Este trabalho pretende discutir a importância do Designer Instrucional (DI), profissional encarregado do planejamento, organização e implementação do AVA do curso "Sociologia: Cultura, Poder e Cidadania". O curso será utilizado como recurso didático, paralelo às aulas presenciais de sociologia da Secretaria Estadual de Educação do Estado do Rio de Janeiro- SEEDUC/RJ. Essa pesquisa direciona o enfoque na análise dos aspectos fundamentais do curso na modalidade a distância, como o planejamento da matriz de design instrucional, mapa de atividades e storyboard, além da fundamentação teórica. A metodologia aplicada se estrutura na pesquisa qualitativa bibliográfica. Percebe-se que o papel do DI é essencial na elaboração de um curso em EaD, visto que as tecnologias da informação e comunicação se espalham por todos os setores da sociedade, principalmente no contexto educacional formal. O curso "Sociologia: Cultura, Poder e Cidadania" propõe o questionamento crítico frente à diversidade de fatos sociais que compõem o contexto social. Os alunos deverão desenvolver habilidades e competências para argumentar e refletir sobre a sociedade, a partir da organização dos seus pensamentos, amparados pelos conceitos sociológicos. A ideologia dominante ainda é muito presente no cotidiano dos indivíduos, podendo caracterizar-se num entrave para o desenvolvimento de um indivíduo crítico e ciente do seu papel na sociedade. Palavras-chave: Aprendizagem on line, Designer instrucional, Sociologia.
  8. 8. LISTA DE ILUSTRAÇÕES Figura 1 - Storyboard da aula 2, tela 1, do curso "Sociologia: Cultura, Poder e Cidadania"..................................................................................................................39 Figura 2 - Storyboard da aula 2, tela 2, do curso "Sociologia: Cultura, Poder e cidadania"..................................................................................................................39 Figura 3 - Storyboard da aula 2, tela 3, do curso "Sociologia: Cultura, Poder e Cidadania"..................................................................................................................40
  9. 9. LISTA DE QUADROS Quadro 1 – Dados do projeto do curso ............................................................16 Quadro 2 – Dados do curso Sociologia.............................................................18 Quadro 3 - Cronograma das atividades do projeto do curso............................ 20 Quadro 4 - Composição do custo do curso...................................................... 21 Quadro 5 - Mapa de atividade do curso........................................................... 25 Quadro 6 - Matriz de design instrucional da atividade 20................................. 35
  10. 10. LISTA DE ABREVIATURAS E SIGLAS AVA - Ambiente Virtual de Aprendizagem DI - Designer Instrucional EaD - Educação a Distância EDI 02 - Especialização em Design Instrucional - aula 02 e-PROINFO - Programa Nacional de Informática no Brasil NEAD - UNIFEI - Núcleo de Educação a Distância - Universidade Federal de Itajubá SEEDUC- RJ - Secretaria Estadual de Educação do Estado do Rio de Janeiro TICs - Tecnologias de informação e Comunicação
  11. 11. SUMÁRIO Introdução..................................................................................................................12 1.1Dados do Projeto.........................................................................................16 1.2DADOS DO CURSO...................................................................................17 1.3CRONOGRAMA DO PROJETO.................................................................19 1.4ORÇAMENTO DO PROJETO.....................................................................21 Capítulo 2.........................................................................................................24 Design instrucional do curso: apresentação e análise dos recursos de planejamento............................................................................................................24 2.3 DIFERENCIAIS E RISCOS DO PROJETO...............................................42 CONSIDERAÇÕES FINAIS........................................................................................45 Referências................................................................................................................46
  12. 12. 12 INTRODUÇÃO Com a chegada das TICs -Tecnologias da Informação e Comunicação no cotidiano escolar, um novo horizonte se abre para a didática que se ocupa dos métodos e técnicas de ensinar. Quando bem utilizadas e compreendidas podem promover a reconstrução do conhecimento colaborativo, a favor do processo de ensino e aprendizagem dos conteúdos. Podem contribuir para a inteligência coletiva de um grupo e ainda caracterizar-se numa ferramenta imprescindível em cursos na modalidade a distância (EaD). Essa nova modalidade de ensino que começa a se consolidar através das TICs, possibilita novas relações com a reconstrução do conhecimento, permitindo a interação e comunicação entre os indivíduos em espaços e horários diferentes. O aporte teórico dessa discussão acerca do uso das TICs a favor do processo de ensino e aprendizagem e da EaD se estrutura a partir de teóricos como: Pierre Levy, Vani Kenski e Manuel Moran. As TICs contribuem para a autonomia e inteligência coletiva no ambiente virtual, que tende a afastar a reconstrução do conhecimento apoiada apenas na figura inquestionável do professor. É inegável que as TICs, inseridas no ambiente escolar, se constituirão em fortes elementos para uma grande transformação cultural no contexto educacional, constituindo em valiosas aliadas na otimização do processo de ensino e aprendizagem dos conteúdos. (LEVY, 2013) As TICs só produzirão resultados positivos no contexto educacional se as escolas se prepararem para receber os indivíduos que nasceram nessa contemporaneidade permeada pelas novas técnicas. Antes de chegarem até às escolas, os alunos já vivenciaram e se relacionaram com alguma tecnologia da informação e comunicação. As universidades devem preparar os futuros docentes para manusear tais técnicas a favor das suas práticas pedagógicas. (KENSKI, 2003) As TICs ao atravessarem os muros das escolas poderão revolucionar o cotidiano escolar, favorecendo novos olhares sobre a prática pedagógica e o gerenciamento das informações. Faz-se necessário considerar que as TICs não se tornarão a redentora de todos os males da educação, se mal compreendida poderá
  13. 13. 13 constituir-se em elemento de exclusão para os indivíduos que não detém o manuseio das novas técnicas. (MORAN, 2000) A escolha de um curso de sociologia em EaD, teve como motivação inicial o fato do autor desse projeto estar inserido no cotidiano escolar como docente numa instituição pública, e perceber como o clima de desencantamento de professores, professoras, alunos e alunas no que se refere às aulas é notória. Fica evidente nos encontros pedagógicos, que a escola reclama emergencialmente por ações que possam transformar esse quadro. Nesse contexto um ambiente virtual de aprendizagem que caminhe junto com as aulas presenciais pode caracterizar-se em solução imediata para o problema. As TICs se espalham por todo o tecido social, tornado-se cada vez mais presente nas escolas por intermédio de uma educação informal, aquela que os atores trazem de fora dos muros da escola e também através de políticas públicas voltadas para a inclusão digital, nos laboratórios de informática como o PROINFO - Programa Nacional de Informática na Educação. Mesmo compreendendo que está distante o modelo eficiente de inclusão digital que privilegie a todos independente da sua classe social, tem-se avançado mesmo que em passos lentos no que se refere ao processo de informatização das escolas. A relevância da proposta de um curso em EaD paralelo ao presencial, toma corpo no momento em que pretende-se refletir de maneira concisa acerca de uma didática que se relacione com o tempo presente. Abrir as portas da escola para as TICs, à discussão, implementação de ações e elaboração de projetos para essa nova realidade, caracteriza-se num desafio emergencial e recorrente para que a educação entre em sintonia com um mundo que se faz e desfaz a todo instante. O objetivo dessa monografia é apresentar o planejamento do curso "Sociologia: Cultura, Poder e Cidadania", voltado para os alunos do ensino médio regular da SEEDUC-RJ. Constituíram em elementos para o planejamento desse projeto: dados do projeto e do curso, cronograma e orçamento do projeto, mapa de atividades, matriz de design instrucional e storyboard. Os dados relativos ao curso e ao design instrucional, foram levantados via internet e através da experiência profissional própria como tutor a distância de uma instituição federal de ensino. Na disciplina EDI02 do curso de especialização em
  14. 14. 14 design instrucional da Universidade Federal de Itajubá, mais precisamente na aula 3 "Planejando seu curso de EaD - fase diagnóstica", foi sugerida uma atividade que tinha como mote principal um checklist, com perguntas básicas a respeito do curso a ser planejado. O checklist faz parte da fase diagnóstica na elaboração de um curso na modalidade a distância, conhecida também como a fase de análise, do planejamento do curso.Os elementos principais do checklist privilegia o público alvo, recursos humanos e materiais, projeto pedagógico, programação, inclusão, cronograma, avaliação e referências bibliográficas. A coleta dos dados foi facilitada por um questionário de perguntas objetivas fornecido pela instituição em voga. O ambiente virtual de aprendizagem escolhido para a implantação do curso é o moodle por tratar-se de uma ferramenta gratuita e de fácil manipulação, além de ser um objeto de aprendizagem dominado pelo autor desse projeto. A monografia está organizada na forma de capítulos, sendo que o capítulo 1 é composto pela apresentação do curso através dos dados do projeto, duração do projeto, recursos humanos, infraestrutura, os objetivos, carga horária, vagas, duração, público alvo, pré requisitos, critérios de aprovação, justificativa, relevância, cronograma e por fim o orçamento. No capítulo 2 estão descritas a apresentação e análise dos recursos de planejamento do projeto envolvendo o mapa de atividades, matriz de design instrucional, storyboard, diferenciais e riscos do projeto.
  15. 15. 15 Capítulo 1 Apresentação do projeto O curso virtual “Sociologia: Cultura, Poder e Cidadania” será destinado aos alunos do 3º ano do ensino médio regular da Secretaria Estadual de Educação do Estado do Rio de Janeiro - SEEDUC-RJ, no âmbito da Sociologia, disciplina obrigatória no ensino médio através da Lei 11.684/2008. A finalidade deste curso é que possa caracterizar-se num objeto de aprendizagem a distância, propiciando aos educandos um espaço alternativo no ensino da sociologia, fora das salas de aulas presenciais. A sociologia desde que se tornou uma ciência no século XIX, vem construindo conhecimento acerca da organização da sociedade, bem como a dinâmica das relações sociais que se estruturam no interior de um grupo social, e as diferentes maneiras com que esses grupos se relacionam entre si. A inserção da sociologia no ensino médio tem como princípio norteador levar o educando a refletir sobre a realidade social na qual está inserido, desenvolver uma consciência crítica de que toda sociedade é uma construção histórica e que pode ser construída e reconstruída de acordo com as necessidades dos grupos e atores envolvidos. Além da reflexão sobre a sociedade, o educando deverá desenvolver habilidades e competências para transformá-la, se não for possível, pelo menos perceber que a sociedade é passível de transformação. O planejamento do curso "Sociologia: Cultura, Poder e Cidadania" é apresentado por meio dos quadros 1 e 2 onde estão contidos os dados do projeto e do curso. O cronograma de atividades do projeto está no quadro 3 e a composição dos custos - orçamento está no quadro 4. O quadro 5 dispõe sobre o mapa de atividades e a matriz de design instrucional está contida no quadro 6.
  16. 16. 16 1.1 DADOS DO PROJETO O curso "Sociologia: Cultura, Poder e Cidadania" é um projeto experimental que será implementado numa instituição escolar que faz parte da Secretaria Estadual de Educação do Rio de Janeiro - SEEDUC-RJ, caracterizando-se num objeto de aprendizagem a distância, com o objetivo de otimizar o processo de ensino e aprendizagem dos conteúdos de sociologia, veja o quadro 1. Quadro 1 – Dados do projeto do curso "Sociologia: Cultura, Poder e Cidadania" AVA Moodle Duração do projeto 19 semanas Recursos humanos 1 tutor a distância, 1 tutor presencial, 1 professor conteudista, 1 web designer, 1 revisor, 1 coordenador, 1 administrativo, 1 design instrucional, 1 pedagogo, 1 suporte técnico. Infraestrutura física Núcleo de Educação a Distância, com o propósito de reunir os profissionais envolvidos para reuniões periódicas, além de constituir-se em lócus de tutoria a distância com computadores e acesso à internet. Laboratório de informática nas escolas privilegiadas pelo curso com acesso à internet, para que os cursistas possam frequentar. Materiais de divulgação do curso. Data show Custo total R$ 10.470,00 O projeto do curso "Sociologia: Cultura, Poder e Cidadania", terá a duração de 19 semanas, que serão distribuídas por cinco etapas distintas: análise, design, desenvolvimento, implementação e avaliação. Na análise, reservou-se três semanas para a identificação das necessidades de aprendizagem, definição do público alvo, viabilidade orçamentária do projeto, recursos tecnológicos e humanos disponíveis.
  17. 17. 17 O design é a etapa em que os profissionais selecionados estarão reunidos, a fim de desenvolver o mapa de atividades do curso, matriz de design instrucional e o stroyboard. A elaboração dos três recursos de design instrucional ocorrerão concomitantes, visto que são processos interdependentes. Previsão de cinco semanas. O desenvolvimento do projeto terá como objetivo a produção do material didático que será disponibilizado no curso, bem como a adaptação dos recursos no AVA. Previsão de sete semanas. A implementação do curso é o momento de colocá-lo em prática, disponibilizando as unidades no AVA e permitindo o acesso dos cursistas nas unidades do curso. Previsão de oito semanas. As avaliações diagnóstica, formativas e somativas previstas para o curso "Sociologia: Cultura, Poder e Cidadania" ocorrerão ao longo das unidades, porém a avaliação do curso ocorrerá no final do curso. Previsão de três semanas. 1.2 DADOS DO CURSO O objetivo do curso, quadro 2, é desenvolver nos alunos habilidades e competências para que possam refletir sobre a noção de cultura como instrumento de poder e construção social. Construir uma visão crítica da indústria cultural, reconhecendo as diversas ideologias que a atravessam, bem como sua transformação em cultura de massa. Discutir os conceitos de cidadania, democracia e participação cidadã num enfoque sociológico, associado aos fenômenos sociais do cotidiano e as relações de poder que perpassam pelo tecido social em toda a sua dimensão.
  18. 18. 18 Quadro 2 – Dados do curso "Sociologia: Cultura, Poder e Cidadania”. (continua) Nome do curso Sociologia: Cultura, Poder e Cidadania Objetivos do curso • Distinguir sobre a noção de Cultura, Poder e Cidadania como instrumentos de poder e construção social. • Compreender o conceito de indústria cultural, reconhecendo as diversas ideologias que a atravessam, bem como sua transformação em cultura de massa e aparelho ideológico de alienação. • Analisar os conceitos de cidadania, democracia e participação cidadã num enfoque sociológico, os associando aos fenômenos sociais do cotidiano. • Desenvolver uma postura crítica acerca do papel dos indivíduos na construção de uma sociedade democrática e igualitária. • Criticar as diversas relações de poder que transitam pelo tecido social, bem como as relações de poder nas esferas públicas e sua interferência no contexto social Carga Horária Presencial 0 Virtual 28 horas Número de vagas 20 Duração do Curso 28 horas – Aproximadamente 1 mês Público-alvo Cursistas do ensino médio da Secretaria Estadual de Educação do Estado do Rio de Janeiro - SEEDUC RJ. Pré-requisitos • Habilidades fundamentais no manuseio do computador. • Habilidades e competências na escrita e leitura. • Dedicação, disciplina, autonomia e organização. • Operacionalizar o correio eletrônico. • Acessibilidade Neste primeiro momento não atenderá às pessoas com deficiência. Ementa Conceitos sociológicos básicos: cultura, poder, Estado, sociedade, dominação e exclusão social. Exercício da democracia e sua relação com a cidadania e participação política. Formas de violência e criminalidade. Matriz curricular: Aula1: Cultura: construção histórica e social de um conceito. Aula 2: Estado e Poder. Aula 3: Cidadania e participação política. Aula 4: Violência, conflitos e segregação sociais. Critério de Aprovação Serão considerados aprovados, os cursistas que atingirem
  19. 19. 19 avaliação final igual ou superior a 6,0. Quadro 2 – Dados do curso "Sociologia: Cultura, Poder e Cidadania”. (conclusão) Nome do curso Sociologia: Cultura, Poder e Cidadania Justificativa e relevância A Sociologia busca compreender a sociedade, estrutura, organização dos indivíduos e instituições que a integram, concebendo que essas relações não são estáticas e estão sempre em movimento de transformação. Numa sociedade em que o processo de corrupção por parte do governo estampa as principais manchetes dos meios de comunicação de massa, as desigualdades sociais são vistas como “naturais, a violência se torna algo banal no nosso cotidiano e o Estado muitas vezes não assume o seu papel enquanto instituição de poder e que deve resguardar os direitos fundamentais dos indivíduos, um olhar mais questionador sobre essa realidade faz-se necessário. Nesse contexto, é emergencial um olhar crítico sobre essa sociedade, amparado na sociologia que através de autores e pesquisadores que dedicaram os seus esforços no seu estudo, poderão nos fornecer subsídios para que possamos entender essas dinâmicas sociais e quem sabe desenvolvermos mecanismos para caminhar na direção de uma transformação ou revolução das estruturas consolidadas. Como requisitos para a realização do curso foram solicitados conhecimentos básicos de computação e fluência com a língua portuguesa, além de outros elementos como o comprometimento, a autonomia, a disciplina, a motivação, o interesse, a organização, a persistência, os hábitos de leitura, o tempo disponível (em média 1 hora diária). Neste primeiro momento o curso não atenderá às pessoas com deficiência, no entanto, sendo identificada tal necessidade, as ferramentas para acessibilidade poderão ser disponibilizadas como: como o uso de legendas, lente de aumento, Narrator, DosVox, On-Screen Keyboard ou Teclado Virtual. 1.3 CRONOGRAMA DO PROJETO O curso "Sociologia: Cultura, Poder e Cidadania" organiza-se num cronograma envolvendo cinco fases distintas: análise, design, desenvolvimento, implementação e avaliação com previsão de duração de 19 semanas conforme quadro 3.
  20. 20. 20 Na fase da análise reservou-se 3 semanas para identificar a necessidade da implementação do curso enquanto suporte a distância para uma disciplina obrigatória do ensino médio regular da SEEDUC RJ, bem como um levantamento prévio do público-alvo através de uma pesquisa com os alunos dos terceiros anos, na intenção de registrar o interesse pelo curso. Na fase do design que pretende ser concluída em cinco semanas, iniciarão os trabalhos técnicos do curso como o desenvolvimento do mapa de atividades (quatro semanas), da matriz de design instrucional (duas semanas) e a construção do storyboard (três semanas). Algumas dessas atividades ocorrerão concomitantemente. Quadro 3 - Cronograma das atividades do projeto do curso "Sociologia: Cultura, Poder e Cidadania". (em semanas) Atividades 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 Análise Identificação das necessidades de aprendizagem e do público-alvo Design Desenvolvimento do mapa de atividades Desenvolvimento da matriz de design instrucional Desenvolvimento do storyboard Desenvolvimento Produção do material didático Adaptação dos recursos para o ambiente virtual Implementação Disponibilização das unidades de aprendizagem Oferecimento do curso
  21. 21. 21 Avaliação Avaliação da efetividade do curso A fase do desenvolvimento pretende abarcar sete semanas do cronograma, sendo que a produção do material didático (quatro semanas) será o momento de organizar, em parceria com os professores formadores, pedagogo e coordenação os materiais didáticos que servirão de suporte para as aulas. Além da seleção, todo o material terá que ser adaptado para o AVA que deverá ser concluída em três semanas. Em alguns momentos as duas fases ocorrerão concomitantes. Na fase da implementação, o AVA já deverá está desenvolvido e funcionando, para que o material selecionado seja disponibilizado e distribuído pelas unidades previstas no mapa de atividades. Esta fase ocorrerá em quatro semanas. Durante a implementação do curso será feito o oferecimento do curso aos alunos dos terceiros anos da unidade escolar que hospedará o projeto. Por fim, a fase da avaliação da efetividade do curso que abarcará as três últimas semanas do cronograma. 1.4 ORÇAMENTO DO PROJETO A previsão de orçamento para o curso “Sociologia: Cultura, Poder e Cidadania” estima-se em R$ 10.470,00 (dez mil e quatrocentos e setenta reais) conforme demonstra o quadro 4. A instituição mantenedora do projeto é a SEEDUC-RJ (Secretaria Estadual de Educação do Estado do Rio de Janeiro). Quadro 4- Composição do custo do curso “Sociologia: Cultura, Poder e Cidadania” (continua) DESIGN / DESENVOLVIMENTO ITEM QUANT. VALOR UNITÁRIO VALOR FINAL Designer instrucional 1 765,00 765,00
  22. 22. 22 Professor conteudista 1 1.000,00 1.000,00 Web designer 1 300,00 300,00 Revisor 1 250,00 250,00 CUSTO DE DESIGN/DESENVOLVIMENTO 2.315,00 Quadro 4-Composição do custo do curso “Sociologia: Cultura, Poder e Cidadania” (conclusão) APLICAÇÃO ITEM QUANT. VALOR UNITÁRIO VALOR FINAL Professor conteudista 1 1.000,00 1.000,00 Designer instrucional 1 765,00 765,00 Tutor a distância 1 765,00 765,00 Tutor presencial 1 765,00 765,00 Revisor 1 250,00 250,00 CUSTO DE APLICAÇÃO 3.545,00 INFRAESTRUTURA DE TI ITEM QUANT. VALOR UNITÁRIO VALOR FINAL Servidor- hospedagem 1 (60 dias) 200,00 400,00 Computador – Sala de informática da escola - - - Software - licença 1 90,00 (mês) 180,00 (2 meses) CUSTO DE INFRAESTRUTURA DE TI 580,00 GESTÃO / ADMINISTRAÇÃO ITEM QUANT. VALOR UNITÁRIO VALOR FINAL Coordenador 1 1.000,00 1.000,00 Pedagogo 1 1.000,00 1.000,00 Suporte administrativo 1 765,00 765,00 Suporte técnico 1 765,00 765,00 CUSTO DE GESTÃO / ADMINISTRAÇÃO 3.530,00 DESPESAS DE FUNCIONAMENTO ITEM QUANT. VALOR UNITÁRIO VALOR FINAL Certificados 50 10,00 500,00 CUSTO COM DESPESAS DE FUNCIONAMENTO CUSTO TOTAL 10.470,00 O público inicial é de 20 alunos. Portanto, o custo médio por aluno foi de R$ 523,50. A estimativa é que esse custo decresça nas próximas edições do curso, visto que essa primeira edição será um bom laboratório para aparar arestas e adaptar a dinâmica do curso de acordo com a estrutura adotada, além de colocá-la em consonância com os atores envolvidos.
  23. 23. 23 A SEEDUC-RJ não cobrará nenhum valor dos participantes, visto que o curso é destinado exclusivamente para alunos do terceiro ano do ensino médio de uma instituição escolar específica.A estimativa orçamentária teve como parâmetro o valor de mercado referentes aos recursos humanos e outras despesas envolvendo a implementação, otimização e gestão do curso.
  24. 24. 24 Capítulo 2 Design instrucional do curso: apresentação e análise dos recursos de planejamento 2.1 INTRODUÇÃO Os recursos de design instrucional utilizados no planejamento de um curso na modalidade a distância, caracterizam-se em ferramentas com o objetivo de minimizar as dificuldades na implementação e organização das estratégias e objetos pedagógicos de cursos em EaD. Nesse contexto faz-se necessário enfatizar a importância do mapa de atividades, matriz de design instrucional e storyBoard. Tais recursos de planejamento visam estabelecer a interação e multidisciplinaridade da equipe envolvida no projeto, garantindo que todos falem a mesma língua, bem como caminhem na direção de objetivos comuns. Através dos recursos de planejamento em voga, o designer instrucional cria as possibilidades para se atingir os objetivos previamente estabelecidos na organização de um curso em EaD. Tais recursos possibilitam os cursistas, habilidades e competências para enfrentar os entraves reais de um ambiente virtual de aprendizagem, bem como desenvolver-se autônomo na assimilação e consolidação dos conteúdos. Outra vantagem dos recursos de planejamento é planejar um curso privilegiando a equalização do tempo, ou seja definir o equilíbrio entre o tempo de duração e os objetivos estabelecidos. Fornecer uma visão objetiva e clara dos conteúdos do curso no ambiente virtual é requisito necessário ao trabalho de design instrucional, oportunizando uma efetiva compreensão de todos os atores envolvidos com relação à dinâmica do curso. A seguir apresentam-se os recursos de planejamento: mapa de atividades, matriz de design instrucional e storyBoard. 2.2 RECURSOS DE DESIGN INSTRUCIONAL
  25. 25. 25 2.2.1 Mapa de atividades O mapa de atividades, é num instrumento de planejamento de um curso na modalidade EaD. Recurso pedagógico específico de design instrucional de um curso que apresenta detalhadamente as aulas ou unidades do curso, atividades teóricas e atividades práticas. Cada aula ou unidade do curso organiza-se através de objetivos específicos a serem alcançados com objetos de aprendizagem previamente selecionados que possam garantir a assimilação e consolidação dos conteúdos, bem como o processo de ensino e aprendizagem. O mapa de atividades bem elaborado detalha todas as informações necessárias para que o professor crie as atividades ou tarefas planejadas, diretamente nas ferramentas do ambiente de aprendizagem virtual. (BARRETO, 2004, p/24) Os responsáveis pelo design instrucional de um curso na modalidade a distância tem a responsabilidade de estruturá-lo com instrumentos educacionais que viabilizem o processo de ensino e aprendizagem dos conteúdos, garantindo a validade para o público alvo e o contexto social no qual estão inseridos. Ao detalhar todas as atividades teóricas e práticas no mapa de atividades, a equipe do DI otimiza o planejamento e execução de um curso na modalidade a distância. Através dessa organização didática, as atividades teóricas e práticas serão inseridas no AVA, tornando o entendimento claro e objetivo, minimizando a desmotivação dos cursistas frente aos desafios da EAD. O mapa de atividades do curso “Sociologia: Cultura, Poder e Cidadania” se apresenta através do quadro 5:
  26. 26. 26 Quadro 5 – Mapa de atividades do Curso “Sociologia: Cultura, Poder e Cidadania”(continua) Aula/ Semana Período Unidade Tema principal Subunidades Subtemas Objetivos específicos Atividades teóricas e mídias/ ferramentas de EAD Atividades práticas e mídias/ferramentas de EAD Aula 1 7 h 7 dias Cultura: Construção histórica e social de um conceito - Conceito de Cultura - Etnocentris mo - Examinar o conceito de cultura sob vários enfoques. - Debater o conceito de etnocentrismo. - Discutir sobre o conceito de cultura como instrumento de poder e como construção histórica e social. - Identificar as dimensões que o etnocentrismo se apresenta na sociedade. Atividade 1: Leitura do texto "Cultura" Dicionário de Conceitos Históricos - Kalina Vanderlei Silva e Maciel Henrique Silva – Ed. Contexto – São Paulo; 2006. Ferramenta: Página- http://www.igtf.rs.gov.br/wp- content/uploads/2012/03/conc eito_CULTURA.pdf Mídia: PDF: 4 páginas Atividade 3: Acessar a apresentação de slides sobre etnocentrismo - Profa. Andreia Regina Moura Mendes no Slide share. Ferramenta: Página http://pt.slideshare.net/andreia mendes2/o-que- etnocentrismo?qid=e9aa17cd- 84c3-4dab-a41b- f7f1488831df&v=qf1&b=&from _search=1 Mídia: PDF. 11 slides Atividade 2: Fórum de discussão - “Enunciado de maneira menos formal, etnocentrismo é o hábito de cada grupo de tomar como certa a superioridade de sua cultura”.( Fonte: HORTON, P. B. & HUNT, C. L. Sociologia. Tradução de Auriphebo Berrance Simões. São Paulo: McGraw-Hill do Brasil, 1982. p. 46- 47) De que maneira isso se manifesta na prática, cite exemplos que possam ilustrar essa frase. Ferramenta: Fórum Avaliativa: diagnóstica Valor: 50 pontos Peso: 2 Período: 7 dias Atividade 4: Envio de tarefa: Questões discursivas envolvendo os conceitos de cultura e etnocentrismo.(30 questões) Ferramenta: Tarefa Avaliativa: somativa Valor: 100 pontos Peso: 1 Duração: 7 dias Atividade 6: Cruzadinha da cultura. Ferramenta: Hot Potatoes Avaliativa: somativa Valor: 100 pontos Peso: 1 Duração: 3 dias Quadro 5 – Mapa de atividades do Curso “Sociologia: Cultura, Poder e Cidadania” (continua)
  27. 27. 27 Aula/ Semana Período Unidade Tema principal Subunidad es Subtemas Objetivos específicos Atividades teóricas e mídias/ ferramentas de EAD Atividades práticas e mídias/ferramentas de EAD Aula 2 7 h 7 dias Estado e Poder - Teoria clássica do conceito de Estado. - Exercício de poder e dominação do Estado - Identificar o conceito de Estado e Poder, de acordo com os teóricos clássicos da sociologia. - Contrastar as diferentes facetas do exercício de poder e dominação. - Debater a concepção de Estado e Poder, relacionando-os ao processo de dominação, apoiado nas teorias sociológicas dos conceitos em voga. - Construir uma visão crítica das relações de poder e dominação. Atividade 5: Leitura do texto: "Conceitos básicos da teoria geral do Estado". Autores: Juliano Taveira e Olavo A V A Ferreira. Ferramenta: Página- http://www.editorajuspodivm.c om.br/i/f/tomo%20I %20soltas.pdf Mídia: PDF. 14 páginas Atividade 7: Assistir o vídeo "Tipos de dominação e rotinização do carisma" Prof. Robson Lima. Ferramenta: Página Mídia: Vídeo (18:22) https://www.youtube.com/watc h?v=TZ-Rp9Y38G8 Atividade 9: Acessar a apresentação de slides sobre o conceito de Estado - Prof. Noe Assunção no Slide share. Ferramenta: Página http://pt.slideshare.net/noeass uncao1/aula-48342757 Mídia: PDF. 14 slides Atividade 8: Fórum de discussão: De acordo com texto disponível quais as principais teorias sobre o conceito de estado e seus respectivos autores De maneira prática como se manifesta a dominação do Estado sobre os indivíduos numa sociedade Ferramenta: Fórum Avaliativa: formativa Valor: 100 pontos Peso: 1 Período: 7 dias Atividade 10: Questionário on line: Questões objetivas sobre o conceito de Estado e Poder.(30 questões) Ferramenta: Questionário Avaliativa: somativa Valor: 50 pontos Peso: 2 Duração: 7 dias Quadro 5 – Mapa de atividades do Curso “Sociologia: Cultura, Poder e Cidadania” (continua) Aula/ Unidade Subunidades Objetivos específicos Atividades teóricas e mídias/ Atividades práticas e mídias/ferramentas de EAD
  28. 28. 28 Semana Período Tema principal Subtemas ferramentas de EAD Aula 3 7 h 7 dias Cidadan ia e participa ção política - Conceito de Cidadania e sua trajetória histórica. - Cidadania e participação política. - Identificar nas diferentes manifestações sociais, o exercício ou não dos conceitos de cidadania e participação política dos indivíduos , relacionando-os à ideologia dos meios de comunicação de massa, a favor de uma determinada classe social em detrimento de outra. - Debater o conceito de cidadania o relacionando com uma participação política efetiva dos indivíduos frente aos problemas sociais de cunho popular, na construção de uma sociedade que caminhe na direção da democracia. - Analisar a importância da conscientização dos indivíduos em relação ao conceito de cidadania e seu efetivo exercício a favor dos movimentos sociais. Atividade 11: Leitura do texto: "A eloquência das ruas - Jorge Chaloub". http://www.cis.puc- rio.br/cedes/PDF/julho_2013/ Artigo%20-%20Jorge %20Chaloub.pdf Ferramenta: Página Mídia: PDF. 7 páginas Atividade 13: Assistir o vídeo "Os gritos da rua" Ferramenta: Página Mídia: Vídeo (1:03:36) https://www.youtube.com/wat ch?v=VwyAZYJiVW4 Atividade 12: Fórum de discussão: de que maneira os objetos de aprendizagem apresentados contribuem para refletirmos e agirmos como verdadeiros cidadãos no contexto social? Ferramenta: Fórum Avaliativa: formativa Valor: 100 pontos Peso: 1 Período: 7 dias Atividade 14: Envio de tarefa: Questões discursivas envolvendo os conceitos de cidadania, participação cidadã e movimentos sociais. (20 questões) Ferramenta: Tarefa Avaliativa: somativa Valor: 50 Peso: 2 Duração: 7 dias Quadro 5 – Mapa de atividades do Curso “Sociologia: Cultura, Poder e Cidadania” (conclusão) Aula/ Semana Unidade Tema Subunidad es Objetivos específicos Atividades teóricas e mídias/ ferramentas de EAD Atividades práticas e mídias/ferramentas de EAD
  29. 29. 29 Período principal Subtemas Aula 4 7 h 7 dias Violência: conflitos e segregaç ões sociais. - Diferentes facetas do conceito de violência. - Violência e cidade: processo de exclusão e segregaçã o dos indivíduos nos espaços territoriais. - Identificar e contrastar as diferentes facetas da violência no contexto social. - Debater o conceito de violência relacionando-o com a invisibilidade das minorias e disputas territoriais nas cidades. - Construir uma visão crítica acerca do enfrentamento da violência e seu desdobramento no contexto social. - Produzir novos discursos sobre a violência, dialogando com referenciais teóricos e considerando o conhecimento do senso comum. Atividade 15: Assistir o vídeo " Ônibus 174 - José Padilha" Ferramenta: Página Mídia: Vídeo (1:58:07) https://www.youtube.com/watch ?v=4mQ2b-PE7Iw . Atividade 17: Assistir o vídeo da música (Minha alma" a paz que eu não quero do RAPPA. Ferramenta: Página Mídia: Vídeo (5:50) https://www.youtube.com/watch ?v=vF1Ad3hrdzY Atividade 19: Leitura do texto: "Violência no Brasil - outro olhar - Autor: Orson Camargo. Ferramenta: Página Mídia: Arquivo PDF (Estimativa de 15 páginas) Atividade 16: Fórum de discussão: Debate sobre o conceito de violência e de que maneira ela se manifesta na sociedade?" Ferramenta: Fórum Avaliativa: formativa Valor: 100 pontos Peso: 1 Período: 7 dias Atividade 18: Atividade em grupo. Construção de uma WIKI. Qual o tipo de paz que se tem, qual o tipo de paz que se pretende ter nas grandes cidades. Ferramenta: WIKI Avaliativa: formativa Valor: 50 Peso: 2 Duração: 7 dias Atividade 20: Elaborar uma apresentação em Power Point (PPT) de acordo com uma síntese do texto. Após postá-lo num site de compartilhamento (Ex: slide share) Ferramenta: Power point Avaliativa: formativa Valor: 50 Peso: 2 Duração: 7 dias Obs: Vide detalhamento na matriz de design instrucional
  30. 30. 30 O mapa de atividades para que possa atingir a sua validade de acordo com os seus objetivos, faz-se necessário considerar alguns critérios importantes. O modelo utilizado nesta monografia é sugestão do NEAD - UNIFEI - Núcleo de Educação a Distância da Universidade Federal de Itajubá. - Período da aula ou unidade. - Tema principal para cada aula ou unidade. - Subunidades ou sub temas. - Objetivos específicos para cada aula ou unidade. - Atividades teóricas e práticas em consonância com os objetivos estabelecidos. Para que o mapa de atividades atenda os critérios descritos anteriormente efetivando o processo de ensino e aprendizagem dos conteúdos, torna-se necessário considerar as necessidades e realidade do público alvo. É imprescindível que o cliente forneça o maior número de informações importantes que viabilizem a estrutura e organização do mapa, coerente com os objetivos específicos estabelecidos. No que se refere ao período das aulas ou unidades, uma sugestão é de que não seja longo, mas que não comprometa o cumprimento dos objetivos específicos e que as atividades propostas possam ser cumpridas de acordo com o cronograma. Pensando nisso, o curso “Sociologia: Cultura, Poder e Cidadania” estruturou-se em 4 aulas, de 7 dias cada com uma carga horária de 7 horas. (quadro 5). Outra possibilidade interessante é alternar atividades coletivas e individuais que garantam a reconstrução do conhecimento de maneira coletiva e colaborativa, a favor da inteligência coletiva do grupo. Observando o quadro 5 é possível perceber atividades individuais em todas as atividades teóricas 1,3,5,7,9,11,13,16,17 e 19, e ainda nas atividades práticas 4, 6, 10 e 14. As atividades coletivas estão dispostas nas atividades 2, 8, 12, 16, 18 e 20. O curso “Sociologia: Cultura, Poder e Cidadania” se fundamenta na concepção pedagógica construtivista. Organizado com metodologias ativas que dão suporte aos cursistas para que possam reconstruir o conhecimento através da autonomia, organizando o seu tempo no contexto da EaD. O aluno deverá perceber que o conhecimento sociológico não são verdades absolutas e imutáveis, pelo contrário, o cursista deverá conscientizar-se enquanto um ser ativo que participa do processo educativo e evolutivo. O questionamento e a postura crítica devem nortear
  31. 31. 31 os estudos, visto que o curso se relaciona com a reflexão sobre a sociedade, suas permanências e transformações, bem como a importância do indivíduo intervir nesse sistema organizado por uma classe social privilegiada de maneira crítica, autônoma e reflexiva, bem como ações que contribuam para as transformações. A concepção construtivista tem como referência Jean Piaget que percebeu através de suas experiências pessoais que o conhecimento se reconstrói através da relação do indivíduo com o meio no qual está inserido e diz: O conhecimento...não pode ser concebido como algo predeterminado nem nas estruturas internas do sujeito, porquanto estas resultam de uma construção efetiva e contínua, nem nas características preexistentes do objeto, uma vez que elas só são conhecidas graças á mediação necessária dessas estruturas, e que essas, ao enquadrá-las, enriquecem- nas. (PIAGET, 2007, p/1). Todas as atividades propostas no mapa de atividades (quadro 5) contribuem para uma postura construtivista dos alunos. Tanto as atividades teóricas quanto as práticas ajudam a desenvolver a autonomia e o questionamento crítico dos alunos acerca do mundo, em constante interação com os seus pares no contexto social no qual estão inseridos. O construtivismo fica evidente nas atividades que envolvem o fórum de discussão (atividades 2, 8, 12 e 16), no qual o conhecimento é reconstruído de maneira coletiva e cooperativa. Uma postura construtivista, também fica evidente na construção da wiki (atividade 18), na qual um grupo de alunos terão que construir um texto coletivo e na elaboração de uma apresentação em power point (atividade 20), construída em pares no google docs. O grau das interações do curso “Sociologia: Cultura, Poder e Cidadania” está garantido pela variedade de mídias utilizadas em sua elaboração como: textos no formato PDF, vídeos, filmes, música e apresentação em power poin (atividades 1, 3, 5, 7, 9, 11, 13, 15, 17 e 19). Os conteúdos do curso são elaborados em arquivos PDF, um formato seguro que evita alterações por terceiros, garantindo a integridade do documento, preservando o arquivo original (atividades 1, 3, 5, 9, 11 e 19). As mídias selecionadas contribuem para uma variedade de estímulos, facilitando o processo de aprendizagem dos alunos de diversos estilos de aprendizagem. Os textos e as apresentações em power point atendem os alunos
  32. 32. 32 com estilo de aprendizagem visual,. Os vídeos e filmes possuem estímulo auditivo e visual. A música atende aos alunos com estilo de aprendizagem auditivo. Assim como cada modalidade de ensino requer o tratamento diferenciado do mesmo conteúdo – de acordo com os alunos, os objetivos a serem alcançados, o espaço e tempo disponível para sua realização – cada um dos suportes midiáticos tem cuidados e formas de tratamento específicas que, ao serem utilizadas, alteram a maneira como se dá e como se faz educação. (KENSKI, 2005, p/2). Há várias formas de assimilar e consolidar o conhecimento, e cada indivíduo utiliza uma forma particular de interação, aceitação e processamento de estímulos na reconstrução do conhecimento. Essas diferentes possibilidades na forma de aprender denomina-se estilos de aprendizagem. Diferentes autores desenvolveram pesquisas acerca dos estilos de aprendizagem, e cada qual apresenta uma concepção diferente. Conhecer o estilo de aprendizagem do aluno é abrir precedentes para a elaboração de estratégias didáticas que seja mais recomendável para que o aluno assimile e consolide o conhecimento de maneira eficaz. No curso "Sociologia: Cultura, Poder e Cidadania" privilegiou o método desenvolvido por Felder e Silverman (1988, p/675) que divide os estilos de aprendizagem em cinco dimensões: visual/verbal, ativo/reflexivo, sensorial/intuitivo, sequencial/global e intuitivo/dedutivo. No mapa de atividades (quadro 5) observa-se os estilos de aprendizagem verbal, visual, reflexivo. ativo e intuitivo. O Mapa de Atividades (quadro 5) desenvolvido para o curso “Sociologia: Cultura, Poder e Cidadania”, foi composto por vinte atividades, sendo dez atividades práticas e dez teóricas. Nas atividades teóricas foram privilegiados os seguintes estilos de aprendizagem de acordo com Felder e Silverman: 1) verbal (os alunos se afinam mais com textos; gostam de ouvir e anotar; aprendem melhor falando ou escrevendo. Atividades 1, 3, 5, 9, 11 e 19). 2) visual (Aprendem melhor vendo; substituem as palavras pelas representações visuais. Atividades 7, 13, 15 e 17). Apesar das atividades teóricas serem constituídas apenas por 2 estilos de aprendizagem, os conteúdos disponibilizados em forma de texto e vídeo, agregam conteúdos suficientes para contribuir com a assimilação e consolidação dos conteúdos por parte dos alunos. As atividades práticas privilegiam os seguintes estilos de aprendizagem:
  33. 33. 33 1) reflexivo (Esses alunos preferem refletir sozinhos e calmamente. Estilo presente em todas as atividades teóricas e atividades 6, 10 e 14); 2) ativo (Esses alunos preferem trabalhar em grupo, assimilam e consolidam o conhecimento a partir da discussão coletiva. Atividades 2, 8, 12, 16, 18 e 20). 3) intuitivo (Esses alunos preferem as descobertas e relações entre os fenômenos ou fatos. Gostam de inovação e não apreciam a repetição. Atividades do quadro 5 que contribuem para esse estilo de aprendizagem. Atividade 4 e 6 –tarefa e cruzadinha. Atividade 10- questionário. Atividade 14- tarefa discursiva. Atividade 18- elaboração de uma wiki. Atividade 20- elaboração de uma apresentação em power point. Na elaboração de um curso na modalidade EaD, a avaliação da aprendizagem torna-se um recurso imprescindível para o processo educativo. Dessa forma é possível detectar o conhecimento prévio do aluno e também acompanhar o seu desenvolvimento na reconstrução do seu conhecimento. O processo avaliativo não deve limitar-se apenas em notas, pelo contrário, está muito além disso, está inserida no processo de ensino e aprendizagem, no qual professores e alunos devem caminhar juntos a favor do bem comum. O processo avaliativo só faz sentido, se os resultados obtidos possibilitam uma reflexão sobre os recursos didáticos e pedagógicos desenvolvidos. (HAYDT, 1988, p/13) Dessa forma, Haydt (1988) divide a avaliação da aprendizagem em três dimensões: diagnosticar (investigar), controlar (acompanhar) e classificar (valorar). Avaliação diagnóstica, formativa e somativa. No mapa de atividades (quadro 5) verifica-se as três formas de avaliação, que se encontram distribuídas pelas atividades práticas do curso "Sociologia: Cultura, Poder e Cidadania". A avaliação diagnóstica é aquela que geralmente acontece no início de qualquer aula, possibilitando ao professor detectar os conhecimentos prévios dos alunos, diagnosticando o nível de conhecimento de cada um e se possuem habilidades e competências para adquirir novos conhecimentos e identificar as dificuldades de aprendizagem. (HAYDT, 1988,p/16-17). No curso "Sociologia: Cultura, Poder e Cidadania" (quadro 5), optou-se em definir como avaliação diagnóstica a atividade 2, que é um fórum de discussão, no qual pretende-se discutir o conceito de cultura, que estará presente em todas as
  34. 34. 34 aulas. Torna-se imprescindível detectar, qual a abrangência de conhecimento dos alunos sobre cultura. Apesar de pontuada, o critério mais relevante a ser considerado é o diagnóstico do conhecimento prévio dos alunos. Outro tipo de avaliação que compõe o mapa de atividades do curso “Sociologia: Cultura, Poder e Cidadania” é a avaliação formativa, que acontece durante o processo de ensino e aprendizagem dos conteúdos, apostando nos recursos pedagógicos que funcionam e repensando acerca daquelas propostas que não atingiram os objetivos e que não fizeram o aluno aprender. Através de atividades que privilegiam a avaliação formativa, o professor detém uma função de controle, que contribui para a verificação de resultados durante o desenvolvimento das atividades. Através desse tipo de avaliação os alunos conhecem os seus acertos e erros e encontram estímulos para encaminhar os estudos de maneira organizada e sistemática. (HAYDT, 1988, p/17-18). No mapa de atividades (quadro 5), algumas atividades práticas se orientam pela avaliação formativa, como os fóruns de discussão (atividades 8, 12 e 16). Através das postagens dos alunos acerca de um tema proposto para o fórum e da interação entre os pares, o professor acompanha o desenvolvimento dos alunos no processo de reconstrução do conhecimento. Esse movimento deverá acontecer ao longo de todas as aulas. A atividade 18, que se define pela elaboração de uma wiki, na qual um grupo de alunos terão que construir um texto coletivo, também caracteriza-se numa avaliação formativa. A partir do texto produzido pelos alunos, o professor poderá detectar o nível de aprendizagem dos mesmos, continuando com a atividade se o resultado for positivo e se for negativo, buscar outras atividades que atendam às expectativas do curso e dos alunos. A elaboração de uma apresentação em power point por um grupo de alunos na atividade 20, também caracteriza-se numa avaliação formativa. O resultado final dessa atividade é uma oportunidade concreta para demonstrar se os alunos consolidaram ou não os conteúdos. O professor poderá verificar a consistência do processo de aprendizagem e a solidez da reconstrução do conhecimento. A avaliação somativa também está presente em algumas atividades práticas do mapa de atividades (quadro 5). A avaliação somativa, tem o caráter valorativo do processo de aprendizagem, de cunho classificatório e que se realiza ao final de um curso, período letivo ou unidade de ensino. É o juízo de valor de acordo com os
  35. 35. 35 níveis de aproveitamento e rendimento alcançado pelos alunos acerca dos conteúdos propostos. (HAYDT, 1988,p/18). No mapa de atividade do curso “Sociologia: Cultura, Poder e Cidadania” (quadro5), as atividades de caráter somativo estão distribuídas ao longo das aulas, não como instrumento punitivo e discriminatório, mas como instrumento de verificação se os alunos estão assimilando e consolidando os conteúdos. Caracterizam-se como avaliação somativa, as tarefas com questões discursivas (atividades 4 e 14) que deverão ser elaboradas pelos alunos individualmente, possibilitando aos mesmos comprovar o nível de conhecimento adquirido. Uma cruzadinha proposta na atividade 6 e um questionário proposto na atividade 10, também são recursos que contribuem para a verificação da eficácia do curso e da proposta didática selecionada. Os resultados obtidos pelas atividades de cunho somativo, não devem ser confundidas com castigo ou sentença, mas deve caracterizar-se numa ferramenta que possibilite o professor, diagnosticar e orientar sua didática e os recursos pedagógicos disponíveis no curso. 2.2.2 Matriz de design instrucional A matriz instrucional apresentada no quadro 6, caracteriza-se num recurso do design instrucional para o curso Sociologia: Cultura, Poder e Cidadania. Pode ser elaborado pelos professores formadores e designer instrucional no planejamento de alguma aula ou atividade que necessite de informações mais detalhadas, definindo estratégias para a implementação das mesmas, principalmente aquelas em que o cursista necessita interagir com o ambiente virtual de aprendizagem, realizando diferentes procedimentos para executarem de maneira autônoma as atividades propostas no curso. Quadro 6 - Matriz de Design Instrucional do curso "Sociologia: Cultura, Poder e Cidadania" Ambiente virtual de aprendizagem: Moodle Curso/disciplina: Sociologia: Cultura, Poder e Cidadania Designer Instrucional: Noe Assunção Identificação da atividade, conforme o Detalhamento da Dinâmica
  36. 36. 36 Mapa de atividades Atividade 20 Título da dinâmica: Elaboração de slides no Power point (ppt)e postagem no slide share Descrição / proposta da dinâmica: Atividade 20: - Após o texto coletivo concluído e postado na atividade 18, o grupo se organizará novamente no fórum do grupo a fim de sintetizar as ideias para a elaboração dos slides de apresentação. - O grupo deverá eleger um líder para as postagens finais e permitir acesso dos colegas no google docs. - O tutor deverá sugerir aos grupos que organizem os slides no google docs, no qual todos os cursistas poderão inserir ou modificar os slides, depois de cadastrados por um líder, que será previamente escolhido pelo grupo. - Concluído a apresentação em slides, o líder deverá postá-lo em algum canal de compartilhamento na web, como por exemplo o slide share. Objetivo(s): - Identificar e contrastar criticamente as diferentes manifestações da violência no contexto social, identificando a sua relação com a invisibilidade das minorias e disputas territoriais nas cidades que contribuem para o processo de exclusão e segregação sócio espacial das cidades, bem como qual tipo de paz se pretende no contexto social. Critérios / avaliação: Atividade 20: - Competência em organizar a dinâmica do grupo, no que se refere a elaboração dos slides, fora da plataforma do curso, como por exemplo no google docs. - Poder de síntese, organização das ideias e domínio dos conteúdos. Tipo de interação: Atividade 20: Em grupo Prazo: Atividade 20: 7 dias Ferramenta(s): Fórum, wiki, power point e slide share. Produção dos alunos / avaliação: - Atividade 20: Produção coletiva, sob liderança de um cursista eleito pelo grupo, da apresentação de slides abarcando a síntese do texto. Feedback: - Atividade 20: 7 dias após o encerramento do prazo estabelecido, publicação no site de compartilhamento. Através da matriz de design instrucional é possível definir quais as atividades teóricas e práticas que serão selecionadas a fim de atender os objetos propostos na elaboração do curso. Na matriz é importante relacionar todo o conteúdo pertinente ao curso e objetos de aprendizagem que serão necessários para compor e atender as atividades teóricas e práticas do mesmo. Ao selecionar os objetos de aprendizagem que irão compor as dinâmicas pedagógicas do curso, faz-se necessário observar quais serão os níveis de interação entre os atores envolvidos e os conteúdos selecionados, bem como o tipo
  37. 37. 37 de ambiente virtual de aprendizagem será necessário para a otimização das atividades. (FILATRO, 2008, p/44) A matriz de design instrucional caracteriza-se como instrumento de comunicação que auxilia no diálogo entre os atores envolvidos na elaboração de um curso em EaD e outros atores que não participam dessa etapa como: cursistas, clientes e outros. Tem como princípio básico detalhar as atividades teóricas e práticas que compõem uma determinada atividade virtual, tornando-a motivadora. A motivação e a autonomia dos cursistas são desafios importantes para a equipe multidisciplinar de um curso de EaD, visto que essa equipe tem que criar possibilidades e estratégias para que uma atividade seja bem compreendida pelos cursistas no AVA. A matriz clareia a proposta de uma atividade sugerida e que não esteja clara no mapa de atividades. É importante que a dúvida não seja uma constante num curso de EaD, visto que a distância pode comprometer um feedback rápido ou simultâneo entre cursistas e equipe multidisciplinar, acarretando prejuízos educacionais para os envolvidos. Atividades bem detalhadas através da matriz de design instrucional promovem a segurança dos cursistas, visto que estão sozinhos no AVA e não contam com o apoio dos colegas e professores em tempo real, comum num curso presencial. Para uma melhor compreensão de como elaborar uma matriz instrucional de um curso na modalidade EaD, algumas informações básicas tornam-se necessárias,como: identificação da aula ou atividade que merece ser detalhada (Identificação da atividade); explicação detalhada sobre como será a dinâmica, bem como o nome da mesma (Descrição/proposta da dinâmica); objetivos de aprendizagem das atividades teóricas e práticas e ainda a definição dos critérios de avaliação (Objetivos); definição se as atividades serão individual, dupla ou em grupo (Tipo de interação); organização dos prazos para a conclusão e entrega das tarefas, considerando a flexibilidade do tempo de acordo com a complexidade das tarefas (Prazo); definição das ferramentas que serão disponibilizadas aos cursistas para a realização das atividades, considerando que atividades mais complexas, sugere-se diferentes ferramentas (Ferramenta); indicação dos conteúdos que servirão de aporte teórico na execução das atividades, de preferência que estejam disponíveis no AVA ( Conteúdos de apoio e complementares); definição do produto final que se espera dos cursistas no final das atividades, bem como os critérios de avaliação do
  38. 38. 38 mesmo (Produção dos alunos/avaliação); avaliação somativa e feedback das atividades executadas pelos cursistas (Feedback). (FRANCO, 2011, p/166) Todos os critérios estabelecidos por Franco foram utilizados na matriz do curso "Sociologia: Cultura, Poder e Cidadania". A escolha da atividade 20, da aula 4 do curso acima descrito, justifica-se por considerá-la complexa com três tipos de ações distintas e que devem ser bem explicadas, a fim de dirimir quaisquer dúvidas na sua execução pelos cursistas. Foram selecionados um fórum de discussão, a construção de uma wiki, a elaboração de slides no Power point e a publicação dos mesmos na web, em sítios da internet de caráter colaborativo e gratuito como o slide share. 2.2.3 Storyboard O storyboard (SB) é um recurso de design instrucional que se caracteriza numa importante ferramenta para a equipe de produção, que de maneira detalhada, organiza as informações que serão apresentadas acerca de algum objeto de aprendizagem. De acordo com Filatro (2008), o SB tem como princípio esclarecer à equipe de produção, as propostas para a organização do conteúdo que servirão de base, para a elaboração do produto final que será disponibilizado no AVA de um curso na modalidade EaD. O storyboard ao estruturar-se enquanto organizador prévio das informações de um programa de EaD, apresentação de uma aula com templates, layout de um curso ou outro elemento que compõe a estrutura de um curso na modalidade EaD, deverá privilegiar a conexão e interação entre, imagens, instruções de programação, conteúdos e navegação, tornando o rascunho um processo enriquecedor e desafiador. Acerca do storyboard Filatro ( 2008,p/58-59) diz: No aprendizado eletrônico, podemos usar roteiros ou storyboards para especificar detalhadamente os conteúdos de um curso (na forma de textos, imagens e sons), as orientações de atividades propostas, os diálogos dos personagens (se houver) e as falas em off (aquelas em que a pessoa que narra não aparecem no vídeo ou animação) determinando a seqüência em que eles serão exibidos no produto final. Se for
  39. 39. 39 necessário criar cenários, eles também são detalhados no documento de especificação. No storyboard do curso "Sociologia: Cultura, Poder e Cidadania”(figuras 1 a 3) optou-se em elaborá-los através de templates do Power point. Trata-se do esboço da atividade 9, inserida na aula 2 na qual pretende-se reconstruir o conhecimento acerca dos conceitos de Estado e Poder. O storyboard representado nas figuras 1 a 3, explica detalhadamente para a equipe de produção envolvida no design instrucional do curso “Sociologia: Cultura, Poder e Cidadania”, aquilo que se espera do OA (Objeto de Aprendizagem) que será o produto final resultante das informações colhidas através do SB em voga . Um OA é um recurso digital que possibilita o aluno realizar experimentos, simular possibilidades e reconstruir o conhecimento de maneira autônoma e que sirva de apoio para o processo próprio de aprendizagem dos conteúdos. Percebe-se nas figuras 1 a 3 que uma equipe multidisciplinar foi mobilizada com a finalidade de estabelecer a troca de ideias, reflexão e cuidado na construção do OA pretendido. No OA (figuras 1 a 3) pretende-se desenvolver nos alunos competências e habilidades para a formação de uma consciência reflexiva sobre o conceito de Estado, relacionando-o com outro conceito sociológico importante que é o de Poder. Através desse OA de cunho teórico, o aluno poderá reconstruir novos significados para o conceito em voga, definindo seu próprio sentido da realidade em consonância com as suas experiências individuais e sociais.
  40. 40. 40 Figura 1 - Storyboard da aula 2, tela 01, do curso "Sociologia: Cultura, Poder e Cidadania". Figura 2 - Storyboard da aula 2, tela 02, do curso "Sociologia: Cultura, Poder e Cidadania".
  41. 41. 41 Figura 3 - Storyboard da aula 2, tela 03, do curso "Sociologia: Cultura, Poder e Cidadania". O SB (figuras 1 a 3), atendem às expectativas de um OA na medida em que estabelece uma sequência lógica dos tópicos, poucas informações, porém significativas e explicativas, cores, animações e aporte teórico, importantes para o processo de ensino e aprendizagem dos conteúdos. (TAVARES,2004, p/55) O planejamento de um OA, realizado através de um SB (figuras 1 a 3), descreverá, em detalhes, o que cada membro da equipe de produção deverá realizar. Nas figuras 1 a 3 observa-se a mobilização do professor formador, ilustrador, web designer, designer instrucional e pedagogo. Apesar da economia de efeitos e detalhes sofisticados, o SB desenvolvido para a atividade 9, da aula 2 do curso “Sociologia: Cultura, Poder e Cidadania” (figuras 1 a 3), apresentam todo o detalhamento necessário ao produto final do OA. A figura 1 esboça o slide de apresentação do OA com informações importantes sobre a instituição mantenedora do curso, nome do curso e do professor formador, além de uma imagem expressiva que represente o conteúdo do OA. Na figura 2 a exigência de inserir a imagem do autor ao lado da descrição do seu conceito,
  42. 42. 42 propicia ao aluno sintetizar e consolidar o conhecimento sobre o conteúdo. Na figura 3, a construção de um diagrama sintetizando as três formas de dominação, conduzirá o aluno a reconstruir o conhecimento, a partir das experiências individuais e sociais com os teóricos selecionados para esse OA. Um OA deve possibilitar habilidades e competências ao aluno para que ele reconstrua conhecimentos acerca do que ele está estudando. Dessa maneira o OA deve ter uma organização didática consistente, para que os saberes prévios dos educandos sejam absorvidos, aproximando-o cada vez mais de uma aprendizagem significativa. (TAVARES, 2004, p/60) 2.3 DIFERENCIAIS E RISCOS DO PROJETO Observa-se no curso “Sociologia: Cultura, Poder e Cidadania”, uma gama de aspectos positivos que pretendem contribuir para o sucesso do mesmo. Inicia pela necessidade dos cursistas do ensino médio regular da SEEDUC-RJ, público alvo deste projeto, de desenvolverem habilidades e competências no que se refere à leitura crítica do mundo, tornando-os sujeitos das suas histórias. Outro aspecto positivo é a reflexão e o questionamento acerca da sociedade em todas as suas dimensões, propondo ações de transformação das permanências e continuidades dos problemas sociais que circundam pelo nosso cotidiano. Por fim, esse curso contribui para o desenvolvimento do raciocínio sociológico, desnaturalizando os problemas sociais, estranhando o familiar e o banal. Os aspectos positivos para o sucesso do curso em voga, perpassam pelo seu desenvolvimento (elaboração do curso dentro do ambiente), execução (aplicação do curso) e avaliação (da qualidade do curso). Uma equipe multidisciplinar, selecionada pela SEEDUC-RJ, se encarregará do desenvolvimento e implementação do curso no portal da instituição. O curso se organizará na plataforma Moodle, que se caracteriza num ambiente virtual de aprendizagem de fácil manuseio, que se estrutura num eficiente instrumento a favor da educação a distância. Esse AVA se constitui em vantagem, na medida em que os atores envolvidos podem assimilar e consolidar conhecimento através de atividades
  43. 43. 43 teóricas e práticas como: fóruns de discussão, tarefas, wiki, elaboração de slides e sua publicação em sítios da internet de compartilhamento, A aplicação do curso ocorrerá concomitante com as aulas presenciais de sociologia do terceiro ano do ensino médio, no período de quatro semanas equivalentes ao segundo bimestre do currículo mínimo proposto pela SEEDUC RJ. A qualidade do curso estará garantida primeiramente pelo conhecimento ímpar dos profissionais envolvidos, tanto no âmbito prático e teórico das suas práticas pedagógicas. O cursista contará ainda com o ambiente virtual de aprendizagem alocado no sítio da SEEDUC RJ, que é constantemente atualizado para que os processos que envolvem um curso na modalidade a distância ocorram dentro da normalidade. Apesar da sólida estrutura de uma instituição pública como a SEEDUC-RJ, o curso “Sociologia: Cultura, Poder e Cidadania” está sujeito a riscos ao longo do seu desenvolvimento. Inicialmente o curso limitou o seu público alvo entre os alunos do terceiro ano do ensino médio regular, de uma determinada unidade escolar que compõe a SEEDUC-RJ. Porém não havendo interesse dos referidos alunos ou o número de inscritos seja inferior a 10 cursistas, o curso deverá se estender aos primeiros e segundos anos do ensino médio regular da mesma unidade escolar. Durante o processo seletivo dos profissionais que irão compor a equipe do curso, a SEEDUC-RJ deverá cadastrar todos os selecionados, mesmo aqueles além das vagas disponíveis, a fim de compor um quadro de reserva para possíveis rompimentos ou substituições da equipe ao longo do desenvolvimento do curso. Dessa maneira, transtornos e atropelos que poderão comprometer a qualidade do curso, bem como o processo de ensino e aprendizagem dos conteúdos, poderão ser evitados. Os aspectos tecnológicos e de infraestrutura para a implementação do curso serão de responsabilidade da coordenação tecnológica da SEEDUC-RJ, que organizará o núcleo de educação a distância na sala de informática da escola que irá sediar o projeto. Os possíveis problemas pode ser a baixa velocidade da internet e poucos computadores disponíveis para o atendimento aos cursistas, que poderão ser sanados pela substituição de um servidor de internet que atenda às expectativas do curso e a compra ou empréstimos de computadores de outras unidades que não são utilizados.
  44. 44. 44 Por tratar-se de um curso mantido por uma instituição pública de ensino o orçamento foi elaborado de maneira enxuta, a fim de atender à demanda dos interessados. Os ganhos neste caso é a possível melhoria no processo de ensino e aprendizagem dos conteúdos de sociologia dos cursistas do ensino médio regular.
  45. 45. 45 CONSIDERAÇÕES FINAIS Ao trazer à luz da discussão a possibilidade de associar um curso na modalidade a distância, enquanto suporte pedagógico, para as aulas presenciais de sociologia, a instituição mantenedora de um projeto como o descrito nesta monografia, abre novas possibilidades na reconstrução do conhecimento de caráter compartilhado e cooperativo entre os atores e seus pares. Nesse contexto, uma instituição escolar que acolhe um projeto no qual o aluno possa reconstruir o conhecimento tanto presencialmente quanto num ambiente virtual de aprendizagem, poderá provocar mudanças relevantes no seu processo de ensino e aprendizagem. Na perspectiva de um curso presencial associado a um curso em EaD, pode ser a revolução preconizada por Moran, na qual o ensino e a aprendizagem poderão se desenvolver num processo cooperativo entre setores internos e externos das instituições escolares A EaD não será a redentora de todos os males da educação, principalmente se articuladas individualmente no cotidiano escolar. Faz-se necessário uma formação continuada dos profissionais, a fim de que sejam habilitados a reconhecer a sua importância e manuseio das novas técnicas, a favor do processo de ensino e aprendizagem.
  46. 46. 46 REFERÊNCIAS BARRETO, Raquel Goulart. (org.).Tecnologias educacionais e educação a distância. Rio de Janeiro: Quartet, 2004. FELDER, R. M. SILVERMAN, L.K. Learning and teaching styles in engineering education. Engineering Education, V.78, Nº7, 1988. Disponível: www4.ncsu.edu/unity/lockers/users/f/.../LS-1988.pdf FILATRO, Andréa. Design Instrucional na Prática. São Paulo: Pearson Education do Brasil, 2008. FRANCO, Lucia Regina Horta; BRAGA, Dilma Bustamante; RODRIGUES, Alessandra (2011). EaD Virtual: Entre Teoria e Prática. 2ª ed. Assis: Triunfal Gráfica e Editora, 2011. 166 p. HAYDT, R. C. C. Avaliação do processo ensino-aprendizagem. São Paulo: Ática, 1988. KENSKI, Vani M. Educação e Tecnologia. O novo ritmo da informação. São Paulo: Papirus, 2003. Disponível: http://books.google.com.br/books? id=ncTG4el0Sk0C&printsec=frontcover&hl=pt- BR&source=gbs_ge_summary_r&cad=0#v=onepage&q&f=false LEVY, Pierre. Internet e escola de mãos dadas. Gestão Educacional. Curitiba- PR, 12 de abril de 2013. Entrevista à Dulce Mesquita. Disponível: http://www.gestaoeducacional.com.br/index.php/reportagens/entrevistas/115- internet-e-escola-de-maos-dadas MORAN, José Manuel; MASETTO, Marcos T.; BEHRENS, Marilda Aparecida. Novas tecnologias e mediação pedagógica. Campinas : Papirus, 2000. Disponível: www.adidatica.com.br/arquivos/MORAN.doc PIAGET, Jean. Epistemologia genética. Tradução de Álvaro Cabral. 3. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2007. TAVARES, Romero. Aprendizagem significativa. Conceitos (João Pessoa), João Pessoa-PB,v.10, 2004.

×