TEORIA CONTRATUALISTA SEGUNDO Rosseau,Hobbes, Locke.

7.640 visualizações

Publicada em

OS CONTRATUALISTAS: O QUE O ESTADO PODE FAZER?
conceito central do contratualismo

As Teorias Contratualistas - Hobbes, Locke e Rousseau.

RELAÇÃO ENTRE OS PENSADORES.

Publicada em: Educação
0 comentários
5 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
7.640
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
8
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
128
Comentários
0
Gostaram
5
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

TEORIA CONTRATUALISTA SEGUNDO Rosseau,Hobbes, Locke.

  1. 1. TEORIA CONTRATUALISTA SOCIOLOGIA
  2. 2. IDENTIFICAÇÃO  COLÉGIO: ESTADUAL ANÍSIO HONORATO GODOY  DATA: PROF°: MARIA APARECIDA  TURMA: 3° C “V”  ALUNO(A): RONICLÉIA OLIVEIRA DOS SANTOS  ASSUNTO ABORDADO: OS CONTRATUALISTAS: O QUE O ESTADO PODE FAZER?
  3. 3. CONCEITO CENTRAL DO CONTRATUALISMO  A Doutrina Contratualista iniciou a formulação dos direitos individuais (liberdade x igualdade) tendo em vista conservar no estado de sociedade aqueles direitos que se afirma existência já no estado de natureza.  Concordam os apologistas do Contratualismo HOBBES, LOCKE E ROSSEAU que o contrato dá origem ao Estado.  É a valorização do indivíduo, pois fundado em uma época minimalista atende a dois princípios: a legitimidade da auto- preservação e a ilegalidade do dano arbitrário feito dos outros.  A autoridade legítima passou a ser encarada como coisa fundada em pactos voluntários feitos pelos súditos do Estado.
  4. 4. AS TEORIAS CONTRATUALISTAS - HOBBES, LOCKE E ROUSSEAU.  As teses apresentadas pelos grandes pensadores marcaram uma grande reflexão política sobre o assunto:  Porém, concordam entre si de que o Estado é um tipo de Contrato Social.  Que à princípio o Estado foi constituído a partir de um contrato firmado entre as pessoas.  Porém havia advergências entre eles:
  5. 5. SEGUNDO HOBBES:  Os cidadãos devem transferir o seu poder ao governante, que irá agir como soberano absoluto a fim de manter a ordem.
  6. 6. SEGUNDO LOCKE:  O Estado deve preservar o direito à liberdade e à propriedade privada. As leis devem ser expressão da vontade da assembleia e não fruto da vontade de um soberano.  A principal contribuição de Locke para o contratualismo é sua noção de consentimento, que deveria ser tácito, periódico e convencional.
  7. 7. SEGUNDO ROSSEAU:  Rousseau defende que o Estado se origina de um pacto formado entre os cidadãos livres que renunciam à sua vontade individual para garantir a realização da vontade geral.
  8. 8. RELAÇÃO ENTRE OS PENSADORES:
  9. 9. FINALIZANDO...  Os contratualistas querendo legitimar o Estado de sociedade ou modificá-lo com base nos princípios racionais onde o poder não assenta no consenso, opõem-se necessariamente a esta corrente de pensamento e veem no contrato a única forma de progresso; o próprio Rousseau, inimigo das letras e das artes, foi obrigado a reconhecer no pacto social um fato deontologicamente necessário a partir do momento em que “tal estado primitivo já não pode subsistir e o gênero humano pareceria, se não modificasse as condições de sua existência”.

×