Manual serviã‡os laser 150 v1

1.388 visualizações

Publicada em

motos

Publicada em: Indústria automotiva
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.388
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
27
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Manual serviã‡os laser 150 v1

  1. 1. Laser 150 MANUAL DE SERVIÇOS
  2. 2. Este Manual de Serviços descreve os procedimentos de manutenção para a mo- toneta LASER 150. Para assegurar o perfeito funcionamento da motoneta, verifique periodicamente os itens de segurança. O item “Informações de serviços” refere-se à motoneta em geral, os itens subse- qüentes referem-se à montagem, desmontagem e pontos de verificação de partes e sistemas específicos, que estão agrupados em motor, chassi e sistema elétrico. As informações, ilustrações e especificações contidas neste manual podem sofrer alterações sem prévio aviso. Nenhuma parte deste manual pode ser reproduzida sem autorização expressa e por escrito da DAFRA DA AMAZÔNIA. Atenção Este Manual de Serviços foi elaborado pela DAFRA DA AMAZÔNIA INDÚSTRIA E COMÉRCIO DE MOTOCICLETAS LTDA., para uso exclusivo de sua rede de concessionárias e assistências técni- cas autorizadas, e por reparadores qualificados. Para o entendimento do Manual de Serviços o reparador necessita ter formação profissional e conhecimentos específicos em mecânica e manutenção de motocicletas: qualquer tentativa de re- paro ou serviço por pessoas sem as qualificações mínimas de formação poderá resultar em aciden- te grave não só para quem está examinando o veículo, como para alguém que esteja simplesmente observando. A redução nos níveis de segurança ou dificuldades no uso do produto pode até ocasio- nar a morte do condutor. Laser 150 Apresentação
  3. 3. Laser 150 Índice geralLaser 150 Índice geral Informações de serviços............. 5 Recomendações gerais de segurança­­ Regras gerais para realização de serviços Identificação Especificações técnicas Torque Símbolos Passagem de cabos e fiação Chassi............................................................ 12 Carenagens e afins Carenagem frontal Carenagem inferior central Carenagem traseira Pára-lama dianteiro Pára-lama traseiro superior Remoção do guidão Trava do banco Roda e freio dianteiros Remoção da roda Inspeção da roda dianteira Substituição dos rolamentos Remoção e inspeção do disco de freio Remoção das pastilhas de freio Inspeção das pastilhas de freio Instalação das pastilhas Troca do fluido de freio/sangria Substituição do cilindro mestre Suspensão dianteira Remoção da suspensão dianteira Inspeção da suspensão Troca de óleo da suspensão Roda e freio traseiros Remoção da roda Inspeção da roda traseira Remoção do freio traseiro Inspeção do freio traseiro Instalação Regulagem do manete do freio traseiro Suspensão traseira Remoção dos amortecedores Inspeção dos amortecedores Remoção do braço traseiro Inspeção do braço traseiro Motor.............................................................. 40 Sistema de alimentação Remoção do filtro de ar Inspeção do filtro de ar Remoção do carburador Limpeza e inspeção do carburador Montagem do carburador Verificação da válvula de combustível Regulagem da marcha lenta
  4. 4. Laser 150 Índice geral Manutenção Remoção do motor Desmontagem do motor Inspeção do cabeçote Eixo de comando Corrente de comando Tensionador da corrente de comando Guias da corrente de comando Sede de válvulas Retífica da sede de válvulas Válvulas e guias Molas das válvulas Cilindro e Pistão Bomba de óleo Virabrequim Pedal de partida Embreagem secundária Sapata da embreagem Correia “V” Roletes da polia primária Embreagem de partida Sistema de transmissão Carcaça do motor Regulagem das válvulas Montagem do motor Virabrequim e Carcaça Bomba de óleo Rotor e estator Sistema de partida Transmissão Pedal de partida Embreagem primária, secundária e Correia Cilindro e Pistão Cabeçote Carenagens do motor Troca de óleo do motor Troca do óleo da transmissão Sistema elétrico................................... 84 Sinalização Remoção do conjunto do farol Substituição das lâmpadas do farol Remoção do pisca dianteiro Substituição da lâmpada do pisca dianteiro Remoção do pisca traseiro Substituição da lâmpada do pisca traseiro Remoção da lanterna traseira Substituição da lâmpada da lanterna traseira Substituição da lâmpada da lanterna dianteira Substituição do painel de instrumentos Buzina Contato de ignição Relé de pisca Bateria Remoção da bateria Inspeção na bateria Carga na bateria Sistema de partida Relé de partida Inspeção do relé de partida Substituição do motor de partida Sistema de ignição C.D.I. Inspeção no C.D.I. Vela de ignição Inspeção da vela de ignição Supressor da vela Bobina de ignição
  5. 5. Laser 150 Recomendações gerais de segurança­­.............. 6 Regras gerais para a realização de serviços........ 6 Identificação................................................. 7 Especificações técnicas.................................. 7 Torque......................................................... 9 Símbolos..................................................... 10 Passagem de cabos e fiação............................ 11 Informações de serviços
  6. 6. Laser 150 Informações de serviços RECOMENDAÇÕES GERAIS DE SEGURANÇA Atenção! Nunca deixe o motor em funcionamento, por muito tempo, em locais fechados ou mal ventilados. O escape contém monóxido de carbono, que é um gás venenoso. O eletrólito de bateria contém ácido sulfúrico. Proteja os olhos, a pele e a roupa. Em caso de contato, lave a área atin- gida com bastante água e procure assistência médica. O eletrólito deve ser guardado em local seguro principalmente fora do alcance de crianças. A gasolina é inflamável e explosiva. Portanto, não fume em local de trabalho e mantenha o combustível afastado de chamas ou fagulhas. Trabalhe sempre em local bem ventilado. O óleo que é retirado do motor, na hora da troca, pode causar câncer se permanecer em contato com a pele por um longo período.Apesar de esse perigo só ocorrer com o manuseio diário do produto, lave bem as mãos utilizando sabão e água, logo após o manuseio. Descarte o óleo usado observando atentamente as regras que protegem o meio ambiente: coloque-o em um recipien- te vedado e direcione-o ao posto de reciclagem mais próximo. De forma alguma descarte-o jogando no solo ou na rede de esgotos. REGRAS GERAIS PARA A REALIZAÇÃO DE SERVIÇOS 1. Utilize apenas peças e lubrificantes recomendados pela DAFRA. 2. Utilize ferramentas adequadas para cada situação. 3. Sempre substitua juntas, anéis O-rings, grampos e cupilha durante a remontagem de conjuntos. 4. Quando apertar parafusos e porcas inicie pelos de maior diâmetro ou pelos parafusos internos. Aperte com o torque especificado: em seqüência diagonal e cruzada. 5. Utilize somente parafusos e porcas em milímetros. Não utilize roscas em polegadas. 6. Antes de efetuar qualquer medição, lave as peças e passe ar comprimido para retirar qualquer vestígio do solvente utilizado na limpeza. Lubrifique-as com óleo quando for montá-las novamente. 7. Utilize graxa recomendada pela DAFRA para lubrificar as peças. 8. Após a remontagem, verifique a movimentação das peças e os torques aplicados.
  7. 7. Laser 150 Informações de serviços IDENTIFICAÇÃO Número do chassi Localizado dentro do porta-objetos, retirando-se a tampa lateral. Número do motor Localizado do lado esquerdo, próximo ao bujão de drenagem de óleo. ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS Dimensões Comprimento total 1.980 mm Largura total 665 mm Altura total 1.230 mm Distância entre eixos 1.400 mm Altura do assento 920 mm Altura mínima do solo 136 mm Peso (seco) 120 kg Peso em ordem de marcha 123 kg     Chassi Tipo Monobloco Pneu dianteiro 130/60 – 13 Pneu traseiro 130/60 – 13 Pressão dos pneus (somente o condutor)   dianteiro 22 PSI traseiro 25 PSI Pressão dos pneus (condutor mais garupa)   dianteiro 24 PSI traseiro 29 PSI Freio dianteiro disco, hidráulico Freio traseiro expansão interna, mecânico Capacidade do tanque de combustível 4,0 litros (incluindo reserva) Reserva de combustível aproximadamente 1,0 litro Capacidade de óleo dos amortecedores dianteiros 80 ml de cada lado continua t
  8. 8. Laser 150 Informações de serviços Motor Tipo 4 tempos, OHC Número de cilindros, disposição 1 cilindro, horizontal Diâmetro x curso 57,4 x 57,8 Cilindrada 149,6 cc Taxa de compressão 9,0 : 1 Capacidade de óleo   total 900 ml drenagem 750 ml Sistema de lubrificação por salpico Tipo do filtro de ar elemento de espuma Válvula de admissão   abre 0° APMS fecha 25° DPMI Válvula de escape   abre 33° APMI fecha 0° DPMS Folga de válvulas (a frio)   admissão 0,08 mm escape 0,08 mm     Carburador Tipo / Diâmetro do Venturi   Identificação   Giclê principal 105 Giclê de marcha lenta 35 Abertura inicial do parafuso de regulagem de mistura 2 1 /2 voltas Nível da bóia 18 mm Rotação de marcha lenta  1.400 rpm ~ 1.600 rpm     Transmissão de potência Tipo de embreagem Centrífuga/automática, a seco Sistema de redução Engrenagem de dentes retos Relação de redução 42/40 (1,05) Tipo de transmissão Automática por polia variável Operação Tipo centrífugo automático continua t
  9. 9. Laser 150 Informações de serviços Sistema elétrico Ignição C.D.I. (Ignição por descarga capacitiva) Ponto de ignição   Avanço inicial 15° APMS a 1.700 rpm Avanço máximo 35° APMS a 4.000 rpm Capacidade da bateria 12 V 8 Ah Vela de ignição/fabricante C7HSA/NGK Folga dos eletrodos 0,6 ~ 0,7 mm Capacidade do fusível 10 A Sistema de partida elétrico e pedal Lâmpada do farol (alto e baixo) 12V – 35/35 W Lâmpadas de seta 12 V – 16 W X 4 Lanterna traseira/luz do freio 12 V – 5/21 W Mostrador dos instrumentos 12 V – 2 W Lâmpada indicadora de farol alto 12 V – 2 W Lâmpada indicadora da luz de seta 12 V – 2 W TORQUE Na ausência de torques específicos, utilize a tabela abaixo. Tipo do parafuso Torque Kgf.m N.m Parafuso e porca com cabeça sextavada Ø 5 mm 0,5 5 Parafuso e porca com cabeça sextavada Ø 6 mm 1 10 Parafuso e porca com cabeça sextavada Ø 8 mm 2,2 22 Parafuso e porca com cabeça sextavada Ø 10 mm 3,5 35 Parafuso e porca com cabeça sextavada Ø 12 mm 5,5 55 Parafuso Ø 5 mm 0,4 4 Parafuso Ø 6 mm 0,9 9 Parafuso flange com porca Ø 6 mm 0,9 9 Parafuso flange com porca Ø 8 mm 2,7 27 Parafuso flange com porca Ø 10 mm 4 40
  10. 10. Laser 150 10 Informações de serviços SÍMBOLOS Estes símbolos são utilizados para destacar cuidados especiais. Símbolo Significado Atenção Possibilidade de perigo. Não observar essa advertência pode causar um acidente. Observação Advertência geral. Informa particularidade das operações que estão sendo realizadas.
  11. 11. Laser 150 11 Informações de serviços PASSAGEM DE CABOS E FIAÇÃO Recomendações gerais de segurança • Uma fiação e/ou um cabo soltos afetam seriamente a segurança da motoneta. Após a insta- lação, certifique-se de que todos os cabos e fiações estejam fixados corretamente. • Não dobre presilhas contra uniões soldadas do chassi. • Prenda os fios e cabos do chassi nos pontos designados para isso.Aperte as cintas de alumí- nio de forma que haja contato somente entre as superfícies isoladas. • Passe os fios e cabos de modo que não fiquem frouxos nem muito apertados. • Proteja fiações e cabos que entrem em contato com cantos vivos ou superfícies cortantes com fita isolante ou tubo plástico. • Cabos ou fiações consertadas devem ser envolvidos com fita isolante (de boa qualidade), ou substituídos. • Certifique-se de que não haja danos nos conectores e os terminais não estejam excessiva- mente abertos antes de efetuar uma conexão. • Evite passar fiações ou cabos por regiões onde haja cantos vivos ou superfícies cortantes. • Evite também saliências criadas por parafusos ou porcas. • Mantenha fiações ou cabos distantes de partes aquecidas. • Certifique-se de que os olhais estejam assentados corretamente. • Verifique se os cabos ou as fiações não estão torcidos ou dobrados. • Os cabos e as fiações passados sobre o guidão não devem estar muito apertados, nem soltos, nem interferirem com qualquer peça do sistema de direção. • Não dobre ou torça os cabos de controle. Cabos de controle danificados não proporcionam uma operação suave e podem esticar ou dobrar.
  12. 12. Laser 150 12 Carenagens e afins.................................... 13 Carenagem frontal.................................. 13 Carenagem inferior central...................... 15 Carenagem traseira................................ 16 Pára-lama dianteiro................................ 18 Pára-lama traseiro superior..................... 18 Remoção do guidão................................ 19 Trava do banco....................................... 22 Roda e freio dianteiros.................................. 24 Remoção da roda................................... 24 Inspeção da roda dianteira...................... 24 Substituição dos rolamentos.................... 25 Remoção e inspeção do disco de freio..... 25 Remoção das pastilhas de freio............... 26 Inspeção das pastilhas de freio................ 27 Instalação das pastilhas.......................... 27 Troca do fluido de freio/sangria............... 28 Substituição do cilindro mestre................ 28 Chassi Suspensão dianteira...................................... 30 Remoção da suspensão dianteira............ 30 Inspeção da suspensão........................... 31 Troca do óleo da suspensão.................... 31 Roda e freio traseiros.................................... 34 Remoção da roda................................... 34 Inspeção da roda traseira........................ 34 Remoção do freio traseiro....................... 34 Inspeção do freio traseiro........................ 35 Instalação.............................................. 35 Regulagem do manete do freio traseiro.... 36 Suspensão traseira....................................... 37 Remoção dos amortecedores.................. 37 Inspeção dos amortecedores................... 37 Remoção do braço traseiro..................... 38 Inspeção do braço traseiro...................... 39
  13. 13. Laser 150 13 Chassi Carenagens e afins CARENAGEM FRONTAL 1. Remova os três parafusos do acabamento entre os faróis. Observação O parafuso inferior indicado na figura fica fixado abaixo dos faróis. 2. Puxe o acabamento para baixo para que não quebre os encaixes da peça. 3. Solte os parafusos de fixação do conjunto que inclui a viseira e o painel de instrumentos.
  14. 14. Laser 150 14 Chassi Carenagens e afins 5. Solte o cabo do velocímetro, desconecte os fios do painel de instrumentos e retire o conjunto. 6. Retire o tapete de ambos os lados com cuidado. Remova todos os parafusos laterais e os localizados no centro da peça. 7. Retire o acabamento do contato de ignição. 4. Solte também os parafusos indicados e afaste o conjunto.
  15. 15. Laser 150 15 Chassi Carenagens e afins CARENAGEM INFERIOR CENTRAL 1. Retire o tapete de ambos os lados com cuidado. Solte os parafusos indicados. 2. Solte os parafusos da carenagem inferior esquerda e direita, retirando-as com cuidado para não danificar as travas. Verifique possíveis riscos, trincas ou quebras dos encaixes. Caso apresente alguma das avarias citadas, substitua as peças.   O processo de montagem é o inverso da desmontagem. 8. Retire as travas entre as carenagens com cuidado. Solte os conectores de lanternas e sinalizadores e retire o conjunto da carenagem frontal. Verifique possíveis riscos, trincas ou quebras dos encaixes. Caso ocorra algum desses itens, substitua as peças.   O processo de montagem é o inverso da desmontagem.
  16. 16. Laser 150 16 Chassi Carenagens e afins 3. Solte os parafusos do porta-objeto e retire-o. 4. Solte os parafusos e retire a carenagem inferior do banco. Em seguida, retire a carenagem central. CARENAGEM TRASEIRA 1. Pressione o banco com uma das mãos e gire a chave para abrir. Esse cuidado é necessário porque ao abri-lo, a pressão da mola empurra-o com uma determinada força que pode causar acidentes. 2. Levante o banco e solte as porcas de fixação da base do banco e retire-o.
  17. 17. Laser 150 17 Chassi Carenagens e afins 7. Desconecte os fios da lanterna traseira. 8. Retire, com cuidado, o conjunto completo da carenagem, levantando e puxando para trás, para liberar os encaixes. Verifique possíveis riscos, trincas ou quebras dos encaixes. Caso apresente alguma das avarias citadas, substitua as peças.   O processo de instalação é o inverso do processo de desmontagem. 5. Remova o cabo de acionamento da trava do banco. 6. Solte os parafusos de fixação do bagageiro, conforme indicado na foto ao lado.
  18. 18. Laser 150 18 Chassi Carenagens e afins PÁRA-LAMA TRASEIRO SUPERIOR 1. Levante o banco, solte os parafusos de fixação do porta-objetos e retire-o. PÁRA-LAMA DIANTEIRO 1. Solte os parafusos de fixação do pára-lama de ambos os lados. 2. Solte também o parafuso localizado em cima do pára- lama e remova-o. 3. Verifique possíveis riscos, trincas ou quebras dos encaixes. Caso apresente alguma das avarias citadas, substitua as peças.    O processo de instalação é o inverso do processo de desmontagem.
  19. 19. Laser 150 19 Chassi Carenagens e afins 2. Solte os parafusos de fixação do pára-lama. Observação Na indicação tracejada, existe um parafuso que está fixado abaixo do pára-lama, ele também deve ser removido. 3. Desconecte os fios dos sinalizadores e remova o pára-lama. A instalação é o inverso da remoção. REMOÇÃO DO GUIDÃO 1. Desmonte a carenagem frontal, conforme item específico. 2. Remova o parafuso de fixação da carenagem do guidão. 3. Com o auxílio de uma chave de fenda, desacople as carenagens frontal e traseira do guidão e retire-as. Conforme foto ao lado.
  20. 20. Laser 150 20 Chassi Carenagens e afins 4. Solte os parafusos de fixação da carenagem traseira do guidão. 5. Retire os retrovisores. 6. Solte os contrapesos do guidão. 7. Solte o reservatório do fluido de freio.
  21. 21. Laser 150 21 Chassi Carenagens e afins 8. Remova o punho do lado direito. 9. Solte o cabo do freio traseiro e remova o punho do lado esquerdo. 10. Solte os conectores dos punhos. 11. Solte o parafuso de fixação do guidão e retire-o. Verifique se o guidão levou pancadas ou se está torto. Caso isso ocorra, substitua-o. Torque do parafuso de fixação do guidão: 43 N.m ou 4,3 Kgf.m Torque do parafuso de fixação do manete de freio: 7 N.m ou 0,7 Kgf.m Torque do parafuso de fixação do cilindro mestre: 7 N.m ou 0,7 Kgf.m
  22. 22. Laser 150 22 Chassi Carenagens e afins Observação Ao instalar o interruptor do lado direito, aplique uma fina camada de graxa de sabão de lítio na roldana do cabo do acelerador e regule a folga do cabo do acelerador. Regule a folga do manete do freio traseiro. Verifique o freio traseiro, conforme item específico. Ao montar os conectores, verifique possíveis sinais de oxidação. Caso isso ocorra, faça a limpeza dos cabos. A instalação é o inverso da remoção. • • • • TRAVA DO BANCO 1. Levante o banco e remova o porta-objetos, conforme item específico. 2. Solte o cabo de acionamento da trava. 3. Com o auxílio de uma chave, retire a trava que fixa a peça à carenagem.
  23. 23. Laser 150 23 Chassi Carenagens e afins 4. Em seguida retire a trava (1), o suporte do cabo (2) e a fechadura (3). Observação Tanto o suporte do cabo como a fechadura possuem um guia, os quais devem ser encaixados e a fechadura girada para ficar em sua correta posição. A instalação é o inverso da remoção. 1 2 3
  24. 24. Laser 150 24 Chassi Roda e freio dianteiros REMOÇÃO DA RODA 1. Coloque a motoneta em uma superfície plana, remova a porca do eixo e retire o eixo. Cuidado com os espaçadores. 2. Retire a roda e remova a engrenagem do velocímetro. Caso observe qualquer desgaste substitua-a. A instalação é o inverso da remoção. Observação Na montagem, verifique o encaixe certo. Torque da porca de fixação da roda dianteira: 40 N.m ou 4,0 Kgf.m   Observação Ao instalar a roda da motoneta, pressione o manete do freio algumas vezes para que a pastilha se assente no disco. INSPEÇÃO DA RODA DIANTEIRA 1. Coloque a motoneta em uma superfície plana, verifique se o eixo da roda está com empenamento. Caso o empenamento fique acima do limite determinado, substitua o eixo. Limite de empenamento do eixo: 0,25 mm 2. Verifique o desgate dos pneus, também se a roda não está amassada, caso esteja, substitua a roda. Se o empenamento estiver acima do limite determinado, substitua a roda. Limite de empenamento da roda dianteira Vertical: 2 mm Lateral: 2 mm
  25. 25. Laser 150 25 Chassi Roda e freio dianteiros 3. Verifique as condições dos rolamentos. Se a roda girar com dificuldade ou ficar “presa”, substitua os rolamentos. SUBSTITUIÇÃO DOS ROLAMENTOS 1. Retire o retentor com o auxílio de uma chave de fenda e substitua-o. 2. Retire os rolamentos com o auxílio de um extrator. A instalação é o inverso da remoção. Observação O extrator somente deve entrar em contato com o anel externo do rolamento, para não danificá-lo.   Use um adaptador do mesmo diâmetro da pista externa do rolamento, para não danificar o rolamento e não instalá-lo torto.   REMOÇÃO E INSPEÇÃO DO DISCO DE FREIO 1. Retire a roda conforme item específico. 2. Coloque a roda em uma superfície plana e retire o disco de freio. • • 3. Com o auxílio de um micrômetro, meça a espessura do disco de freio em diversos pontos, caso esteja fora do determinado, substitua o disco. Limite de espessura do disco de freio: 3,0 mm
  26. 26. Laser 150 26 Chassi Roda e freio dianteiros 4. Meça também o empenamento do disco de freio. Caso esteja fora do determinado, substitua o disco. Limite máximo de empenamento: 0,15 mm Torque dos parafusos de fixação do disco de freio: 23 N.m ou 2,3 Kgf.m Observação Use trava química média nos parafusos de fixação do disco de freio. A instalação é o inverso da remoção. 2. Solte os parafusos de fixação das pastilhas e remova-as de seu habitáculo. REMOÇÃO DAS PASTILHAS DE FREIO Para substituir as pastilhas não é necessário soltar a mangueira de freio ou desmontar o caliper. 1. Solte os parafusos de fixação do caliper de freio, e remova o caliper.
  27. 27. Laser 150 27 Chassi Roda e freio dianteiros INSPEÇÃO DAS PASTILHAS DE FREIO Com o auxílio de um paquímetro, meça a espessura da pastilha. Observação Não meça a pastilha completa, somente a guarnição. Limite de uso da pastilha: 0,8 mm Estando a medida das pastilhas fora do especificado, substitua-as. INSTALAÇÃO DAS PASTILHAS 1. Empurre o êmbolo (pistão) do caliper para baixo para facilitar o encaixe do conjunto caliper–pastilha no disco de freio. 2. Instale o conjunto. 3. Complete o nível do fluido de freio e realize a sangria do sistema, se necessário. 4. Pressione algumas vezes o manete do freio para que a pastilha assente no disco.
  28. 28. Laser 150 28 Chassi Roda e freio dianteiros TROCA DO FLUIDO DE FREIO/SANGRIA A função da sangria do freio é eliminar o ar contido no sistema para que o freio funcione de forma precisa. 1. Remova a tampa do reservatório do cilindro mestre e retire o diafragma. 2. Coloque uma chave apropriada no parafuso de sangria e em seguida, conecte a mangueira do freio à válvula de sangria. 3. Afrouxe o parafuso de sangria, e acione o manete de freio algumas vezes. 4. Mantenha o manete acionado e abra o parafuso de sangria, quando o fluido parar de escoar, aperte o parafuso de sangria. Repita o processo quantas vezes for necessário. 5. Verifique algumas vezes o nível do fluido do freio no reservatório e complete se necessário. Observação O fluido de freio deve ser trocado a cada 15.000 quilômetros ou uma vez por ano, o que ocorrer primeiro. Caso o fluido esteja vencido, a alta temperatura gerada pelas frenagens bruscas pode ocasionar bolhas no sistema e provocar falha no freio o que pode gerar acidentes fatais. SUBSTITUIÇÃO DO CILINDRO MESTRE 1. Remova a carenagem do guidão, conforme item específico. 2. Solte os parafusos de fixação do mancal do cilindro mestre.
  29. 29. Laser 150 29 Chassi Roda e freio dianteiros 4. Solte o parafuso de união da mangueira de freio. Remova as arruelas de cobre e o cilindro mestre. Observação Cuidado para que não escorra fluido de freio nas peças pintadas. Atenção Ao efetuar a montagem, verifique as condições da mangueira de freio e sempre substitua as arruelas de cobre pois elas são responsáveis pela vedação do sistema. Torque do parafuso do suporte do cilindro mestre: 10 N.m ou 1,0 kgf.m Torque do parafuso de conexão da mangueira de freio: 26 N.m ou 2,6 Kgf.m 3. Solte os conectores do interruptor de freio dianteiro. Observação Verifique se o interruptor de freio está funcionando corretamente. Caso não esteja verifique os conectores, se o problema persistir, substitua o interruptor.
  30. 30. Laser 150 30 Chassi Suspensão dianteira REMOÇÃO DA SUSPENSÃO DIANTEIRA 1. Coloque a motoneta em uma superfície plana. 2. Retire o guidão conforme item específico. 3. Retire a carenagem frontal do painel conforme item específico. 5. Remova o pára-lama, solte o eixo da roda e retire-a. 6. Retire a engrenagem do velocímetro e verifique a posição correta no momento da montagem. 4. Remova o cabo do velocímetro e o suporte da mangueira de freio, solte os parafusos de fixação e retire o caliper de freio. Observação Evite deixar o caliper de freio “pendurado”, apóie para que a mangueira de freio não fique esticada.
  31. 31. Laser 150 31 Chassi Suspensão dianteira 7. Solte os parafusos de fixação dos garfos à coluna de direção e remova os garfos. INSPEÇÃO DA SUSPENSÃO Verifique possíveis riscos, sinais de pancadas ou pequenos picotes no tubo interno (isso pode causar vazamento de óleo prejudicando a eficiência do sistema). Caso ocorra algum dos problemas citados, substitua o garfo completo. TROCA DO ÓLEO DA SUSPENSÃO 1. Prenda o garfo em uma morsa e remova o parafuso de fixação da suspensão. Retire a mola, em seguida escorra o fluido. 2. Verifique o desgaste da mola, se possui ruptura e o comprimento da mesma. Observação Sempre substituia o anel O-Ring para evitar vazamentos. Limite de comprimento da mola: 660 mm
  32. 32. Laser 150 32 Chassi Suspensão dianteira 3. Com o auxílio de uma chave de fenda, retire o guarda-pó. Remova-o com cuidado para não danificar o tubo interno da suspensão. 4. Com o auxílio de uma ferramenta especial, segure a válvula de fluxo de óleo e solte o parafuso inferior da suspensão, em seguida remova o conjunto. 5. Retire a trava do retentor, e com o auxílio de um extrator, remova o retentor. 6. Verifique todos os componentes da suspensão, como desgaste do tubo interno, alteração no comprimento da mola e possíveis trincas e riscos no batente cônico da suspensão. Caso haja alguma dessas avarias, substitua o conjunto danificado. A instalação é o inverso da remoção.
  33. 33. Laser 150 33 Chassi Suspensão dianteira Observação Ao montar a mola, atente para a posição da instalação da mola, o passo menor deve ser colocado para cima. Ao instalar o retentor e o guarda-pó, use a ferramenta adequada para não danificar as peças prejudicando o funcionamento do conjunto. Troque sempre o óleo das duas bengalas da suspensão para evitar diferença no sistema. Ao colocar o óleo na suspensão, deixe-a em posição de repouso e meça o espaço com uma trena. Use óleo tipo ATF na suspensão. Quantidade de óleo: 80 ml Torque do parafuso superior da suspensão: 50 N.m ou 5,0 Kgf.m   Torque do parafuso inferior da suspensão: 23 N.m ou 2,3 Kgf.m • • • •
  34. 34. Laser 150 34 Chassi Roda e freio traseiros REMOÇÃO DA RODA 1. Coloque a motoneta apoiada no cavalete central. Solte a porca de ajuste do freio e retire a haste de acionamento do freio. 2. Retire o escapamento, conforme item específico, e em seguida, retire a roda. INSPEÇÃO DA RODA TRASEIRA 1. Verifique possíveis danos na roda, como empenamentos, amassamentos ou desgaste do pneu. Se o empenamento estiver acima do limite determinado substitua a peça. 2. Com relação ao desgaste do pneu, verifique o estado dos sulcos. Limite de uso dos pneus: Profundidade mínima dos sulcos: 2 mm REMOÇÃO DO FREIO TRASEIRO 1. Remova a caixa do filtro de ar, conforme item específico. 2. Remova a porca de regulagem e o cabo do freio traseiro. Cuidado para não perder o guia que fica na alavanca de acionamento e a mola do cabo. 3. Retire as sapatas de freio.
  35. 35. Laser 150 35 Chassi Roda e freio traseiros INSPEÇÃO DO FREIO TRASEIRO 1. Verifique se as lonas de freio estão vitrificadas. Caso isso ocorra, lixe-as com uma lixa grossa, respeitando o limite de uso da mesma. 2. Com o auxílio de um paquímetro, meça a espessura da guarnição. Limite de espessura da lona de freio: 2mm Observação Não meça o patim completo, somente a guarnição. 3. Verifique o desgaste do tambor de freio, observando ovalização e possíveis arranhões. Caso ocorra algum dos itens citados, faça um polimento para eliminar as imperfeições do tambor, respeitando o limite de desgaste. Limite do diâmetro interno do tambor: 131,5 mm Observação Se o diâmetro interno estiver fora da especificação, substitua a roda. 4. Verifique o eixo de acionamento do freio, caso possua desgaste, que prejudique o acionamento do freio, substitua o eixo. INSTALAÇÃO 1. Monte o eixo de acionamento das sapatas de freio, instale-as, e monte a roda. Torque da porca de fixação da roda traseira: 91 N.m ou 9,1 Kgf.m
  36. 36. Laser 150 36 Chassi Roda e freio traseiros REGULAGEM DO MANETE DO FREIO TRASEIRO 1. Deixe o manete com uma folga de 10 a 20 mm. 2. Para regular, aperte ou solte a porca de regulagem do freio traseiro localizado na roda traseira.
  37. 37. Laser 150 37 Chassi Suspensão traseira REMOÇÃO DO AMORTECEDOR LADO DIREITO Coloque a motoneta em um cavalete de modo que a roda traseira fique suspensa. 1. Retire o escapamento conforme item específico. 2. Solte o parafuso superior e o inferior do amortecedor, em seguida retire-o. REMOÇÃO DO AMORTECEDOR LADO ESQUERDO 1. Retire a caixa do filtro de ar conforme item específico. 2. Solte o parafuso superior e o inferior do amortecedor, em seguida retire-o. Torque do parafuso de fixação do amortecedor: 20 N.m ou 2,0 Kgf.m INSPEÇÃO DOS AMORTECEDORES 1. Verifique no amortecedor: empenamento, vazamento de óleo e desgaste da mola. Caso possua algum dos problemas citados, substitua o conjunto. A instalação é o inverso da remoção.
  38. 38. Laser 150 38 Chassi Suspensão traseira REMOÇÃO DO BRAÇO TRASEIRO Coloque a motoneta em um cavalete de modo que a roda traseira fique suspensa. 1. Retire o escapamento. 2. Solte o parafuso inferior do amortecedor direito e a porca de fixação da roda.
  39. 39. Laser 150 39 Chassi Suspensão traseira 4. Retire o braço. INSPEÇÃO DO BRAÇO TRASEIRO Verifique o estado das buchas, dos espaçadores e dos retentores. Para qualquer tipo de desgaste excessivo, substitua as peças. A instalação é o inverso da remoção. 3. Solte os parafusos de fixação do braço. Espaçador 5. Cuidado para não deixar o espaçador cair quando for retirar o braço.
  40. 40. 40 Laser 150 Sistema de alimentação............................ 41 Remoção do filtro de ar......................... 41 Inspeção do filtro de ar......................... 42 Remoção do carburador........................ 42 Limpeza e inspeção do carburador........ 43 Montagem do carburador...................... 45 Verificação da válvula de combustível.... 45 Regulagem da marcha lenta.................. 45 Manutenção............................................... 46 Remoção do motor............................... 46 Desmontagem do motor........................ 50 Inspeção do cabeçote........................... 58 Eixo de comando........................... 58 Corrente de comando.................... 59 Tensionador da corrente de comando................................... 59 Guias da corrente de comando....... 59 Sede de válvulas........................... 60 Retífica da sede de válvulas........... 60 Válvulas e guias............................ 61 Molas das válvulas........................ 62 Cilindro e Pistão................................... 63 Bomba de óleo..................................... 65 Motor Virabrequim......................................... 66 Pedal de partida................................... 66 Embreagem secundária........................ 67 Sapata da embreagem.......................... 67 Correia “V”........................................... 67 Roletes da polia primária....................... 68 Embreagem de partida.......................... 68 Sistema de transmissão........................ 69 Carcaça do motor................................. 69 Regulagem de válvulas......................... 70 Montagem do motor............................. 72 Virabrequim e Carcaça.................. 72 Bomba de óleo.............................. 72 Rotor e estator.............................. 73 Sistema de partida........................ 74 Transmissão.................................. 74 Pedal de partida............................ 75 Embreagem primária, secundária e Correia...................................... 76 Cilindro e Pistão............................ 77 Cabeçote...................................... 78 Carenagens do motor.................... 79 Troca do óleo do motor......................... 80 Troca do óleo da transmissão................ 82
  41. 41. Laser 150 41 Motor Sistema de alimentação REMOÇÃO DO FILTRO DE AR 1. Solte os parafusos que fixam a tampa na caixa do filtro de ar. 2. Retire cuidadosamente a tampa do filtro. Cuidado ao desconectar a mangueira do respiro. 3. Retire o elemento filtrante e a grade de apoio.
  42. 42. Laser 150 42 Motor Sistema de alimentação INSPEÇÃO DO FILTRO DE AR 1. Lave o elemento de espuma com querosene e seque-o bem. Em seguida, umedeça-o com óleo ATF e retire todo o excesso. 2. Verifique se o filtro está soltando fragmentos ou se está rasgado, caso isso ocorra, substitua o elemento filtrante. A montagem é o inverso da desmontagem. Atenção Não utilize a motoneta sem o filtro de ar, essa prática causa sérios danos ao motor e cancela a garantia. REMOÇÃO DO CARBURADOR 1. Remova a carenagem traseira, conforme item específico. 2. Retire o tanque de combustível, conforme item específico. 3. Retire a placa de apoio do tanque de combustível, conforme item específico.  4. Solte o cabo do acelerador (1), o conector do afogador eletrônico (2) e as mangueiras conectadas ao carburador (3). 5. Retire o carburador. 3 1 2
  43. 43. Laser 150 43 Motor Sistema de alimentação LIMPEZA E INSPEÇÃO DO CARBURADOR 1. Solte os parafusos de fixação da cuba. Verifique se a cuba não possui trincas ou empenamentos, troque a junta ao montar o conjunto. 2. Retire o pino (1), a bóia (2) e a agulha (3). 3. Verifique possíveis desgastes ou trincas na bóia, o que provoca infiltração, e pode causar consumo excessivo de combustível. 4. Verifique o peso da bóia, caso esteja fora das especificações, substitua-a. Peso da bóia: 10 gramas, máximo de 11 gramas. 5. Verifique também possíveis desgastes na ponta da válvula e na sede localizada no carburador. Caso ocorra algum dos itens citados, substitua o conjunto. 6. Remova os giclês e verifique possíveis danos e a calibração deles. Limpe-os com gasolina e com ar comprimido para eliminar eventuais impurezas. 1 2 3
  44. 44. Laser 150 44 Motor Sistema de alimentação 8. Verifique possíveis trincas, furos ou ressecamento do diafragma (1), isso pode afetar no bom desempenho da motoneta. Coloque o conjunto em seu alojamento e verifique se o mesmo se movimenta livremente. Caso isso não ocorra, substitua-o. 7. Retire os parafusos da tampa – diafragma –, com muito cuidado e devagar, pois embaixo dessa tampa existe uma mola comprimida. 9. Remova o afogador eletrônico. Verifique possíveis empenamentos e trincas. Substitua a junta de vedação sempre que desmontar. 10. Remova o diafragma compensador de ar. Verifique possíveis trincas, danos e empenamento da tampa. 1
  45. 45. Laser 150 45 Motor Sistema de alimentação MONTAGEM DO CARBURADOR 1. Monte a válvula de agulha e a bóia do carburador. Gire o carburador de modo que fique posicionado em 90º com relação à sua posição de trabalho até que a bóia encoste levemente na agulha e meça a altura da bóia conforme figura. Altura da bóia: 18 mm O processo de montagem é o inverso da desmontagem. VERIFICAÇÃO DA VÁLVULA DE COMBUSTÍVEL 1. Para verificar o correto funcionamento da válvula de combustível, deve-se sugar pela extremidade da mangueira e verificar se o combustível desce livremente. Caso isso ocorra, a válvula está boa. Caso isso não ocorra, substitua-a. REGULAGEM DA MARCHA LENTA 1. Ligue o motor e deixe-o aquecer por alguns minutos. 2. Ligue o tacômetro e verifique a marcha lenta. Caso esteja foras das especificações, regule a marcha lenta. Marcha lenta: 1.400 ~ 1.600 rpm 3. Feche o parafuso de mistura até que ele encoste-se em seu assentamento (não aperte). 4. Solte o parafuso de mistura em 2 1/2 voltas. Caso necessário, solte-o ou aperte-o com base nessa regulagem inicial. Observação O parafuso de mistura já vem regulado de fábrica, mas devido à diferença de pressão de algumas regiões, a regulagem deverá ser feita de acordo com a necessidade. 18 mm
  46. 46. Laser 150 46 Motor Manutenção REMOÇÃO DO MOTOR 1. Retire o óleo do motor, conforme item específico. 2. Remova a carenagem traseira, conforme item específico. 3. Remova os parafusos da alça de fixação do porta-objetos. 4. Desconecte a mangueira do tanque ao carburador. Desconecte o chicote da bóia do tanque, solte os parafusos de fixação, retire o tanque. Observação Retire a gasolina da mangueira em um reservatório para que não escorra gasolina no motor. 5. Remova a placa de apoio do tanque de combustível.
  47. 47. Laser 150 47 Motor Manutenção 6. Retire o carburador, conforme indicado em item específico. 7. Desconecte as mangueiras do sistema intake-air. 8. Desconecte o cabo do relé de partida. 9. Desconecte o cabo do motor de partida.
  48. 48. Laser 150 48 Motor Manutenção 10. Retire o cabo de vela. 11. Desconecte o fio do Magneto. 12. Retire a caixa do filtro de ar. 13. Solte o parafuso inferior do amortecedor – o parafuso de regulagem –, e remova o cabo da haste acionadora do freio traseiro. Observação Cuidado para não perder o guia do cabo e a mola.
  49. 49. Laser 150 49 Motor Manutenção 14. Solte os parafusos de fixação do escapamento e retire-o. 15. Retire a roda traseira conforme item específico. 16. Remova o braço traseiro conforme item específico. 17. Remova o parafuso superior de fixação do motor. 18. Verifique se não existe nada que dificulte a retirada do motor, e, em seguida, retire-o.
  50. 50. Laser 150 50 Motor Manutenção DESMONTAGEM DO MOTOR 1. Retire o coletor de admissão e remova o cabo de vela e a vela de ignição. 2. Retire a capa direita e a capa esquerda do motor. Solte também a capa de proteção da ventoinha. 3. Solte os parafusos de fixação da ventoinha e retire-a. 4. Verifique se não possui trinca ou danos em nenhuma paleta. Caso isso ocorra e para não afetar a refrigeração do motor, substitua a ventoinha. 5. Com o auxílio de uma ferramenta especial, trave o rotor e solte a porca de fixação.
  51. 51. Laser 150 51 Motor Manutenção 6. Solte os parafusos de fixação do estator, solte também o fixador do fio do estator e a bobina de pulso. Retire o estator. 7. Retire a tampa de válvulas do cabeçote. 8. Recolha e retire o tensionador da corrente de comando. 9. Coloque o motor em fase de compressão. Solte as porcas de fixação dos balancins em forma de “X” gradativamente para evitar empenamento. 4 2 3 1
  52. 52. Laser 150 52 Motor Manutenção 10. Remova a corrente de comando e retire o eixo de comando de válvulas. 11. Retire o cabeçote e os guias do cabeçote. 12. Retire o cilindro e os guias do cilindro. 13. Remova a trava, o pino e retire o pistão. Observação Coloque um pano na abertura do motor antes de retirar a trava do pistão, para que a mesma não caia dentro do motor. Caso o pino do pistão não saia com facilidade, use um extrator de pino.
  53. 53. Laser 150 53 Motor Manutenção 14. Remova os anéis do pistão. Observação Para retirar os anéis, abra, com a ponta dos dedos, o diâmetro do anel, passando por cima da cabeça do pistão conforme foto. 15. Remova o pedal de partida e a tampa da correia de transmissão. 16. Remova o espaçador e a arruela. 17. Solte o parafuso de fixação da mola.
  54. 54. Laser 150 54 Motor Manutenção 18. Remova o fixador da mola com cuidado, pois ela está tensionada. Em seguida retire o eixo do pedal de partida e o pinhão. 19. Com o auxílio de uma ferramenta especial, solte a porca de fixação da polia secundária e retire a sede da embreagem. 20. Com o auxílio das mãos, puxe a polia deslizante para aliviar a tensão da correia e poder retirá-la. Em seguida, retire a polia secundária. 21. Solte a porca da polia fixa primária e retire-a.
  55. 55. Laser 150 55 Motor Manutenção Observação Preste atenção na engrenagem, pois ela tem formato cônico e o lado cônico é voltado para a parede da carcaça.   24. Solte os parafusos de fixação da carcaça e retire-a. Observação Coloque uma bandeja embaixo para não cair óleo no chão ou na bancada. 22. Remova a polia móvel, o prato e os roletes. 23. Com ferramenta especial, retire a engrenagem de partida. cônico
  56. 56. Laser 150 56 Motor Manutenção 25. Retire as engrenagens de acionamento da partida. 26. Com o auxílio de ferramenta especial, remova a porca de fixação da embreagem de partida. Observação Essa porca é de rosca esquerda, portanto, deve-se soltar para a direita.  27. Retire a proteção da engrenagem acionadora da bomba de óleo, remova a engrenagem e a corrente de transmissão. 28. Solte os parafusos de fixação da bomba e retire-a.
  57. 57. Laser 150 57 Motor Manutenção 29. Remova o parafuso de fixação do guia da corrente de comando, retire o guia e retire a corrente de comando da engrenagem do virabrequim. 30. Solte os parafusos de fixação da carcaça e retire-a. Remova o virabrequim. Observação Coloque uma bandeja embaixo para não cair óleo no chão, o que pode causar acidente.
  58. 58. Laser 150 58 Motor Manutenção INSPEÇÃO DO CABEÇOTE EIXO DE COMANDO 1. Verifique os ressaltos do comando de válvulas e a coloração do comando. Se o comando estiver azulado, com corrosão ou possíveis arranhões, substitua o eixo de comando. 2. Verifique o desgaste dos dentes da engrenagem de comando e o desgaste dos rolamentos. Caso se confirme o desgaste, substitua o comando e a corrente. 3. Meça os cames do comando de válvulas. Caso esteja fora de especificação, substitua o eixo de comando.
  59. 59. Laser 150 59 Motor Manutenção CORRENTE DE COMANDO 1. Verifique o desgaste dos elos presos na corrente de comando. Caso apresente danos substitua a corrente de comando e a engrenagem. TENSIONADOR DA CORRENTE DE COMANDO 1. Verifique o funcionamento do tensionador pressionando levemente com a mão. Use uma chave de fenda e feche totalmente o tensionador. 2. Retire a chave de fenda e toque levemente com a mão, a haste tensionadora deve voltar suavemente. Caso isso não ocorra, substitua o tensionador. GUIAS DA CORRENTE DE COMANDO Verifique o desgaste da guia de comando, lado escape e lado admissão. Caso apresente desgaste acentuado substitua as guias.
  60. 60. Laser 150 60 Motor Manutenção SEDE DE VÁLVULAS 1. Remova os depósitos de carvão da sede e da face das válvulas e verifique possível corrosão ou desgaste. Caso apresente algum dos problemas citados, esmerilhe a válvula. Largura da sede de válvula ADM: 1,2 mm ESC: 1,5 mm Limite de uso: 2,00 mm 2. Aplique um marcador na face da válvula. Pressione a válvula na sede para “marcar” e em seguida, meça a largura da sede. Se estiver fora de especificação, esmerilhe a válvula Observação Remova os pontos marcados com tinta. Esmerilhe a face e a sede de válvula, com um polidor grosso e fino. Após esse procedimento repita o procedimento 2. RETÍFICA DA SEDE DE VÁLVULAS 1. Se a área de contato estiver muito alta na válvula, a sede deve ser rebaixada usando uma fresa plana de 32º. 2. Se a área de contato estiver muito baixa na válvula, a sede deve ser retificada com uma fresa interna de 60º. Em seguida faça o acabamento com uma fresa de 45º. 3. Com uma fresa de 45º, remova todas as asperezas da sede, conforme figura. espessura
  61. 61. Laser 150 61 Motor Manutenção 4. Com o auxílio de uma fresa de 32º, retire 1/4 do material da base da sede da válvula. 5. Com a fresa de 45º, remova o excesso até que obtenha a largura determinada. VÁLVULAS E GUIAS 1. Meça o diâmetro interno da guia de válvula. 2. Meça o diâmetro da haste da válvula em três pontos diferentes e calcule a folga entre guia de válvula e haste. A folga entre guia de válvula e haste de válvula é calculada através da fórmula: Diâmetro interno da guia de válvula – Diâmetro da haste. Fora de especificação, substitua guia de válvula. Limite de folga entre haste e guia de válvula: ADM: 0,12 mm ESC: 0,14 mm   d
  62. 62. Laser 150 62 Motor Manutenção 3. Meça o empenamento da haste de válvula. Caso esteja fora de especificação, substitua a válvula. Limite de empenamento (e) da válvula: 0,01 mm 4. Meça a espessura da margem de válvula, conforme foto. Caso esteja fora de especificação, substitua. Limite de espessura da válvula: ADM: 0,7 mm ESC: 1,0 mm MOLAS DAS VÁLVULAS 1. Com o auxílio de um paquímetro, meça o comprimento livre da mola. Caso esteja fora de especificação, substitua as molas. Limite de comprimento da mola: Mola externa: 33,5 mm Mola interna: 30,0 mm   A montagem do cabeçote é o inverso da desmontagem. e a c
  63. 63. CILINDRO E PISTÃO 1. Verifique possíveis desgastes na parede do cilindro, por exemplo, arranhões verticais, caso exista, retifique o cilindro, ou substitua-o. Observação • Caso retifique ou substitua o cilindro, lembre-se de substituir o pistão e os anéis, que trabalham com folgas determinadas. • Com o auxílio de uma régua e um calibre de lâminas, meça o empenamento do cilindro. Limite de empenamento do cilindro: 0,10 mm • Com o auxílio de um súbito, meça o diâmetro interno do cilindro em três pontos diferentes: topo, centro e base, do curso do pistão, meça na horizontal e vertical (eixo X e eixo Y) em ângulo reto. Limite de uso do cilindro: 57,83 mm 2. Com o auxílio de um micrômetro, meça o diâmetro externo do pistão, na saia dele, conforme indicado na figura ao lado. Observação • Coloque o pistão na altura indicada na cota “a”. Em torno de 6 mm da base do pistão (referência ideal a borda interna). • A folga entre o cilindro e o pistão é calculada pela fórmula: Diâmetro interno do cilindro – Diâmetro externo do pistão. Use sempre a maior medida encontrada na medição do cilindro.   Limite de uso do pistão: 57,00 mm Folga acima do especificado, substitua o cilindro, os anéis e o pistão. • Limite de folga entre cilindro e pistão: 0,03 a 0,05 mm a d Laser 150 63 Motor Manutenção
  64. 64. Laser 150 64 Motor Manutenção 3. Com o auxílio de um calibre de lâminas, meça a folga dos anéis em seu alojamento (canaleta do pistão). Observação Elimine qualquer tipo de carvão no alojamento para não efetuar leituras incorretas.   Limite de uso Anel de compressão: 0,10 a 0,20 mm Anel raspador: 0,10 a 0,20 mm 5. Meça o diâmetro externo do pino do pistão. Verifique também se está riscado ou azulado. Caso esteja, troque o pistão e o pino, e verifique o sistema de lubrificação. Limite de uso: 14,97 mm  4. Meça também a folga “entre pontas” dos anéis no cilindro conforme figura ao lado. Caso a folga esteja fora do especificado, substitua-os. Observação Com o próprio pistão alinhe o anel no cilindro e com o auxílio de um calibre de lâminas, meça a folga “entre pontas” dos anéis. Limite de folga “entre pontas” dos anéis: 0,10 mm
  65. 65. Laser 150 65 Motor Manutenção 6. Meça o diâmetro interno do alojamento do pino do pistão. Caso esteja fora do especificado, substitua o pistão e o pino. A folga entre o pino do pistão e o pistão, é calculada pela fórmula: Diâmetro do alojamento do pino – Diâmetro externo do pino. Folga fora do especificado, substitua o conjunto. BOMBA DE ÓLEO 1. Desmonte a bomba de óleo e verifique as folgas neces­ sárias para o seu bom funcionamento, caso esteja fora do especificado, substitua o conjunto. Limite de uso entre rotor externo e carcaça: 0,40 mm Limite de uso entre rotor interno e externo: 0,20 mm Limite de uso entre rotor e face da carcaça: 0,25 mm 3. Verifique se a corrente de acionamento da bomba de óleo não está enroscando os elos e os dentes da engrenagem da bomba. Caso esteja, substitua-a. Limite do diâmetro interno do alojamento: 15,04 mm Limite de folga entre pino e pistão: 0,02 mm 2. Monte a bomba de óleo e gire o eixo de acionamento. A bomba deve girar livremente para ambos os lados, sem enroscar. Caso enrosque desmonte e limpe-a, verificando possíveis desgastes no rotor. Se após a limpeza continuar enroscando substitua o conjunto.
  66. 66. Laser 150 66 Motor Manutenção VIRABREQUIM 1. Meça o desalinhamento do virabrequim conforme foto ao lado. Coloque o relógio comparador encostando levemente o eixo do virabrequim e gire-o devagar, caso o limite de empenamento esteja acima do especificado, substitua o virabrequim. Limite de empenamento: 0,03 mm 2. Meça a folga axial e radial da biela e a largura do virabrequim, caso esteja fora do especificado, substitua o conjunto. Limite de folga axial da biela: 0,05 a 0,30 mm 3. Verifique o desgaste da engrenagem de acionamento da corrente de comando e dos rolamentos, observando ruídos no rolamento, desgaste nas estrias e na rosca. Caso possua algumas dessas irregularidades, substitua o conjunto. PEDAL DE PARTIDA 1. Verifique se há desgaste no eixo do pedal de partida e no pinhão de acionamento do pedal de partida. Caso haja, substitua o conjunto.
  67. 67. Laser 150 67 Motor Manutenção EMBREAGEM SECUNDÁRIA 1. Verifique danos e desgaste interno no cubo da embreagem nas estrias do cubo. Em caso positivo substitua a peça. Meça o diâmetro interno do cubo. Diâmetro fora de especificação substitua a peça. Limite do diâmetro do cubo da embreagem: 124,5 mm   SAPATA DA EMBREAGEM 1. Verifique o desgaste das sapatas de embreagem, se não se encontram vitrificadas. Caso isso ocorra, desbaste o material com uma lixa grossa. Cuidado para não alterar a espessura. Limite de espessura da guarnição da embreagem: 2,0 mm   CORREIA “V” 1. Verifique possíveis trincas e/ou desgastes excessivos. Se estiver impregnada com óleo ou graxa, substitua-a e limpe as polias primária e secundária.
  68. 68. Laser 150 68 Motor Manutenção ROLETES DA POLIA PRIMÁRIA 1. Verifique o peso dos roletes da polia primária, o desgaste e possíveis trincas. Caso apresente algum dos problemas citados, substitua-os. 2. Meça o diâmetro externo dos pesos da polia primária. Caso esteja fora de especificação, substitua o jogo. Limite do diâmetro dos pesos da polia primária: 17 mm EMBREAGEM DE PARTIDA 1. Verifique as engrenagens motoras e movidas quanto ao desgaste nos dentes, e às possíveis trincas e imperfeições. Caso isso ocorra, substitua as peças danificadas. 2. Verifique o desgaste dos roletes de sentido único da embreagem de partida e possível corrosão na superfície de contato. 2. Meça a largura da correia, caso esteja fora de especificação, substitua-a. Limite de uso da correia “V”: 18 mm
  69. 69. Laser 150 69 Motor Manutenção 3. Verifique o funcionamento da embreagem de partida instalando nela a engrenagem de partida e girando-a no sentido horário, ambas devem engrenar-se e girar no mesmo sentido. Caso isso não ocorra, substitua a embreagem de partida. Girando-a no sentido anti-horário, a embreagem deve girar livremente, caso isso não ocorra, substitua a embreagem de partida. SISTEMA DE TRANSMISSÃO 1. Verifique possíveis empenamentos, desgaste nos dentes e trincas no eixo movido, no eixo principal e nas engrenagens Caso ocorra algum dos problemas citados, substitua a peça danificada. 2. Verifique também danos nos rolamentos, se estão engripados ou enroscando, caso isso ocorra, substitua-os. 3. Retentores e juntas devem ser substituídos por novos. CARCAÇA DO MOTOR 1. Verifique possíveis trincas, rachaduras ou quebra. Caso ocorra algum dos itens citados, substitua a peça. 2. Verifique também danos nos rolamentos se estão engripados ou enroscando. Caso isso ocorra, substitua-os. 3. Retentores e juntas devem ser substituídos por novos.
  70. 70. Laser 150 70 Motor Manutenção REGULAGEM DE VÁLVULAS 1. Remova as carenagens centrais, conforme item específico. 2. Retire a tampa das válvulas do motor. Observação A regulagem das válvulas deve ser realizada com o motor frio, em temperatura ambiente, lembrando que para medir a folga das válvulas, o pistão deve estar em ponto morto superior (PMS), em fase de compressão. 3. Gire o virabrequim até o tempo de compressão, verifique o alinhamento da engrenagem do comando com a referência do cabeçote, conforme indicado na foto ao lado. 4. Verifique também o alinhamento da referência do rotor com a referência na carcaça do motor. 5. Com o auxílio de um calibre de lâminas, meça a folga das válvulas, caso esteja fora do especificado, regule-as. referência cabeçote referência motor
  71. 71. Laser 150 71 Motor Manutenção 6. Solte a contraporca e coloque o calibre de lâminas entre o parafuso e o pé da válvula e meça a folga. 7. Em seguida, gire o parafuso de regulagem para aumentar ou diminuir a folga conforme necessário. Observação No sentido horário diminui a folga e no sentido anti- horário aumenta a folga. 8. Após a regulagem, segure o parafuso de ajuste e aperte a contraporca para não perder a regulagem. Repita o processo do item 3 e meça novamente as regulagens, se o valor encontrado não for o desejado, repita o procedimento do item 6. Observação Substitua os anéis O-rings e as juntas para melhor vedação.
  72. 72. Laser 150 72 Motor Manutenção MONTAGEM DO MOTOR VIRABREQUIM E CARCAÇA 1. Instale a corrente de comando e em seguida o conjunto do virabrequim. Observação Lubrifique os rolamentos e retentores para facilitar o procedimento de instalação. 2. Instale os pinos-guia na carcaça, coloque uma junta nova e, com um martelo de borracha, bata levemente na carcaça para encaixá-la. Aperte os parafusos da carcaça. Torque dos parafusos: 10 N.m ou 1,0 Kgf.m 3. Instale o guia da corrente de comando e aperte o parafuso. Torque do parafuso: 7 N.m ou 0,7 Kgf.m BOMBA DE ÓLEO 1. Monte a bomba de óleo e lubrifique-a. 2. Instale a bomba de óleo na carcaça e aplique o torque correto. Torque do parafuso de fixação da bomba: 10 N.m ou 1 Kgf.m 3. Instale a engrenagem e a corrente de acionamento da bomba de óleo, que deve ser acoplada ao virabrequim. Instale a porca de fixação da engrenagem e aplique o torque correto. Torque da porca (1): 9 N.m ou 0,9 Kgf.m
  73. 73. Laser 150 73 Motor Manutenção ROTOR E ESTATOR 1. Instale a bobina de pulso e seu suporte de fixação. Em seguida, aplique o torque correto nos parafusos Torque dos parafusos da bobina de pulso: 7 N.m ou 0,7 Kgf.m 2. Instale o estator e aplique o torque correto dos parafusos. Torque dos parafusos do estator: 11 N.m ou 1,1 Kgf.m 3. Limpe o alojamento da chaveta, instale a chaveta e o rotor. Com o auxílio da ferramenta especial, segure o rotor e aplique o torque correto. Torque da porca de fixação do rotor: 70 N.m ou 7 Kgf.m 4. Instale a ventoinha do motor e aplique o torque correto. Torque dos parafusos da ventoinha: 10 N.m ou 1,0 Kgf.m
  74. 74. Laser 150 74 Motor Manutenção SISTEMA DE PARTIDA 1. Instale o eixo e a engrenagem motora de partida. 2. Instale o conjunto da embreagem de partida e aplique o torque correto. Torque da porca de fixação do conjunto de partida: 50 N.m ou 5,0 Kgf.m 3. Instale os pinos-guia e a carcaça do lado direito e aplique o torque correto. Torque dos parafusos de fixação da carcaça: 10 N.m ou 1,0 Kgf.m TRANSMISSÃO 1. Instale o eixo movido, o eixo principal, a engrenagem do eixo movido, e a engrenagem motora. Coloque os pinos- guia e a junta. Em seguida, instale a tampa e aplique o torque correto.
  75. 75. Laser 150 75 Motor Manutenção Observação Após a montagem, coloque 90 ml de óleo para engrenagens. Torque dos parafusos da tampa de transmissão: 13 N.m ou 1,3 Kgf.m PEDAL DE PARTIDA 1. Instale a engrenagem de partida no eixo do virabrequim. Observando que o detalhe cônico deve ser colocado para o lado da parede da carcaça. 2. Instale o pinhão, o eixo do pedal de partida e fixe a mola do eixo. 3. Atente-se ao referencial do pinhão com a engrenagem do eixo. lado cônico
  76. 76. Laser 150 76 Motor Manutenção EMBREAGEM PRIMÁRIA, SECUNDÁRIA E CORREIA 1. Coloque a junta da tampa da correia de transmissão e monte a embreagem primária (roletes, prato e calços). Instale o conjunto no eixo do virabrequim. 4. Coloque a trava da mola e o parafuso, e aplique o torque correto. Torque do parafuso da trava da mola: 10 N.m ou 1,0 Kgf.m 2. Coloque a correia e instale a polia primária. Com o auxílio do fixador de magneto, segure a polia primária e aplique o torque correto na porca de fixação. Torque da porca de fixação da polia primária: 55 N.m ou 5,5 Kgf.m 3. Comprima, com as mãos, a mola da polia, conforme mostrado na foto ao lado, encaixe a correia e coloque-a no eixo. Se colocar a polia no eixo antes, não conseguirá instalá-la.
  77. 77. Laser 150 77 Motor Manutenção 4. Instale a sede da embreagem e, com o auxílio do fixador do rotor, aplique o torque correto na porca de fixação da polia secundária. Torque da porca de fixação da polia secundária: 40 N.m ou 4,0 Kgf.m Observação Verifique se a correia não está encharcada de óleo. Caso esteja, limpe-a para evitar que “patine”, não dando tração na motoneta. 5. Instale os pinos-guia, monte a tampa da correia de transmissão e aplique o torque correto. Torque da tampa da correia de transmissão: 10 N.m ou 1,0 Kgf.m CILINDRO E PISTÃO 1. Instale o anel superior, o secundário e os anéis de óleo, sempre obedecendo a distância entre pontas dos anéis (em torno de 120º). 2. Instale o pistão, os pinos e o anel-trava.
  78. 78. Laser 150 78 Motor Manutenção 3. Monte a trava do pistão com as pontas para baixo ou para cima, qualquer uma dessas posições evitará que a trava “pule” do seu alojamento, e o pino saia de seu local de funcionamento. 4. Instale os pinos-guia e a junta. Comprima os anéis do pistão e empurre o cilindro com cuidado, verificando sempre para não quebrar nenhum anel. Passe o guia e a corrente de comando pela cavidade do cilindro. CABEÇOTE 1. Instale o guia da corrente de comando, os pinos-guia, a junta nova e em seguida o cabeçote. Puxe a corrente de comando para evitar que ela caia dentro do motor. 2. Instale o eixo de comando e deixe o motor em sincronismo. Instale os balancins, lubrifique as porcas do cabeçote com óleo de motor, aperte as porcas e os parafusos de forma gradativa (obedecendo a ordem mostrada na foto ao lado). Aplique o torque correto. Torque dos parafusos do cabeçote: 10 N.m ou 1,0 Kgf.m Torque das porcas do cabeçote: 22 N.m ou 2,2 Kgf.m 2 3 4 1
  79. 79. Laser 150 79 Motor Manutenção 3. Instale o tensionador da corrente de comando e aplique o torque correto. Torque do parafuso do tensionador: 10 N.m ou 1,0 Kgf.m 4. Realize a regulagem das válvulas, conforme item específico. CARENAGENS DO MOTOR 1. Monte as carenagens. 5. Monte a tampa de válvulas e aplique o torque correto. Torque dos parafusos da tampa de válvulas: 10 N.m ou 1,0 Kgf.m 2. Monte o coletor de admissão e monte o carburador.
  80. 80. Laser 150 80 Motor Manutenção TROCA DO ÓLEO DO MOTOR 1. Apóie a motoneta no cavalete central, em lugar plano. 2. Ligue o motor e deixe-o funcionar em marcha lenta de um a dois minutos. Cuidado Durante a troca, tome cuidado, pois tanto o óleo como o motor estarão quentes, podendo causar queimaduras graves em caso de contato. 3. Coloque um recipiente para a coleta do óleo sob o motor e, utilizando a ferramenta correta, remova o bujão de drenagem, a mola e o filtro de tela. Atenção Memorize o posicionamento dos componentes para posterior remontagem do conjunto. Substitua o anel de borracha do bujão de drenagem a cada troca de óleo para evitar vazamentos.   4. Retire a vareta medidora do nível de óleo. bujão de dreno de óleo
  81. 81. Laser 150 81 Motor Manutenção 5. Com a chave na posição OFF, retire o cabo de vela e acione o pedal de partida várias vezes. Esse procedimento facilitará o escoamento e esvaziará os dutos do motor. Atenção Não funcione o motor sem o óleo lubrificante. Essa prática causará efeitos irreparáveis ao motor, os quais não estão cobertos pela garantia. 6. Reinstale o filtro de tela, a mola e o bujão de drenagem (já com o novo anel de vedação), e aplique o torque correto. Torque no dreno de óleo: 20 N.m ou 2,0 Kgf.m   7. Abasteça o motor com o óleo recomendado e instale a vareta medidora de óleo. 8. Acione o motor e mantenha-o em marcha lenta por aproximadamente 30 segundos, e em seguida desligue-o. Retire a vareta medidora do nível de óleo da carcaça lateral direita do motor e limpe-a com pano seco. Coloque-a na rosca da carcaça sem rosqueá-la. Retire-a novamente e verifique o nível de óleo. Se necessário, complete o nível de óleo. Verifique também a ausência de possíveis vazamentos. anel de vedação
  82. 82. Laser 150 82 Motor Manutenção TROCA DO ÓLEO DA TRANSMISSÃO 1. Apóie a motoneta no cavalete central, em lugar plano. 2. Ligue o motor e deixe-o funcionar em marcha lenta de um a dois minutos, em seguida desligue-o. 3. Coloque uma bandeja embaixo do parafuso de dreno do óleo e remova o parafuso de dreno. Torque do parafuso de dreno da transmissão: 22 N.m ou 2,2 Kgf.m dreno do óleo da transmissão Atenção Não use estopa ou qualquer material que solte fiapos. Esses fiapos podem entupir dutos de lubrificação. Especificações do óleo: API SF OU SG / JASO MA / SAE 20W50 Quantidade do óleo   0,75 litro após drenagem 0,90 litro após desmontar Cuidado O óleo do motor é uma substância tóxica. Não o jogue no esgoto ou na terra. Descarte-o de forma a não prejudicar o meio ambiente. O óleo usado do motor pode provocar câncer de pele, portanto, lave bem as mãos com água e sabão após o manuseio.
  83. 83. Laser 150 83 Motor Manutenção 4. Deixe o óleo escorrer, monte o parafuso com uma junta nova, retire o parafuso de abastecimento e coloque o óleo determinado pelo fabricante. Torque do parafuso de abastecimento: 22 N.m ou 2,2 Kgf.m Especificações do óleo: SAE 90 Quantidade do óleo 0,09 litro após drenagem   0,11 litro após desmontar Atenção Não use estopa ou qualquer material que solte fiapos. Esses fiapos podem entupir dutos de lubrificação. Cuidado O óleo da transmissão é uma substância tóxica. Não o jogue no esgoto ou na terra. Descarte-o de forma a não prejudicar o meio ambiente. O óleo usado pode provocar câncer de pele, portanto, lave bem as mãos com água e sabão após o manuseio. parafuso de abastecimento
  84. 84. 84 Laser 150 Sinalização............................................... 85 Remoção do conjunto do farol................. 85 Substituição das lâmpadas do farol.......... 85 Remoção do pisca dianteiro.................... 86 Substituição da lâmpada do pisca dianteiro............................................. 86 Remoção do pisca traseiro...................... 87 Substituição da lâmpada do pisca traseiro............................................... 87 Remoção da lanterna traseira.................. 88 Substituição da lâmpada da lanterna traseira............................................... 88 Substituição da lâmpada da lanterna dianteira............................................. 89 Substituição do painel de instrumentos.... 89 Buzina................................................... 90 Contato de ignição.................................. 90 Relé de pisca......................................... 91 Sistema elétrico Bateria......................................................... 92 Remoção da bateria................................ 92 Inspeção da bateria................................ 93 Carga na bateria..................................... 93 Sistema de partida........................................ 94 Relé de partida....................................... 94 Inspeção do relé de partida..................... 94 Substituição do motor de partida............. 94 Sistema de ignição........................................ 96 C.D.I...................................................... 96 Inspeção no C.D.I................................... 96 Vela de ignição....................................... 97 Inspeção da vela de ignição.................... 97 Supressor da vela................................... 98 Bobina de ignição................................... 98
  85. 85. Laser 150 85 Sistema elétrico Sinalização 1. Verifique se os conectores apresentam umidade ou oxidação. Para resolver o problema, retire a umidade com ar comprimido, em seguida conecte e desconecte várias vezes para eliminar a oxidação dos terminais. 2. Verifique se todas as conexões estão firmes, caso tenha algum conector com folga, elimine essa folga, pois isso pode causar mal contato e o equipamento funcionar deficientemente. 3. Com o auxílio de um multiteste, verifique a continuidade dos terminais, caso não possua continuidade, limpe os terminais com o auxílio de um limpa contatos. 4. Caso ainda não possua continuidade, examine as conexões da fiação, se necessário substitua as conexões ou o interruptor. REMOÇÃO DO CONJUNTO DO FAROL 1. Remova o acabamento do farol, o conjunto da viseira e o painel, conforme item específico. 2. Solte os parafusos de fixação do conjunto do farol e retire-o. 3. Verifique no farol a qualidade dos refletores, sinais de trinca, umidade, infiltração de água ou quaisquer impurezas. Caso ocorra algum desses problemas, substitua o conjunto. A instalação é o inverso da remoção. SUBSTITUIÇÃO DAS LÂMPADAS DO FAROL 1. Remova o acabamento do farol, o conjunto da viseira e o painel conforme item específico. 2. Sem retirar o farol, retire a capa de proteção, solte os dois parafusos de fixação da lâmpada e retire-a. 3. Verifique o estado da lâmpada e também a continuidade dos fios e conectores. A instalação é o inverso da remoção.
  86. 86. Laser 150 86 Sistema elétrico Sinalização REMOÇÃO DO PISCA DIANTEIRO 1. Remova o acabamento do farol, o conjunto da viseira e o painel, conforme item específico. 2. Retire o conector do pisca, solte os parafusos de fixação e retire-os. 3. Verifique no pisca a qualidade dos refletores, possíveis sinais de trinca, umidade, infiltração de água ou quaisquer impurezas. Caso ocorra algum dos itens citados, substitua o conjunto. A instalação é o inverso da remoção. SUBSTITUIÇÃO DA LÂMPADA DO PISCA DIANTEIRO 1. Remova o acabamento do farol, o conjunto da viseira e o painel, conforme item específico. 2. Desconecte o pisca, solte os parafusos de fixação e retire-o. 3. Solte o parafuso de fixação da lente do pisca e desencaixe-a com cuidado, em seguida retire a lâmpada. 4. Verifique o estado da lâmpada e também a continuidade dos fios e conectores para o bom funcionamento do pisca. Verifique também possíveis trincas, infiltração ou quebra. Caso ocorra algum dos itens citados, substitua o conjunto. Observação Para retirar a lente do pisca do seu encaixe, deve- se levantar um dos lados (1) e puxá-la (2), observe a indicação da foto ao lado. A instalação é o inverso da remoção. 1 2
  87. 87. Laser 150 87 Sistema elétrico Sinalização REMOÇÃO DO PISCA TRASEIRO 1. Remova o porta-objetos, conforme item específico. 2. Solte os conectores do pisca. 3. Solte a porca de fixação do pisca e retire-o. A instalação é o inverso da remoção. SUBSTITUIÇÃO DA LÂMPADA DO PISCA TRASEIRO 1. Solte o parafuso de fixação da lente do pisca traseiro, desencaixe a lente e retire a lâmpada. 2. Verifique o estado da lâmpada e também a continuidade dos fios e conectores para o bom funcionamento do pisca. Verifique também possíveis trincas, infiltração ou quebra. Caso ocorra algum dos itens citados, substitua o conjunto.
  88. 88. Laser 150 88 Sistema elétrico Sinalização Observação Para retirar a lente do pisca do seu encaixe, deve-se levantar um dos lados e puxá-la. REMOÇÃO DA LANTERNA TRASEIRA 1. Remova a carenagem traseira, conforme item específico. 2. Solte os parafusos de fixação da lanterna e retire-a. 3. Verifique possíveis trincas, quebra ou infiltração. Caso ocorra algum dos itens citados, substitua-a. A instalação é o inverso da remoção. SUBSTITUIÇÃO DA LÂMPADA DA LANTERNA TRASEIRA 1. Remova o porta-objetos, conforme item específico. 2. Solte os parafusos de fixação do soquete e remova a lâmpada. A instalação é o inverso da remoção.
  89. 89. Laser 150 89 Sistema elétrico Sinalização SUBSTITUIÇÃO DA LÂMPADA DA LANTERNA DIANTEIRA 1. Remova a carenagem frontal, conforme item específico. 2. Solte os parafusos de fixação e retire a lanterna. 3. Verifique possíveis trincas, quebra ou infiltração. Caso ocorra algum dos itens citados, substitua-a. A instalação é o inverso da remoção. Atenção Tanto para a lanterna traseira quanto para a dianteira, ao trocar a lâmpada verifique a continuidade dos fios. SUBSTITUIÇÃO DO PAINEL DE INSTRUMENTOS 1. Remova a carenagem frontal, conforme item específico. 2. Solte o cabo do velocímetro. 3. Solte os parafusos de fixação do painel, retire a lâmpada, em seguida o painel. Observação O painel deve ser substituído quando apresentar trincas, má visibilidade, problemas nos ponteiros ou no hodômetro, ou outras anomalias.
  90. 90. Laser 150 90 Sistema elétrico Sinalização 4. Solte o soquete da lanterna e verifique a lâmpada e os conectores, caso haja alguma anomalia, substitua o item avariado. A instalação é o inverso da remoção. BUZINA A troca da buzina deve ocorrer quando apresentar má qualidade do som ou estiver inoperante. Para tanto proceda como o indicado a seguir: 1. Remova a carenagem frontal, conforme item específico. 2. Solte os terminais da buzina e remova-a. A instalação é o inverso da remoção. CONTATO DE IGNIÇÃO 1. Remova a carenagem frontal, conforme item específico. 2. Solte o conector do contato de ignição.
  91. 91. Laser 150 91 Sistema elétrico Sinalização 3. Solte os parafusos de fixação e remova o contato de ignição. Observação O contato de ignição deve ser trocado caso apresente falhas de partida, mau contato ou engripamento da chave. A instalação é o inverso da remoção. RELÉ DE PISCA 1. Remova a carenagem frontal, conforme item específico. 2. Solte os conectores do relé de pisca e remova-o. A instalação é o inverso da remoção.
  92. 92. Laser 150 92 Sistema elétrico Bateria 1. Coloque a chave da motoneta no orifício, gire-a no sentido anti-horário e retire a tampa. 2. Retire primeiro o pólo negativo, em seguida o pólo positivo e remova a bateria. Atenção Para a instalação primeiro conecte o cabo positivo e em seguida o negativo. REMOÇÃO DA BATERIA A bateria está localizada no centro da motoneta abaixo da tampa.
  93. 93. Laser 150 93 Sistema elétrico Bateria CARGA NA BATERIA Para efetuar a carga na bateria, siga os procedimentos: 1. Retire a bateria da motoneta, conforme item específico. 2. Coloque os terminais do carregador nos respectivos bornes da bateria. 3. Aplique uma carga lenta na bateria, geralmente essa carga lenta é em torno de 10% da capacidade de carga da bateria. Observação Não aplique carga acima do especificado, isso pode danificar a bateria. Cuidado • A bateria produz gases explosivos, portanto não fume próximo ao local de carga da bateria e deixe-a em local bem ventilado. • Utilize sempre o carregador homologado pela DAFRA, visto que o mesmo possui as calibrações necessárias para cada tipo de bateria.   3. Após carregar a bateria, faça o teste com o aparelho de simulação de partida (HOMOLOGADO) e verifique se após o teste ela adquiriu carga suficiente. 4. Caso a carga esteja adequada, instale a bateria na motoneta. 5. Caso não esteja, substitua a bateria. INSPEÇÃO DA BATERIA 1. Verifique a tensão da bateria com um multÍmetro de preferência em temperatura ambiente (± 20°C). Bateria carregada: 13,8 volts 2. Abaixo de 12,5 volts, é necessário carregar a bateria em carga lenta para não danificá-la.
  94. 94. Laser 150 Sistema elétrico Sistema de partida 94 RELÉ DE PARTIDA 1. Levante o banco e remova o porta-objetos, conforme item específico 2. Solte os parafusos dos conectores do relé de partida, solte o conector indicado e puxe o relé para removê-lo. A instalação é o inverso da remoção. INSPEÇÃO DO RELÉ DE PARTIDA 1. Solte o conector do relé de partida. 2. Conecte o multímetro em escala (Ω x 1) à bateria e ao relé. 3. Se o relé não apresentar continuidade, substitua-o. SUBSTITUIÇÃO DO MOTOR DE PARTIDA 1. Solte o cabo do relé de partida.
  95. 95. Laser 150 Sistema elétrico Sistema de partida 95 2. Solte o cabo negativo do motor de partida. 3. Solte os parafusos de fixação do motor e retire-os. 4. Verifique possível desgaste no pinhão do motor de partida se estiver girando com dificuldade e desgastando as escovas, substitua-o. A instalação é o inverso da remoção.
  96. 96. Laser 150 Sistema elétrico Sistema de ignição 96 C.D.I. 1. Levante o banco e remova o porta-objetos, conforme item específico. 2. Empurre o C.D.I. para a direita conforme foto ao lado. 3. Retire as travas do conector e remova o C.D.I. A instalação é o inverso da remoção. INSPEÇÃO NO C.D.I. Verifique o estado das conexões dos fios e do encaixe deles, pois qualquer tipo de folga ou oxidação pode dar mau contato e prejudicar o bom funcionamento do motor causando falha na centelha da vela. A instalação é o inverso da remoção.
  97. 97. Laser 150 Sistema elétrico Sistema de ignição 97 VELA DE IGNIÇÃO 1. Remova a carenagem traseira conforme item específico. 2. Retire o cabo de vela, e remova a vela de ignição. INSPEÇÃO DA VELA DE IGNIÇÃO 1. Verifique as condições da vela de ignição e o tipo da vela. Caso esteja fora de especificação ou com desgaste excessivo, substitua. Vela de ignição NGK Tipo: D8EA   2. Meça a abertura do eletrodo da vela com o auxílio de um calibre de lâminas. Abertura do eletrodo: 0,6 mm a 0,7 mm Torque da vela de ignição: 13 N.m ou 1,3 Kgf.m   A instalação é o inverso da remoção.
  98. 98. SUPRESSOR DA VELA 1. Remova o supressor da vela do fio de ignição. Verifique quanto a trincas ou outras avarias. Caso apresente algum dos problemas citados, substitua o supressor. Observação Desrosqueie o supressor, para retirá-lo. 2. Com o auxílio de um multímetro, meça a resistência do supressor. Caso esteja fora do especificado, substitua-o. Resistência do Supressor: 4KΩ com variação de 10 % A instalação é o inverso da remoção. BOBINA DE IGNIÇÃO 1. Solte os conectores da bobina de ignição do terminal da bobina. 2. Com o auxílio de um multímetro, meça a resistência dos enrolamentos primário e secundário. Caso esteja fora do especificado, substitua a bobina. Resistência do enrolamento primário: 0,9 Ω com variação de 10% Resistência do enrolamento secundário: 2,9 KΩ com variação de 10% 98 Laser 150 Sistema elétrico Sistema de ignição 98
  99. 99. Copyright © 2008 by Dafra da Amazônia Indústria e Comércio de Motocicletas LTDA. Coordenação geral Marcus Amaral A. Cardoso Redação técnica e montagem Willians da Silva Pereira Projeto e editoração AGWM Editora e Produções Editoriais Todos os direitos reservados à Dafra da Amazônia Indústria e Comércio de Motocicletas Ltda. Avenida Santa Etelvina, nº- 216 – Santa Etelvina Cep 69059-165 Manaus – AM – Brasil Telefone: (55 92) 3186-6863

×