Psicologia do Esporte

8.928 visualizações

Publicada em

Psicologia do Esporte (PESP). Trabalho apresentado por Alexandre J. Bernardo no PEXP 2008 - História da Análise do Comportamento

0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
8.928
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
129
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
233
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Psicologia do Esporte

  1. 1. Psicologia do Esporte (PESP) Alexandre J. Bernardo Programa de Estudos Pós-graduados em Psicologia Experimental: Análise do Comportamento História da Análise do Comportamento Prof. Roberto Banaco
  2. 2. Origem e Desenvolvimento <ul><li>Brent Rushall & Daryl Siedentop (1972) </li></ul><ul><ul><li>The development and control of behavior in sport and physical education </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Ref.: operante </li></ul></ul></ul><ul><li>Rushall & Pettinger (1969) </li></ul><ul><ul><li>Pesquisa: Diferentes contingências de reforçamento sobre a quantidade de nado </li></ul></ul>
  3. 3. Origem e Desenvolvimento <ul><li>Ron Smith & Frank Smoll – década 70 </li></ul><ul><ul><li>Avaliações e intervenções comportamentais em esportes juvenis </li></ul></ul><ul><li>Anos 70 e 80 </li></ul><ul><ul><li>Pesquisas: sugestões para treinadores, relatos de casos com dados anteriores e posteriores, delineamento de sujeitos únicos, analise skinneriana de contingências que promovem ou dificultam a participação nos esportes </li></ul></ul>
  4. 4. Origem e Desenvolvimento <ul><li>Décadas de 60 </li></ul><ul><ul><li>International Society of Sport Psychology </li></ul></ul><ul><ul><li>North American Society for the Psychology of Sport and Physical </li></ul></ul><ul><ul><li>Canadian Society for Psychomotor Learning and Sport Psychology </li></ul></ul>
  5. 5. Origem e Desenvolvimento <ul><li>Décadas de 70 </li></ul><ul><ul><li>Journal of Sport Psychology – Journal of Sport and Exercise Psychology </li></ul></ul><ul><ul><li>The Sport Psyhcologist </li></ul></ul><ul><ul><li>Journal of Applied Sport Psychology </li></ul></ul>
  6. 6. Psicologia do Esporte no Brasil <ul><li>Primeiros trabalhos </li></ul><ul><ul><li>Década de 50: João Carvalhaes – SPFC e seleção brasileira de futebol (1958) </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>1974: Psicologia do Futebol </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>Athayde Ribeiro da Silva – seleção brasileira de futebol (1962) </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Futebol e Psicologia – Parceria com Emilio Mira </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>1979 – criação da SOBRAPE </li></ul></ul>
  7. 7. Psicologia do Esporte no Brasil <ul><li>Meio de divulgação: anais de eventos científicos </li></ul><ul><li>Temas: </li></ul><ul><ul><li>Agressividade </li></ul></ul><ul><ul><li>Estresse </li></ul></ul><ul><ul><li>Comportamento de treinadores </li></ul></ul><ul><ul><li>ansiedade </li></ul></ul>
  8. 8. AC & Esporte <ul><li>“ Pode-se dizer que a aproximação entre a análise do comportamento e o esporte pode ter sido facilitada por alguns fatores relacionados à semelhanças tanto na mensuração como na manipulação de comportamentos. Como se a folha de registro do analista do comportamento estivesse para o scout utilizado pelo técnico para avaliar o desempenho de seus atletas.” </li></ul><ul><li>Cillo, 2002 </li></ul>
  9. 9. Principais Áreas <ul><li>Aprendizagem motora; </li></ul><ul><li>Desenvolvimento de habilidades; </li></ul><ul><li>Motivação para o treinamento; </li></ul><ul><li>Persistência nos treinos; </li></ul><ul><li>Liderança e dinâmica de grupo e times; </li></ul><ul><li>Treinamento mental para melhora de desempenho; </li></ul><ul><li>Abuso de drogas, fadiga e recuperação de lesões; </li></ul><ul><li>Agressão e diferenças de gênero; </li></ul>
  10. 10. Campos de Atuação <ul><li>De acordo com Scala (2000) podemos dividir a atuação junto ao esporte em quatro campos específicos: alto-rendimento; educacional; recreação ou tempo livre; e reabilitação. </li></ul>
  11. 11. Campos de Atuação <ul><li>Esporte de alto-rendimento - aquele que envolve competição e tem como objetivos a superação de marcas ou índices e a obtenção de títulos. Envolve organizações (FIFA, CBF no futebol) </li></ul><ul><ul><li>O analista realiza: análise do desempenho esportivo e das variáveis das quais é função e, a procura pela melhoria deste desempenho. </li></ul></ul>
  12. 12. Campos de Atuação <ul><li>Esporte educacional - atividade física escolar, projetos sociais que utilizem o esporte como metodologia de ensino. </li></ul><ul><ul><li>A atividade física pode ser utilizada para ensinar repertórios comportamentais de cuidados com a saúde, discriminação de estados internos e de socialização. </li></ul></ul>
  13. 13. Campos de Atuação <ul><li>Esporte de reabilitação - trabalho com pacientes hospitalizados ou em recuperação que necessitem de um suporte para resgatar uma condição perdida após um acidente, lesão ou doença temporária; trabalho voltado para uma readaptação de determinados sujeitos; </li></ul><ul><ul><li>O trabalho do analista envolverá atletas lesionados ou a população em geral, sempre buscando a adesão dos sujeitos ao tratamento. </li></ul></ul>
  14. 14. Campos de Atuação <ul><li>Esporte de recreação ou tempo livre - é aquele cujas atividades estão destinadas à população como um todo. </li></ul><ul><ul><li>O trabalho com a finalidade de planejar e executar projetos do governo, ou de instituições privadas, cujos objetivos são disponibilizar recursos humanos e materiais para que a população participe de atividades de lazer em espaços públicos. </li></ul></ul>
  15. 15. Técnicas Freqüentes <ul><li>Para Scala (2000) </li></ul><ul><ul><li>estabelecimento de metas; </li></ul></ul><ul><ul><li>prática encoberta; </li></ul></ul><ul><ul><li>auto-fala; </li></ul></ul><ul><ul><li>Relaxamento; </li></ul></ul>
  16. 16. Técnicas Freqüentes <ul><li>Estabelecimento de metas; </li></ul><ul><ul><li>Consiste em um rearranjo de contingências na medida em que se percebe que as metas anteriormente estabelecidas possuem poucas chances de serem alcançadas. </li></ul></ul><ul><ul><li>Busca-se estabelecer metas graduais, para as quais direcionam-se comportamentos que possam produzir reforçadores. </li></ul></ul>
  17. 17. Técnicas Freqüentes <ul><li>Prática Encoberta </li></ul><ul><ul><li>Treinamento através da imaginação a qual permite executar e corrigir desempenhos que em competições não tenham gerado bons resultados. </li></ul></ul><ul><ul><li>Elabora-se um roteiro para o atleta seguir de modo que ele possa “ver e rever” seu desempenho preparando-se para situações inusitadas e/ou aprendendo a ficar sob controle de estímulos relevantes na hora da performance. </li></ul></ul>
  18. 18. Técnicas Freqüentes <ul><li>Relaxamentos </li></ul><ul><ul><li>Produção (eliciação) de estados internos contrários ao excesso de tensão até para discriminação de níveis de ativação, contração e relaxamento muscular apropriados a desempenhos específicos. </li></ul></ul>
  19. 19. Técnicas Freqüentes <ul><li>Autoconversação </li></ul><ul><ul><li>Grande parte de nossos pensamentos é constituída de coisas que dizemos a nós mesmos </li></ul></ul><ul><ul><li>utilizada no auxílio da melhora de concentração (ficar sob controle de estimulação relevante) ou para o controle emocional (palavras pareadas com estímulos incondicionados eliciadores de estados específicos). </li></ul></ul>
  20. 20. Técnicas Freqüentes <ul><li>Autoconversação </li></ul><ul><ul><li>Condicionamento respondente com um CS para o relaxamento </li></ul></ul>
  21. 21. Exemplo de poluição teórica <ul><li>Análise do Comportamento </li></ul><ul><li>X </li></ul><ul><li>Psicologia Cognitiva </li></ul>
  22. 22. PSICOLOGIA DO ESPORTE Treinamento Mental Estabelecimento de Objetivos Regulação por Autoconversação Ensaio com imagens Mentais-visualização Exemplo
  23. 23. Estabelecimento de Objetivos Nível de Desempenho Comportamento governado por regra Regra: Afirmação de que um dado Comportamento trará um bom Resultado numa dada situação Exemplo
  24. 24. Estabelecimento de Objetivos Nível de Desempenho Comportamento governado por regra Objetivo identifica um comportamento Específico a ser executado, As circunstâncias e as Conseqüências Exemplo
  25. 25. Referências Bibliográficas <ul><li>Cillo, E. N. P. Psicologia do esporte: conceitos aplicados à partir da Análise do Comportamento. In: Teixeira, A.M.S.(org.) Ciência do Comportamento: conhecer e avançar, volume 1, ESETec, Santo André/SP, 2002, 119-137 </li></ul><ul><li>Eliotério, E.C.P. (2007). Avaliação da efetividade de um programa de orientação comportamental para treinadores de futebol com uso de manual ilustrado. Dissertação de mestrado, Universidade Estadual de Londrina, Londrina, Brasil. </li></ul><ul><li>Martin, G. & Tkachuk, G.A. Psicologia Comportamental do Esporte in: J. Austin e J.E.Carr (eds.) Behavioral Sport Psychology:Handbook of Applied Behavior Analysis. Reno, NV: Context Press, 2001. </li></ul><ul><li>Scala, C.T. (2000). Proposta de intervenção em psicologia do esporte. Revista Brasileira de terapia comportamental e cognitiva . Volume 2, número 1, 53-59. </li></ul>

×