Apresentação de Pedro Rocha no MARKETING SHOW

624 visualizações

Publicada em

Crowdsourcing - o consumidor como fonte de inovação e criatividade - por Pedro Rocha, docente do IPAM e Director Geral da OAK, no MARKETING SHOW, 29 e 30 de Outubro, EXPONOR, Porto

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
624
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
6
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • UM FUTURO AINDA MAIS INCERTO: AMBIENTAL, ECONÓMICAMENTE, PARADIGMATICAMENTE, TERRORISTICAMENTE, financeiramente, etc.
    The question is, “What will normal look like?” While no one can say how long the crisis will last, what we find on the other side will not look like the normal of recent years. The new normal will be shaped by a confluence of powerful forces—some arising directly from the financial crisis and some that were at work long before it began.
    - Ian Davis, McKinsey’s worldwide managing director.
  • The Open Handset Alliance's most prominent member, Google, is developing Android: the first complete, open, and free mobile platform. To support the quest for apps that surprise and delight mobile users, to be created by developers around the world, Google has launched the Android Developer Challenge, which will provide USD 10 million in awards for innovative applications. The first part of the challenge (submissions are accepted from January 2 through March 3, 2008), will reward 50 entries with USD 25,000 to fund further development. Those selected will then be eligible for even greater recognition via ten USD 275,000 awards and ten USD 100,000 awards.
  • Apresentação de Pedro Rocha no MARKETING SHOW

    1. 1. EXPONOR_OUTUBRO 2010 CROWDSOURCING E O CONSUMIDOR COMO FONTE DE CRIATIVIDADE E INOVAÇÃO
    2. 2. Discurso unilateral de comunicação Meios “controlados” pelas marcas Dificuldade de agregação dos consumidores Falta de ferramentas para comunicar “de volta”
    3. 3. Democratização das ferramentas tecnológicas de produção e comunicação de conteúdos Globalização do ponto de vista do consumidor ( livre transacççao de mercadorias, pessoas e ideias) Falta de controlo do meio de comunicação. Consumidores têm consciência da sua influência nas marcas.
    4. 4. CONSUMIDORES?
    5. 5. - Influenciadores - Revisores - Criadores -Jornalistas, repórteres, editores, estrelas de vídeo e música, jardineiros, designers, pesquisadores. CONSUMIDORES?
    6. 6. CONSUMIDORES?
    7. 7. Prosumers O consumidor actual é exigente e força a indústria a produzir aquilo que ele quer comprar, quebrando o paradigma de que a indústria é que detém o poder da cadeia de suprimentos. CONSUMIDORES?
    8. 8. Sellsumers Seja a vender o seu insight às empresas, alugando ou vendendo os seus bens que já não usam ou a espalhar mensagens aos seus “colegas consumidores”, as pessoas estão também a tornar-se sellsumers. Este fenómeno torna-se cada vez mais real dado o acesso democratizado às ferramentas tecnológicas e à web que cada vez mais faz um matching entre a oferta e a procura. A recessão económica também acelera a vontade de ganhar um “dinheirinho extra”. CONSUMIDORES?
    9. 9. As marcas estão a fazer esforços para colocar os seus consumidores nos centros de decisão de gestão e marketing. Potenciam o empowerment dos consumidores – dão-lhes conteúdos para que sejam eles a comunicar a marca no seu dia a dia aos seus pares. CROWD-EVERYTHING
    10. 10. Crowd-funding - Gerar o capital requerido para um novo projecto/empresa ou objectivo ao apelar a grandes números de pessoas para efectuarem doações. Geralmente com uma recompensa social ou mesmo no revenue dos projectos. CROWD-EVERYTHING
    11. 11. CROWD-EVERYTHING Crowd-mining – Conceito de negócio onde as soluções advêm da multidão, de forma a gerar ideias novas e sem briefing concreto de pessoas – insight em bruto que não segue um pedido específico.
    12. 12. CROWD-EVERYTHING Crowd-wisdoms – Processo que envolve pedir uma opinião colectiva de um grupo acerca de uma determinada pergunta, mais do que um só expert na matéria. Processo acelerado pela idade da informação – Yahoo! Answers .
    13. 13. Crowd –predicting  – Predictify.com: os utilizadores agregam-se em rede para prever resultados de eventos de futebol americano e outras ideias. Atingem médias de 72% de precisão. CROWD-EVERYTHING
    14. 14. Crowd-sourcing- crowdsourcing é um modelo de produção que utiliza a inteligência e os conhecimentos coletivos e voluntários espalhados pela internet para resolver problemas, criar conteúdo ou desenvolver novas tecnologias. Outsourcing,para uma multidão, de um problema específico. CROWD-EVERYTHING
    15. 15. PEPERAMI
    16. 16. http://www.youtube.com/watch?v=Ne5XpI2FNk0 SPIKE LEE’S CROWDSOURCED JOINT
    17. 17. Threadless T-shirts Encarregam os seus utilizadores da tarefa de desenhar as suas t-shirts ao deixá-los submeter e votar no design das mesmas. THREADLESS
    18. 18. The mechanical Turk Amazon criou um marketplace que funciona sob a lógica de outsourcing de tarefas “humanas” na computação, que permite aos programadores criarem pedidos que são respondidos por outras pessoas no sentido de realizarem tarefas que os computadores não conseguem. MECHANICAL TURK
    19. 19. Pepsi Refresh Project Lançado em Janeiro de 2010 faz parte do esforço da Pepsi em associar-se a comunidades nos EUA através da doacção de contribuições monetárias. A Pepsi aplicará 20 milhões de USD para financiar diversos projectos comunitários, pedindo aos consumidores para sugerir e votar em todos os projectos que pretende financiar. PEPSI REFRESH PROJECT
    20. 20. Surowiecky – really? O conceito de “sabedoria das multidões”, por definição, requer que todas as pessoas tenham o controle absoluto dos dados e ferramentas para completar uma tarefa. REALLY?
    21. 21. O anúncio vencedor da Peperami foi elaborado por Rowland Davies, ex director criativo de uma agência de publicidade, juntamente com Kevin Baldwin, copywriter. PEPERAMI
    22. 22. A importância do curador/editor. Os “profissionais” ainda rulam (sellsumers = freelancers). Os processos de inovação das empresas ainda dependem muito dos “gurus” As agências não vão acabar! Vantagens: Custos reduzidos das tarefas Potencial de relações públicas Transparência e empowerment Identificar indivíduos excepcionais CROWDSOURCING
    23. 23. Crowdsourcing é só mais um prenúncio da democratização completa das pessoas. E da crescente importância da inclusão dos consumidores nos nossos processos de decisão de gestão e de marketing. CROWDSOURCING
    24. 24. .1 Quando há necessidade de criar a “brand idea” de uma marca.   Olhando para fora da organização e para os consumidores em específico é uma oportunidade para estudar e criar conceitos inovadores. Estes conceitos, se apoiados em tendências de comportamento do consumidor, são preciosos na diminuição do risco da introdução de novos produtos e conceitos, na medida em que são baseados, primeiramente, nas suas necessidades. INCLUIR OS CONSUMIDORES NOS PROCESSOS DE CRIATIVIDADE
    25. 25. .2 Quando as agências e empresas que lidam com ferramentas de marketing necessitam de insight estratégico para construir propostas de valor.   Os directores de marketing e agências da área procuram diariamente novas formas de impactar os seus consumdiores. O estudo de tendências é nesse sentido benéfico ao nível da criação de planeamento estratégico sobre os quais podem assentar a gestão das suas ferramentas. INCLUIR OS CONSUMIDORES NOS PROCESSOS DE CRIATIVIDADE
    26. 26. .3 Quando os planos de negócio necessitam de radicais e inesperadas hipóteses de forma a desafiar e construir oportunidades não lineares.   O ponto fulcral na criação de um plano de negócios, como na criação de uma marca, é a escolha da ideia central que o irá pilotar. Esse conceito, que se quer único e verdadeiro, quer-se também relevante para os consumidores e as tendências são fontes importantes na criação dessa ideia inesperada, que depois acaba por definir os canais, ferramentas e inovação adequados à mesma. INCLUIR OS CONSUMIDORES NOS PROCESSOS DE CRIATIVIDADE
    27. 27. .4 Quando se quer aumentar o nível de informação e pensamento para encorajar uma cultura de inovação dentro de uma empresa, organizando a produção de insight e a criação de ideias e propostas de valor diferenciadoras.   Uma cultura de inovação dentro de uma empresa, caso não se recorram a factores externos à mesma, pode ser pilotada ou por um grupo encarregue da mesma ou fazendo da inovação everybody’s business. Em ambos os casos, a introdução de tendências do consumidor no seio de uma empresa que tem acesso a dados internos, de concorrência, consumidor, etc. poderá ser o catalizador para a criação de novos conceitos e produtos inovadores. INCLUIR OS CONSUMIDORES NOS PROCESSOS DE CRIATIVIDADE
    28. 28. .5 Quando se procuram novos nichos ou segmentações para construir estratégias comerciais.   A oferta de serviços e produtos de uma empresa pode também ser actualizada recorrendo a este tipo de informação. Muitas vezes, um mesmo produto ou serviço que esteja já há diverso tempo no mercado pode, à luz do estudo da evolução do comportamento do consumidor, encontrar novo fôlego se envolto num conceito que o leve a ser relevante noutros nichos. INCLUIR OS CONSUMIDORES NOS PROCESSOS DE CRIATIVIDADE
    29. 29. .6 Quando se quer criar ideias e oportunidades que ressoam junto dos consumidores e são comunicadas pelos mesmos.   As marcas de hoje não estão no negócio de construir mensagens mas sim no de criar conteúdo para que os seus consumidores crime e comuniquem mensagens sobre as marcas entre si. Baseando os processos de branding e advertising nestas fontes permite-nos criar conceitos e ferramentas que aumentem o empowerment dos consumidores, pois na sua essência trabalhar e pesquisar tendências é acima de tudo compreender como é que o consumidor evolui nas suas necessidades para depois construir oportunidades e ideias baseadas nessas mutações. INCLUIR OS CONSUMIDORES NOS PROCESSOS DE CRIATIVIDADE
    30. 30. oak-brands.com Pedro Rocha E. pedro.rocha@oak- brands.com T. +351 935 094 597 Skype oak.brands Porto Rua Afonso Cordeiro, nº877 1º sala 103 Matosinhos Lisboa Av. Duque de Ávila, nº 67, R/c esquerdo 1100-139 Lisboa www.slideshare.net/OAKbrands/

    ×