Reações de Hipersensibilidade

62.830 visualizações

Publicada em

Reações de Hipersensibilidade I, II, III, IV e V.
Deu maior trabalho fazer esse slide. Mas nossa professora disse que foi o melhor de todos os slides desse seminário!
Espero que gostem e usem com sabedoria :)

1 comentário
31 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
62.830
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
13
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
913
Comentários
1
Gostaram
31
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Reações de Hipersensibilidade

  1. 1. REAÇÕES DE HIPERSENSIBILIDADE EQUIPE: ANDREZA SANTOS CRISTIANE ANDRADE FRANCISCO LADSON FRANCINEY MONTEIRO LISIANY KARINE PAULO PASSOS NAYANE KATARINE
  2. 2. CONCEITO - HIPERSENSIBILIDADE • Hipersensibilidade se refere às reações excessivas, indesejáveis. • Resposta Imune Adaptativa prejudicial contra antígenos não associados a agentes infecciosos, resultando em reação inflamatória e/ou dano tecidual. • Reações de hipersensibilidade podem ser divididas em quatro tipos: tipo I, tipo II, tipo III e tipo IV.
  3. 3. CLASSIFICAÇÃO (GEL E COOMBS) TIPOS DE REAÇÕES MECANISMO IMUNOLÓGICO TIPO I – (ANAFILÁTICA) MEDIADA PELAS IgE, ATIVANDO MASTÓCITOS TIPO II – (CITOTÓXICA) MEDIADA PELA IgG, FAGÓCITOS E COMPLEMENTO TIPO III – (IMUNECOMPLEXOS) MEDIADA POR IgG, COMPLEXOS IMUNES E FAGÓCITOS TIPO IV – (CELULAR OU TARDIA) MEDIADA POR LINFÓCITOS T (Th1, Th2 ou Tc) TIPO V – (DOENÇA AUTOIMUNE) MEDIADA PELO IgM OU IgG E COMPLEMENTO
  4. 4. HIPERSENSIBILIDADE - TIPO I • Conhecida como imediata ou hipersensibilidade anafilática. • A reação pode envolver pele, olhos, nasofaringe, tecidos bronco pulmonares e trato gastrointestinal. • O mecanismo da reação envolve produção preferencial de IgE, em resposta a certos antígenos (alérgicos)
  5. 5. RINITE ALÉRGICA ASMA ALERGIA ALIMENTAR
  6. 6. HIPERSENSIBILIDADE – TIPO II • Conhecida como hipersensibilidade citotóxica e pode afetar uma variedade de órgãos e tecidos. • É primariamente mediada por anticorpos das classes IgM ou IgG e complemento. • Resultando na destruição da célula, a qual o antígeno está aderido. Um exemplo é a anemia hemolítica ou doença hemolítica do recém nascido.
  7. 7. FIGURA 1: Eritrobastose fetal ou doença hemolítica do recém-nascido. FIGURA 2 e 3: Pênfigo ou Fogo-selvagem
  8. 8. HIPERSENSIBILIDADE – TIPO III • Conhecida como hipersensibilidade imune complexa. • A reação pode ser geral ou envolve órgãos individuais incluindo pele, rins,pulmões, vasos sanguíneos, juntas ou outros órgãos. • A reação deve levar 3 - 10 horas após exposição ao antígeno. São na maioria de classe IgG, embora IgM possa estar também envolvida
  9. 9. REAÇÃO DE ARTHUS DOENÇA DO SORO LÚPUS ERITEMATOSO SISTÊMICO
  10. 10. HIPERSENSIBILIDADE – TIPO IV • Conhecida como mediada por células ou hipersensibilidade tardia. • São mediadas por células T (linfócitos T). Após a ativação a célula T libera citosinas (substâncias mensageiras que estimulam as células de defesa contra o invasor) que levam ao acumulo e à ativação de macrófagos, causam danos locais. • Ocorre dentro de 1 a 2 dias após a um novo contato com o antígeno.
  11. 11. DERMATITE DE CONTATO PICADA DE INSETO DOENÇA CELÍACA
  12. 12. HIPERSENSIBILIDADE TIPO V • Reações Estimulatórias: Este tipo de hipersensibilidade foi recentemente classificados como tal e se baseia no princípio de que algum elemento da resposta imune pode estimular uma função orgânica. • O exemplo mais característico é o que ocorre com indivíduos que produzem anticorpos ANTI receptores de TSH (estes receptores estão na tireóide).Os anticorpos se ligam neste receptores, simulando a ação do TSH e induzem a glândula a liberar hormônios tireoideanos.
  13. 13. DOENÇA DE GRAVES MIASTENIA GRAVE TIREIODITE DE HASHIMOTO
  14. 14. Obrigada a Atenção Fim

×