Tronco cerebral

2.337 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.337
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
282
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
49
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Tronco cerebral

  1. 1. TRONCO CEREBRAL
  2. 2. Definição O tronco cerebral é a porção doO tronco cerebral é a porção do sistema nervoso centralsistema nervoso central situada entre asituada entre a medula espinhalmedula espinhal e oe o cérebrocérebro, sendo quase na, sendo quase na sua totalidade intracraniano (apenas umasua totalidade intracraniano (apenas uma porção do bulbo é exocraniana). Ocupa a fossaporção do bulbo é exocraniana). Ocupa a fossa craniana posterior. É no tronco cerebral que secraniana posterior. É no tronco cerebral que se encontra fixo o cerebelo.encontra fixo o cerebelo.
  3. 3. Constituição O tronco cerebral tem três porçõesO tronco cerebral tem três porções que são, de baixo para cima:que são, de baixo para cima: - Bulbo - Ponte- Ponte - Mesencéfalo- Mesencéfalo
  4. 4. Limites Cefálico:Cefálico: diencéfalo;diencéfalo; Caudal:Caudal: medula;medula;
  5. 5. Funções ♣ Sensoriais;Sensoriais; ♣ Motoras;Motoras; ♣ Nível de consciência;Nível de consciência; ♣ Controle de centros;Controle de centros;
  6. 6. Bulbo Também chamado deTambém chamado de medula oblongamedula oblonga, o, o bulbobulbo é órgão queé órgão que estabelece comunicação entre oestabelece comunicação entre o cérebrocérebro e ae a medula espinhalmedula espinhal. A. A forma do bulbo lembra um cone cortado, no qual a substânciaforma do bulbo lembra um cone cortado, no qual a substância branca é externa e a cinzenta é interna. É um órgão condutor debranca é externa e a cinzenta é interna. É um órgão condutor de impulsos nervosos. Relaciona-se também com funções vitais comoimpulsos nervosos. Relaciona-se também com funções vitais como aa respiraçãorespiração, os, os batimentos do coraçãobatimentos do coração e ae a pressão arterialpressão arterial, e com, e com alguns tipos de reflexos comoalguns tipos de reflexos como mastigaçãomastigação,, movimentos peristálticosmovimentos peristálticos , fala, piscar de olhos,, fala, piscar de olhos, secreção lacrimalsecreção lacrimal e vômito. Por isso umae vômito. Por isso uma pancada nessa área ou a sua compressão por parte do cerebelo,pancada nessa área ou a sua compressão por parte do cerebelo, que se encontra posteriormente, causa morte instantânea,que se encontra posteriormente, causa morte instantânea, paralisando os movimentos respiratórios eparalisando os movimentos respiratórios e cardíacos.cardíacos.
  7. 7. Ponte Também chamada protuberância anelar ou ponte de Varólio é uma estrutura do sistema nervoso central, pertencente ao tronco cerebral. Situa-se anteriormente em relação ao cerebelo, superiormente ao bulbo e inferiormente aos pedúnculos cerebrais (mesencéfalo). Forma a metade superior do pavimento do quarto ventrículo Possui diversos núcleos de importantesPossui diversos núcleos de importantes nervos cranianosnervos cranianos, como o, como o trigêmeotrigêmeo,, oculomotoroculomotor,, facialfacial ee auditivoauditivo.. Serve como condutor para importantes vias ascendentes eServe como condutor para importantes vias ascendentes e descendentes ( trato córtico-espinhal)descendentes ( trato córtico-espinhal)
  8. 8. Mesencéfalo ♣ ColículosColículos superiores: visão;superiores: visão; ♣ Colículos inferiores:Colículos inferiores: audição;audição;
  9. 9. Nervos cranianos Nervos cranianosNervos cranianos são ossão os nervosnervos que possuem origem aparenteque possuem origem aparente (a origem aparente corresponde ao lugar onde o nervo(a origem aparente corresponde ao lugar onde o nervo aparenta sair do tronco encefálico, enquanto a origem real éaparenta sair do tronco encefálico, enquanto a origem real é onde estão presentes os corpos celulares dosonde estão presentes os corpos celulares dos neurôniosneurônios queque formam o nervo) no tronco encefálico.formam o nervo) no tronco encefálico. Funções:Funções: ♣ Inervação motora e sensorial;Inervação motora e sensorial; ♣ Visão, olfato, audição, paladar;Visão, olfato, audição, paladar; ♣ Respiração, FC, PA, tosse, deglutição.Respiração, FC, PA, tosse, deglutição. Déficits de nervos cranianos – lesão de TC.Déficits de nervos cranianos – lesão de TC.
  10. 10. NaNa espécie humanaespécie humana, os nervos cranianos agrupam-se em doze pares. Os pares de, os nervos cranianos agrupam-se em doze pares. Os pares de nervos cranianos são numerados emnervos cranianos são numerados em algarismos romanosalgarismos romanos, de acordo com a ordem, de acordo com a ordem de sua origem aparente, da seguinte maneira:de sua origem aparente, da seguinte maneira:  Nervo olfatório ou olfactivoNervo olfatório ou olfactivo (I)(I)  Nervo ópticoNervo óptico (II)(II)  Nervo motor ocular comum ou oculomotorNervo motor ocular comum ou oculomotor (III)(III)  Nervo patético ou troclearNervo patético ou troclear (IV)(IV)  Nervo trigêmeoNervo trigêmeo (V)(V)  Nervo motor ocular externo ou abducenteNervo motor ocular externo ou abducente (VI)(VI)  Nervo facialNervo facial (VII)(VII)  Nervo auditivo ou vestibulococlearNervo auditivo ou vestibulococlear (VIII)(VIII)  Nervo glossofaríngeoNervo glossofaríngeo (IX)(IX)  Nervo vago ou pneumogástricoNervo vago ou pneumogástrico (X)(X)  Nervo espinhal ou acessórioNervo espinhal ou acessório (XI)(XI)  Nervo grande hipoglossoNervo grande hipoglosso (XII)(XII)
  11. 11. Formação Reticular ConceitoConceito: denomina-se formação reticular a: denomina-se formação reticular a uma agregação mais ou menos difusa deuma agregação mais ou menos difusa de neurônios de tamanhos e tipos diferentes,neurônios de tamanhos e tipos diferentes, separados por uma rede de fibras nervosas queseparados por uma rede de fibras nervosas que ocupa a parte central do tronco encefálico.ocupa a parte central do tronco encefálico.
  12. 12. Apresenta fibras nervosas (tratos) e núcleos específicos.Apresenta fibras nervosas (tratos) e núcleos específicos. ♣ Tratos ascendentes:Tratos ascendentes: - Tratos que se originam na medula e terminam na formaçãoTratos que se originam na medula e terminam na formação reticular (tratos pequenos);reticular (tratos pequenos); ♣ Tratos descendentes:Tratos descendentes: - Trato reticulo- espinal pontino: + função extensora;Trato reticulo- espinal pontino: + função extensora; - Trato reticulo- espinal bulbar: +Trato reticulo- espinal bulbar: + função flexora;função flexora; ♣ Núcleos de formação reticular:Núcleos de formação reticular: - Núcleos da rafe: contém muita serotonina;Núcleos da rafe: contém muita serotonina; - Locus cerelus: noradrenalina;Locus cerelus: noradrenalina; - Substância cinzenta periaquedutal: regulação da dor;Substância cinzenta periaquedutal: regulação da dor; - Área tegmentar ventral: neurônios ricos em dopamina;Área tegmentar ventral: neurônios ricos em dopamina;
  13. 13. Conexões da formação reticular - córtex cerebral;- córtex cerebral; →→ Conexões: - cerebelo;Conexões: - cerebelo; →→ →→ →→ CentroCentro - medula;- medula; →→ →→ →→ IntegradorIntegrador - nervos cranianos- nervos cranianos →→ SARA:SARA: formação reticular ativador ascendenteformação reticular ativador ascendente CórtexCórtex ↔↔ SARA = importante no ciclo sono vigília.SARA = importante no ciclo sono vigília.
  14. 14. Funções da formação reticular 1)1) Ativação do córtex (SARA) – consciência;Ativação do córtex (SARA) – consciência; 2)2) Regulação do sono – núcleos da Rafe ( fazem parte daRegulação do sono – núcleos da Rafe ( fazem parte da formação reticular);formação reticular); 3)3) Integração dos reflexos:Integração dos reflexos: Centros: - vômitos;Centros: - vômitos; - respiratório;- respiratório; - vasomotor;- vasomotor; 4)4) Regulação da atividade dos motoneurôniosRegulação da atividade dos motoneurônios αα//δδ ( trato( trato reticulo espinal bulbar e pontino);reticulo espinal bulbar e pontino);
  15. 15. 4)4) Controle eferente da sensibilidade;Controle eferente da sensibilidade; 5)5) Controle do sistema nervoso autônomo;Controle do sistema nervoso autônomo; 6)6) Controle suprassegmentar da motricidade:Controle suprassegmentar da motricidade: - Ação sobre músculos extensores e flexores.Ação sobre músculos extensores e flexores. ♣ Vias inibidoras dos extensores e facilitadoras dos flexores:Vias inibidoras dos extensores e facilitadoras dos flexores: - tr. Corticoespinal, rubroespinal e reticulo espinaltr. Corticoespinal, rubroespinal e reticulo espinal →→ paciente decorticado.paciente decorticado. ♣ Vias inibidoras dos flexores e facilitadoras dos extensores:Vias inibidoras dos flexores e facilitadoras dos extensores: - Tr vestibuloespinal ( lateral e medial) e reticuloespinal pontino- Tr vestibuloespinal ( lateral e medial) e reticuloespinal pontino →→ paciente descerebradopaciente descerebrado
  16. 16. Paciente decorticado: lesão acima do mesencéfalo:Paciente decorticado: lesão acima do mesencéfalo: paciente com hipertonia em flexão de mmss epaciente com hipertonia em flexão de mmss e extensão de mmii;extensão de mmii; Paciente descerebrado: lesão abaixo doPaciente descerebrado: lesão abaixo do mesencéfalo: paciente com hipertonia em extensãomesencéfalo: paciente com hipertonia em extensão de mmss e mmiide mmss e mmii →→ padrão extensor completo.padrão extensor completo. Tônus muscularTônus muscular →→ equilíbrio dos 2 tipos de vias.equilíbrio dos 2 tipos de vias. LesãoLesão →→ desequilíbriodesequilíbrio →→ espasticidade (hipertoniaespasticidade (hipertonia elástica)elástica) →→ síndrome piramidalsíndrome piramidal →→ hiperreflexia ehiperreflexia e clônus.clônus.
  17. 17. Tronco cerebral e reflexos posturais Reflexos posturais: - reações de sustentação; - Reação de endireitamento; - Reação de contato = reação de colocação plantar e palmar; - Reação de saltitamento; - Reação tônico cervical;

×