Influência da estimulação elétrica    nervosa transcutânea (TENS)associada ao alongamento muscular      no ganho de flexib...
• OBJETIVO: Avaliar o efeito da associação alongamento e  TENS nos músculos isquiotibiais de mulheres saudáveis  sobre gan...
• O objetivo deste estudo foi avaliar o efeito da  associação do alongamento muscular e TENS  no grupo muscular dos isquio...
• Materiais e métodosCaracterização do estudoFoi realizado um estudo do tipo experimental,randomizado, controlado, cego e ...
• SujeitosTrinta voluntárias não atletas foramselecionadas aleatoriamente para participar doestudo e distribuídas através ...
• Instrumentos• Foi utilizada uma prancha desenvolvida por  Brasileiro, Faria & Queiroz9 para avaliação da  flexibilidade ...
Protocolo de aplicação da TENSFoi aplicada TENS convencional (100Hz, 40µs,intensidade no limite sensorial tolerável, semco...
• Após dez minutos de aplicação22 da TENS, com  variação de intensidade e freqüência (VIF)  para evitar acomodação ao estí...
Protocolo de alongamentoO alongamento utilizado neste estudo foi dotipo estático, sendo aplicado por meio de umaflexão de ...
Protocolo de medição da percepção dolorosaApós a realização do protocolo de alongamento,as voluntárias dos grupos Al e Al+...
• Desta forma, o grupo C foi submetido à  apenas duas avaliações do ângulo de extensão  passiva do joelho, com um interval...
• A Tabela 2 apresenta os resultados do tratamento  para os grupos do estudo em relação ao ganho  diário, ganho total e AD...
• ConclusõesO alongamento estático mostrou-se eficientepara promover aumento da flexibilidademuscular dos isquiotibiais, n...
Tens e alongamento
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Tens e alongamento

739 visualizações

Publicada em

Publicada em: Saúde e medicina
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
739
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Tens e alongamento

  1. 1. Influência da estimulação elétrica nervosa transcutânea (TENS)associada ao alongamento muscular no ganho de flexibilidadeRev. bras. fisioter. vol.12 no.5 São Carlos Sept./Oct. 2008
  2. 2. • OBJETIVO: Avaliar o efeito da associação alongamento e TENS nos músculos isquiotibiais de mulheres saudáveis sobre ganho de flexibilidade.• MATERIAIS E MÉTODOS: Trinta mulheres foram aleatoriamente distribuídas em três grupos (n=10): controle (C) e grupos de alongamento (Al e Al+TENS). Estes últimos foram submetidos a alongamento estático (três repetições de 30 segundos) por duas semanas, sendo um deles (Al+TENS) submetido à aplicação de TENS por dez minutos (100hz; 40µs) antes da manobra, com estimulação presente durante a mesma. A flexibilidade foi avaliada pela extensão passiva do joelho antes e após cada sessão, sendo retiradas fotografias para análise pelo software AUTOCAD. A dor percebida foi avaliada com uma Escala Numérica de 0 a 10 pontos. Os dados foram analisados mediante o teste t de Student, para amostras independentes e análise de variância, considerando nível de significância estatística o valor de p<0,05.
  3. 3. • O objetivo deste estudo foi avaliar o efeito da associação do alongamento muscular e TENS no grupo muscular dos isquiotibiais de sujeitos saudáveis, observando o ganho diário de flexibilidade muscular (logo após a sessão de alongamento), o ganho total (após o período de intervenção) e avaliando a percepção da dor provocada pelo alongamento muscular.
  4. 4. • Materiais e métodosCaracterização do estudoFoi realizado um estudo do tipo experimental,randomizado, controlado, cego e de caráterlongitudinal para avaliar o efeito da associaçãoda TENS ao alongamento muscular nosisquiotibiais de jovens saudáveis. Os dadosforam coletados nos meses de março e abril de2007, sempre no mesmo horário do dia (entre11 horas 30 minutos e 14 horas).
  5. 5. • SujeitosTrinta voluntárias não atletas foramselecionadas aleatoriamente para participar doestudo e distribuídas através de sorteio em trêsgrupos: (1) grupo submetido ao protocolo deaplicação da TENS e protocolo de alongamento(Al+TENS), além dos protocolos de avaliação(flexibilidade e percepção dolorosa); (2) gruposubmetido ao protocolo de alongamento eprotocolos de avaliação (Al); (3) grupo controle(C) submetido apenas ao protocolo de avaliaçãoda flexibilidade
  6. 6. • Instrumentos• Foi utilizada uma prancha desenvolvida por Brasileiro, Faria & Queiroz9 para avaliação da flexibilidade dos isquiotibiais por meio da medição da ADM de extensão passiva do joelho. Uma câmera digital da marca Canon, 3.0 megapixels, foi usada para registrar as imagens da extensão do joelho, para posterior análise por meio do software AUTOCAD 2007.• Também foi utilizada uma unidade de TENS portátil de duplo canal da marca Quark (TENS VIF 973), eletrodos quadrados auto-adesivos de 5cm2 e adesivos prateados de formato circular da marca Pimaco do tipo TP16 para destacar os pontos anatômicos.
  7. 7. Protocolo de aplicação da TENSFoi aplicada TENS convencional (100Hz, 40µs,intensidade no limite sensorial tolerável, semcontração muscular) com onda do tipo bifásicaassimétrica, sendo realizada uma tricotomia naregião de fixação dos eletrodos.
  8. 8. • Após dez minutos de aplicação22 da TENS, com variação de intensidade e freqüência (VIF) para evitar acomodação ao estímulo elétrico, foi realizada a manobra de alongamento com a estimulação ainda presente.
  9. 9. Protocolo de alongamentoO alongamento utilizado neste estudo foi dotipo estático, sendo aplicado por meio de umaflexão de quadril do membro inferior direito, demaneira lenta e suave, até que a voluntáriareferisse desconforto no limite de tolerância,sendo neste ponto sustentado por 30segundos1,4,23. O joelho do membro alongado foimantido em extensão completa com o tornozelona posição neutra e o membro opostoestabilizado em extensão pelo pesquisador.
  10. 10. Protocolo de medição da percepção dolorosaApós a realização do protocolo de alongamento,as voluntárias dos grupos Al e Al+TENS referirama dor percebida durante o alongamentomuscular em todos os dias de experimentosatravés de uma Escala Numérica de Avaliação daDor de 11 pontos, na qual zero significa ausênciade dor e dez a dor máxima24.
  11. 11. • Desta forma, o grupo C foi submetido à apenas duas avaliações do ângulo de extensão passiva do joelho, com um intervalo de duas semanas entre as medições (tempo correspondente à intervenção), e os grupos Al e Al+TENS, além das avaliações, foram submetidos ao protocolo de alongamento e à avaliação da percepção dolorosa.
  12. 12. • A Tabela 2 apresenta os resultados do tratamento para os grupos do estudo em relação ao ganho diário, ganho total e ADM ao fim do experimento (ADM Final). Os grupos Al e Al+TENS apresentaram ganho total de ADM e ADM Final significativamente maiores que o grupo C (p<0,05), indicando a eficácia dos protocolos utilizados no ganho de flexibilidade. No entanto, o ganho total de ADM, ganho diário, bem com a ADM Final, não foram estatisticamente diferentes entre os grupos Al e Al+TENS, sugerindo um ganho de flexibilidade equivalente entre estes grupos.
  13. 13. • ConclusõesO alongamento estático mostrou-se eficientepara promover aumento da flexibilidademuscular dos isquiotibiais, no entanto, suaassociação a TENS não foi suficiente parapromover maior ganho de flexibilidade ao secomparar ao alongamento isolado. A TENS nãofoi eficiente em reduzir a percepção dolorosaprovocada pelo alongamento muscular dosisquiotibiais.

×