Missões_Lição 5 - O missionário

1.453 visualizações

Publicada em

Aula ministrada pelo Ev. Natalino das Neves

Publicada em: Educação
1 comentário
3 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.453
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
43
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
121
Comentários
1
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Missões_Lição 5 - O missionário

  1. 1. IBADEPInstituto Bíblico da Assembleia de Deus no Estadodo ParanáMISSÕES: a grande comissão daIgrejaLição 5O MISSIONÁRIOProf. Ms. Natalino das Neveswww.natalinodasneves.blogspot.com.br
  2. 2. INTRODUÇÃO• O(a) missionário(a) depende financeiramente da igreja,mas sua maior motivação é sua vocação missionária.• A igreja local necessita de um agente para semear a BoaPalavra em locais fora de sua atuação.• Enquanto a igreja local serve como referência para suacomunidade, o seu agente semeia a Boa Palavra emnovos campos.
  3. 3. INTRODUÇÃO• Missionário(a) é um apóstolo (enviado).• O(a) missionário(a) é o agente autorizado, enviado pelaigreja para proclamar a mensagem do evangelho.• Ilustração da abelha = polinização do mundo com a vidaque há em Cristo Jesus.• Paulo, o apóstolo dos gentios, considerava sua vocaçãouma graça de Deus.• Aprender a servir, primeiro em casa, para depois serenviado.
  4. 4. I. A CHAMADA
  5. 5. A CHAMADA• A chamada precisa ser reconhecida pela igreja eassumida por ambos: igreja e missionário(a).• O(a) missionário(a) precisa primeiro ser atraído aocampo missionário(a).• A fonte desta atração é divina e não humana.• “[...] essa visão não pode ser baseada na cosmovisão domissionário e, sim, nos princípios eternos esupraculturais da Palavra de Deus, através dodiscernimento vindo do Senhor” (SILVA, 2009, p. 143)
  6. 6. VONTADE DE DEUS• Motivação: a vontade e o amor às almas, que sãointrínsecas do missionário(a), implantadas por Deus.• Aceitar a vontade e direção do EspíritoSanto, independente das circunstâncias.• Por isso, a necessidade da convicção da chamada.• Quem tem a chamada tem por fundamento a soberaniade Deus.• A fé como o combustível para a obediência à chamada.
  7. 7. VONTADE DE DEUS• Fé e paciência para esperar o tempo de Deus.• Exemplo do lavrador, que aguarda pacientemente otempo da colheita.• Perigo de estar fora do tempo de Deus! Atitudesprecipitadas, que conduzem à dor e sofrimento.• Enquanto se espera, ocorre a capacitação para oexercício da atividade missionária.
  8. 8. O AMOR PELAS ALMAS• Trabalho missionário = amor pelas almas.• Exemplo de Jonas: resultado, mas sem amor pelas almas.• O evangelho chegou onde chegou, devido ao amordos(as) missionários(as) pelas almas perdidas.AP: Você quer ser um missionário?Tem realmente amor pelas almas?
  9. 9. A NECESSIDADE DA CHAMADA• A chamada é uma experiência única e pessoal com Deus.• Ministérios exclusivos e para atender determinadasituação.• Alguns exemplos no Antigo Testamento:• Abraão;• José;• Moisés.
  10. 10. A NECESSIDADE DA CHAMADA• Alguns exemplos no Novo Testamento:• Pedro - circuncisão;• Paulo - gentios;• Filipe – circunstancial (itinerante x fixo).AP: Você tem a chamada de Deus?Espera o tempo de Deus!
  11. 11. II. A PREPARAÇÃO
  12. 12. A PREPARAÇÃO• Quem tem o chamado deve dedicar um tempo para suacapacitação, o tempo de espera.• A pessoa chamada, necessariamente, necessitarárenunciar algo em outra área de sua vida.• Dentre outros requisitos, a vida de oração e oconhecimento da Palavra, são imprescindíveis para oexercício missionário.
  13. 13. RENUNCIA• Exemplo dos discípulos.• Exemplo de Paulo.• Exemplos na história das missões.• Até que ponto devemos renunciar nossa vida pessoal?• Cuidado com o emocionalismo!
  14. 14. ORAÇÃO• Para saber e andar na vontade de Deus é preciso terrelacionamento intimo com Ele.• Vitória espiritual se conquista com oração.• Sucesso sem oração evidencia e glorifica o ser humano.• Parceria para herdar bens permanentes.• John Hyde: “Pai, dá-me almas ou morrerei!”. Resultado:100 mil indianos para Cristo.• Quem é seu referencial de oração?
  15. 15. ESTUDO DA PALAVRA• O bom “vendedor” conhece bem o manual.• Responsabilidade de passar um sólido conteúdodoutrinário, possível somente com um estudosistemático da Bíblia.• Apto para responder aos mais diversosquestionamentos.• Além da Bíblia, necessidade de ter bons dicionáriosteológicos, concordâncias bíblicas, comentários, entreoutros.• Exemplo de William Carey,
  16. 16. GABARITO – Parte 1QUESTÃO RESPOSTA1 B2 C3 D4 A5 D6 C7 C8 E
  17. 17. II. VIDA PESSOAL E ESPIRITUAL DO(A)MISSIONÁRIO(A)
  18. 18. II. VIDA PESSOAL E ESPIRITUAL DO(A) MISSIONÁRIO(A)• A preparação envolve aspectos da vida pessoal comoespiritual do(a) missionário(a).• Serão destacados 03 aspectos pessoais: ocupaçãosecular, documentação e família; bem como o papel daigreja na preparação do(a) missionário(a).
  19. 19. VIDA PESSOAL - OCUPAÇÃO• Deus costuma chamar pessoas ocupadas para sua obra.• Campo missionário não é uma aventura profissional paraquem não tem outra ocupação.• Dependência da cultura e recursos do país de destino:exercer como ensinar uma profissão pode ser muito útil.• Exemplo do líder (ver Paulo).
  20. 20. VIDA PESSOAL - DOCUMENTAÇÃO• Verificar as exigências legais do país de destino.• Tratamento para atividades missionárias: visto deresidência, visto de turista ou impedimento (ocupaçãocomo meio).• Exemplo do EUA (convite específico de uma igreja outransferência profissional).• Aproveitar o tempo de preparação para verificar osdetalhes e situações legais do país de destino.
  21. 21. VIDA PESSOAL - FAMÍLIA• Cuidado especial com a família (conscientização, saúde,recursos financeiros, entre outros).• Os filhos maiores não devem ser forçados a seguirem ospais.• Quanto menos preocupação com a família, melhor odesempenho missionário.
  22. 22. VIDA ESPIRITUAL – O PAPEL DA IGREJA• Uma vez ciente da chamada, o vocacionado devecomunicar à igreja, que tem a responsabilidade de fazermissões.• “A igreja é servidora do Reino. A missão e expressão datransitoriedade da Igreja, de sua caminhada histórica eperegrinação escatológica, de seu caráter diaconal einstrumental” (SUESS, 2007, p. 17).
  23. 23. VIDA ESPIRITUAL – O PAPEL DA IGREJA• Dever da liderança da igreja: analisar o chamado eprovidenciar os meios para sua realização, se confirmadoo chamado.• Uma vez decidido, deve-se iniciar o planejamento:• Preparação;• Instalação;• Acompanhamento.
  24. 24. VIDA ESPIRITUAL – O PAPEL DA IGREJA• Não basta um bom planejamento: plano sem ação =sonho.• Treinamento teórico e prático: alguns exemplos.• A falta de um bom planejamento colocado em ação temsido a causa de muitos insucessos no campo missionário.• Conhecimento prévio do campo em potencial, nomínimo: situação política, geográfica e econômica;religião e cultura; infraestrutura de forma geral.
  25. 25. VIDA ESPIRITUAL – O PAPEL DA IGREJA• Acompanhamento espiritual da família, antes e depoisdo envio.• “Deus não é somente aquele que envia. Ele é também,no Filho e no Espírito Santo, o enviado” (SUESS, 2007,p.53)
  26. 26. CONSIDERAÇÕES FINAISNa lição de hoje aprendemos que:• A convicção da chamada é imprescindível paraconfirmação do envio do(a) missionário(a);• Quem tem a chamada saberá esperar na vontade deDeus e apresentará amor pelas almas;• Que antes de ser enviado(a), o(a) missionário(a) deveráser capacitado, tanto na teoria como na prática.• Além da preparação pessoal (ocupação, documentação efamília), deve haver a preparação espiritual, com auxílioda igreja, que tem a responsabilidade de fazer missão.
  27. 27. GABARITO – Parte 2QUESTÃO RESPOSTA9 C10 A11 C12 B13 D14 C15 C16 C
  28. 28. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICASIBADEP. Missões: a grande comissão da Igreja. Guaíra:IBADEP, 2004.PERRIN, Christine Lenemann. Missão e diálogo inter-religioso. São Leopoldo: Sinodal, CEBI, 2005.SILVA, Cácio. Fenomenologia da religião: compreendendo asideias religiosas a partir das suas manifestações. Goiânia:Transcultural Editora e Livraria, 2009.SUESS, Paulo. Introdução à teologia da missão. Rio deJaneiro: Vozes, 2007.

×