At total

404 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
404
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
6
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
8
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

At total

  1. 1. Conhecimentos Gerais Atualidades I - Mundo Globalizado II - Meio ambiente e Sustentabilidade III - Relações Internacionais IV - Brasil Contemporâneo V - Temas mais Debatidos pela Mídia
  2. 2. Unidade II - Meio Ambiente e Sustentabilidade 1 – Conceitos; 2 – Debate Internacional; 3 – Estudos de Casos: a) Aquecimento Global; b) Água: O ouro azul; c) Dilema Energético; e d) Desmatamento.
  3. 3. 1 – Conceitos • Meio ambiente conjunto das riquezas físicas, químicas e biológicas do planeta. • Ecossistema - conjunto formado por todos os fatores bióticos e abióticos que atuam simultaneamente sobre determinada região. • Equilíbrio - os ecossistemas de uma maneira particular, e o meio ambiente, de uma maneira geral, estão em equilíbrio  Atividades Humanas têm provduzido desequilíbrio
  4. 4. 1 – Conceitos • Recursos Naturais - elementos da natureza incoporáveis a atividade humana.  Renováveis – A natureza leva pouco tempo para produzir;  Não Renováveis – A natureza leva bastante tempo para produzir. • Desenvolvimento Sustentável - aliar o necessário desenvolvimento econômico à imprescindível preservação ambiental. Atendendo às necessidades presentes, sem comprometer as necessidade das gerações futuras.
  5. 5. 1 – Conceitos • Pegada Ecológica – superfície necessária para atender as necessidades de um ser humano ou conjunto deles e absorver seus detritos.  EUA - 9,4 hec. / U.E - 4,8 hec. / Índia - 0,8 hec. • Conscientização – somente é possível garantir a sustentabilidade, quando o indivíduo se conscientizar do que está em risco
  6. 6. Exercícios 1 - (FCC - Finanças públicas) III. As crescentes facilidades de crédito têm tornado a distribuição dos bens de consumo cada vez mais igualitária, mas os impactos ambientais ainda se restringem às classes de baixa renda. IV. O modelo de crescimento econômico vigente ampliou as desigualdades sociais, uma vez que o aumento de produtividade veio acompanhado de crescente concentração de renda.
  7. 7. Exercícios 1 - (FCC - Finanças públicas) Considere as afirmações: I. De modo geral, considera-se que o modelo de crescimento econômico vigente gera maior disponibilidade de bens de consumo à custa de grandes impactos ambientais. II. Os bens de consumo apresentam distribuição desigual, destinando-se sobretudo às classes mais abastadas, enquanto os impactos ambientais afetam sobretudo as de mais baixa renda.
  8. 8. Exercícios 1 - (FCC - Finanças públicas) Está correto o que se afirma APENAS em (A) I. (B) I, II e IV. (C) II e IV. (D) III e IV. (E) IV.
  9. 9. 2 - (CESGRANRIO - Caixa) Analise a definição de sustentabilidade ambiental e as situações de ameaça à Amazônia Brasileira. Definição: Sustentabilidade ambiental está relacionada à capacidade da natureza para absorver e recuperar-se das agressões do homem. Guimarães, R. in Becker, B. e Miranda, M. (orgs). A geografia política do desenvolvimento sustentável. Rio de Janeiro: EDUFRJ, 1995:33).
  10. 10. 2 - (CESGRANRIO - Caixa) Situações: I - Índios - a alta concentração de terras indígenas e as unidades de conservação em certos estados da região restringem espaço para se alavancar a economia II - Madeireiras - o crescimento da indústria ilegal madeireira está destruindo rapidamente a fauna e a flora. III - Arrozeiro - o agrotóxico da agricultura vai para os rios e parte da floresta é derrubada para a agricultura.
  11. 11. 2 - (CESGRANRIO - Caixa) Situações: IV - ONG - estima-se que existam 100 mil ONG operando na região e que muitas se envolvem com biopirataria e lavagem de dinheiro. V - Pasto - pecuaristas compram terrenos na região e utilizam-nos para pastagem até que se tornem inférteis. Revista Istoé, 28 maio 2008.
  12. 12. 2 - (CESGRANRIO - Caixa) Situações: O tipo de sustentabilidade definido está diretamente comprometido com as ameaças descritas nas situações numeradas de I a V, com EXCEÇÃO da ameaça (A) I (B) II (C) III (D) IV
  13. 13. 3 - (CESGRANRIO - BACEN) O desenvolvimento sustentável planetário exige a criação de medidas e parâmetros, para se negociar, mais concretamente, a redução dos índices de poluição atmosférica. Uma dessas medidas é o chamado CO2 e ou CO2 eq. A medida mencionada foi criada para expressar, precisamente, a
  14. 14. 3 - (CESGRANRIO - BACEN) (A) remuneração equivalente às emissões evitadas de gás carbônico, ou seja, créditos de carbono. (B) equidistância entre os pontos máximo e mínimo da poluição causada pelo gás carbônico. (C) equiparação futura das emissões de gás carbônico entre países ricos e países pobres. (D) quantidade de gás carbônico equivalente encontrada nos gases de efeito estufa. (E) quantidade de monóxido de carbono necessária à formação do gás carbônico.
  15. 15. 4 – (CESGRANRIO - BNDES) Imagine que você seja um Robinson Crusoé isolado em uma ilha deserta: qual deveria ser a dimensão de sua ilha – incluindo terra, água doce e mar acessível – para você viver de forma autossuficiente e duradoura, e responder às suas necessidades de nutrição, aquecimento, matéria-prima para construção, ar puro, água potável e absorção de resíduos? É o que propõe o indicador de “pegada ecológica” que calcula a superfície exigida para sustentar um gênero de vida específico. Em escala global, esse indicador ultrapassou a capacidade de abastecimento do planeta e não chegou a estar 20% acima dela em 1999. Atlas do Meio Ambiente. Le Monde Diplomatique Brasil, 2008, p. 13.
  16. 16. 4 – (CESGRANRIO - BNDES) A “pegada ecológica” humana pode ser minimizada globalmente se forem aplicados, com efeito, os princípios relacionados ao conceito de: (A) orçamento participativo. (B) desenvolvimento sustentável. (C) produção flexível. (D) comércio justo. (E) economia popular.
  17. 17. 5 - (CESPE - CEFET/PA) No passado, a questão ambiental girava em torno da escassez e da exaustão dos recursos naturais. Atualmente, ela é posta em termos da vulnerabilidade e da qualidade do meio ambiente. Acerca desse assunto e relacionando a questão ambiental ao desenvolvimento sustentável, julgue os itens subsequentes. 1. O crescimento urbano, os conflitos com relação ao uso da água e o aumento do efeito estufa são temas que dizem respeito ao desenvolvimento sustentável.
  18. 18. 5 - (CESPE - CEFET/PA) 2. Para se enfrentar corretamente a problemática ambiental, é necessário, para muitas sociedades, adotar outros padrões de consumo, compatíveis com os recursos ecológicos do planeta. 3. A ideia de sustentabilidade está fundamentada no desenvolvimento tecnológico que possibilita crescimento econômico sem limitações referentes à utilização dos recursos. 4. Nos objetivos do desenvolvimento sustentável, leva-se em conta também as necessidades das gerações futuras.
  19. 19. 5 - (CESPE - CEFET/PA) 5. A maior intensidade no uso dos recursos energéticos deve ser um aspecto no desenvolvimento sustentável sem restrições nos países menos desenvolvidos já que isto poderia comprometer o desenvolvimento socioeconômico.
  20. 20. Unidade II - Meio Ambiente e Sustentabilidade 1 – Conceitos; 2 – Debate Internacional; 3 – Estudos de Casos: a) Aquecimento Global; b) Água: O ouro azul; c) Dilema Energético; e d) Desmatamento.
  21. 21. 2 – Debate Internacional a) Conferência de Estocolmo, 1972 • 113 países, 19 agências e mais de 400 Ongs. • Formulação de conceitos • Criação do – PNUMA.  O que está acontecendo com o clima? • A intervenção Humana está provocando desequilíbrios.
  22. 22. 2 – Debate Internacional b) Conferência do Rio de Janeiro (ECO 92) • Recorde na presença de chefes de Estado, Ongs, e cientistas. • Buscar meios para o Desenvolvimento Sustentável • Responsabilidades Comuns, mas diferenciadas • Agenda 21, base para que cada país elaboresse seu plano de preservação.  O que devemos fazer? • Garantir um desenvolvimento sustentável.
  23. 23. 2 – Debate Internacional c) Protocolo de Kyoto • Conferência climática • Obrigatoriedade dos países desenvolvidos reduzirem, no mínimo 5,2% em relação a 1990. • Para valer: 55% dos países / 55% das emissões. • Primeiro período de compromisso: 2008 - 2012 • Para facilitar a aceitação: MDL / MCC  Como fazer para garantir a Sustentabilidade? • Exigindo que os países reduzam as emissões de gases poluidores.
  24. 24. 2 – Debate Internacional d) Questões ainda problemáticas: • Como fazer os EUA (maior poluidor de todos os tempos) assumir compromissos? • Os grandes emergentes como os Bric deveriam ser obrigados a assumir compromissos também? • Qual a punição para os países que assumirem compromisso e não cumprirem?
  25. 25. Exercícios 1 - (CESPE/UNB) 1992. O Brasil abriga a conferencia das Nações Unidas sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, conhecida como Rio 92. O mundo é outro, cresce a consciência social acerca do desafio ambiental. O processo inexorável da globalização acelera, em escala sem precedentes, a integração internacional e o crescimento material. Cenário rico em potencialidades, mas carregado de riscos e armadilhas, nem inferno, nem paraíso, que coloca uma agenda complexa e multifacetada diante de todos. Marcus Pestana. Um Novo Olhar Sobre o Desenvolvimento. In correio brasiliense, 16/06/2002, p. 5 (com adaptações)
  26. 26. 1 - (CESPE/UNB) A partir do texto acima e tendo em vista a questão ambiental, de atualidade crescente em face do modelo de desenvolvimento econômico impulsionado pela Revolução Industrial, julgue os itens que se segue. 1. A Rio 92, ocorrida 20 anos após a conferência de Estocolmo, teve número recordes de participantes, entre dirigentes governamentais, cientistas e ambientalistas, dela decorrendo uma série de compromissos assumidos pelos países ricos em prol de um desenvolvimento econômico, social e ambientalmente sustentável.
  27. 27. 1 - (CESPE/UNB) 2. A agenda 21, espécie de acordo assumido na Rio 92, foi integralmente cumprida: ao se iniciar o novo século, verifica-se que a ajuda dos países economicamente mais poderosos aos mais pobres, para que promovam o desenvolvimento reduzam a suas desigualdades internas, ampliou-se consideravelmente. 3. Para o autor, fica claro que a globalização é assimétrica, por definição; assim, ao mesmo tempo em que propicia “crescimento material”, estimula a desigualdades entre os países e, no interior destes, aumenta a distância que separa os mais ricos dos mais pobres.
  28. 28. 1 - (CESPE/UNB) 4. Infere-se, da leitura do texto, que a questão ambiental e do desenvolvimento sustentável tem uma complexidade não mais que aparente, sendo de fácil solução; basta vontade política para que seus efeitos positivos possam ser sentidos por todos os povos. 5. Claramente questionável, a conclusão que chega o autor é que a sociedade foi – e está sendo – bem mais morosa que os governos no desenvolvimento de uma consciência em termos de proteção ambiental, vale dizer, na defesa da qualidade de vida no planeta.
  29. 29. 2 - (CESPE - Ibama) As religiões e o Meio ambiente Tudo o que vive e se move será alimento para vós. Da mesma forma que lhes dei as plantas, agora dou-lhes tudo. Gênesis 9:3 Essa passagem da Bíblia tem sido interpretada como uma visão antropocêntrica, profundamente antiambientalista, do judeu-cristianismo, que contrasta com a visão budista e hinduísta do mundo, que ensina que os seres humanos devem viver em harmonia com a natureza. Alguns cristãos têm tentado atenuar a frase do Gênesis, explicando que a intenção do Senhor sempre foi de proteger a biodiversidade, como quando ordenou a Noé
  30. 30. 2 - (CESPE - Ibama) que levasse na Arca um casal de cada criatura viva, para que sobrevivessem o dilúvio. Esta podia ser uma questão secundária 5 ou 10 mil anos atrás, quando a população mundial era de alguns milhões de habitantes, mas passou a ser uma questão central nos dias de hoje, em que existem sobre a Terra mais de 6 bilhões de seres humanos. A ação do homem sobre a natureza atualmente é comparável, em força destrutiva, à das forças geológicas, como terremotos, aquecimento do planeta, com consequência imprevisíveis sobre a vida como a conhecemos. O uso e o abuso da natureza pelo homem põem hoje em risco sua própria sobrevivência.
  31. 31. 2 - (CESPE - Ibama) 1. A Conferência de Estocolmo, realizada em junho de 1972, é considerada um marco histórico por ter deflagrado um novo tipo de consciência em relação a vida no planeta, a começar pela formulação e pelo crescente adensamento de conceitos, como os de meio ambiente e desenvolvimento sustentável. 2. Há nítida convergência entre o atual conceito de desenvolvimento sustentável e a noção de progresso que, a partir da Revolução Industrial, sustentou a modernização e o crescimento econômico ao longo do século XIX e boa parte do século XX.
  32. 32. 2 - (CESPE - Ibama) 3. A agenda 21, resultante da Conferência das Nações Unidas sobre o Meio Ambiente, realizada no Rio de Janeiro, em 1992, pode ser definida como uma espécie de cartilha elaborada pela comunidade internacional entre a imperiosa necessidade de fazer frente à tensa relação entre espécie humana e natureza. 4. Há consenso ente os especialistas de que, embora aplicável sem maiores dificuldades e tensões, a legislação brasileira padece de males conceituais estruturantes, a exemplo de sua capacidade de incorporar princípios gerais que conduzam o desenvolvimento na direção da sustentabilidade.
  33. 33. 2 - (CESPE - Ibama) 5. Infere-se do texto que, visto em si mesmo, o aumento da população mundial não torna mais dramático os problemas em relação ao meio ambiente, já que a ação humana potencialmente destrutiva encontra limites bem definidos, os quais são fixados pelas próprias forças geológicas ou naturais.
  34. 34. 2 - (CESPE - Ibama) 6. A despeito dos inúmeros óbices políticos e dos conflitantes interesses econômicos, é correto afirmar que os temas relativos ao meio ambiente, ao se tornarem atualmente cruciais para humanidade, transformaram-se, em questões globais, e como tal, passaram a ocupar lugar de destaque na política externa de vários Estados e na agenda de organismos multilaterais.
  35. 35. 3 – (FCC – BB) A conferência da ONU, a COP-16, realizada em Cancun [México] chegou ao último dia (10/12/2010) sem um acordo. (Adaptado de http://g1.globo.com) A Conferência mencionada tinha como um de seus objetivos
  36. 36. 3 – (FCC – BB) (A) debater as causas e consequências do processo de desertificação no mundo. (B) discutir o corte nas emissões de gases poluentes responsáveis pelo efeito-estufa. (C) analisar os efeitos do derretimento da calota polar no hemisfério norte. (D) promover o levantamento das perdas florestais provocadas por desmatamento. (E) buscar fórmulas de reduzir a fome e a subnutrição nos países pobres.
  37. 37. 3 - (Consulplan) A conferência da ONU para o clima, a COP-16, realizada em Cancun, no México, terminou de forma inesperada, pois contrariando a expectativa de que não haveria anúncios relevantes ao final do encontro, foram firmadas duas decisões:
  38. 38. 3 - (Consulplan) (A) A criação do Fundo Verde e a extensão do Protocolo de Kyoto para além de 2012, quando expira o tratado. (B) A votação de uma lei universal ratificada por todos os países presentes e a criação do Protocolo de Cancún. (C) A indexação de valores monetários na aferição de resultados para os países que combaterem efetivamente o desmatamento e a criação de uma moeda verde internacional. (D) A destinação de recursos significativos para as ong’s ambientalistas e a definição de um plano de combate ao aquecimento global.
  39. 39. 4 - (CESGRANRIO - IBGE) O cuidado com o planeta em que vivemos vem recebendo mais atenção, nas últimas décadas, devido ao ritmo de degradação do ambiente natural. Um exemplo dessa atenção foi a assinatura do Protocolo de Kyoto, por vários países, com o objetivo de preservar a Terra. O Protocolo de Kyoto tem como tema principal a(o) (A) vegetação. (B) hidrografia. (C) solo. (D) relevo. (E) clima.
  40. 40. 5 - (CESGRANRIO - BB 03/2012) Em 2012, o Rio de Janeiro acolheu a Cúpula da Terra sobre o desenvolvimento sustentável promovida pelas Nações Unidas. Nessa reunião, esteve em evidência, dentre outros temas, a sustentabilidade do desenvolvimento vinculada estreitamente ao processo de construção da cidadania, buscando a incorporação plena dos indivíduos ao processo de desenvolvimento. Essa sustentabilidade diz respeito tanto à democratização da sociedade quanto à democratização do Estado.
  41. 41. 5 - (CESGRANRIO - BB 03/2012) A sustentabilidade descrita refere-se, especificamente, à seguinte dimensão do desenvolvimento: (A) cultural (B) política (C) espacial (D) ecológica (E) ambiental
  42. 42. Unidade II - Meio Ambiente e Sustentabilidade 1 – Conceitos; 2 – Debate Internacional; 3 – Estudos de Casos: a) Aquecimento Global; b) Água: O ouro azul; c) Dilema Energético; e d) Desmatamento.
  43. 43. Aquecimento Global • O planeta está aquecento?
  44. 44. Aquecimento Global • O planeta está aquecento?  Sim  O século XX foi o século mais quente do milênio.  O mundo aqueceu 0,25ºC /década no final do século.
  45. 45. Aquecimento Global • O aquecimento atual é um fenômeno natural ou antopocêntrico?
  46. 46. Aquecimento Global • O aquecimento atual é um fenômeno natural ou antopocêntrico?  O clima está sempre em mutação, pois a natureza está em movimento.  Temos conhecimento de duas eras glaciais  O hemisfério norte passou por um período mais quente nos séc XII e XIV, seguido de um mais frio até o começo do séc XIX.
  47. 47. Aquecimento Global • O aquecimento atual é um fenômeno natural ou antopocêntrico?  A superfície da Terra está mais quente agora do que nos últimos mil anos  As causas naturais das flutuações de temperatura deveriam estar nos levando a uma era mais fria.  A taxa e a duração do aquecimento no século XX não podem ser naturais ( 3º relatório do IPCC)
  48. 48. Aquecimento Global • Por que a atividade humana tem contribuído para aquecimento do planeta?
  49. 49. Aquecimento Global • Por que a atividade humana tem contribuído para aquecimento do planeta?  Porque tem contribuído para a Ampliação do Efeito Estufa, através da emissão de gases poluidores.
  50. 50. Aquecimento Global • O que é Efeito Estufa?
  51. 51. Aquecimento Global • O que é Efeito Estufa?  É uma espécie de cobertor do planeta. O efeito estufa é natural e essencial para que haja vida na Terra.  Os principais gases para manutenção do equilíbrio da temperatura são o vapor d’água e o dióxido de carbono(CO2). Sem esse “cobertor” a superfície da terra estaria congelada.
  52. 52. Aquecimento Global • Quais os principais gases adicionados pela atividade humana que têm contribuído para ampliação do Efeito Estufa?
  53. 53. Aquecimento Global • Quais os principais gases adicionados pela atividade humana que têm contribuído para ampliação do Efeito Estufa?  Dióxido de carbono (CO2), metano (CH4), óxido nitroso (NO2) e os clorofluorcarbonetos (CFCs).  A partir das Revoluções Industriais (aprox. 1750) as emissões de gases poluidores vem atingindo picos mais altos a cada ano.
  54. 54. Aquecimento Global • Quais as Consequências do Aquecimento?
  55. 55. Aquecimento Global • Quais as Consequências do Aquecimento?  Derretimento das geleiras
  56. 56. Aquecimento Global • Quais as Consequências do Aquecimento?  Derretimento das geleiras  Calotas polares – elevação nível dos oceanos  Altos montes – diminuição da água potável
  57. 57. Aquecimento Global • Quais as Consequências do Aquecimento?  Derretimento das geleiras  Calotas polares – elevação nível dos oceanos  Altos montes – diminuição da água potável  Variações Climáticas
  58. 58. Aquecimento Global • Quais as Consequências do Aquecimento?  Derretimento das geleiras  Calotas polares – elevação nível dos oceanos  Altos montes – diminuição da água potável  Variações Climáticas  Perdas agrícolas  Desastres “naturais”
  59. 59. Exercícios 1 - (Cesgranrio - INEA) O CO2 é tido como o principal vilão no efeito estufa. Porém, os gases abaixo também podem contribuir para esse fenômeno global, EXCETO (A) Neon (Ne) (B) Metano (CH4) (C) Vapor d’água (H2O) (D) Óxido nitroso (NO2) (E) Clorofluocarbonetos (CFCs)
  60. 60. 2 - (Cesgranrio - INEA) A temperatura da atmosfera terrestre tem aumentado, conforme tem sido divulgado na mídia. A esse respeito pode-se afirmar que, I - a elevação da temperatura da atmosfera terrestre pode ser justificada pelo simples aumento da população mundial; II - o aumento da emissão de gás carbônico na atmosfera terrestre contribuiu para a elevação da temperatura; III - a atividade humana com a queima de combustíveis fósseis aumentou a taxa de CO2 na atmosfera.
  61. 61. 2 - (Cesgranrio - INEA) Está(ão) correta(s) APENAS a(s) afirmativa(s) (A) I (B) II (C) III (D) I e III (E) II e III
  62. 62. 3 - (Cespe/UNB – MIN PUB. PI) A redução das emissões de CO2 é um compromisso com o qual todos os países asseguram estar envolvidos. Na prática, porém, a promessa está longe da realidade. Estudo recente ressalta que, em 2010, a liberação de gases de efeito estufa atingiu o nível recorde de 10 bilhões de toneladas de CO2 — 5,9% a mais que em 2009. Os dados são alarmantes, mas não o suficiente para levar chefes de Estado e governo a Durban, sede da 17.ª Conferência do Clima. O Globo, 6/12/2011, p. 35 (com adaptações).
  63. 63. 3 - (Cespe/UNB – MIN PUB. PI) 1. Além de contar com o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente, a Organização das Nações Unidas tem-se notabilizado por organizar grandes conferências mundiais voltadas para as questões ambientais e para a promoção do desenvolvimento sustentável. 2. O êxito da campanha mundial em favor do desenvolvimento sustentável pode ser mensurado por algumas vitórias significativas, como, por exemplo, a redução da produção e do consumo de plástico em escala universal.
  64. 64. 3 - (Cespe/UNB – MIN PUB. PI) 3. O aquecimento global é considerado atualmente um problema de dimensão preocupante por envolver mudanças climáticas que afetam a vida no planeta. 4. Em decorrência da poluição atmosférica, que atingiu níveis bastante elevados, as posições e os interesses de especialistas, organizações sociais e políticos em geral convergiram nos últimos anos. 5. A China, por possuir um desenvolvimento econômico que se baseia na agricultura orgânica e na industrialização tecnologicamente avançada, é um dos países que menos emitem CO2 na atmosfera.
  65. 65. 4 - (Cespe/UNB – SEBRAE) A maior revisão de dados históricos de temperatura já feita até hoje revelou que os mais importantes argumentos usados pelos chamados céticos do clima, os maiores críticos do aquecimento global, não alteram o fato de que o mundo está, mesmo, ficando mais quente. Cientistas do Projeto Terra concluíram que, em média, a temperatura em terra aumentou 1 grau Celsius desde meados dos anos 50 do século passado. O Globo, 21/10/2011, p. 36 (com adaptações).
  66. 66. 4 - (Cespe/UNB – SEBRAE) 1. A despeito de sua importância, a preocupação com o ambiente é tema relativamente recente, tendo sido incorporado à agenda política mundial nas décadas que se seguiram ao fim da Segunda Guerra Mundial. 2. Os efeitos esperados de mudanças climáticas consideradas drásticas incluem a multiplicação de desastres naturais, com seu elevado número de mortes, e a ampliação do movimento migratório em escala global.
  67. 67. 4 - (Cespe/UNB – SEBRAE) 3. Segundo especialistas, a fragilidade do movimento ambientalista no Brasil deriva, em larga medida, da inexistência de órgão especializado para o meio ambiente no âmbito das três esferas da administração pública. 4. Um importante fator que contribui para o aquecimento global é a emissão descontrolada, na atmosfera, de gases ampliadores do efeito estufa.
  68. 68. 4 - (Cespe/UNB – SEBRAE) 5. A drástica redução das geleiras é a maior evidência das mudanças climáticas geradas pelo aquecimento global provocado pelas imensas emissões de gases que intensificam o efeito estufa, como o dióxido de carbono (CO2). 6. Entre as enormes consequências das mudanças climáticas, são apontados por muitos estudiosos a elevação do nível dos mares e seus efeitos trágicos para determinadas regiões litorâneas.
  69. 69. Unidade II - Meio Ambiente e Sustentabilidade 1 – Conceitos; 2 – Debate Internacional; 3 – Estudos de Casos: a) Aquecimento Global; b) Água: O ouro azul; c) Dilema Energético; e d) Desmatamento.
  70. 70. Água: O Ouro Azul • Recurso natural renovável, volume constante (1,386 billhão de Km2) • Recurso natural mais importante para o desenvolvimento humano • Essencial para a agricultura, pecuária, industrialização e urbanização. • O consumo de água contaminada mata mais do que todas as formas de violência, inclusive guerras • 2003 foi o Ano Internacional da Água Doce, 22 de março dia da água.
  71. 71. Água: O Ouro Azul • Situação Geral da Água • 97,5% - salgada • 2,5% - água doce,  68,9% - congeladas  30,8% - lençóis freáticos profundos  0,3% - fácil acesso
  72. 72. Água: O Ouro Azul • Consumo de Água por setores da economia  Agropecuária 69%;  Indústria com 21% ,  Uso domésticos com 10%.
  73. 73. Água: O Ouro Azul • Tendências na relação Consumo/Oferta  Ampliação do consumo  Aumento da população, Desenvolvimento tecnológico e Modelo consumista • Tendência de diminuição da Oferta  Aquecimento Global, Urbanização/Pavimentação, Desmatamento, Poluição e Desperdício
  74. 74. Água: O Ouro Azul • Consequências do uso abusivo: Maior parte das regiões do mundo vivem em Estresse Hídrico ou com Carência Crônica de água  Regiões que pessoas dispõem de até 1,7 mil metros cúbicos/ano estão em "estresse hídrico". (2000 - 2,3 bilhões de pessoas).  Regiões que pessoas dispõem menos de mil metros cúbicos/ano, estão em Carência Crônica (2000 -1,7 bilhão de pessoas).
  75. 75. Água: O Ouro Azul • Consequências do uso abusivo: Conflitos Pela Água  Conflitos internos em países mais pobres  200 sistemas fluviais atravessam fronteiras e 13 grandes rios e lagos são compartilhados por mais de 100 países.  Ex: Rio Jordão: águas abastecem Síria, Israel, Palestina e Jordânia. Colinas de Golã foram tomadas por Israel na Guerra dos 6 Dias (1967).
  76. 76. Água: O Ouro Azul • A Situação do Brasil na Crise da Água  Importância geopolítica da América do Sul em geral, e do Brasil de maneira específica.  Principal reserva, Aquífero Guarani. 2/3 estão localizados sob o Brasil. Demais sob a Argentina, o Paraguai e o Uruguai.  O Brasil é o país com a maior reserva de água potável de fácil acesso: 8% das reservas mundiais.  A Bacia amazônica é a mais importante do Brasil.  Região a NO maior volume – tem 7,6% da popul.  Região NE 28,1% da popul. 3,3% da água.
  77. 77. Questão 1 (CONSULPLAN) Analise as afirmativas correlatas: I. “Do volume de águas existentes no mundo, apenas 30% é de água doce própria para o consumo que pode ser encontrada somente nos lençóis freáticos.” II. “Por ser um recurso natural não renovável, a escassez de água vem gerando conflitos em grandes nações da Oceania, da Europa e da América.”
  78. 78. Questão 1 (CONSULPLAN) Assinale a alternativa correta: A) Ambas as afirmativas estão corretas. B) Apenas a afirmativa I está correta. C) As duas afirmativas estão parcialmente corretas. D) Apenas a afirmativa II está correta. E) Ambas as afirmativas estão incorretas.
  79. 79. Questão 1 (CONSULPLAN) Assinale a alternativa correta: A) Ambas as afirmativas estão corretas. B) Apenas a afirmativa I está correta. C) As duas afirmativas estão parcialmente corretas. D) Apenas a afirmativa II está correta. E) Ambas as afirmativas estão incorretas.
  80. 80. Questão 2 (CONSULPLAN) “A disponibilidade de água salubre é vista hoje como uma grande vantagem econômica, política e social de uma nação, já que se registra a escassez deste recurso em várias regiões do planeta. O Brasil, além do grande número de rios, possui ainda aquíferos destacáveis, como o _________________ localizado na região Norte, que estudos recentes apontam para uma estimativa de grande volume de água (das mais significativas do mundo) e um dos maiores reservatórios de água doce subterrânea transfronteiriços do mundo, localizado em áreas brasileiras das regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste que recebe a denominação de ________________.” (Almanaque Abril, 2011, pág. 192)
  81. 81. Questão 2 (CONSULPLAN) Assinale a alternativa que completa correta e sequencialmente a afirmação anterior. (A) Cristalino Centro / Açu (B) Solimões / Cabeças (C) Boa Vista / Cristalino Sudoeste (D) Alter do Chão / Guarani (E) Bambuí / Beberibe
  82. 82. Questão 2 (CONSULPLAN) Assinale a alternativa que completa correta e sequencialmente a afirmação anterior. (A) Cristalino Centro / Açu (B) Solimões / Cabeças (C) Boa Vista / Cristalino Sudoeste (D) Alter do Chão / Guarani (E) Bambuí / Beberibe
  83. 83. Questão 3 - (CESGRANRIO - INEA) Considere a tabela abaixo sobre o consumo de água em diferentes anos. Consumo Total de Água (Km3/ano) Uso Total 1970 1975 2000 Suprimento Doméstico 120 150 500 Indústria 510 630 1300 Agropecuária 1900 2100 3400 Total 2530 2880 5600
  84. 84. Questão 3 - (CESGRANRIO - INEA) Se o consumo continuar a subir seguindo essa tendência, espera-se que (A) haja escassez de água para gerações futuras. (B) haja preservação dos recursos hídricos. (C) diminua a poluição nos mares e oceanos. (D) aumente a emissão de CO2 no uso doméstico. (E) entre em equilíbrio o ecossistema.
  85. 85. Questão 3 - (CESGRANRIO - INEA) Se o consumo continuar a subir seguindo essa tendência, espera-se que (A) haja escassez de água para gerações futuras. (B) haja preservação dos recursos hídricos. (C) diminua a poluição nos mares e oceanos. (D) aumente a emissão de CO2 no uso doméstico. (E) entre em equilíbrio o ecossistema.
  86. 86. Questão 4 (CESPE - CBMDF) O tema ecológico, a cada dia, ganha mais importância. Nesse cenário, ocupa lugar de destaque a questão da água. Todas as avaliações recentes sugerem que, dentro de pouco tempo, esta será uma questão crucial (e até dramática) para muitos países. O Brasil ainda tem vantagens, mas pode perdê-las se não souber administrá-las. O processo de conquista do interior aqui realizado nos últimos 50 anos é altamente positivo, mas o avanço da civilização, que foi bater na Amazônia, está causando forte impacto sobre o meio ambiente. Pesquisas realizadas nas bacias hidrográficas de Mato Grosso, por exemplo, mostram perda de 32% a 43% de sua cobertura vegetal original. O Globo, 24/11/2006, p. 6 (com adaptações).
  87. 87. Questão 4 (CESPE - CBMDF) Tendo o texto acima como referência inicial e considerando as múltiplas implicações do tema que ele focaliza, julgue os itens que se seguem. 1. A água é indispensável à vida e tende a tornar-se um bem escasso. 2. Por ser um país continental, o Brasil dispõe de um número relativamente pequeno de rios. 3. O texto sugere que o Brasil precisa aprender a administrar suas bacias hidrográficas para não sofrer com a falta de água para uso humano no futuro.
  88. 88. Questão 4 (CESPE - CBMDF) 4. Desmatamento indiscriminado pode comprometer as nascentes dos rios e reduzir seu volume de água, acarretando diversos problemas. 5. Infere-se do texto que a ocupação do interior do Brasil, inclusive na Amazônia, tem obedecido aos padrões de preservação ambiental. 6. A expressão “progresso a qualquer preço” é a melhor tradução de desenvolvimento sustentável. 7. A questão ambiental também envolve saneamento básico, indispensável a uma vida humana saudável.
  89. 89. Unidade II - Meio Ambiente e Sustentabilidade 1 – Conceitos; 2 – Debate Internacional; 3 – Estudos de Casos: a) Aquecimento Global; b) Água: O ouro azul; c) O Desafio Energético; e d) Desmatamento.
  90. 90. Unidade II - Meio Ambiente e Sustentabilidade 1 – Conceitos; 2 – Debate Internacional; 3 – Estudos de Casos: a) Aquecimento Global; b) Água: O ouro azul; c) O Dilema Energético; e d) Desmatamento.
  91. 91. Dilema Energético • Demandas Energética Crescente.
  92. 92. Dilema Energético • Demandas Energética Crescente.  O crescimento econômico
  93. 93. Dilema Energético • Demandas Energética Crescente.  O crescimento econômico  Desenvolvimento Tecnológico
  94. 94. Dilema Energético • Demandas Energética Crescente.  O crescimento econômico  Desenvolvimento Tecnológico • Principais fontes são fósseis
  95. 95. Dilema Energético • Demandas Energética Crescente.  O crescimento econômico  Desenvolvimento Tecnológico • Principais fontes são fósseis  Não renováveis
  96. 96. Dilema Energético • Demandas Energética Crescente.  O crescimento econômico  Desenvolvimento Tecnológico • Principais fontes são fósseis  Não renováveis  Poluidoras
  97. 97. Dilema Energético Fonte Mundo Brasil Petróleo 35 37,4 Carvão mineral 25.3 6,0 Gás natural 20,7 9,3 Biomassa tradicional 8,5 12,0 Energia Nuclear 6,3 1,4 Energia Hidroelétrica 2,2 14,9 Biomassa moderna 1,5 15,9 Outras energias renováveis 0,5 3,2
  98. 98. Dilema Energético  Solução: Utilização de Fontes Alternativas!
  99. 99. Dilema Energético  Solução: Utilização de Fontes Alternativas: • Energia Solar
  100. 100. Dilema Energético  Solução: Utilização de Fontes Alternativas: • Energia Solar  Vantagens: limpa e renovável
  101. 101. Dilema Energético  Solução: Utilização de Fontes Alternativas: • Energia Solar  Vantagens: limpa e renovável  Desvantagem: limitação tecnológica e geográfica
  102. 102. Dilema Energético  Solução: Utilização de Fontes Alternativas: • Energia Eólica
  103. 103. Dilema Energético  Solução: Utilização de Fontes Alternativas: • Energia Eólica  Vantagens: limpa e renovável
  104. 104. Dilema Energético  Solução: Utilização de Fontes Alternativas: • Energia Eólica  Vantagens: limpa e renovável  Desvantagens: limitação geográfica e financeira;
  105. 105. Dilema Energético  Solução: Utilização de Fontes Alternativas: • Biocombustíveis
  106. 106. Dilema Energético  Solução: Utilização de Fontes Alternativas: • Biocombustíveis  Vantagens: renovável e menos poluidora que as fósseis.
  107. 107. Dilema Energético  Solução: Utilização de Fontes Alternativas: • Biocombustíveis  Vantagens: renovável e menos poluidora que as fósseis.  Desvantagens: diminuição da área plantada com alimentos, desmatamento, esgotamento do solo, limitação geográfica e tecnológica.
  108. 108. Dilema Energético  Solução: Utilização de Fontes Alternativas: • Energia Hidrelétrica
  109. 109. Dilema Energético  Solução: Utilização de Fontes Alternativas: • Energia Hidrelétrica  Vantagens: renovável e pouco poluidora
  110. 110. Dilema Energético  Solução: Utilização de Fontes Alternativas: • Energia Hidrelétrica  Vantagens: renovável e pouco poluidora  Desvantagens: limitação geográfica e financeira, e inundação de grandes áreas
  111. 111. Dilema Energético  Solução: Utilização de Fontes Alternativas: • Energia Nuclear
  112. 112. Dilema Energético  Solução: Utilização de Fontes Alternativas: • Energia Nuclear  Vantagem: limpa e produção de muita energia com pouca matéria prima.
  113. 113. Dilema Energético  Solução: Utilização de Fontes Alternativas: • Energia Nuclear  Vantagem: limpa e produção de muita energia com pouca matéria prima.  Desvantagens: limitação tecnológica e financeira, pressão geopolítica, produção de lixo atômico e risco de acidentes.
  114. 114. Questão 1 - (FCC – BB). O Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis) concedeu ontem [26/01/2011] a licença para a instalação do canteiro de obras da usina, no Pará. O licenciamento, esperado desde meados do segundo semestre do ano passado, era fundamental para que a usina pudesse sair do papel. Caso a licença não fosse dada agora, o consórcio construtor perderia a chamada janela hidrológica, época antes das chuvas na Região Norte, e o início das obras da usina teria que ser adiado para 2012, atrasando o trabalho em cerca de um ano. (Adaptado de http://clippingmp.planejamento.gov.br)
  115. 115. Questão 1 - (FCC – BB). O nome da usina que será construída no Pará é (A) Santo Antonio. (B) Jupiá. (C) Furnas. (D) Belo Monte. (E) Itaipu.
  116. 116. Questão 1 - (FCC – BB). O nome da usina que será construída no Pará é (A) Santo Antonio. (B) Jupiá. (C) Furnas. (D) Belo Monte. (E) Itaipu.
  117. 117. Questão 2 - (CESGRANRIO - IBGE) Com relação à atual situação energética atravessada pela sociedade brasileira, são feitas as afirmativas abaixo. I - Avançam as pesquisas e a exploração de fontes alternativas, tais como o biodiesel e a energia eólica. II - Expande-se a produção de energia hidrelétrica, através da construção de novas usinas e ampliação de antigas unidades. III - Discutem-se projetos de lei para exigir da indústria de eletrodomésticos a fabricação de produtos de menor consumo energético.
  118. 118. Questão 2 - (CESGRANRIO - IBGE) Está(ão) correta(s) a(s) afirmativa(s): (A) I, apenas. (B) I e II, apenas. (C) I e III, apenas. (D) II e III, apenas. (E) I, II e III.
  119. 119. Questão 3 - (CESGRANRIO - Caixa) As energias eólica e solar são consideradas fontes alternativas por serem renováveis, contrapondo-se aos tipos de energia produzidos a partir da queima de combustíveis fósseis. No Brasil atual, o uso dos tipos de energia alternativa indicados pode ser, adequadamente, classificado como
  120. 120. Questão 3 - (CESGRANRIO - Caixa) (A) restritivo, em função das condições naturais gerais do País. (B) predominante, quanto às unidades produtivas atendidas. (C) inexistente, tendo em vista os obstáculos jurídicos. (D) inviável, haja vista os históricos impasses tecnológicos. (E) incipiente, quanto a sua efetividade produtiva.
  121. 121. Questão 4 (Cespe/UNB – PMES) Considerando a questão energética e os aspectos ambientais que envolvem as atividades econômicas contemporâneas, julgue os itens seguintes. 1. Em geral, eventuais turbulências verificadas em grandes produtores mundiais, a exemplo do Iraque e da Venezuela, bem como o crescimento da economia mundial, costumam elevar o preço do barril de petróleo. 2. A expressão matriz energética corresponde ao conjunto de recursos de energia de uma dada sociedade e ao modo como ocorre sua utilização, ou seja, o conceito envolve as fontes de energia e as tecnologias de geração.
  122. 122. Questão 4 (Cespe/UNB – PMES) 3. Embora tenha potencial hídrico pequeno, o Brasil insiste na construção de hidrelétricas. 4. O petróleo ainda é a principal fonte de energia utilizada pelo sistema produtivo mundial, mas seus custos ambientais tendem a ser crescentemente questionados na atualidade. 5. A obtenção de energia de biomassa — de resíduos agrícolas, como o bagaço da cana — foi abandonada devido aos altos custos e à pequena demanda.
  123. 123. Questão 4 (Cespe/UNB – PMES) 6. Atualmente, a questão ambiental situa-se entre os principais argumentos contrários ao projeto de construção da hidrelétrica de Belo Monte, no Pará. 7. Encontrar fontes de energia renováveis e limpas constitui, hoje, desafio de amplitude mundial.
  124. 124. Unidade II - Meio Ambiente e Sustentabilidade 1 – Conceitos; 2 – Debate Internacional; 3 – Estudos de Casos: a) Aquecimento Global; b) Água: O ouro azul; c) O Desafio Energético; e d) Desmatamento.
  125. 125. Desmatamento • A Importância das Florestas  Lar de numerosas espécies;  Fontes de alimento e remédios;  Participam da regulação do clima;  Preservam as fontes de água doce.
  126. 126. Desmatamento • A Situação das Florestas  Desde o início da civilização, as atividades humanas reduziram as florestas a menos da metade da área original ocupada.  Hoje, somente cerca de 23% do planeta é coberto por florestas;  O Hemisfério Norte, sobretudo a Europa, pagou com as matas temperadas o preço do desenvolvimento.  Os países tropicais vivem o dilema de se desenvolver e preservar.
  127. 127. Desmatamento • A Situação das Florestas  Ao longo do século XX e do início do século XXI, o desmatamento aumentou, num ritmo sem precedentes.  Estima-se que apenas 12% das floretas mundiais se encontram em áreas de proteção ambiental;  95% das florestas em todo o mundo são naturais e apenas 5% foram replantadas pelo homem.
  128. 128. Desmatamento • A Situação das Florestas  Cerca de 81% das floresta virgens estão concentradas em 15 países: Bolívia, Brasil, Canadá, China, Colômbia, Congo, EUA, Índia, Indonésia, Nova Guiné, Peru, Rússia, Venezuela, e Vietnã;  Quase a metade das floresta virgens estão concentradas no Brasil, Canadá e Rússia.
  129. 129. Desmatamento • Florestas Temperadas  Na Europa e nos EUA, a busca incessante por carvão durou quase dois séculos;  Estima-se que 90% das florestas foram destruídas.  As florestas temperadas são o grande bioma mais destruído pela intervenção humana.  Apenas alguns bosques sobrevivem no hemisfério norte que tinha uma vasta área verde.  O pouco que restou, faz parte agora de um rigoroso programa de preservação e replantio.
  130. 130. Desmatamento • Florestas Tropicais  As florestas tropicais são o maior reservatório de biodiversidade do planeta.  Estão situadas em quatro regiões: América do Sul, África, Sudeste da Ásia e Oceania.  Somando-se todas as áreas, existem próximo de 17 milhões Km2 de florestas tropicais, área ainda significativa, mas em franco processo de redução por causa de desmatamento e incêndios.
  131. 131. Desmatamento • Florestas Tropicais  70% das áreas desmatadas, de acordo com a ONU, são destinadas para a agricultura e criação de animais.  A taxa de diminuição atinge cerca de 1% ao ano. A produção de madeira nessas florestas, por ano, chega de 33 milhões de metros cúbicos, 1/3 na América do Sul e 27% apenas no Brasil.  Mais de 50% da madeira é utilizada como combustível nos países em desenvolvimento.  Parte considerável é destinada a fins industriais, e na construção civil, nos países ricos.
  132. 132. Desmatamento • Florestas Tropicais  A área de floresta em processo de destruição mais acentuada atualmente é a africana.  No caso da Ásia e na Oceania o desmatamento já acabou com boa parte das florestas tropicais.  Na Amazônia, o Brasil e as demais nações amazônicas ainda estão em busca de modelo de desenvolvimento capaz de proteger a floresta.
  133. 133. Desmatamento • Consequências do desmatamento das floretas tropicais:  Cada vez mais espécies de animais e vegetais correm risco de extinção.  Na Mata Atlântica e na Amazônia em apenas 1 hectare podem ser encontradas cerca de 100 espécies de árvores e a quantidade de espécies de insetos e outros animais é ainda desconhecida, um verdadeiro tesouro natural para futuras pesquisas.
  134. 134. Desmatamento • Consequências do desmatamento das floretas tropicais:  O problema do aquecimento se agravaria, já que as florestas tem papel importante na regulação do clima.  Com a desertificação que se segue, a diminuição da água potável de fácil acesso e menor capacidade de produzir alimentos  Menos oportunidade de pesquisas por fármacos.
  135. 135. Desmatamento Amazônia: maior biodiversidade do mundo • Na América do Sul, além do Brasil, estende-se por Bolívia, Peru, Equador, Colômbia, Venezuela, Guiana, Suriname e Guiana Francesa. • No Brasil, a floresta ocupa áreas dos estados do Acre, Amapá, Amazônia, Pará, Rondônia, Roraima, Tocantins, Mato Grosso e Maranhão, perfazendo uma superfície total de 5.217.423 quilômetros quadrados, quase 60% do território nacional.
  136. 136. Desmatamento Amazônia: maior biodiversidade do mundo • As dimensões fazem com que a floresta englobe diferentes zonas climáticas, o principal fator para sua diversidade ecológica.
  137. 137. Desmatamento Amazônia: maior biodiversidade do mundo • O gigantismo amazônico:  Aproximadamente 30 mil espécies de plantas.  5 mil espécies de árvores (em toda América do Norte são 650);  1800 espécies só de borboletas, 3 mil de abelhas.  Estima-se 1.300 tipos diferentes de peixes na Bacia Amazônica.  São conhecidas ainda mil espécies de aves,  311 de mamíferos, 240 de répteis, e 163 de anfíbios
  138. 138. Desmatamento Amazônia: maior biodiversidade do mundo • Equilíbrio frágil.  O solo amazônico de superfície é bastante pobre, devido, sobretudo, a força das chuvas que carregam os nutrientes para baixo. Deixando o solo arenoso e com poucos nutrientes.  Mantém a floresta uma fina camada de nutrientes, formada de decomposição de folhas, galhos e animais mortos. Ou seja, a floresta vive de seu próprio material orgânico, em meio a um ambiente úmido com chuvas abundantes
  139. 139. Desmatamento Amazônia: maior biodiversidade do mundo • Equilíbrio frágil.  Por isso, especialistas afirmam que rompido o frágil equilíbrio, a região corre sério risco de se tornar uma savana ou até mesmo um deserto.
  140. 140. Desmatamento Amazônia: maior biodiversidade do mundo • Ação Humana na Floresta Amazônica.  As ações de madeireiras, pecuaristas e agricultores, eliminaram 17% da floresta.  O desmatamento através de queimadas (57,5%) coloca o Brasil entre os maiores emissores de CO2.  Embora o ritmo de desmatamento tenha caído desde 2006, o IPCC alerta que se o desmatamento mantiver num ritmo acelerado (como nos últimos 20 anos anteriores a 2006) parte da floresta será transformada em savana. Alterações desse porte trariam mudanças climáticas para o mundo inteiro.
  141. 141. Desmatamento Amazônia: maior biodiversidade do mundo • Povos da Floresta  A floresta também envolve uma história de povoamento bastante antiga (12 mil anos).  Em 1492, viviam na região milhares de nativos, falantes de mais de 1300 línguas diferentes, restando somente 170 delas.  A partir do domínio europeu, a população indígena decresceu substancialmente, mas 70% dos índios brasileiros vivem em reservas na Amazônia e a floresta é o seu sustento.
  142. 142. Desmatamento Amazônia: maior biodiversidade do mundo • Povos da Floresta  Em 1980, segundo a FUNAI, restavam menos de 100 mil índios no Brasil.  Ações de demarcação e proteção aos nativos permitiram a população indígena crescesse, chegando a 817 mil em 2010 (IBGE) – crescendo mais de cinco vezes a média nacional.  Os ianomâmis formam o maior grupo com 8,2 mil indivíduos.
  143. 143. Desmatamento Amazônia: maior biodiversidade do mundo • Povos da Floresta  Ao todo, cerca de 20 milhões de pessoas habitam os 9 estados da Amazônia Brasileira.  A densidade demográfica é de 3,4 habitantes por quilômetro quadrado, a mais baixa do país.  A maioria da população vive nos centros urbanos como Manaus e Belém. Ao contrário do se que pensa, a população urbana da região corresponde a 62% da população da Amazônia Legal.
  144. 144. Desmatamento Amazônia: maior biodiversidade do mundo • Povos da Floresta  Levantamentos do governo indicam que existem ainda 2 mil comunidades ribeirinhas, muitas das quais sem qualquer contato com os centros urbanos da região.  Muitas comunidades extrativistas crescem com a valorização dos produtos típicos da floresta, como frutos e sementes, devido a importância para indústria cosmética e culinária.
  145. 145. Desmatamento Amazônia: maior biodiversidade do mundo • Povos da Floresta  Apoiados por ONGs e governos, os extrativistas têm ganhado mais voz ativa na região, sobretudo os seringueiros, os mais tradicional da região.  A relevância dos seringueiros se deve também a luta de Chico Mendes.
  146. 146. Novo Código Florestal a) Entendendo o Problema • O Novo código surge para conciliar o interesse econômico e a preservação ambiental • O Brasil tem a legislação ambiental mais rigorosa do planeta.  É o único pais que exige que seus agricultores mantenham reservas de mata natural dentro de suas fazendas.  Detém as maiores áreas de preservação e atribui multas milionárias e prisão a quem infringe as regras.
  147. 147. Novo Código Florestal a) Entendendo o Problema Ainda assim, as florestas continuam sendo derrubadas, as multas não são pagas e são raros os devastadores que vão para a cadeia.  A principal causa do desmatamento amazônico é a expansão da fronteira agropecuária. No estado do Mato Grosso, o que mais desmata, plantações de soja e gado avançam sobre as áreas florestada.
  148. 148. Novo Código Florestal a) Entendendo o Problema • O Brasil é um grande produtor de grãos, carne, açúcar, mineiro de ferro, entre outros bens de grande consumo, cujos preços são cotados internacionalmente, as chamadas commodities.  Diferentemente do que se pregava nos anos 1960, uma grande participação do setor primário na economia não representa uma ameaça a industrialização e à diversificação das atividades.  As atividades hoje são sofisticadas, pois incorporaram uso intensivo de tecnologia.
  149. 149. Novo Código Florestal a) Entendendo o Problema  O agronegócio tem importância cada vez maior do na pauta das exportações brasileiras, sobretudo depois da crise internacional de 2008/2009. Sem as commodities, teríamos saldo negativo da balança comercial.
  150. 150. Novo Código Florestal b) Problemas da Legislação Antiga • A legislação previa três tipos de área em uma propriedade rural: Área de Proteção Permanente (APP), Área de Reserva Legal (RL) e Área de Produção: • Nas APPs não é permitido o uso direto, ou seja, não se pode plantar nem criar animais nesse espaço;  Matas ciliares (30 m); margens de lagoas, lagos ou reservatórios de água; entorno de nascentes ou olhos d’água; topos de morros; encostas com declividade superior a 45.
  151. 151. Novo Código Florestal b) Problemas da Legislação Antiga  Nas RL, a vegetação natural deve ser protegida, mas você poderá usá-la de uma forma sustentável. Esse espaço corresponde a 80% da propriedade na Amazônia Legal, a 35% no Cerrado e a 20% nas demais propriedades rurais.
  152. 152. Novo Código Florestal b) Problemas da Legislação Antiga • Parte do desrespeito às normas pode ser explicada porque elas foram feitas em linhas gerais sem observar as particularidades.  A legislação tornou ilegal culturas tradicionais do país, como as plantações de na Mojiana (SP) e banana no Vale do Ribeira (SP), os produtores de leite de Minas Gerais, os de maçã de Santa Catarina e os arrozeiros e vinicultores gaúchos. Todas essas culturas são irregulares, porque são feitas em encostas ou antigas matas ciliares.
  153. 153. Novo Código Florestal b) Problemas da Legislação Antiga  Se a lei fosse totalmente cumprida, as lavouras de uma área equivalente a 10% do território nacional teriam de ser substituídas por matas. O faturamento da agricultura cairia e milhões de pessoas perderiam o emprego. O deputado Aldo Rebelo (PCdoB-SP) dedicou-se por dois anos a corrigir essas distorções.
  154. 154. Novo Código Florestal c) As novas regras e suas polêmicas • O novo Código manteve a distinção clássica das áreas rurais, mas não obriga o proprietário a reconstituir o que foi derrubado antes de 2008, estimulando o aproveitamento das terras que já perderam a cobertura vegetal original. • Para se verem livres das penalidades por crimes ambientais, os produtores em situação irregular terão de aderir ao Programa de Regularização Ambiental (PRA).
  155. 155. Novo Código Florestal c) As novas regras e suas polêmicas • As APPs se transformaram no grande foco da polêmica. Ecologistas queriam que essas áreas fossem integralmente preservadas. Isso faria com que propriedades à beira de rios como o São Francisco entrassem para a ilegalidade. Prevaleceu o entendimento de que atividades agropecuárias e de turismo já existentes nas APPs poderão ser mantidas.
  156. 156. Novo Código Florestal c) As novas regras e suas polêmicas • Originalmente, Rabelo tentou reduzir a restauração da mata ciliar a 15 metros do curso normal dos rios Mas, recuou após receber críticas da comunidade científica sobre a redução das matas ciliares. • Foi autorizado aos produtores somar a Área de Preservação Permanente (APP) com reserva legal, que, como vimos é de 80% para região amazônica.
  157. 157. Novo Código Florestal c) As novas regras e suas polêmicas • O artigo 8º assegurava ao governo federal o direito de regulamentar, por decreto, quais APPs poderiam continuar a ser usadas pela agricultura e quais deveriam ser recompostas. A Emenda 164 proposta por parlamentares do PMDB, mudou o artigo 8°, para dar aos estados fazer a distinção. A presidente vetou a alteração.
  158. 158. Novo Código Florestal c) As novas regras e suas polêmicas • A grande ameaça do Código é moral. Ao anistiar os proprietários que desmataram ilegalmente até julho de 2008, o país passou mensagem de que o crime compensa. Quem seguiu a lei (manteve as áreas de preservação permanente e reserva legal), perdeu uma oportunidade, pois os que descumpriram a lei foram beneficiados. Tal percepção seria a principal causa da disparada no ritmo de desmatamento da Amazônia, apontada pelos satélites do Inpe, logo após a votação do Código.
  159. 159. Novo Código Florestal c) As novas regras e suas polêmicas • Mesmo com as alterações, o Brasil continuará a ter a legislação mais rigorosa do mundo. Ou seja, a nova legislação não autoriza novos desmatamentos em relação àqueles que já seriam permitidos anteriormente. A flexibilização vale apenas para aqueles que terão de recompor áreas derrubadas. • O novo Código Florestal não autoriza a devastação da Amazônia, como dizem os ambientalistas. Tampouco a anistia aos desmatadores é uma questão de segurança jurídica, como sugere a retórica ruralista.
  160. 160. Exercícios Questão 1 - (FCC – BB). O desmatamento da Amazônia voltou a subir, de acordo com o Instituto do Homem e do Meio Ambiente da Amazônia (IMAZON). Em março, a floresta perdeu 76 quilômetros quadrados (km2) de vegetação, aumento de 35% em relação ao mesmo mês de 2009. Os números são do Sistema de Alerta de Desmatamento (SAD), monitoramento feito pela organização não governamental (ONG) paralelamente às estimativas oficiais, calculadas pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE). O desmate acumulado entre agosto de 2009 e março de 2010 (oito primeiros meses do calendário oficial do desmatamento) já chega a 1 mil km2, ante 806 km2 do período anterior – aumento de 24%. (http://noticias.ambientebrasil.com.br/clipping/2010/05/05/545 89-imazon-diz-que-desmatamento-aumentou-em-marco.html)
  161. 161. Questão 1 - (FCC – BB). O maior desmatamento tem ocorrido sistematicamente no Estado do (A) Amazonas. (B) Acre. (C) Amapá. (D) Mato Grosso. (E) Pará.
  162. 162. Questão 1 - (FCC – BB). O maior desmatamento tem ocorrido sistematicamente no Estado do (A) Amazonas. (B) Acre. (C) Amapá. (D) Mato Grosso. (E) Pará.
  163. 163. Questão 2 - (FCC – BB) Após semanas de debates, a Câmara dos Deputados aprovou [em maio de 2011] o texto da reforma do Código Florestal. Um dos pontos polêmicos do novo texto é a (A) instituição de uma ampla reforma agrária a partir de 2012. (B) elevação dos impostos para os que cultivam cana para produção de etanol. (C) flexibilização da ocupação dos solos em áreas como as várzeas dos rios. (D) extinção dos minifúndios improdutivos em áreas densamente povoadas. (E) expressa proibição de venda de terras na Amazônia para grupos estrangeiros.
  164. 164. Questão 2 - (FCC – BB) Após semanas de debates, a Câmara dos Deputados aprovou [em maio de 2011] o texto da reforma do Código Florestal. Um dos pontos polêmicos do novo texto é a (A) instituição de uma ampla reforma agrária a partir de 2012. (B) elevação dos impostos para os que cultivam cana para produção de etanol. (C) flexibilização da ocupação dos solos em áreas como as várzeas dos rios. (D) extinção dos minifúndios improdutivos em áreas densamente povoadas. (E) expressa proibição de venda de terras na Amazônia para grupos estrangeiros.
  165. 165. Questão 3 (FCC - MPE RN) Considere as informações sobre o novo Código Florestal Brasileiro. I. Um de seus pontos polêmicos é a anistia a agricultores que desmataram áreas até 2008, o que é combatido pelos ambientalistas. II. Um dos seus artigos prevê áreas de preservação permanente, como topos de morros ou margens de rios. III. Os ambientalistas consideram a nova legislação positiva para preservação ambiental.
  166. 166. Questão 3 (FCC - MPE RN) Está correto o que se afirma APENAS em (A) I. (B) I e II. (C) I e III. (D) II. (E) II e III.
  167. 167. Questão 3 (FCC - MPE RN) Está correto o que se afirma APENAS em (A) I. (B) I e II. (C) I e III. (D) II. (E) II e III.
  168. 168. Questão 4 - (CESGRANRIO - IBGE) Com referência à conservação do meio ambiente no Brasil e às dificuldades enfrentadas neste sentido, é correto apontar como um dos maiores problemas a(o): (A) falta de conhecimento e demarcação de unidades de conservação. (B) ausência de legislação ambiental atualizada específica para o País. (C) insuficiência dos serviços de fiscalização das áreas protegidas. (D) inexistência de órgãos oficiais responsáveis pelo meio ambiente. (E) descaso de organismos internacionais com o meio ambiente no País.
  169. 169. Questão 4 - (CESGRANRIO - IBGE) Com referência à conservação do meio ambiente no Brasil e às dificuldades enfrentadas neste sentido, é correto apontar como um dos maiores problemas a(o): (A) falta de conhecimento e demarcação de unidades de conservação. (B) ausência de legislação ambiental atualizada específica para o País. (C) insuficiência dos serviços de fiscalização das áreas protegidas. (D) inexistência de órgãos oficiais responsáveis pelo meio ambiente. (E) descaso de organismos internacionais com o meio ambiente no País.
  170. 170. Questão 5 (CESPE – MI) Em vigor há quase três anos, a Lei da Mata Atlântica não conseguiu evitar a continuação do desmatamento do bioma. A mata atlântica está reduzida a 7,9% de sua área original no país e, entre 2005 e 2008, 102,9 mil hectares foram desmatados ilegalmente, segundo estudo realizado pela Fundação SOS Mata Atlântica e pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais. A diretora da Fundação SOS Mata Atlântica disse que o desmatamento ocorre principalmente para substituir o uso da floresta, geralmente para a agropecuária e exploração de pínus, principalmente em Santa Catarina. Além disso, a mata atlântica situa-se em uma região onde há muitos usos e muitas cidades e, por isso, está tão fragmentada.
  171. 171. Questão 5 (CESPE – MI) As principais cidades e metrópoles brasileiras estão localizadas nessa região, portanto o impacto das pessoas e da utilização dessa floresta desde o descobrimento do Brasil tem levado à redução drástica da área da mata atlântica. Internet: <oglobo.globo.com> (com adaptações). Tendo como referência o texto, julgue os itens a seguir. 1. Infere-se do texto que atividades econômicas têm parte da responsabilidade no desmatamento da mata atlântica. 2. A Lei da Mata Atlântica tem-se mostrado instrumento eficaz para conter a destruição da floresta. 3. A destruição da mata atlântica tem sido uma constante na história brasileira desde o início da colonização do país pelos portugueses.
  172. 172. Questão 6 (CESPE – Emp. Bras. Com.) A controversa reforma no Código Florestal, em discussão no Congresso Nacional, foi, finalmente, votada no dia 25/5/2011 na Câmara dos Deputados. A respeito desse assunto, julgue os itens. 1. Na votação do Código Florestal, foi rejeitada a emenda que liberava as plantações e os pastos formados em áreas de preservação permanentes antes de julho de 2008, decisão que desagradou os ruralistas. 2. No projeto do Código Florestal aprovado, foi abolida a exigência de reserva legal nas propriedades rurais, independentemente do tamanho delas. 3. Juntamente com o Código Florestal, foi aprovada emenda que proíbe os estados, os municípios e o Distrito Federal de legislarem a respeito de meio ambiente.

×