Primeira república e crise dos anos 20

1.019 visualizações

Publicada em

Slides com resumo e imagens da República Velha

Publicada em: Educação
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.019
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
17
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Primeira república e crise dos anos 20

  1. 1. BRASIL REPÚBLICA PERÍODO 1889 – 1930
  2. 2. BRASIL REPÚBLICABRASIL REPÚBLICA Características Gerais do Período Oligárquico:Características Gerais do Período Oligárquico: Constituição, 1891:Constituição, 1891: .República Federativa Presidencialista – modelo.República Federativa Presidencialista – modelo norte-americanonorte-americano .Estado Laico.Estado Laico .Eleitor: Universal, excetuando menores de 21 anos,.Eleitor: Universal, excetuando menores de 21 anos, mulheres, soldados e analfabetosmulheres, soldados e analfabetos .Voto: descoberto, “aberto” => Corrupção Eleitoral.Voto: descoberto, “aberto” => Corrupção Eleitoral
  3. 3. ESTADOS UNIDOS DO BRASIL – NOME OFICIAL BANDEIRA PROVISÓRIA DA REPÚBLICA
  4. 4. REPÚBLICA DA ESPADAREPÚBLICA DA ESPADA Período de governos militares entre 1891/1894Período de governos militares entre 1891/1894 GOVERNO DEODORO DA FONSECA:GOVERNO DEODORO DA FONSECA: Confrontos políticos:Confrontos políticos: Civis x MilitaresCivis x Militares Federalistas x Republicanos (Jacobinistas)Federalistas x Republicanos (Jacobinistas) Federalistas: defendiam uma república compostaFederalistas: defendiam uma república composta por “Estados-Membros”, com grande autonomiapor “Estados-Membros”, com grande autonomia com relação ao poder centralcom relação ao poder central Republicanos: defendiam uma autonomia relativaRepublicanos: defendiam uma autonomia relativa dos Estados, mas, com predominância do poderdos Estados, mas, com predominância do poder centralcentral
  5. 5. REPÚBLICA DA ESPADAREPÚBLICA DA ESPADA Período de governos militares entre 1891/1894Período de governos militares entre 1891/1894 GOVERNO DEODORO DA FONSECA:GOVERNO DEODORO DA FONSECA: Problemas Econômicos:Problemas Econômicos: Política do Encilhamento: política de concessão dePolítica do Encilhamento: política de concessão de empréstimos e financiamentos ao comércio e à indústria,empréstimos e financiamentos ao comércio e à indústria, empreendida pelo Ministro Rui Barbosaempreendida pelo Ministro Rui Barbosa Provocou: expansão da base monetária e inflação altaProvocou: expansão da base monetária e inflação alta Congresso tenta votar lei que limitava poderes do presidente.Congresso tenta votar lei que limitava poderes do presidente. Deodoro dissolve o CongressoDeodoro dissolve o Congresso Militares se voltam contra Deodoro: 1Militares se voltam contra Deodoro: 1ªª Revolta da Armada.Revolta da Armada. Deodoro renuncia.Deodoro renuncia.
  6. 6. REVOLTA DA ARMADA - 1891
  7. 7. REPÚBLICA DA ESPADAREPÚBLICA DA ESPADA Período de governos militares entre 1891/1894Período de governos militares entre 1891/1894 GOVERNO FLORIANO PEIXOTO:GOVERNO FLORIANO PEIXOTO: . Constituição definia: vice assume e convoca novas. Constituição definia: vice assume e convoca novas eleições, no caso do presidente não tereleições, no caso do presidente não ter completado 1/3 do mandatocompletado 1/3 do mandato . Floriano assume e permanece no cargo, gerando. Floriano assume e permanece no cargo, gerando nocas revoltasnocas revoltas . Segunda Revolta da Armada. Segunda Revolta da Armada . Revolução Federalista – RS. Revolução Federalista – RS Maragatos (federalistas) x Pica-Paus (florianistas)Maragatos (federalistas) x Pica-Paus (florianistas)
  8. 8. Cavaleiros “Maragatos”
  9. 9. BRASIL REPÚBLICABRASIL REPÚBLICA PERÍODO OLIGÁRQUICO – 1894 - 1930PERÍODO OLIGÁRQUICO – 1894 - 1930 Economia:Economia: . Essencialmente Agrária. Essencialmente Agrária . Predomínio da estrutura latifundiária e agro-. Predomínio da estrutura latifundiária e agro- exportadoraexportadora .Principais produtos:.Principais produtos: .Café: Sudeste – chegou a representar 60% do PIB.Café: Sudeste – chegou a representar 60% do PIB .Outros: Charque (Sul), Cacau e Açúcar (NE),.Outros: Charque (Sul), Cacau e Açúcar (NE), Borracha (NO)Borracha (NO)
  10. 10. O BRASIL DA BORRACHAO BRASIL DA BORRACHA
  11. 11. Localização: Fordlândia
  12. 12. Ferrovia Madeira-Mamoré: projeto previsto na “Questão do Acre”
  13. 13. Costa do cacau
  14. 14. O BRASIL DO CAFÉO BRASIL DO CAFÉ
  15. 15. O BRASIL DO CAFÉO BRASIL DO CAFÉ EXPANSÃO CAFEEIRA:EXPANSÃO CAFEEIRA: . Problemas: novas áreas produtoras no Brasil e em. Problemas: novas áreas produtoras no Brasil e em outros países, como a Colômbia, na América dooutros países, como a Colômbia, na América do Sul, e a Etiópia, na África, traziam instabilidadeSul, e a Etiópia, na África, traziam instabilidade nos preços do café no mercado internacionalnos preços do café no mercado internacional . Solução: “Convênio Taubaté” (1906). Garante. Solução: “Convênio Taubaté” (1906). Garante recursos federais para que os estados produtoresrecursos federais para que os estados produtores comprassem e estocassem café quandocomprassem e estocassem café quando houvesse queda dos preçoshouvesse queda dos preços
  16. 16. BRASIL REPÚBLICABRASIL REPÚBLICA PERÍODO OLIGÁRQUICO – 1894 - 1930PERÍODO OLIGÁRQUICO – 1894 - 1930 NOVOS ARRANJOS POLÍTICOS:NOVOS ARRANJOS POLÍTICOS: . Política dos Governadores. Política dos Governadores . Política do Café com Leite. Política do Café com Leite . Comissão Verificadora de Poderes. Comissão Verificadora de Poderes
  17. 17. BRASIL REPÚBLICABRASIL REPÚBLICA Sociedade: “A questão social é caso deSociedade: “A questão social é caso de polícia” (Washington Luís)polícia” (Washington Luís) Frase traduz a relação entre os gruposFrase traduz a relação entre os grupos dominantes e os grupos excluídosdominantes e os grupos excluídos Revoltas Populares Frequentes, BanditismoRevoltas Populares Frequentes, Banditismo SocialSocial Ex: Guerra de Canudos, Guerra doEx: Guerra de Canudos, Guerra do Contestado, Revolta da Vacina, Revolta daContestado, Revolta da Vacina, Revolta da Chibata, CangaçoChibata, Cangaço
  18. 18. GUERRA DE CANUDOS (1893- 97) ► Definição: Movimento Messiânico (forte presença de elementos religiosos) ► Motivação: pobreza extrema, marginalização, exclusão social, aumento de impostos após a proclamação da República, laicidade do estado e “sebastianismo” ► Acusações do Estado: Movimento Monarquista, Invasão Ilegal de Terras ► Local: Monte Santo/Canudos – Sertão da Bahia ► Liderança: Antônio Conselheiro
  19. 19. CANUDOS - HOJE
  20. 20. Sobradinho – Sá e Guarabira O homem chega, já desfaz a natureza ► Tira gente, põe represa, diz que tudo vai mudar ► O São Francisco lá pra cima da Bahia ► Diz que dia menos dia vai subir bem devagar ► E passo a passo vai cumprindo a profecia do beato que dizia que o Sertão ia alagar ► O sertão vai virar mar, dá no coração ► O medo que algum dia o mar também vire sertão ► Adeus Remanso, Casa Nova, Sento-Sé ► Adeus Pilão Arcado vem o rio te engolir ► Debaixo d'água lá se vai a vida inteira ► Por cima da cachoeira o gaiola vai, vai subir ► Vai ter barragem no salto do Sobradinho ► E o povo vai-se embora com medo de se afogar.
  21. 21. GUERRA DO CONTESTADO - 1912 ►Definição: Movimento Messiânico, com forte influência religiosa ►Motivações: disputas de fronteiras entre Santa Catarina e Paraná. Licença para exploração de Madeira e Construção de ferrovia na região do “Contestado”, implicando na expulsão de centenas de famílias de colônos ►Liderança: Irmão José Maria
  22. 22. REVOLTA DA VACINA - 1904 ►Local: Distrito Federal ►Motivações: Reformas de Pereira Passos somadas à Campanha Sanitarista de Rodrigues Alves ►Demolição e expulsão de populares dos “Cortiços” no Centro da Cidade (Bota- Abaixo) ►Vacinação Obrigatória e abuso de autoridade dos policiais
  23. 23. O “BOTA-ABAIXO”
  24. 24. Em destaque: Oswaldo Cruz, médico-chefe da Campanha Sanitarista
  25. 25. Revolta da Vacina - RJ
  26. 26. REVOLTA DA CHIBATA - 1910 ► Local: Distrito Federal ► Motivação: Castigos Físicos na Marinha ► Ações: marinheiros tomaram dois navios recentemente comprados na Inglaterra (“Minas Gerais” e “São Paulo”) e ameaçaram bombardear a cidade caso o governo não se comprometesse com o fim da chibata nos navios ► Resultado: governo aceita o compromisso, anistia os participantes, mas prende os mesmos meses depois, com a desculpa de uma outra revolta entre os marinheiros
  27. 27. REVOLTA DA CHIBATA - 1910 ► Local: Distrito Federal ► Motivação: Castigos Físicos na Marinha ► Ações: marinheiros tomaram dois navios recentemente comprados na Inglaterra (“Minas Gerais” e “São Paulo”) e ameaçaram bombardear a cidade caso o governo não se comprometesse com o fim da chibata nos navios ► Resultado: governo aceita o compromisso, anistia os participantes, mas prende os mesmos meses depois, com a desculpa de uma outra revolta entre os marinheiros
  28. 28. Há muito tempo nas águas da Guanabara O dragão do mar reapareceu Na figura de um bravo feiticeiro A quem a história não esqueceu Conhecido como o navegante negro Tinha a dignidade de um mestre-sala E ao acenar pelo mar na alegria das regatas Foi saudado no porto pelas mocinhas francesas Jovens polacas e por batalhões de mulatas Rubras cascatas Jorravam das costas dos santos entre cantos e chibatas Inundando o coração do pessoal do porão Que, a exemplo do feiticeiro, gritava então Glória aos piratas Às mulatas, às sereias Glória à farofa à cachaça, às baleias Glória a todas as lutas inglórias Que através da nossa história não esquecemos jamais Salve o navegante negro Que tem por monumento as pedras pisadas do cais
  29. 29. CANGAÇO ►Definição: Banditismo Social ►Motivação: Exclusão Social, Abusos de Poder, “Justiçamento” ►Observação: apesar da imagem de “justiceiros, os cangaceiros eram extremamente violentos com a população mais simples e serviam aos coronéis em troca de proteção contra a polícia
  30. 30. Antônio Silvino
  31. 31. Dadá, Lampião e Maria Bonita Maria Bonita antes do Cangaço
  32. 32. Virgulino Ferreira, o “Lampião”, em dois momentos de sua vida
  33. 33. Corisco e Pancada Cabeças de Lampião, Maria Bonita e seu grupo
  34. 34. BRASIL REPÚBLICABRASIL REPÚBLICA A CRISE DOS ANOS 20A CRISE DOS ANOS 20 . Primeira Guerra Mundial: “Política de. Primeira Guerra Mundial: “Política de Substituição de Importações”Substituição de Importações” . Efeitos: crescimento da urbanização e da. Efeitos: crescimento da urbanização e da industrialização – especialmente em Sãoindustrialização – especialmente em São PauloPaulo . Crescem os “Setores Modernizantes”:. Crescem os “Setores Modernizantes”: Operariado, Setores Médios Urbanos,Operariado, Setores Médios Urbanos, Burguesia IndustrialBurguesia Industrial
  35. 35. ““SINAIS” DA CRISE DOS ANOS 20SINAIS” DA CRISE DOS ANOS 20 . Fundação do Partido Comunista Brasileiro. Fundação do Partido Comunista Brasileiro (PCB)(PCB) . Eleição de Arthur Bernardes (1922): eleição. Eleição de Arthur Bernardes (1922): eleição apertada, com disputas intra-oligárquicasapertada, com disputas intra-oligárquicas . Semana de Arte Moderna de 1922, em São. Semana de Arte Moderna de 1922, em São PauloPaulo . Movimento “Tenentista”: mobilizações nas. Movimento “Tenentista”: mobilizações nas forças armadas lideradas, especialmente, porforças armadas lideradas, especialmente, por jovens oficiais do exércitojovens oficiais do exército
  36. 36. SEMANA DE ARTE MODERNA ►Movimento Antropofágico: “Tupi or Not Tupi” ►Valorização da cultura nacional sem desprezar a cultura estrangeira ►Ruptura com a estética figurativa e com o parnasianismo ►Resgate de patrimônios culturais nacionais (exemplo: Barroco Mineiro)
  37. 37. MODERNISTAS Tarsila do Amaral Oswald de Andrade Heitor Villa Lobos
  38. 38. MODERNISTAS Anita Malfatti Graça Aranha Pagú
  39. 39. MANIFESTO ANTROPOFÁGICO ►Algumas Obras literárias: ►Macunaíma – Mário de Andrade ►Paulicéia Desvairada – Mário de Andrade ►O Rei da Vela – Oswald de Andrade ►Música – Heitor Villa Lobos - Bachianas
  40. 40. Quando o português chegou Debaixo de uma bruta chuva Vestiu o índio Que pena! Fosse uma manhã de sol O índio tinha despido O português. Oswald de Andrade Vaso Grego Esta de áureos relevos, trabalhada De divas mãos, brilhante copa, um dia, Já de aos deuses servir como cansada Vinda do Olimpo, a um novo deus servia. Era o poeta de Teos que a suspendia Então, e, ora repleta ora esvasada, A taça amiga aos dedos seus tinia, Toda de roxas pétalas colmada Alberto de Oliveira
  41. 41. Abaporu – Tarsila do Amaral O Mamueiro – Tarsila do Amaral Operários – Tarsila do Amaral
  42. 42. Anita Malfati – O Homem Amarelo A Estudante – Anita Malfati
  43. 43. MOVIMENTO OPERÁRIO ►Movimento Operário no Brasil surge no final do século XIX, com a chegada dos imigrantes, especialmente italianos ►Surgem os Anarco-Sindicalistas: grupos de anarquistas que procuravam organizar os trabalhadores por fábricas ►Lei Adolfo Gordo (1907): prevê repressão aos movimentos grevistas e, especialmente, a extradição de imigrantes envolvidos com movimento operário
  44. 44. MOVIMENTO OPERÁRIO ► GREVE GERAL 1917: Primeiro grande movimento trabalhista no Brasil, embalado pela Revolução Bolchevique na Rússia e os ideais que ela aparentemente representava
  45. 45. MOVIMENTO OPERÁRIO ►Em 1922, com a fundação do PCB – Partido Comunista Brasileiro, nos moldes leninistas, inicia-se uma luta no movimento operário entre os Anarquistas e os Comunistas, que tinham visões e objetivos diferentes, politicamente.
  46. 46. MOVIMENTO TENENTISTA ►Mais importante mobilização contra os governos oligárquicos, por sua intensidade e representatividade ►Movimento liderado por jovens oficiais do exército, cujo lema era : “Moralização e Modernização” ►Amplo leque ideológico: desde a extrema esquerda ( Comunistas), até a extrema direita (Fascistas)
  47. 47. Movimento TenentistaMovimento Tenentista . Principais:. Principais: . “Os 18 do Forte”: Forte de Copacabana, RJ,. “Os 18 do Forte”: Forte de Copacabana, RJ, 19221922
  48. 48. MOVIMENTO TENENTISTAMOVIMENTO TENENTISTA A REVOLTA PAULISTA - 1924A REVOLTA PAULISTA - 1924
  49. 49. A COLUNA PRESTESA COLUNA PRESTES
  50. 50. GOVERNO WASHINGTON LUÍSGOVERNO WASHINGTON LUÍS 1926 - 19301926 - 1930 . Início do governo em Estado de Sítio, em. Início do governo em Estado de Sítio, em função das revoltasfunção das revoltas . Confrontos políticos intra-oligárquicos:. Confrontos políticos intra-oligárquicos: Minas e São PauloMinas e São Paulo . Agravante: Crise de 1929 e seus efeitos. Agravante: Crise de 1929 e seus efeitos . Eleição de 1930:. Eleição de 1930: PRP – JÚLIO PRESTESPRP – JÚLIO PRESTES PRM – ALIANÇA LIBERAL – GETÚLIOPRM – ALIANÇA LIBERAL – GETÚLIO VARGASVARGAS
  51. 51. GOVERNO WASHINGTON LUÍSGOVERNO WASHINGTON LUÍS 1926 - 19301926 - 1930 . Início do governo em Estado de Sítio, em. Início do governo em Estado de Sítio, em função das revoltasfunção das revoltas . Confrontos políticos intra-oligárquicos:. Confrontos políticos intra-oligárquicos: Minas e São PauloMinas e São Paulo . Agravante: Crise de 1929 e seus efeitos. Agravante: Crise de 1929 e seus efeitos . Eleição de 1930:. Eleição de 1930: PRP – JÚLIO PRESTESPRP – JÚLIO PRESTES PRM – ALIANÇA LIBERAL – GETÚLIOPRM – ALIANÇA LIBERAL – GETÚLIO VARGASVARGAS
  52. 52. CULTURA BRASILEIRA NA PRIMEIRA REPÚBLICA . Predominância de influências culturais européias . Recusa à cultura popular brasileira . Manifestações culturais populares vistas como “indecente”, “imoral”, ou pior: “vagabundagem”, “vadiagem” . Algumas inclusive proibidas e reprimidas pela polícia. Ex: Rodas de Samba, Rodas de Capoeira, Centros de Umbanda
  53. 53. CULTURA NA PRIMEIRA REPÚBLICA Alguns Pioneiros: . Chiquinha Gonzaga: ainda no final do século XIX, mulher e esposa de militar proeminente, introduziu e depois gravou ritmos populares nos salões da elite. Compositora da marcha “Abre Alas” . Donga : negro e sambista, ficou famoso na vida boêmia do Rio de Janeiro e gravou o primeiro samba no Brasil em 1917: “Pelo Telefone” . Pixinguinha: músico em bares e cabarés, compositor de choros e sambas, sucesso de crítica e público com seu “Carinhoso”
  54. 54. Análise: ► Lá, em Vila Isabel, FEITIÇO DA VILA – NOEL ROSA ► Quem é bacharel ► Não tem medo de bamba. ► São Paulo dá café, ► Minas dá leite, ► E a Vila Isabel dá samba. ► A vila tem um feitiço sem farofa ► Sem vela e sem vintém ► Que nos faz bem ► Tendo nome de princesa ► Transformou o samba ► Num feitiço descente ► Que prende a gente
  55. 55. ► A letra de Noel Rosa, revela tanto o caráter ainda “marginal” do samba, que era relacionado aos cultos afrobrasileiros, ao “batuque” e à macumba, e à vadiagem. ► Interessante também notar a referência à chamada “Política do Café-com-Leite” , característica do período.
  56. 56. O PAPEL DO RÁDIO . Primeira estações de rádio são fundadas em 1922, no Rio de Janeiro e em Pernambuco . Programação: essencialmente óperas e música clássica . Necessidade de “faturar”, conduz as rádios progressivamente para o gosto popular . Surgem os programas de auditório para suprir a falta de artistas, os programas de humor e as novelas
  57. 57. Chiquinha Gonzaga Pixinguinha Noel Donga
  58. 58. O PAPEL DOS MODERNISTAS . Os modernistas foram os principais responsáveis por romper com a estética européia e elitista, apesar de não desprezarem essa mesma estética . Buscam, pesquisam e incentivam manifestações nacionais e populares: folclore, ritmos como o choro e o samba, literatura de cordel e até o Barroco Mineiro e a arte sacra colonial.

×