Trabalho realizado por: Andreia  Andrade nº 4 Nábila Inglês nº14 Soraia Oliveira nº20 Exploração Infantil
<ul><li>Este trabalho foi feito no âmbito da disciplina de T.I.C, sugerido pela professora Fátima Campos. </li></ul><ul><l...
<ul><li>“ Eu brinco ao fim-de-semana.”   (9 anos) </li></ul><ul><li>“ Ajudo a fazer sapatos, a coser. Coso antes de vir pa...
<ul><li>A Igreja Evangélica Presbiteriana de Portugal, consciente de que as crianças têm os mesmos direitos civis, polític...
<ul><li>Tendo em vista as causas do trabalho infantil, que incluem pobreza, exploração económica, valores sociais e circun...
Apoiar qualquer campanha de educação pública que divulgue a mensagem de que a exploração do trabalho infantil que envolve ...
<ul><li>Gostámos muito de realizar este trabalho, pois com ele ficámos mais aptas em relação a esta realidade que sendo tã...
<ul><li>http://br.geocities.com/exploracaoinfantil/ </li></ul><ul><li>http://trabalhoinfantilm.blogspot.com/ </li></ul><ul...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

.

954 visualizações

Publicada em

Publicada em: Tecnologia, Negócios
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
954
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
12
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
17
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

.

  1. 1. Trabalho realizado por: Andreia Andrade nº 4 Nábila Inglês nº14 Soraia Oliveira nº20 Exploração Infantil
  2. 2. <ul><li>Este trabalho foi feito no âmbito da disciplina de T.I.C, sugerido pela professora Fátima Campos. </li></ul><ul><li>Neste trabalho vamos falar sobre a Exploração Infantil, quais os direitos das crianças, e também quais as diferenças entre uma criança ao qual não lhe falta as condições básicas, e uma criança que não tem o mínimo para ser feliz. </li></ul>Introdução
  3. 3. <ul><li>“ Eu brinco ao fim-de-semana.”   (9 anos) </li></ul><ul><li>“ Ajudo a fazer sapatos, a coser. Coso antes de vir para a escola e à noite, dois sacos por dia, quarenta sapatos, vinte pares.”   (10 anos) </li></ul>A diferença entre duas crianças
  4. 4. <ul><li>A Igreja Evangélica Presbiteriana de Portugal, consciente de que as crianças têm os mesmos direitos civis, políticos, sociais, culturais e económicas que os adultos, de que a Convenção sobre os Direitos da Criança está na base de uma mudança na abordagem dos problemas ligados à criança, a qual está preste a alcançar ratificação universal, aprova o seguinte: </li></ul><ul><li>Manifestar a sua preocupação por todas as formas intoleráveis de trabalho infantil envolvendo risco e exploração, quer ele seja doméstico, fabril, rural ou sexual, as quais constituem abusos graves dos direitos da criança, comprometendo o seu desenvolvimento físico, social, cognitivo, emocional ou moral. </li></ul>Direitos das Crianças
  5. 5. <ul><li>Tendo em vista as causas do trabalho infantil, que incluem pobreza, exploração económica, valores sociais e circunstâncias culturais, considera que as soluções devem ser abrangentes e envolver o maior número possível de parceiros, manifesta-se pronta a colaborar com Igrejas irmãs, outras comunidades religiosas, bem como organizações tanto governamentais como não governamentais, sindicatos e patronato na luta contra a exploração do trabalho infantil. </li></ul><ul><li>Preocupação com o bem-estar das famílias cuja sobrevivência pode depender dos ganhos provenientes da exploração do trabalho das suas crianças, esforços devem ser feito no sentido de ampliar as oportunidades de trabalho para os adultos. </li></ul>
  6. 6. Apoiar qualquer campanha de educação pública que divulgue a mensagem de que a exploração do trabalho infantil que envolve situações de risco será tão inaceitável hoje quanto a escravidão o foi no passado. Manifestar junto das entidades competentes a necessidade do cumprimento da assistência escolar obrigatória, dado que educação e trabalho infantil interagem profundamente.
  7. 7. <ul><li>Gostámos muito de realizar este trabalho, pois com ele ficámos mais aptas em relação a esta realidade que sendo tão cruel, ainda existe. </li></ul>Conclusão
  8. 8. <ul><li>http://br.geocities.com/exploracaoinfantil/ </li></ul><ul><li>http://trabalhoinfantilm.blogspot.com/ </li></ul><ul><li>http://www.watchtower.org/t/20030208/article_01.htm </li></ul>BIBLIOGRAFIA

×