CONTRA A VIOLÊNCIA, EU MOSTRO A MINHA CARA

539 visualizações

Publicada em

Projeto desenvolvido pelo prof. Noe Assunção (Sociologia - SEEDUC RJ) para o 3º ano do ensino médio do Colégio Estadual Roselândia e Iracema Nader- Barra Mansa - RJ.

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
539
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
17
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

CONTRA A VIOLÊNCIA, EU MOSTRO A MINHA CARA

  1. 1. Violência contra a mulher Violência de gênero Violência simbólica Violência contra crianças Prof. Noe Assunção – Especialista em Gênero e diversidade na Escola - UERJ Módulo: Sociologia Colégio Estadual Roselândia Colégio Estadual Iracema Nader Barra Mansa - RJ Aula 1
  2. 2. Exibir o vídeo “try” da Pink - legendado
  3. 3. A Organização Mundial da Saúde (OMS) define como violência o uso intencional da força física, poder, real ou sob forma de ameaça contra si próprio, contra outra pessoa, grupo ou comunidade, que resulte ou tenha grande possibilidade de resultar em lesão, morte, dano psicológico, deficiência de desenvolvimento ou privação de liberdade.
  4. 4. Dentre as diversas modalidades de violência, a doméstica é uma realidade nos lares e independe de classe social, sexo, crenças e preceitos religiosos. A violência contra a mulher pode ser considerada a mais praticada e a menos reconhecida, sendo um problema de saúde pública tão sério quanto o suicídio ou o homicídio, acarretando sofrimento e danos físicos, além de construir uma violação de direitos
  5. 5. - O medo - Falta de apoio - Dependência econômica - Vergonha - Maternidade - Risco de morte - Sociedade machista Dissertação de Mestrado : Enfrentamento da violência doméstica por um grupo de mulheres após a denúncia - Eriza de Oliveira Parente - UNIFOR
  6. 6. - Apoio da família e dos amigos - Lei Maria da Penha - Centros de proteção - Disque denúncia - Deus Exibir o vídeo Canto de cicatriz Exibir o vídeo Lei da Mulher
  7. 7. Algumas provocações -Será que culpar a vítima tem alguma relação com a nossa sociedade machista? - Educação pode modificar essa realidade? Como? - Por que tantas mulheres ainda não denunciam os seus agressores? - Qual a importância da lei Maria da Penha para o contexto da violência contra as mulheres? Só a lei basta? - “Ela não reclama por que gosta”. Esse discurso machista contribui para a perpetuação e legitimação da violência contra a mulher? - Em vários depoimentos, vimos que a vergonha é um grande obstáculo, para que vítimas de violência sejam identificadas e assistidas. Por que dessa vergonha?
  8. 8. Violência contra a mulher Prof. Noe Assunção – Especialista em Gênero e diversidade na Escola - UERJ Módulo: Sociologia Aula 2 OFICINA DA CRIAÇÃO DA IMAGEM
  9. 9. Atividade em grupo Diante do exposto, vimos que a violência contra as mulheres se manifesta de várias maneiras e muitas vezes a vítima não denuncia o seu agressor por vários motivos. Organizem-se em grupos e elabore uma maneira de manifestar contra esse tipo de violência através de uma foto de um componente do grupo. O escolhido deverá ser produzido com maquiagem, tintas, adereços, roupas ou outros acessórios que deixe claro através da imagem a repulsa do grupo contra esse tipo de violência contra as mulheres. Use e abuse da criatividade.
  10. 10. A violência destrói o que ela deveria defender, a dignidade da vida, a liberdade do ser humano.
  11. 11. Referências • Dissertação de Mestrado : Enfrentamento da violência doméstica por um grupo de mulheres após a denúncia - Eriza de Oliveira Parente - UNIFOR • http://www.unisc.br/portal/upload/com_arquivo/1349810800.pdf

×