28 de maio | 2009
EQUITY INSIGHTS                                                                                         ...
EQUITY INSIGHTS                                                                                                  28 de mai...
EQUITY INSIGHTS                                                                                28 de maio | 2009


       ...
EQUITY INSIGHTS                                                                                  28 de maio | 2009


     ...
EQUITY INSIGHTS                                                                        28 de maio | 2009



Proventos


  ...
EQUITY INSIGHTS                                                                                                           ...
EQUITY INSIGHTS                                                                                                           ...
EQUITY INSIGHTS                                                                                             28 de maio | 2...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Equity Insights 28.05

472 visualizações

Publicada em

Equity Insights 28.05

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
472
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Equity Insights 28.05

  1. 1. 28 de maio | 2009 EQUITY INSIGHTS 28 de maio | 2009 Equity Research Equity Insights 28 de maio de 2009 quot;There is nothing like returning to a place that remains unchanged to find the ways in which you yourself have altered.quot; Nelson Mandela Trading Ibovespa Intraday – 27/mai/2009 A Bolsa de Valores de São Paulo encerrou o pregão desta quarta-feira 54.000 com pequena queda, após operar em alta na maior parte do dia. A 53.500 piora do mercado norte-americano pouco antes de terminar o pregão 53.000 influenciou a virada da bolsa. O Ibovespa fechou em baixa de 0,09%. 52.500 O volume negociado somou R$ 5,30 bi. 52.000 As maiores quedas do dia ficaram com SBSP3 (-4,39%), devolvendo 51.500 parte da forte valorização de terça-feira, CSNA3 (-3,93%) e EMBR3 (- 51.000 3,54%). Os papéis VALE3 e VALE5 encerraram em queda de 2,65% e 10:00 10:45 11:30 12:15 13:00 13:45 14:30 15:15 16:00 16:45 2,24%, ajudando a puxar a queda do índice. Já o setor imobiliário reagiu à divulgação das operações de crédito pelo Banco Central, que informou que o crédito para o segmento imobiliário apresentou expansão de 2,6% em abril na comparação com março; RSID3 avançou Maiores Altas - Ibovespa 1,75% e CYRE3 subiu 1,35%. Cód. Fechto. Var. Nos EUA, a queda dos preços dos títulos do Tesouro fez com que GGBR4 19,38 3,64% aumentassem as preocupações em relação a economia do país. O Dow KLBN4 3,29 3,13% Jones fechou em queda de 2,05%, o S&P 500 recuou 1,90% e o Nasdaq RDCD3 27,86 2,99% registrou baixa de 1,10%. No setor financeiro, as ações do JPMorgan GOAU4 24,87 2,56% caíram 5,15% e as da American Express fecharam em baixa de 4,35%. As TRPL4 46,13 2,06% ações do Bank of America tiveram queda menor, de 0,64%, após o TNLP4 34,85 2,05% banco afirmar que já levantou mais de 75% dos US$ 33,9 bi necessário BTOW3 37,50 2,04% segundo o teste de stress. As ações da General Motors recuaram TMAR5 57,42 1,99% 20,14%, depois que a empresa informou que não há interessados Maiores Baixas - Ibovespa suficientes para troca de mais de US$ 27 bi em dívida por ações. Cód. Fechto. Var. No mercado europeu, por outro lado, as bolsas fecharam em alta, SBSP3 30,30 -4,39% influenciadas pelo ganho do setor financeiro e melhora do índice de CSAN3 14,90 -3,93% confiança do consumidor francês. O FT-100 avançou 0,10%, o DAX EMBR3 9,26 -3,54% subiu 0,30% e o CAC-40 fechou em alta de 0,76%. Os papéis do HBSC TAMM4 17,56 -3,36% subiram 1,99% e os do BNP Paribas registraram alta de 1,51%. As ações LREN3 21,50 -2,71% da Air Berlin ganharam 2,0%, após divulgação de resultado; ainda no VALE3 37,85 -2,65% setor, as ações da Ryanair subiram 7,0% e as da EasyJet +2,3%. Agora GOLL4 8,70 -2,47% pela manhã, as bolsas da Europa opera em baixa: Londres -1,20%, CGAS5 35,11 -2,39% Frankfurt -1,20% e Paris -0,93%. As ações da BHP Billiton (-2,02%) e da Rio Tinto (-2,78%) seguem o mesmo caminho. Mercados Internacionais Indice Fechto. Var. Nesta quinta-feira, a bolsa de Tóquio fechou com pequena alta, em Ibovespa 51.791,00 -0,09% parte reagindo a alta das ações de exportadoras. O Nikkei subiu 0,13%. Dow Jones 8,300.02 -2.05% Os papéis da Toyota avançaram 2,7% e os da Honda ganharam 2,4%, Nasdaq 1,747.62 -1.10% influenciados pela alta do dólar e pela situação da GM, grande S&P 500 893.06 -1.90% concorrente nos EUA. As ações da Toshiba avançaram 1,2%, após a FTSE 4.377,13 +0,10% empresa fixar o preço das ações que pretende emitir (US$ 3,27 bi). DAX 4.915,17 +0,30% Nikkei 9.202,71 +0,13% 1
  2. 2. EQUITY INSIGHTS 28 de maio | 2009 Top Picks Target Price Variação Empresa Ticker Preço Atual Upside Potential Dia de Inclusão Performance* dez/2009 Diária AES Tietê GETI4 R$ 22,30 R$ 19,20 16,1% 30-set-08 -2,9% 37,5% ALL Logística ALLL11 R$ 16,00 R$ 11,38 40,6% 16-jan-09 1,3% 36,5% Suzano SUZB5 R$ 24,00 R$ 15,83 51,6% 25-mai-09 4,8% 7,0% GVT GVTT3 R$ 35,00 R$ 32,05 9,2% 20-abr-09 3,1% 23,0% OHL OHLB3 R$ 20,00 R$ 17,85 12,0% 25-mai-09 -0,6% 4,7% Itaúsa ITSA4 R$ 9,40 R$ 8,84 6,3% 18-fev-08 0,2% 14,7% Perdigão PRGA3 R$ 42,00 R$ 38,30 9,7% 6-jan-09 -0,5% 21,9% Tractebel TBLE3 R$ 29,10 R$ 18,45 57,7% 25-mai-09 -1,4% 1,0% Bradespar BRAP4 R$ 35,00 R$ 29,00 20,7% 2-fev-09 -0,3% 26,9% Copasa CSMG3 R$ 28,00 R$ 25,75 8,7% 6-abr-09 -0,1% 29,4% * Performance desde o dia de inclusão Ajustado por proventos Notícias Analisadas China entra com licença de A diretoria executiva da Associação Brasileira dos Produtores e Exportadores de importação para carne de Frango-ABEF, confirmou há pouco a existência de dois primeiros pedidos de frango do Brasil licença de importação de carne de frango brasileira pela China. De acordo com a ABEF, os pedidos de licença ocorreram logo após o governo chinês ter divulgado oficialmente a lista de 22 plantas brasileiras habilitadas a exportar carne de frango para aquele país. Opinião: Finalmente os chineses vão realizar as primeiras compras diretas de carne de frango do Brasil. A abertura desse mercado havia sido anunciada no final do ano passado, porém o governo chinês não liberava as licenças aos importadores. E o potencial desse mercado é enorme. Apenas no ano passado os chineses importaram quase US$ 1,0 bi em carne de aves. Só para ter uma idéia relativa, em 2008 as exportações brasileiras de carne de frango in natura somaram US$ 5,8 bi. E a carne de frango brasileira não é uma novidade para os consumidores chineses. Atualmente, nosso produto já entra no país via Hong Kong. Mas apesar de extremamente positiva, essa conquista não deve ter um impacto significativo no curto prazo. Os ganhos virão nos próximos anos. De qualquer forma, a previsão inicial de que as exportações de carne de frango teriam um crescimento de 5% em volume nesse ano deverá se confirmar. Portanto, nossa expectativa inicial de que a carne de frango teria um bom desempenho (por ser um produto mais barato) está se confirmando. Por isso, nossas recomendações continuam sendo compra para PRGA3 e SDIA4. Entressafra e laticínios em crise O começo da entressafra do leite no Centro-Sul e o ajuste na oferta do produto elevam preço do leite fizeram os preços do longa vida atingirem recordes em maio. O leite longa vida no atacado paulista alcançou a média de R$ 2,14 o litro. No varejo paulista, o longa vida fechou maio com preço médio de R$ 2,28 o litro. E o produtor também recebeu mais neste mês. Na média nacional, o preço do produto entregue em abril ficou em R$ 0,627 por litro. Opinião: Depois dos preços baixos em 2008, causados pelo excesso de leite no mercado, os investimentos na produção foram reduzidos e agora a oferta está mais normalizada. A crise também acabou ajudando nesse ajuste, uma vez que muitos laticínios tiveram que fechar unidades de processamento. E como a demanda por leite segue firme, a menor oferta de matéria-prima acabou provocando um aumento nos preços do longa vida. No atacado, o preço de maio é o maior desde agosto de 2007. Já no varejo, o preço é o maior desde julho de 2007. Apenas no último mês o aumento dos preços para os consumidores foi superior a 24%. Enquanto isso, o preço pago ao produtor teve um aumento de apenas 4,3% nesse mesmo período. Portanto, o setor de lácteos 2
  3. 3. EQUITY INSIGHTS 28 de maio | 2009 está voltando a apresentar uma boa rentabilidade. E o mais interessante é que essa recuperação do setor está ocorrendo justamente no momento em que as vendas externas de carnes estão fracas, o que mostra que a estratégia de diversificação da Perdigão foi acertada. Assim, mantemos a recomendação de compra para PRGA3. Bradesco amplia para 80 meses Ontem o Bradesco anunciou que ampliou de 60 para 80 meses o prazo máximo de prazo máximo de financiamento de veículos zero quilômetro. Além disso, reduziu a taxa mínima financiamento de veículos para correntistas de 1,52% ao mês para 1,2% ao mês. Opinião: O Bradesco segue o movimento de seus concorrentes Santander e Itaú Unibanco que nos últimos dias também elevaram o prazo de financiamento de veículos de 60 para 72 meses. Conforme comentamos já no início dessa semana, a ampliação no prazo está sendo possível dada uma sinalização de melhora do cenário econômico e melhor qualidade das novas concessões, possível graças ao aumento das exigências (ex: maior valor de entrada) e também um melhor comportamento dos consumidores. Em abril já pudemos notar uma redução na inadimplência, tanto no indicador do BC (de 8,4% em março para 8,2% em abril), como nos indicadores do Serasa (-9,5% mom em abril). Acreditamos que esse aumento de prazo é positivo para o Bradesco, porém não deve impactar de maneira significativa o crescimento de sua carteira de auto. No setor, mantemos nossa recomendação de neutro para BBDC4 e ITAU4/ITSA4. Pendências trabalhistas de Uma decisão da Justiça trabalhista de São Paulo coloca em risco a concretização Tanure ameaçam negócio da compra da Intelig pela TIM. Em sentença da última quinta-feira, 21, a juíza TIM/Intelig Maria Aparecida Vieira Lavorini determinou que sejam penhoradas ações da Intelig equivalentes a R$ 250 mm. A ação de penhora faz parte de um processo em que uma associação de funcionários e ex-funcionários da Gazeta Mercantil – outra empresa do Grupo Docas Investimentos, do empresário Nelson Tanure – move por dívidas trabalhistas. A associação representa um grupo de 400 pessoas. Todas as partes envolvidas no negócio já foram notificadas pelos advogados da associação dos funcionários da Gazeta, quais sejam: Junta Comercial do Estado do Rio de Janeiro, CVM, Anatel e as empresas envolvidas. Dessa forma, segundo o advogado Carlo Frederico Müller, o empresário Nelson Tanure não dispõe das ações para negociá-las. quot;A penhora significa a indisponibilidade do bem. O Tanure não tem esse bem disponível para que ele possa negociar com terceirosquot;, afirma. Ainda de acordo com o advogado, a vigência da sentença implica a não transferência das ações da Intelig para a TIM. quot;Se a Anatel ou a CVM derem o aval até a decisão ser revogada, eles estarão cometendo crime de desobediênciaquot;, afirma. No fato relevante em que a TIM informa os termos do acordo com a Intelig, divulgado no dia 16 de abril, uma das condições para a concretização do negócio é a solução dos passivos com os bancos credores e a capitalização de créditos anteriormente detidos pelos antigos controladores da Intelig. Opinião: A não concretização da operação será negativa para a TIM, já que grande parte do turn- around operacional da companhia e ganhos de margens futuros estavam pautados nas sinergias e redução de custos de interconexão a serem auferidos com a aquisição do backbone da Intelig. Com a revogação do deal, entendemos que o desconto da TIM em relação à Vivo deverá se abrir ainda mais. Como já dissemos aqui, em nosso ver, o prêmio dado aos papéis da Vivo é válido e deverá ser ainda maior quando forem divulgados os números do 2T09. A TIM voltou a capturar clientes, no entanto, tememos que este movimento comercial tenha um custo muito elevado, sem implicar necessariamente em um ARPU. Mantemos a nossa preferência pelos papéis da Vivo e, em breve, divulgaremos projeções detalhadas para a companhia. Presidente da Brisa destaca O presidente da Brisa, um dos quatro controladores de referência da CCR- importância da participação na Companhia de Concessões Rodoviária, reforçou em evento em Portugal a CCR importância da participação no grupo de concessionárias brasileiras. quot;Estamos muito satisfeitosquot; com a parceria estabelecida com os outros sócios da CCR, disse o presidente da Brisa, Vasco de Mello, enfatizando que quot;o modelo de quatro parceiros tem sido excepcionalquot;.quot;A Brisa muitas vezes colocou a questão de saber se valia a pena ter uma participação de 18% que não permitia consolidar em 3
  4. 4. EQUITY INSIGHTS 28 de maio | 2009 termos financeirosquot;. quot;Chegámos à conclusão de que esta era a melhor solução e era a que criava mais valor. E o sucesso da CCR dá-nos conforto por esta opçãoquot;, disse Vasco de Mello, citado pelo jornal Diário Económico. quot;Preferimos ter 18% de uma empresa que cresce do que ter 100% de uma empresa que não cresce e não cria valorquot;, afirmou o presidente da Brisa durante almoço-palestra promovido Clube de Empresários do Brasil, em Lisboa. A CCR é controlada, além da portuguesa Brisa, pelas construtoras brasileiras Andrade Gutiérrez (17,7%), Camargo Corrêa (17,9%) e pelo grupo industrial Serveng (17,9%). O restante capital da CCR (28,6%) está disperso na Bovespa. Opinião: Não é por menos. A CCR tem reportado forte crescimento e ganhos de margem. No 1T09, repleto de adversidades econômicas, a CCR registrou alta de 15,4% em faturamento líquido. Para 2009, o foco da empresa será o equacionamento da dívida de longo prazo do Rodoanel e a manutenção da rentabilidade. A companhia espera alta de tráfego em torno de 1%, o que deve ser refletido em alta de até 10% na receita, em função de reajustes tarifários. Apesar da ‘austeridade’, a CCR não descarta a possibilidade de crescimento inorgânico e se diz preparada para enfrentar a concorrência dos próximos leilões, principalmente do trecho sul do Rodoanel. Gostamos do setor e da companhia, no entanto, entendemos que todos este ‘bom momento’ já esteja precifico nos papéis da companhia, que tiveram forte valorização recentemente. Gol anuncia o encerramento da A Gol anunciou que foi encerrada ontem a distribuição da 3ª emissão de distribuição de debêntures debêntures simples, não conversíveis em ações, no montante de R$ 400 milhões. As debêntures serão remuneradas a uma taxa de juros de 126,50% do CDI e sua amortização será realizada em 18 pagamentos mensais e consecutivos, com 6 meses de carência, a partir do sétimo mês da data de emissão, com vencimento do ultimo em 13 de maio de 2011. Opinião: Segundo Leonardo Pereira, Vice- Presidente Financeiro da companhia, a meta é atingir um montante de caixa e investimentos de curto prazo de R$ 800 milhões até o fim do ano. Acreditamos que esse objetivo é factível, mesmo com o aumento de concorrência que estamos vendo entre as companhias aéreas, que em conjunto com uma demanda menor deve levar a yields menores quando comparado ao 4T08 e 1T09. Mas ainda sim, a situação de caixa da empresa constitui um dos investments risks da Gol, já que a mesma necessita realizar em 2009 grandes desembolsos para pré-pagamento e aquisição de aeronaves, podendo chegar a R$ 1,05 bi considerando os preços de tabela das aeronaves. Mantemos nossa recomendação de neutro para os papéis do setor. 4
  5. 5. EQUITY INSIGHTS 28 de maio | 2009 Proventos S/E Tipo Provento Data AGE Data EX Exercício Valor em R$ Data Crédito Copasa juros sobr 27/03/2009 - 2009 0,32424988273 P/ 1 26/05/2009 Copasa juros sobr 27/03/2009 - 2009 0,24317396770 P/ 1 26/05/2009 Copasa juros sobr 27/03/2009 - 2009 0,32424988273 P/ 1 26/05/2009 Cremer dividendo 23/04/2009 - 2008 0,03816000000 P/ 1 26/05/2009 Cremer dividendo 04/05/2009 - 2008 0,12092668000 P/ 1 26/05/2009 Cremer juros sobr 04/05/2009 - 2009 0,20020364000 P/ 1 26/05/2009 Klabin S/A dividendo 15/05/2009 - 2009 0,03420000000 P/ 1 26/05/2009 Klabin S/A dividendo 15/05/2009 - 2009 0,03762000000 P/ 1 26/05/2009 Brasil juros sobr 18/03/2009 - 2009 0,17441027344 P/ 1 27/05/2009 Brasil juros sobr 18/03/2009 - 2009 0,17441027344 P/ 1 27/05/2009 Brasil juros sobr 18/03/2009 - 2009 0,17441027344 P/ 1 27/05/2009 Brasil dividendo 28/04/2009 - 2009 0,08510772798 P/ 1 27/05/2009 Brasil dividendo 28/04/2009 - 2009 0,08510772798 P/ 1 27/05/2009 Brasil dividendo 14/05/2009 - 2009 0,08510772798 P/ 1 27/05/2009 Confab juros sobr 27/04/2009 - 2008 0,04387000000 P/ 1 27/05/2009 Confab juros sobr 27/04/2009 - 2008 0,04387000000 P/ 1 27/05/2009 Est Piaui juros sobr 18/03/2009 - 2009 0,03789536586 P/ 1 27/05/2009 Est Piaui dividendo 28/04/2009 - 2009 0,01849196395 P/ 1 27/05/2009 Oderich dividendo 27/04/2009 - 2008 0,08748937000 P/ 1 27/05/2009 Oderich dividendo 27/04/2009 - 2008 0,09623831000 P/ 1 27/05/2009 Odontoprev dividendo 27/04/2009 - 2009 0,57341793200 P/ 1 27/05/2009 Fonte: CBLC 5
  6. 6. EQUITY INSIGHTS 28 de maio | 2009 Stock Guide Ultima Preço Ultimo Oscilação Participação Market Companhia Ticker Recomendação1 Upside 08 P/L 094 08 FV/Ebitda 095 08 Div Yld 096 P/VPA 7 Recom Alvo(R$)2 Fechamento 1 dia 1 mês IBOV Cap(R$mm) 3 Ibovespa IBOV 51.791 -0,1% 13,0% 100% Açúcar & Etanol 8 Cosan CSAN3 S.R - - 14,90 - -3,9% 13,0% 0,5% 4.886 n.a - 28,7x - 1,1% - 1,3x São Martinho SMTO3 S.R - - 17,99 - 0,5% 43,4% - 2.031 n.a - 13,3x - 0,8% - 1,3x Guarani ACGU3 S.R - - 3,35 - 1,8% 34,0% - 960 n.a - 8,1x - 6,6% - 1,0x Fertilizantes Fosfértil FFTL4 S.R - - 17,00 - 2,7% 13,3% - 7.176 6,1x - 2,4x - 5,3% - 3,7x Heringer FHER3 S.R - - 7,00 - 0,1% 55,6% - 339 n.a - 6,4x - 0,6% - 1,4x Financeiro Banco do Brasil BBAS3 S.R - - 21,00 - -0,2% 16,4% 2,4% 53.908 4,3x - n.a n.a 6,3% - 1,7x Bradesco BBDC4 Neutro 14/4/2009 30,20 29,60 2% 0,1% 16,9% 3,8% 82.437 8,6x 11,5x n.a n.a 3,1% 3,0% 2,3x Itaú Unibanco ITUB4 Neutro 14/4/2009 33,30 31,69 5% 0,4% 14,9% 5,6% 117.004 12,5x 11,7x n.a n.a - 3,0% 2,6x Itausa ITSA4 Neutro 14/4/2009 9,40 8,84 6% 0,2% 13,7% 2,2% 42.037 13,3x 11,4x n.a n.a 9,2% 3,0% 2,4x BM&F Bovespa9 BVMF3 Neutro 4/5/2009 10,00 10,49 -5% 1,2% 14,5% 4,6% 20.980 13,5x 18,1x 11,5x 19,5x 1,6% 2,8% 1,1x Porto Seguro PSSA3 S.R - - 14,20 - 2,9% 11,4% - 3.257 10,4x - n.a n.a 3,9% - 1,6x Redecard RDCD3 S.R - - 27,86 - 3,0% -4,6% 1,1% 18.749 14,5x - 13,1x - 4,2% - 18,0x Sul América SULA11 S.R - - 27,05 - -0,6% 27,6% - 2.531 3,6x - n.a n.a 3,3% - 1,1x Alimentos & Bebidas JBS Friboi JBSS3 S.R - - 6,10 - 0,7% 0,1% 0,6% 8.546 267,6x - 9,2x - 0,6% - 1,5x M. Dias MDIA3 S.R - - 23,90 - 0,0% 10,0% - 2.711 10,5x - 8,3x - 1,3% - 2,1x Marfrig MRFG3 S.R - - 14,25 - -5,3% 35,7% - 3.808 n.a - 6,0x - 0,0% - 1,4x Minerva BEEF3 S.R - - 3,45 - -3,9% 40,8% - 258 n.a - 7,1x - 0,0% - 0,8x Perdigão PRGA3 Compra 9/4/2009 42,00 38,30 10% -0,5% 24,2% 0,9% 7.910 113,7x 24,2x 8,7x 9,0x 1,4% 1,2% 2,0x Sadia SDIA4 Compra 9/4/2009 5,60 4,81 16% -1,8% 18,2% 1,2% 3.270 n.a 16,4x 6,8x 8,6x 3,5% 0,0% 18,5x Ambev AMBV4 Compra 6/2/2009 131,00 128,00 2% -0,8% 9,2% 1,1% 71.829 18,5x 22,0x 7,1x 8,3x 4,4% 4,1% 3,3x Varejo B2W BTOW3 Neutro 14/5/2009 40,00 37,50 7% 2,0% 20,0% 0,7% 4.132 34,1x 45,2x 9,3x 10,6x 0,3% 0,5% 17,8x Guararapes GUAR3 S.R 12/9/2008 - 24,70 - -2,9% 32,1% - 1.485 7,6x 8,3x 10,8x 3,0x 0,0% 3,0% 1,1x Hering HGTX3 S.R 12/9/2008 - 10,80 - 8,0% 24,5% - 582 11,3x 14,8x 4,5x 6,5x 1,1% 1,7% 2,1x Lojas Americanas LAME4 Neutro 14/5/2009 10,00 9,12 10% -0,1% 6,3% 1,0% 6.229 36,8x 36,0x 7,5x 8,1x 0,6% 1,5% 19,0x Lojas Renner LREN3 Neutro 14/5/2009 23,00 21,50 7% -2,7% 16,2% 0,8% 2.615 11,8x 21,4x 6,9x 9,5x 3,5% 1,1% 3,6x Pão de Açúcar PCAR4 Neutro 14/5/2009 39,00 35,30 10% -0,6% 4,1% 0,5% 8.371 28,1x 14,5x 7,0x 6,9x 0,6% 1,4% 1,5x Consumo Localiza RENT3 Neutro 20/5/2009 13,00 12,20 7% -3,9% 14,7% - 2.409 10,4x 19,3x 3,8x 6,9x 1,9% 2,1% 4,4x Natura NATU3 S.R - - 27,20 - -1,1% 9,9% 0,6% 11.678 15,7x - 9,8x - 5,7% - 14,0x Souza Cruz CRUZ3 S.R - - 50,85 - -0,4% 15,8% 0,5% 15.544 10,8x - 7,3x - 7,2% - 8,3x Siderurgia Aços Villares AVIL3 S.R - - 0,64 - 0,0% 10,3% - 2.108 4,2x - 2,5x - 4,0% - 2,1x CSN CSNA3 Neutro 17/4/2009 48,00 44,92 7% 0,6% 16,1% 3,5% 34.079 3,9x 19,4x 3,5x 10,1x 5,8% 2,3% 4,9x Gerdau GGBR4 Em revisão 20/3/2009 13,20 19,38 -32% 3,6% 29,9% 3,8% 25.356 5,0x n.a 4,3x 8,4x 4,5% 3,2% 1,3x Met Gerdau GOAU4 Em revisão 20/3/2009 16,50 24,87 -34% 2,6% 26,4% 1,0% 9.513 4,4x - 4,2x - 11,7% 0,0% 1,0x Usiminas USIM3 Neutro 20/3/2009 30,00 34,01 -12% 0,0% 14,3% 0,7% 17.228 4,0x 11,8x 2,9x 7,3x 4,3% 2,1% 1,2x Usiminas USIM5 Neutro 20/3/2009 30,00 35,83 -16% 0,2% 12,4% 3,1% 17.228 4,0x 11,8x 2,9x 7,3x 4,3% 2,0% 1,2x Mineração Bradespar BRAP4 Compra 29/1/2009 35,00 29,00 21% -0,3% 12,1% 1,2% 10.004 5,9x 20,2x 4,0x 22,7x 3,3% 1,7% 2,0x Magnesita MAGG3 S.R - - 8,45 - 1,2% 26,1% - 1.807 n.a - 9,0x - 0,0% - 0,9x MMX MMXM3 S.R - - 6,58 - 0,5% 10,8% - 2.006 n.a - -34,0x - 0,0% - -9,6x Paranapanema PMAM3 S.R - - 3,35 - 0,3% 5,4% - 1.052 6,1x - 1,5x - 0,0% - 0,9x Vale VALE3 Compra 29/1/2009 45,00 37,85 19% -2,7% 8,4% 3,4% 186.150 6,5x 29,5x 5,1x 15,6x 2,4% 1,2% 1,9x Vale VALE5 Compra 29/1/2009 39,00 32,36 21% -2,2% 9,0% 12,0% 186.150 6,5x 29,5x 5,1x 15,6x 2,8% 1,4% 1,9x Saneamento Copasa CSMG3 Compra 4/2/2009 28,00 25,75 9% -0,1% 14,4% - 2.957 5,3x 6,5x 3,7x 3,6x 3,2% 3,8% 0,8x Sabesp SBSP3 Compra 4/2/2009 34,00 30,30 12% -4,4% 2,7% 0,4% 6.903 6,3x 5,9x 4,6x 4,1x 9,0% 4,2% 0,6x 6
  7. 7. EQUITY INSIGHTS 28 de maio | 2009 Ultima Preço Ultimo Oscilação Participação Market Companhia Ticker Recomendação1 Upside 08 P/L 094 08 FV/Ebitda 095 08 Div Yld 096 P/VPA 7 Recom Alvo(R$)2 Fechamento 1 dia 1 mês IBOV Cap(R$mm) 3 Ibovespa IBOV 51.791 -0,1% 13,0% Elétricas AES Tietê GETI4 Compra 29/1/2009 22,30 19,20 16% -2,9% 12,0% - 6.826 7,6x 10,1x 4,5x 6,0x 12,8% 9,4% 9,5x Celesc CLSC6 S.R - - 32,32 - -0,6% 3,9% 0,1% 1.490 6,0x - 2,7x - 6,0% - 0,9x Cemig CMIG4 S.R - - 25,74 - -0,5% 1,3% 1,5% 14.243 7,6x - 4,8x - 6,8% - 1,5x CESP CESP6 Neutro 20/5/2009 17,30 17,03 2% 0,4% 9,5% 0,8% 5.315 n.a 6,2x -6,7x 4,8x 0,7% 3,8% 0,7x Coelce COCE5 S.R - - 23,85 - -0,5% 11,6% - 1.864 4,6x - 4,0x - 18,9% - 1,9x Copel CPLE6 S.R - - 27,05 - 1,5% 4,5% 0,6% 7.105 5,8x - 3,5x - 3,7% - 0,9x CPFL CPFE3 S.R - - 31,42 - -1,2% -7,2% 0,5% 15.079 11,3x - 7,2x - 8,5% - 2,8x Eletrobras ELET3 S.R - - 25,50 - 0,3% -1,8% 0,8% 28.621 4,7x - 5,5x - 6,1% - 0,3x Eletrobras ELET6 S.R - - 24,38 - 0,2% -3,1% 0,8% 28.621 4,7x - 5,5x - 6,7% - 0,3x Eletropaulo ELPL6 S.R - - 30,18 - -1,5% 3,3% 0,7% 5.201 3,9x - 2,7x - 13,1% - 1,5x En do Brasil ENBR3 S.R - - 27,01 - 0,6% 1,9% - 3.863 9,2x - 5,7x - 5,5% - 1,1x Equatorial EQTL3 S.R - - 14,40 - -0,5% 13,7% - 1.524 3,5x - 3,3x - 16,7% - 1,4x Light LIGT3 S.R - - 24,90 - 0,0% 8,5% 0,2% 5.078 4,6x - 4,0x - 13,8% - 1,7x MPX Energia MPXE3 S.R - - 284,00 - -4,7% 27,9% - 1.940 4,7x - -0,5x - 0,0% - 0,9x Tractebel TBLE3 Compra 29/1/2009 29,10 18,45 58% -1,4% 4,8% - 12.043 10,9x 11,9x 6,7x 6,8x 8,5% 1,1% 3,5x Terna TRNA11 S.R - - 37,29 - -0,1% 1,3% - 3.275 10,3x - 6,3x - 2,2% - 2,1x Trans. Paulista TRPL4 S.R - Em revisão 46,13 - 2,1% 0,2% 0,4% 7.004 7,8x - 5,4x - 11,8% - 1,6x Petróleo & Gás Comgas CGAS5 S.R - - 35,11 - -2,4% 9,6% 0,1% 3.821 7,5x - 4,9x - 5,9% - 3,5x OGX OGXP3 S.R - - 920,00 - -1,2% -2,7% - 29.734 47,2x - -48,0x - 0,0% - 3,2x Petrobras PETR3 Em Revisão 20/2/2009 38,30 42,49 -10% 0,3% 19,0% 3,5% 340.429 6,8x 18,4x 4,4x 9,3x 1,7% 2,5% 2,4x Petrobras PETR4 Em Revisão 20/2/2009 31,60 33,74 -6% 0,0% 17,6% 17,3% 340.429 6,8x 18,4x 4,4x 9,3x 2,1% 3,1% 2,4x Petroquímico Braskem BRKM5 S.R - - 7,55 - -0,4% 29,5% 0,5% 3.808 n.a - 4,8x - 0,0% - 1,0x Ultrapar UGPA4 S.R - - 62,30 - -1,1% 5,8% 0,4% 8.341 17,4x - 7,7x - 5,4% - 1,8x Papel & Celulose Aracruz ARCZ6 S.R - Em revisão 3,32 - 0,3% 25,8% 1,1% 8.785 n.a - 10,3x - 4,5% - 9,1x Klabin KLBN4 S.R - - 3,29 - 3,1% 6,4% 0,3% 3.505 n.a - 10,0x - 5,2% - 1,5x Suzano SUZB5 Compra 20/5/2009 24,00 15,83 52% 4,8% 15,8% - 4.852 n.a 9,3x 6,2x 7,4x 0,9% 0,0% 1,3x VCP VCPA4 S.R - Em revisão 23,80 - 1,7% 22,1% 0,7% 4.792 n.a - 9,0x - 3,7% - 0,7x TI Bematech BEMA3 S.R - - 5,99 - 2,6% 3,3% - 311 6,0x - 3,1x - 2,5% - 0,8x Positivo POSI3 S.R - - 9,27 - 0,7% 2,4% - 797 4,4x - 3,6x - 4,6% - 1,4x Totvs TOTS3 S.R - - 66,00 - 1,5% 29,4% - 2.056 24,0x - 10,2x - 2,0% - 4,3x Telecom Brasil T Part. BRTP3 S.R - - 63,95 - -0,1% 2,0% 0,2% 12.581 15,1x - 4,1x - 4,7% - 2,2x Brasil T Part. BRTP4 S.R - - 17,85 - -0,7% 11,8% 0,3% 12.581 15,1x - 4,1x - 11,2% - 2,2x Brasil Telecom BRTO4 S.R - - 14,24 - 0,7% 7,9% 0,4% 19.471 17,4x - 5,4x - 7,5% - 3,2x GVT GVTT3 Compra 25/2/2009 35,00 32,05 9% 3,1% 12,2% - 4.113 105,0x 28,1x 7,4x 7,2x 0,0% 0,0% 2,3x NET NETC4 Compra 8/4/2009 23,00 18,87 22% 0,2% 5,4% 0,8% 6.472 n.a 25,7x 5,6x 6,1x 0,0% 0,0% 2,4x Telemar TNLP3 S.R - - 42,40 - 1,2% 5,5% 0,3% 14.286 11,4x - 4,1x - 16,3% - 1,7x Telemar TNLP4 S.R - - 34,85 - 2,1% 1,3% 0,9% 14.286 11,4x - 4,1x - 21,4% - 1,7x Telemar Part. TMAR5 S.R - - 57,42 - 2,0% 5,9% 0,3% 14.500 8,9x - 4,1x - 31,7% - 1,5x Telesp TLPP4 S.R - - 45,48 - 1,5% -1,2% 0,2% 22.212 8,9x - 3,6x - 10,7% - 2,1x TIM TCSL3 S.R - - 7,13 - 0,9% 10,5% 0,2% 11.495 47,1x - 3,6x - 1,3% - 1,5x TIM TCSL4 S.R - - 3,74 - 1,4% 6,0% 0,7% 11.495 47,1x - 3,6x - 2,0% - 1,5x Vivo VIVO3 S.R - - 40,90 - 6,2% 19,9% - 14.826 26,6x - 3,7x - 0,4% - 1,8x Vivo VIVO4 S.R - - 39,05 - 1,2% 13,7% 0,8% 14.826 26,6x - 3,7x - 0,4% - 1,8x Logística ALL ALLL11 Compra 16/1/2009 16,00 11,38 41% 1,3% 9,3% 1,2% 7.423 37,9x 18,0x 6,8x 8,0x 0,1% 1,4% 2,9x CCR CCRO3 Neutro 22/5/2009 32,00 28,85 11% 1,4% 15,6% 0,6% 11.629 13,3x 17,6x 7,1x 7,3x 5,8% 4,8% 6,7x LOG-IN LOGN3 S.R - - 7,69 - -0,8% 7,6% - 658 5,3x - 4,2x - 2,0% - 1,1x OHL OHLB3 Neutro 27/3/2009 20,00 17,85 12% -0,6% 37,4% - 1.230 8,2x 11,3x 3,4x 4,9x 1,3% 2,2% 1,5x Santos Brasil STBP11 S.R - - 10,09 - -0,7% 25,0% - 1.323 17,9x - 3,4x - 0,1% - 1,2x Aéreas Embraer EMBR3 S.R - - 9,26 - -3,5% 2,9% 0,7% 6.701 14,9x - 3,8x - 4,1% - 1,1x GOL GOLL4 Neutro 5/5/2009 8,90 8,70 2% -2,5% 17,4% 0,7% 1.973 n.a 53,3x 161,5x 12,9x 0,9% 0,0% 1,3x TAM TAMM4 Neutro 5/5/2009 20,00 17,56 14% -3,4% 13,3% 0,7% 2.729 n.a 7,3x 1,6x 7,5x 1,5% 3,4% 4,0x Notas 1 S.R = Sem recomendação 2 Preço alvo para dezembro/2009. 3 Market Cap ponderado entre as diferentes classes de ações da empresa. Fonte: Economatica. 2008; Preço Fechamento ultimo negócio em 2008/ Lucro Líquido 2008( Fonte: Economatica). 4 2009; Ultima cotação/ (Lucro líquido projetado/Número de ações). 5 Mkt Cap + Divida Liquida + Participação minoritários/Ebitda. (2008)Fonte: Economatica; (2009) Fonte: Link Investimentos 6 Dividend Yield ponderado por classe de ações, quando for o caso. (2008)Fonte: Economatica; (2009) Fonte: Link Investimentos 7 Ultimo preço da ação/ (Patrimônio Líquido(ultimo balanço disponivel)/Ação). Fonte: Economatica 8 Demonstrativos financeiros ajustados para o ano fiscal das empresas do setor. 9 Demonstrativos financeiros anteriores ao 2T08 ajustados pró forma devido a fusão de BMF com Bovespa, assim como as cotação das ações anteriores a 20/08/2008. 7
  8. 8. EQUITY INSIGHTS 28 de maio | 2009 Equipe de Análise Andrés Kikuchi +55 11 3073 6747 akikuchi@linkinvestimentos.com.br Leonardo Alves +55 11 4505 6703 lalves@linkinvestimentos.com.br Maria Tereza Azevedo +55 11 3073 6748 mtazevedo@linkinvestimentos.com.br Mariana Taddeo +55 11 3706 6816 mtaddeo@linkinvestimentos.com.br Rafael Cintra +55 11 3073 6734 rcintra@linkinvestimentos.com.br Disclaimers / Informações Importantes Este relatório foi elaborado por analistas de investimentos vinculados à LINK S.A. CCTVM (“LINK”) E é de uso exclusivo de seu destinatário, não pode ser reproduzido ou distribuído, no todo ou em parte, a qualquer terceiro sem autorização expressa da LINK. Este relatório é baseado em informações disponíveis ao público. As informações contidas neste relatório são consideradas confiáveis na data em que este relatório foi publicado. No entanto nem a LINK nem os analistas responsáveis pela elaboração deste relatório respondem pela veracidade ou qualidade das informações aqui contidas. As opiniões contidas neste relatório são baseadas em julgamentos e estimativas, estando, portanto, sujeitas a mudanças. Este relatório não representa oferta de negociação de valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. As estratégias de investimentos, informações e análises constantes neste relatório têm como único propósito fomentar o debate de idéias entre os analistas de investimentos da LINK e os clientes a quem este documento se destina. Os destinatários devem, portanto, desenvolver suas próprias análises e estratégias de investimentos. Os investimentos em ações ou em estratégias de derivativos de ações guardam volatilidade intrinsecamente alta, podendo acarretar fortes prejuízos, e devem ser utilizados apenas por investidores experientes e cientes de seus riscos. A LINK, sua controladora e outras associadas podem deter posições em qualquer dos instrumentos referidos neste documento, bem como representar e prestar serviços às sociedades aqui mencionadas. Informações adicionais sobre quaisquer sociedades, valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros objeto desta análise podem ser obtidas mediante solicitação. Os analistas responsáveis pela elaboração deste relatório declaram, nos termos do artigo 5º da Instrução CVM nº 388/03, que: (i) suas recomendações refletem única e exclusivamente suas opiniões pessoais e que foram elaboradas de forma independente e autônoma, inclusive em relação a LINK; (ii) que não mantêm vínculo com qualquer pessoa natural que atue no âmbito das sociedades cujos valores mobiliários foram alvo desta análise; (iii) que a LINK, assim como os fundos, carteiras e clubes de investimentos em valores mobiliários por ela administrados não possui participação acionária direta ou indireta, igual ou superior a 1% (um por cento) do capital social de quaisquer das sociedades cujos valores mobiliários foram alvo desta análise, nem está envolvida na aquisição, alienação e intermediação de tais valores mobiliários no mercado; (iv) que não são titulares, direta ou indiretamente, de valores mobiliários de emissão de sociedade objeto desta análise, que representem 5% (cinco por cento) ou mais de seu patrimônio pessoal, e que não estão envolvidos na aquisição, alienação e intermediação de tais valores mobiliários no mercado; (v) que, assim como a LINK, não recebem remuneração por serviços prestados ou apresentam relações comerciais com qualquer das sociedades cujos valores mobiliários foram alvo desta análise, ou pessoa natural ou pessoa jurídica, fundo ou universalidade de direitos, que atue representando o mesmo interesse dessa sociedade; e (vi) que sua remuneração não está atrelada à precificação de quaisquer dos valores mobiliários emitidos por sociedades analisadas ou às receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela LINK. 8

×