• Salvar
Tirando dúvidas sobre a dor de cabeça
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Like this? Share it with your network

Share

Tirando dúvidas sobre a dor de cabeça

on

  • 579 visualizações

Aula de Dr. Marcelo Marinho esclarecendo alguns dos maiores mitos sobre as dores de cabeça.

Aula de Dr. Marcelo Marinho esclarecendo alguns dos maiores mitos sobre as dores de cabeça.
Abordagem voltada para o leigo. Muito interessante!

Estatísticas

Visualizações

Visualizações totais
579
Visualizações no SlideShare
571
Visualizações incorporadas
8

Actions

Curtidas
0
Downloads
0
Comentários
0

1 Incorporado 8

http://www.neurolife.med.br 8

Categorias

Carregar detalhes

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Direitos de uso

© Todos os direitos reservados

Report content

Sinalizado como impróprio Sinalizar como impróprio
Sinalizar como impróprio

Selecione a razão para sinalizar essa apresentação como imprópria.

Cancelar
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Tem certeza que quer?
    Sua mensagem vai aqui
    Processing...
Publicar comentário
Editar seu comentário
  • Em cada segmento medular, um par de raizes ventrais e dorsais se combinam para formar um nervo espinhal. <br />
  • Em cada segmento medular, um par de raizes ventrais e dorsais se combinam para formar um nervo espinhal. <br />
  • Em cada segmento medular, um par de raizes ventrais e dorsais se combinam para formar um nervo espinhal. <br />
  • Em cada segmento medular, um par de raizes ventrais e dorsais se combinam para formar um nervo espinhal. <br />
  • Em cada segmento medular, um par de raizes ventrais e dorsais se combinam para formar um nervo espinhal. <br />
  • Em cada segmento medular, um par de raizes ventrais e dorsais se combinam para formar um nervo espinhal. <br />
  • Em cada segmento medular, um par de raizes ventrais e dorsais se combinam para formar um nervo espinhal. <br />
  • Em cada segmento medular, um par de raizes ventrais e dorsais se combinam para formar um nervo espinhal. <br />
  • Em cada segmento medular, um par de raizes ventrais e dorsais se combinam para formar um nervo espinhal. <br />
  • Em cada segmento medular, um par de raizes ventrais e dorsais se combinam para formar um nervo espinhal. <br />
  • Em cada segmento medular, um par de raizes ventrais e dorsais se combinam para formar um nervo espinhal. <br />
  • Em cada segmento medular, um par de raizes ventrais e dorsais se combinam para formar um nervo espinhal. <br />
  • Em cada segmento medular, um par de raizes ventrais e dorsais se combinam para formar um nervo espinhal. <br />
  • Em cada segmento medular, um par de raizes ventrais e dorsais se combinam para formar um nervo espinhal. <br />
  • Em cada segmento medular, um par de raizes ventrais e dorsais se combinam para formar um nervo espinhal. <br />
  • Em cada segmento medular, um par de raizes ventrais e dorsais se combinam para formar um nervo espinhal. <br />
  • Em cada segmento medular, um par de raizes ventrais e dorsais se combinam para formar um nervo espinhal. <br />
  • Em cada segmento medular, um par de raizes ventrais e dorsais se combinam para formar um nervo espinhal. <br />
  • Em cada segmento medular, um par de raizes ventrais e dorsais se combinam para formar um nervo espinhal. <br />
  • Em cada segmento medular, um par de raizes ventrais e dorsais se combinam para formar um nervo espinhal. <br />
  • Em cada segmento medular, um par de raizes ventrais e dorsais se combinam para formar um nervo espinhal. <br />
  • Em cada segmento medular, um par de raizes ventrais e dorsais se combinam para formar um nervo espinhal. <br />
  • Em cada segmento medular, um par de raizes ventrais e dorsais se combinam para formar um nervo espinhal. <br />
  • Em cada segmento medular, um par de raizes ventrais e dorsais se combinam para formar um nervo espinhal. <br />
  • Em cada segmento medular, um par de raizes ventrais e dorsais se combinam para formar um nervo espinhal. <br />
  • Em cada segmento medular, um par de raizes ventrais e dorsais se combinam para formar um nervo espinhal. <br />
  • Em cada segmento medular, um par de raizes ventrais e dorsais se combinam para formar um nervo espinhal. <br />
  • A medula espinhal é dividida em 31 segmento <br />

Tirando dúvidas sobre a dor de cabeça Presentation Transcript

  • 1. Dúvidas sobre cefaléias Dr. Marcelo Marinho de Figueiredo Neurologista
  • 2. Objetivo da aula
  • 3. Qual a diferença entre cefaléia e dor de cabeça?
  • 4. cefaléia e dor de cabeça Nenhuma. Cefaléia é sinônimo de dor de cabeça • Cefaléia é um termo técnico e dor de cabeça um termo popular
  • 5. Existem muitos tipos de cefaléia?
  • 6. Tipos de cefaléia Existem cerca de 300 tipos de dores de cabeça • As características da dor de cabeça obtidas através da avaliação neurológica levarão ao diagnóstico do tipo de dor de cabeça
  • 7. Dor de cabeça pode ser decorrente de doença grave? Posso ter um aneurisma ou um tumor?
  • 8. Cefaléia e doença grave Raramente cefaléia é decorrente de doença grave • Relato comum em consulta neurológica • “Será que tenho um caroço na cabeça, um aneurisma ou mesmo um derrame?”
  • 9. Cefaléia e doença grave • Aneurisma • Tumor – outros sintomas associados
  • 10. Cefaléia e doença grave • AVC ou derrame
  • 11. Como saber se minha dor de cabeça pode ser decorrente de doença grave?
  • 12. Cefaléia e doença grave Avaliação neurológica • • • • • • Cefaléia com início após os 50 anos Início súbito Piora com decúbito Mudança padrão cefaléia Refratariedade Alterações exame neurológico
  • 13. Cefaléia e doença grave Avaliação neurológica • Exames como tomografia e ressonância devem ser feitos somente em casos indicados.
  • 14. Enxaqueca e dor de cabeça são a mesma coisa?
  • 15. Enxaqueca e dor de cabeça Não. Enxaqueca é apenas um dos quase 300 tipos de dores de cabeça • Enxaqueca é a dor de cabeça mais conhecida, por isso por vezes a população chama qualquer dor de cabeça de “enxaqueca”
  • 16. Como eu sei se minha dor de cabeça é uma enxaqueca?
  • 17. Características da enxaqueca A enxaqueca possui características bem típicas.
  • 18. O que é uma enxaqueca com aura?
  • 19. Enxaqueca com aura A aura é um fenômeno neurológico que ocorre antes da dor podendo ser visual ou sensitivo
  • 20. Tem como saber que terei uma crise de enxaqueca?
  • 21. Sinais de alerta - enxaqueca Algumas pessoas tem sinais que alertam que ocorrerá uma crise • • • • • • • • Desconforto na cabeça Bocejos frequentes Irritabilidade Perda concentração ou raciocínio Diarréia Desejo ou aversão por algum alimento Desconforto abdominal Palidez (mais em crianças)
  • 22. O que pode desencadear uma crise de enxaqueca?
  • 23. Fatores desencadeantes Existem inúmeros fatores para desencadear crises de enxaqueca • • • • • • Estresse físico e/ou emocional Privação de sono ou sono prolongado Jejum prolongado ou pular uma refeição Ingestão de bebidas alcóolicas Ingestão excessiva de café Variações do ciclo hormonal
  • 24. Alimentos podem desencadear uma crise de enxaqueca?
  • 25. Fatores desencadeantes O fator alimentar pode estar presente ou não. Deve-se buscá-lo e caso presente evitar o alimento. • • • • • • • • Chocolate Frutas cítricas Queijos amarelos Embutidos Molhos vermelhos Aspartame Glutamato monossódico Frituras e gorduras
  • 26. Crianças e adolescentes podem ter enxaqueca?
  • 27. Enxaqueca em crianças Sim, desde muito pequenas. Muitas vezes a queixa não é valorizada pelos pais • Algumas vezes interpretado como “manha” ou desculpa para não ir a aula • “A visão está boa?” – oftalmologista
  • 28. O que pode ocorrer se eu usar analgésicos todos os dias?
  • 29. Fatores desencadeantes O uso contínuo leva a cefaléia diária • O uso de analgésicos não deve ser superior que 2 a 3 dias por semana • Terapias alternativas • Tratamento preventivo
  • 30. O fígado é o culpado pela enxaqueca?
  • 31. Enxaqueca e o fígado Não. Corresponde a um mito devido a enxaqueca causar vômitos • “vomitei a bile. Deve ser problema no fígado” • Náuseas e vômitos são comuns na enxaqueca
  • 32. Como a enxaqueca é tratada?
  • 33. Tratamento enxaqueca Existem duas linhas de tratamento 1 – Tratamento preventivo 2 – Tratamento das crises • Preventivo – Uso diário com objetivo de reduzir frequência e intensidade das crises • Crise – Usado somente na crise com objetivo de cessar rapidamente. • Esteja sempre preparado!
  • 34. Não tenho depressão nem pressão alta mas o médico passou um anti-depressivo e um remédio de pressão. Por quê?
  • 35. Tratamento enxaqueca Anti-depressivos, anti-hipertensivos, “remédio para labirintite” e anticonvulsivantes são as principais medicações para enxaqueca • Várias medicações possuem várias funções terapêuticas. Não siginifica que o paciente tenha “depressão nem pressão alta”
  • 36. Tratamento para enxaqueca engorda?
  • 37. Tratamento engorda? Depende da medicação • Ao melhorar das crises com náuseas e vômitos (se alimenta mal) existe uma tendência para começar a se alimentar melhor – cuidado na dieta • Existem varias opções terapêuticas que não engordam, até mesmo emagrecem
  • 38. Enxaqueca tem cura?
  • 39. Enxaqueca tem cura? Não. Possui tratamento, podendo ser controlada e com período livre de doença • O tratamento reduz frequência e intensidade das crises, podendo até ficar sem crises por vários anos
  • 40. O que é cefaléia em salvas?
  • 41. Cefaléia em salvas Cefaléia rara com crises de dor periorbitária associado a outros sinais • • • • • • • • Duração entre 15-180 minutos Mais comum em homens Vermelhidão ocular Queda palpebral Lacrimejamento Congestão nasal Coriza Alterações pupilares
  • 42. OBRIGADO