ERP

6.356 visualizações

Publicada em

ERP

Publicada em: Negócios
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
6.356
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
9
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
288
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

ERP

  1. 1. Aula 07 - Sistemas Integrados de GestãoMateus Cozer Sistemas de Informação para a Produção
  2. 2. Aula 07 - Sistemas Integrados de GestãoMateus Cozer Estratégia • Estratégia significa fazer coisas diferentes que seus concorrentes ou ainda fazer as mesmas coisas de maneira diferente – Proporcionar mais valor aos consumidores – Proporcionar o mesmo valor que os concorrentes, mas com um custo menor – Uma combinação destas duas coisas (Porter, 1996)
  3. 3. Aula 07 - Sistemas Integrados de GestãoMateus Cozer Processos Críticos Valioso Raro Não imitável Reproduzível
  4. 4. Aula 07 - Sistemas Integrados de GestãoMateus Cozer • SALIÊNCIA E VALOR ADICIONADO: – processos que fazem com que a Empresa seja diferente de seus concorrentes – processos para os quais o valor adicionado é bastante maior do que o custo de execução • ESTÃO LIGADOS A: – necessidades do cliente externo – como a organização atende a estas necessidades – como a organização “entrega valor” a estes clientes Processos Críticos
  5. 5. Aula 07 - Sistemas Integrados de GestãoMateus Cozer Premissas para um Levantamento • Quem conhece os processos de uma organização são seus participantes • Para mudanças e evolução é preciso o compromisso de todos os envolvidos • A melhoria de processos e da organização é um processo contínuo e sem fim, a ser conduzido pelos seus integrantes • A informação e o conhecimento dos processos de uma organização tem de ser do conhecimento de todos os seus integrantes
  6. 6. Aula 07 - Sistemas Integrados de GestãoMateus Cozer Impacto x Desempenho dos Processos Baixo Desempenho Impacto no Negócio Alta Prioridade Baixa Prioridade Média Prioridade Média Prioridade Modelo do Alinhamento Estratégico
  7. 7. Aula 07 - Sistemas Integrados de GestãoMateus Cozer Produtos da Fase de Estratégia SWOT Plano de Ação e Objetivos Objetivos: t, Q, $ Objetivos: t, Q, $ Portfólio de Processos Desempenho doProcesso Desempenho doProcesso Relevância FCSRelevância FCS Cadeia de Valor Processos de Gestão Processos de Suporte Processos Chave Segm A . . . Segm B. Pr. A Pr. B P M Pr. C Matriz de Mercado & Produto Análise de FCS -- - 0 + + + FCS 1 . . . FCS Pos FCS n Oportunidades Ameaças Pontos Fortes Pontos Fracos
  8. 8. Aula 07 - Sistemas Integrados de GestãoMateus Cozer Organizações Baseadas em FunçõesOrganizações Baseadas em Funções OperaçãoR H Finanças Vendas Sistemas
  9. 9. Aula 07 - Sistemas Integrados de GestãoMateus Cozer Organizações Baseadas em ProcessosOrganizações Baseadas em Processos Necessidade Satisfeita OperaçãoR H Finanças Vendas Sistemas
  10. 10. Aula 07 - Sistemas Integrados de GestãoMateus Cozer Pensar na Organização
  11. 11. Aula 07 - Sistemas Integrados de GestãoMateus Cozer Conflitos Intrínsecos a um ProcessoConflitos Intrínsecos a um Processo Área demandadora Instância aprovadora da transação Setor de Compras Área recebedora Pagamento •Urgência no atendimento •Atenção constante •Poder de influência: satisfação pessoal, explicações adicionais, controle do processo •Transparência do processo •Cumprir norma mais importante que resultado •Necessidade de intervenção para prioridades entre compras •Qualidade do processo de aquisição: muitos fornecedores, negociação extensa para preço mínimo •Preservação do seu prazo para execução e não do resultado global •Conformidade com pedido e documentos oficiais da negociação •Desconheciment o mais profundo da real utilização •Necessidade de obediência a processo burocrático de registro •Cumpriment o das obrigações contratuais •Aprovação sob responsabilid ade de outras áreas •Documentaç ão em perfeita conformidade
  12. 12. Aula 07 - Sistemas Integrados de GestãoMateus Cozer SISTEMAS DESISTEMAS DE INFORMAÇÃOINFORMAÇÃO Sistemas de Informação TecnologiaTecnologia OrganizaçõesOrganizações AdministraçãoAdministração
  13. 13. Aula 07 - Sistemas Integrados de GestãoMateus Cozer • Automação: Aceleração do desempenho • Racionalização de procedimentos: Simplificação de procedimentos operacionais • Reengenharia de processos de negócios: Reprojeto radical dos processos de negócios • Mudança de paradigma: Alteração radical dos conceitos Desenvolvimento de sistemas e mudança organizacional Mudança Organizacional
  14. 14. Aula 07 - Sistemas Integrados de GestãoMateus Cozer • Repensar o fluxo de trabalho e seu gerenciamentoRepensar o fluxo de trabalho e seu gerenciamento • Processo de simplificação dos procedimentos empresariaisProcesso de simplificação dos procedimentos empresariais Reengenharia do processo de negócios “Mudanças incrementais são insuficientes para muitas Organizações na atualidade. Elas não precisam mudar o que são. Elas precisam criar o que não são.” Tracy Goss Mudança Organizacional
  15. 15. Aula 07 - Sistemas Integrados de GestãoMateus Cozer • Simplificação do produto ou do processo de produção • Benchmarking • Utilização de solicitações de clientes como diretriz para melhorar produtos e serviços • Redução de tempo de ciclo Melhoria do processoMelhoria do processo Gerenciamento da qualidade total (TQM)Gerenciamento da qualidade total (TQM) Mudança Organizacional
  16. 16. Aula 07 - Sistemas Integrados de GestãoMateus Cozer Visão tradicional de sistemas
  17. 17. Aula 07 - Sistemas Integrados de GestãoMateus Cozer Sistemas integrados
  18. 18. Aula 07 - Sistemas Integrados de GestãoMateus Cozer • Sistemas Transacional cuja função é: – Armazenar, processar e organizar as informações geradas nos processos organizacionais agregando e estabelecendo relações de informação entre todas as áreas de uma companhia – Automatizar e integrar parcela substancial dos processos de uma empresa nos níveis operacionais e táticos facilitando o tratamento das informações no nível estratégico – Compartilhar dados e uniformizar processos do negócio Sistemas ERPSistemas ERP (Enteprise Resource Planning)(Enteprise Resource Planning) Planejamento de Recursos EmpresariaisPlanejamento de Recursos Empresariais Conceituação
  19. 19. Aula 07 - Sistemas Integrados de GestãoMateus Cozer • Sistema aplicativo que serve como infra-estrutura básica de informações para toda a empresa • Integra processos, proporcionando visão geral do negócio. • Traz o grande benefício de haver um único banco de dados, uma única aplicação e uma interface com o usuário unificada • Composto de módulos Planejamento de produto, Compras, Relacionamento com fornecedores e clientes, Estoques, Serviços, Qualidade, Manutenção, Projetos, Vendas e Distribuição, Produção, Finanças e Contabilidade, Custos, Ativos, Tesouraria, Recursos Humanos, etc. • Os ERPs são sistemas transacionais que tendem a focar no nível operacional, não possuindo muita capacidade analítica para suportar decisões de planejamento Conceituação
  20. 20. Aula 07 - Sistemas Integrados de GestãoMateus Cozer • Estrutura e organização da empresa: Organização unificada • Gerenciamento: Processos administrativos em toda a organização padronizados • Tecnologia: Plataforma unificada • Negócios: Operações mais eficientes e processos de negócios orientados para o cliente • Suporte ao crescimento dos negócios Atendimento global - multiplas moedas e línguas Benefícios dos sistemas integrados
  21. 21. Aula 07 - Sistemas Integrados de GestãoMateus Cozer ERP - Prós • Tecnologia embutida – sistema testado em muitas empresas – acompanhamento da evolução da tecnologia • Disseminação de boas práticas • Integração das aplicações • Expectativa de custo menor • Integração operacional (em especial em multinacionais) • Eliminação dos “sistemas legados”
  22. 22. Aula 07 - Sistemas Integrados de GestãoMateus Cozer • Elimina (ou pelo menos diminui) a diferenciação entre empresas • Filosofia alienígena provoca dificuldades nas mudanças dos processos • Dificuldade de implantação de todos os módulos • Não se terá o melhor sistema especialista em cada função • Poderá não atender a 100% dos processos, ou não atender cada processo em 100% • Poderão ser necessários ajustes posteriores para atender novos negócios e/ou processos ERP - Contras
  23. 23. Aula 07 - Sistemas Integrados de GestãoMateus Cozer ERP - FCS para Implantação • Comprometimento da alta direção • Reengenharia/Revisão dos Processos • Implantação tratada como questão estratégica e organizacional e não meramente técnica • Plano e visão do negócio (aspectos estratégicos, organizacionais, culturais e técnicos) • Programa de mudança no gerenciamento e na cultura • Ter um patrocinador atuante e bem aceito • Integração com demais sistemas de informação do negócio
  24. 24. Aula 07 - Sistemas Integrados de GestãoMateus Cozer • Alocar os melhores profissionais no projeto • Comunicação efetiva (divulgar o andamento do projeto a toda a organização) • Evitar turnover na equipe do projeto • Treinamento dos funcionários no novo sistema • Gerenciamento do projeto ERP - FCS para Implantação
  25. 25. Aula 07 - Sistemas Integrados de GestãoMateus Cozer Etapas de um Projeto Project Charter Business Blueprint Configured and Tested System Production System and Ready Organization Help Desk and Support Organization Avaliação Preparação Análise Construção Preparação Final Produção Manutenção Business Benefits and Continuous Improvement Busines Case and Project Proposal
  26. 26. Aula 07 - Sistemas Integrados de GestãoMateus Cozer Fase 1 - PreparaçãoFase 1 - Preparação Atividades Planej. Inicial do Projeto Definição de Procedimentos Kick-Off do Projeto Cheque de Qualidade Produtos Estratégias Escopo Organização Planejamento Reunião de kick-off Criação das equipes e do local de trabalho
  27. 27. Aula 07 - Sistemas Integrados de GestãoMateus Cozer Produtos Equipe Preparada Ambiente de Desenvolvimento Disponibilizado Hierarquia Org. e Processos de Negócio Definidos Workshop de Validação Atividades Treinamento da Equipe Preparação do Ambiente de Desenvolvimento Hierarquia Organizacional no ERP Definição dos Processos de Negócio Cheque de Qualidade Fase 2 - AnáliseFase 2 - Análise
  28. 28. Aula 07 - Sistemas Integrados de GestãoMateus Cozer Produtos Parametrização do Sistema (Cenários de Negócio configurados no ERP) Gap’s, interfaces, conversões, relatórios e formulários desenvolvidos e testados Manual do Usuário Final Perfis dos usuários Testes Integrados/Validação Atividades Configuração dos Cenários Des. Programas de Conversão Des. Interfaces Des. De Gap’s Des. Relatórios Des. Formulários Preparação Scripts para usuário final Preparação de Perfis de Segurança Testes Integrados Cheque de Qualidade Fase 3 - ConstruçãoFase 3 - Construção
  29. 29. Aula 07 - Sistemas Integrados de GestãoMateus Cozer Produtos Usuários preparados Plano de Migração Aprovado Programas e configurações transportados para o ambiente de produção Dados Mestre e dados transacionais convertidos para o ambiente de produção Estrutura de Help Desk Ambiente de Produção preparado para Go Live Atividades Treinamento de Usuário Final Planejamento para Migração Fase 4 – Preparação FinalFase 4 – Preparação Final
  30. 30. Aula 07 - Sistemas Integrados de GestãoMateus Cozer Pirâmide do Aprendizado ÍNDICES DEÍNDICES DE RETÉNÇÃO DORETÉNÇÃO DO CONHECIMENTOCONHECIMENTO FORMAS DE TRANSMISSÃO DOFORMAS DE TRANSMISSÃO DO CONHECIMENTOCONHECIMENTO Assistir uma palestraAssistir uma palestra5%5% LeituraLeitura10%10% 20%20% Utilizando recursosUtilizando recursos audio-visuaisaudio-visuais 30%30% Demonstração /Demonstração / Uso imediatoUso imediato 50%50% Discussões emDiscussões em grupogrupo 75%75% Praticando oPraticando o conhecimentoconhecimento 85%85% Ensinando osEnsinando os outrosoutros Usuários Super-Usuários Abordagem da Capacitação
  31. 31. Aula 07 - Sistemas Integrados de GestãoMateus Cozer Produtos Sistema em Produção Suporte aos Usuários Confirmação dos resultados esperados Atividades Suporte Conclusão do Projeto Fase 5 – ProduçãoFase 5 – Produção
  32. 32. Aula 07 - Sistemas Integrados de GestãoMateus Cozer Classificação Das Dificuldades Sistema de Informações Integração Geração de planilhas Consulta de informações Informações em duplicidade ou conflitantes Falta de manutenção em tabelas ou periféricos Falta de equipamentos T.I. Estrutura Organizacional Falta de integração entre as áreas Hierarquia Dependência de informações de outras áreas Comunicação Política Procedimentos burocráticos Falta de procedimentos Limitação de recursos Falta de esclarecimento da Política da empresa. Ação Gerencial Falta de delegação Falta de diretriz Falta de tempo (prazos) Definição de prioridades Acúmulo de serviços Controle de Desvios
  33. 33. Aula 07 - Sistemas Integrados de GestãoMateus Cozer Todos os ERPs permitem um certo grau de “customização” para se adaptarem à realidade das empresas. Níveis: • Parametrização (telas, senhas, perfil...) • Determinação de layouts (relatórios e telas) • Interpretador de regras de negócio • Desenvolvimento de componentes • Adequação de tabelas Customizações
  34. 34. Aula 07 - Sistemas Integrados de GestãoMateus Cozer Motivos que podem levar uma organização a implantar um sistema ERP • Negócios • Legislação • Tecnologia • Operacionais
  35. 35. Aula 07 - Sistemas Integrados de GestãoMateus Cozer Negócios – Diferenciar-se da concorrência (visão antiga) – Melhoria da competitividade / produtividade  padronização dos processos de negócios – Imposição de parceiros de negócios em nível global  Pressões da Matriz  Tendência – Aumento na escala de negócios  exige maior nível de controle das operações e dos resultados – Melhoria da Lucratividade – Pressões de Clientes Motivos que podem levar uma organização a implantar um sistema ERP
  36. 36. Aula 07 - Sistemas Integrados de GestãoMateus Cozer LegislaçãoLegislação Exigências legais dos órgãos governamentais e reguladores Exemplos: SPB (Sistema de Pagamentos do Brasil), a adoção de moeda única na Europa, empresas inter-nacionais tem que respeitar a legislação dos países onde está instalada, seguimento das normas ISSO, legislação ambiental TecnologiaTecnologia Obsolescência tecnológica do hardware e do software: (aumento dos custos operacionais, perda de suporte do fornecedor, pessoal qualificado que conheça ainda a tecnologia antiga Exigências tecnológicas de parceiros de negócio, principalmente aqueles relacionados com as novas formas de se fazer negócio (e-business) Pressões de TI OperacionaisOperacionais Falta de integração informacional  ineficácias:redundância, retrabalho, falta de sincronismo, lentidão, imprecisão Muitos fornecedores de sistema já internalizados  diferenças tecnológicas, dificuldades de integração,falta de sincronismo nas adaptações, controle administrativo Motivos que podem levar uma organização a implantar um sistema ERP
  37. 37. Aula 07 - Sistemas Integrados de GestãoMateus Cozer Motivos que podem levar uma organização a NÃO implantar um sistema ERP • Custos • Adequação às necessidades • Dificuldade de operação • Flexibilidade • Experiências negativas
  38. 38. Aula 07 - Sistemas Integrados de GestãoMateus Cozer Custos • Falta visibilidade dos componentes de custo • Falta uma análise de benefício-custos • Falta de um acompanhamento durante toda a vida útil do sistema • Falta uma comparação com o desenvolvimento interno, que costuma ser mais dispendioso Motivos que podem levar uma organização a NÃO implantar um sistema ERP
  39. 39. Aula 07 - Sistemas Integrados de GestãoMateus Cozer Adequação às necessidades • Os sistemas não atendem a todas as necessidades • Solução alternativa: implantar os melhores produtos de cada área de aplicação (best-of- breed). Questáo principal: integração ao longo do tempo Motivos que podem levar uma organização a NÃO implantar um sistema ERP
  40. 40. Aula 07 - Sistemas Integrados de GestãoMateus Cozer • Informações limitadas: escassas, abundantes, inadequadas • Baixa flexibilidade do sistema para se adequar ao contexto e a realidade • Cultura organizacional diferente da cultura imposta pelo sistema • Pouco comprometimento das pessoas com as informações e seus sistemas geradores Dificuldades de operação Motivos que podem levar uma organização a NÃO implantar um sistema ERP
  41. 41. Aula 07 - Sistemas Integrados de GestãoMateus Cozer Flexibilidade • Paradoxo da flexibilidade • Para ser flexível, um sistema deve adotar padrões rígidos de comportamento, parametrização • Linha muito imperceptível que separa a flexibilidade da personalização Experiência negativa • Muitas empresas amargam experiências negativas em projetos de implantação de sistemas ERP. • As causas mais freqüentes são: • A falta de planejamento • A falta de cumprimento contratual por parte do fornecedor Motivos que podem levar uma organização a NÃO implantar um sistema ERP
  42. 42. Aula 07 - Sistemas Integrados de GestãoMateus Cozer Métodos para a implantação • Tratar como questão estratégica e não meramente técnica o Envolver aspectos estratégicos, organizacionais, culturais e técnicos • Estratégia o Por módulos o Por Planta o Big-Bang • Planejar com cuidado os “upgrades”
  43. 43. Aula 07 - Sistemas Integrados de GestãoMateus Cozer Alinhamento Estratégico A única vantagem competitivaA única vantagem competitiva sustentávelsustentável é a capacidade deé a capacidade de aprender mais rápido e melhoraprender mais rápido e melhor do que os concorrentesdo que os concorrentes Ao invés de começar pela tecnologia, buscar o mapeamento dos processos e necessidades de negócio e depois a escolha das soluções para satisfazê-las
  44. 44. Aula 07 - Sistemas Integrados de GestãoMateus Cozer Papéis e Responsabilidades Comitê ExecutivoComitê Executivo Diretoria do ProjetoDiretoria do Projeto AssessoriaAssessoria Quality AssuranceQuality Assurance Gerência do projetoGerência do projeto Líder de ProcessoLíder de Processo EquipesEquipes de Processos Equipe Técnica de TIEquipe Técnica de TI Equipe de ProgramaçãoEquipe de Programação Suporte AdministrativoSuporte Administrativo Change ManagementChange Management
  45. 45. Aula 07 - Sistemas Integrados de GestãoMateus Cozer Comitê Executivo • Oferecer direcionamento estratégico baseado nos planos de negócios • Validar e viabilizar o cumprimento da missão, objetivos e metas do projeto, garantindo a implementação das Mudanças (Processos, Estrutura, Cultura & Pessoas e Tecnologia) Diretoria do Projeto • Aprovar escopo, custo, prazos e produtos definidos para o projeto • Assegurar a participação dos recursos requeridos conforme plano de trabalho • Gerenciar o relacionamento com outros projetos concomitantes • Posicionar Comitê Executivo e Alta Direção quanto ao andamento do projeto. Papéis e Responsabilidades
  46. 46. Aula 07 - Sistemas Integrados de GestãoMateus Cozer Assessoria • Analisar o risk management e definir estratégias de atuação conjuntamente com Change Management • Prover a gerência do projeto de informações sobre as mudanças de direcionamento estratégicos e políticos que possam vir a impactar no projeto • Coordenar a definição da missão, objetivos e metas de desempenho para o projeto • Prover a alocação de recursos requeridos conforme plano de trabalho • Aprovar os produtos definidos para o projeto • Auxiliar a Diretoria do Projeto no posicionamento dos trabalhos junto ao Comite Executivo Papéis e Responsabilidades
  47. 47. Aula 07 - Sistemas Integrados de GestãoMateus Cozer Quality Assurance • Realizar revisões periódicas sobre o andamento do projeto, verificando, dentre outros: •risk management •cumprimento de prazos e escopo •qualidade da implementação e documentação do projeto •correta aplicação da metodologia •alinhamento com a visão tecnológica • Identificar o grau de satisfação com os serviços prestados pela Consultoria • Gerar recomendações para correção de desvios Papéis e Responsabilidades
  48. 48. Aula 07 - Sistemas Integrados de GestãoMateus Cozer Gerência do projeto • Garantir o sinergia entre a Equipe do Projeto e as áreas da Empresa durante o decorrer do projeto • Garantir o cumprimento do planejamento (objetivos, orçamento, prazo e recursos do projeto) • Desenvolver as estratégias para minimizar os riscos identificados no projeto • Definir e garantir a estrutura de controle do projeto • Coordenar o desenvolvimento e garantir a execução do Plano de Qualidade do projeto • Coordenar a identificação, documentação, discussão e soluções de questões • Coordenar a definição e garantir o cumprimento do escopo Papéis e Responsabilidades
  49. 49. Aula 07 - Sistemas Integrados de GestãoMateus Cozer Líder de Processo • Direcionar as Equipes de Processos no que diz respeito ao enfoque e a documentação dos processos de negócios • Identificar GAPS e desenvolver soluções • Garantir a documentação central de toda modelagem dos processos • Desenvolver planos operacionais e monitorar o seu progresso • Coordenar a resolução de questões inter-funcionais com outras equipes • Coordenar a revisão dos produtos do projeto com os representantes das áreas usuárias • Identificar necessidades de treinamento das equipes de processos • Desenvolver e acompanhar os Planos de Trabalho Papéis e Responsabilidades
  50. 50. Aula 07 - Sistemas Integrados de GestãoMateus Cozer EquipesEquipes de Processos • Executar as tarefas pertinentes as fases de implementação e documentação dos processos de negócio de acordo com o planejamento operacional o Definir e entender requerimentos dos processos atuais o Desenvolver processos futuros baseados nas melhores práticas e potencialidades no uso do ERP o Identificar possíveis “gaps”entre o modelo futuro e funcionalidade atual e sugirir soluções • Efetuar levantamentos nas áreas de negócios quanto a situação atual dos sistemas de informações no que se refere a : o Funcionalidade implantada, Qualidade da informação a ser convertida, Potenciais interfaces com outros sistemas, Relatórios e formulários utilizados • Interagir com os usuários para coletar informações e buscar consenso nas soluções de processos Papéis e Responsabilidades
  51. 51. Aula 07 - Sistemas Integrados de GestãoMateus Cozer Equipes de Processos (cont…) • Prototipar os processos • Configurar o sistema • Testar o sistema • Documentar procedimentos • Desenvolver manuais dos usuários • Treinar os usuários finais • Preparar entrada em produção • Acompanhar a implantação Papéis e Responsabilidades
  52. 52. Aula 07 - Sistemas Integrados de GestãoMateus Cozer Equipe Técnica de TI • Planejar e implementar os componentes de Hardware, Software e Comunicação para o ambiente de Desenvolvimento do Projeto • Verificar o impacto da implantação na estrutura existente de Hardware e Software • Gerenciar a instalação e o teste de aceitação da nova infra- estrutura • Prover auxílio especializado na configuração de todo o Hardware e produtos de software utilizados • Garantir que todos os procedimentos e padrões técnicos de desenvolvimento, implementação e transferência entre ambientes sejam seguidos por toda a equipe do projeto Papéis e Responsabilidades
  53. 53. Aula 07 - Sistemas Integrados de GestãoMateus Cozer Equipe de Programação • Analisar requisitos de interfaces com os atuais/futuros sistemas • Desenvolver, preparar e testar programas necessários aos interfaces • Avaliar as estratégias alternativas para conversão de dados • Recomendar a melhor estratégia e apresentar a estimativa associada • Desenvolver, preparar e testar os programas necessários à conversão de dados • Adequar os relatórios e formulários padrões SAP às necessidades da Empresa Papéis e Responsabilidades
  54. 54. Aula 07 - Sistemas Integrados de GestãoMateus Cozer Suporte Administrativo • Apoiar a equipe de projeto através de desenvolvimento de material para apresentação e relatório de “status” • Cuidar da logística do projeto (espaço, material, telefone, organização de documentação, etc.) • Auxiliar o monitoramento do orçamento e cronograma através da coleta de dados junto às equipes • Ajudar no agendamento e organização de reuniões, inclusive cuidando da logística (sala, equipamentos, etc.) • Apoiar as atividades administrativas para os membros da equipe (correspondências, xerox, …) Papéis e Responsabilidades
  55. 55. Aula 07 - Sistemas Integrados de GestãoMateus Cozer Change Management • Atuar proativamente como facilitador nos impactos organizacionais e em revisões de processos • Desenvolver e facilitar o programa de comunicação do projeto • Apoiar o desenvolvimento das estratégias de treinamento para a equipe de projeto e usuários finais, monitorando sua execução • Identificar necessidade de desenvolvimento de habilidades necessárias para a operacionalização do Software Papéis e Responsabilidades
  56. 56. Aula 07 - Sistemas Integrados de GestãoMateus Cozer Como é a “cara” do Projeto de Implementação de Pacotes ? Fases típicas de um Projeto de Tecnologia: 1. Entusiasmo
  57. 57. Aula 07 - Sistemas Integrados de GestãoMateus Cozer Fases típicas de um Projeto de Tecnologia: 1. Entusiasmo 2. Preocupação Como é a “cara” do Projeto de Implementação de Pacotes ?
  58. 58. Aula 07 - Sistemas Integrados de GestãoMateus Cozer Fases típicas de um Projeto de Tecnologia: 1. Entusiasmo 2. Preocupação 3. Pânico Como é a “cara” do Projeto de Implementação de Pacotes ?
  59. 59. Aula 07 - Sistemas Integrados de GestãoMateus Cozer Fases típicas de um Projeto de Tecnologia: 1. Entusiasmo 2. Preocupação 3. Pânico 4. Caça aos Culpados Como é a “cara” do Projeto de Implementação de Pacotes ?
  60. 60. Aula 07 - Sistemas Integrados de GestãoMateus Cozer Fases típicas de um Projeto de Tecnologia: 1. Entusiasmo 2. Preocupação 3. Pânico 4. Caça aos Culpados 5. Punição dos Inocentes Como é a “cara” do Projeto de Implementação de Pacotes ?
  61. 61. Aula 07 - Sistemas Integrados de GestãoMateus Cozer Fases típicas de um Projeto de Tecnologia: 1. Entusiasmo 2. Preocupação 3. Pânico 4. Caça aos Culpados 5. Punição dos Inocentes 6. Luz no Fim do Túnel Como é a “cara” do Projeto de Implementação de Pacotes ?
  62. 62. Aula 07 - Sistemas Integrados de GestãoMateus Cozer Fases típicas de um Projeto de Tecnologia: 1. Entusiasmo 2. Preocupação 3. Pânico 4. Caça aos Culpados 5. Punição dos Inocentes 6. Luz no Fim do Túnel 7. Resultados e Sucesso Como é a “cara” do Projeto de Implementação de Pacotes ?
  63. 63. Aula 07 - Sistemas Integrados de GestãoMateus Cozer Expectativas Altas Desespero Luz no fim do túnel tempo - performance Curva de Expectativa Mudança Tecnológica
  64. 64. Aula 07 - Sistemas Integrados de GestãoMateus Cozer tempo - performanceA abordagem equilibrada de aspectos técnicos e organizacionais contribui para uma implementação mais segura e rápida Esforço de realização e complexidade Melhor que antesIntegração das mudanças Organizacional +Tecnológica Expectativas Altas Desespero Luz no fim do túnel Mudança Tecnológica Curva de Expectativa
  65. 65. Aula 07 - Sistemas Integrados de GestãoMateus Cozer Orientado a processos de negociosOrientado a processos de negocios Gerência de pedidos Compras Serviço ao Cliente Relatórios Financeiros Desenvolv. de produtos ComprasProdução Serviços ContabilidadeVendas
  66. 66. Aula 07 - Sistemas Integrados de GestãoMateus Cozer Os ERPs sãoOs ERPs são softwaressoftwares e como tale como tal necessita ser “parametrizado”.necessita ser “parametrizado”. Quer dizer... desenhado com aQuer dizer... desenhado com a ““cara da empresacara da empresa””
  67. 67. Aula 07 - Sistemas Integrados de GestãoMateus Cozer Sua função é interligar osSua função é interligar os processos da empresa !processos da empresa !
  68. 68. Aula 07 - Sistemas Integrados de GestãoMateus Cozer Não é o melhorNão é o melhor ““individualmente”individualmente”
  69. 69. Aula 07 - Sistemas Integrados de GestãoMateus Cozer SUA FORÇA ESTÁ NASUA FORÇA ESTÁ NA INTEGRAÇÃOINTEGRAÇÃO
  70. 70. Aula 07 - Sistemas Integrados de GestãoMateus Cozer QUALIDADE DOS PROCESSOS Para perceber as mudanças que um software ERP traz é preciso entender três conceitos básicos: TEMPO REAL INTEGRAÇÃO * Sistemas tradicionais = Sequenciais e estanques * Informações relacionadas ocorrem numa única vez Informações atualizadas e disponíveis para todas as áreas envolvidas Todos tem acesso à última posição • Melhores práticas de mercado • Liberar tempo de rotinas para pensar em melhorias contínuas e atividades que agregam valor
  71. 71. Aula 07 - Sistemas Integrados de GestãoMateus Cozer Algumas características SistemasSistemas AbertosAbertos FuncionalidadeFuncionalidade AbrangenteAbrangente Modelo de DadosModelo de Dados CorporativoCorporativo ArquiteturaArquitetura Cliente / ServidorCliente / Servidor Multi-nacionalMulti-nacional Multi-linguaMulti-lingua Multi-moedaMulti-moeda ““bestbest practices”practices” EDI / e-commerceEDI / e-commerce ERP Client / Server WF IS MM HR SD PM QM PP FI CO AM TR SM PS
  72. 72. Aula 07 - Sistemas Integrados de GestãoMateus Cozer 1 - Servidor de Banco de Dados Contém • todas as informações da empresa • todas parametrizações • programas do ERP Cliente Servidor -Cliente Servidor - 3 Camadas3 Camadas Infra-estrutura
  73. 73. Aula 07 - Sistemas Integrados de GestãoMateus Cozer Local onde todos os programas são executados 2 - Servidor de Aplicações Infra-estrutura
  74. 74. Aula 07 - Sistemas Integrados de GestãoMateus Cozer Interface do Usuário com o sistema: amigável e de fácil utilização 3 - Cliente Infra-estrutura
  75. 75. Aula 07 - Sistemas Integrados de GestãoMateus Cozer PROBLEMA DA PRODUÇÃOPROBLEMA DA PRODUÇÃO EE NN TT RR EE GG AA RR o item correto, no prazo desejado, na quantidade correta
  76. 76. Aula 07 - Sistemas Integrados de GestãoMateus Cozer Não existe lei de formação exata Método de gestão: Ponto de Reposição A demanda para um determinado item deA demanda para um determinado item de estoque é considerada independente quandoestoque é considerada independente quando elaela não se relacionanão se relaciona com a demanda de outro item,com a demanda de outro item, particularmente, conjuntosparticularmente, conjuntos ou produtos de nível superior.ou produtos de nível superior. Demanda Independente
  77. 77. Aula 07 - Sistemas Integrados de GestãoMateus Cozer Existe lei de formação exata Método de gestão: MRP A demanda para um determinado item deA demanda para um determinado item de estoque é considerada dependenteestoque é considerada dependente quandoquando está diretamente relacionadaestá diretamente relacionada ou deriva da demanda de outros itensou deriva da demanda de outros itens ou produtos finais,produtos finais, ou está relacionada a um evento produtivo.ou está relacionada a um evento produtivo. Demanda Dependente
  78. 78. Aula 07 - Sistemas Integrados de GestãoMateus Cozer ORDENS OrdemOrdem PlanejadaPlanejada OrdemOrdem PlanejadaPlanejada OrdemOrdem LiberadaLiberada OrdemOrdem LiberadaLiberada PRODUÇÃOPRODUÇÃOPRODUÇÃOPRODUÇÃOCOMPRACOMPRACOMPRACOMPRA Toda ordem que AINDA NÃO foi liberada pelo Planejador do Sistema
  79. 79. Aula 07 - Sistemas Integrados de GestãoMateus Cozer ORDENS OrdemOrdem PlanejadaPlanejada OrdemOrdem PlanejadaPlanejada OrdemOrdem LiberadaLiberada OrdemOrdem LiberadaLiberada PRODUÇÃOPRODUÇÃOPRODUÇÃOPRODUÇÃOCOMPRACOMPRACOMPRACOMPRA Toda ordem que foi liberada pelo Planejador do Sistema em está livre para produzir ou comprar
  80. 80. Aula 07 - Sistemas Integrados de GestãoMateus Cozer Parâmetros de Planejamento
  81. 81. Aula 07 - Sistemas Integrados de GestãoMateus Cozer Lista Técnica FERT – Produto Acabado HALB – Produto Semi-Acabado ROH - Matéria-Prima Produto Acabado Prod. Semi Acabado III Prod. Semi Acabado IV Prod. Semi Acabado II Prod. Semi Acabado I Mat. Prima IIMat. Prima I Mat. Prima III Mat. Prima IV Mat. Prima V FERTFERT ROHROH HALBHALBHALBHALB BOM (Bill of Material) +
  82. 82. Aula 07 - Sistemas Integrados de GestãoMateus Cozer Bicicleta(1) P/N 1000 Guidão (1) P/N 1001 Mont.Quadro (1) P/N 1002 Rodas (2) P/N 1003 Quadro (1) P/N 1004 Estrutura do Produto Heizer & Render, 1999 Bill-of-Material
  83. 83. Aula 07 - Sistemas Integrados de GestãoMateus Cozer MRP (Nec. Bruta) AA CCBB EEDD 2 3 12 500 AA 1000 BB CC 1000 EE 2000 DD 1500 Item Nec. Bruta A B C D E 500 1000 1500 2000 1000
  84. 84. Aula 07 - Sistemas Integrados de GestãoMateus Cozer Planejamento das Necessidades de Material (MRP) DETERMINA: O QUEO QUE QUANTOQUANTO QUANDOQUANDO
  85. 85. Aula 07 - Sistemas Integrados de GestãoMateus Cozer Plano Mestre de Produção Plano Mestre de Produção Estrutura de Produto Estrutura de Produto Posição Estoques Posição Estoques ParâmetrosParâmetros Ordens Abertas Ordens Abertas Mensagens p/ Ordens Abertas Mensagens p/ Ordens Abertas Ordens Planejadas Ordens Planejadas Ordens de Compra Ordens de Compra Ordens de Produção Ordens de Produção Planejamento Necessidades Material Planejamento Necessidades Material Ação do Planejador de Materiais DemandasDemandasCalendárioCalendário ComponentesdoMRPComponentesdoMRP SistemaSistema
  86. 86. Aula 07 - Sistemas Integrados de GestãoMateus Cozer Roteiros (Lista de Tarefas) Contém todas as operações e seqüências necessárias para a fabricação de um produto e suas variantes Cada operação especifica o seguinte: o O centro de trabalho no qual a operação é executada o Quais os valores propostos a serem usados para calcular as datas as capacidades e os custos de fabricação o Se os custos de uma operação são considerados para o cálculo de custos o Os componentes de material necessários para efetuar uma operação
  87. 87. Aula 07 - Sistemas Integrados de GestãoMateus Cozer Perspectiva Histórica Final Década de 50Final Década de 50 • Empresas não utilizavam sistemas computacionais • Gestão de materiais baseada no controle dos estoques Início da década de 60Início da década de 60 • Novos conceitos de controle tecnológico e gestão corporativa • Gigantescos mainframes • Primeiros sistemas de controle de estoques • Automatização cara, lenta e para poucos • Difusão na área administrativa e a seguir, na gerência de produção
  88. 88. Aula 07 - Sistemas Integrados de GestãoMateus Cozer Década de 70Década de 70 • MRP (Material Requirement Planning) - O avô dos ERPs, • Conjuntos de sistemas (pacotes) - conversavam entre si Década de 80Década de 80 • Redes de computadores ligadas a servidores • Mais baratos e fáceis de usar que os mainframes • Revolução nas atividades de gerenciamento de produção e logística • Expansão dos sistemas MRP II - necessidade de maior integração entre os dados de gestão da manufatura e os dados de outras unidades funcionais das empresas Perspectiva Histórica
  89. 89. Aula 07 - Sistemas Integrados de GestãoMateus Cozer Perspectiva Histórica Década de 90Década de 90 • Evolução das redes de comunicação entre computadores • Disseminação da arquitetura cliente/servidor • Preços mais competitivos • Sistemas acrescidos de novos módulos integrados aos módulos de gestão dos recursos de manufatura chamados de sistemas ERP • Muitas promessas - boom nas vendas dos pacotes de gestão • Fornecedores brasileiros • Bug do ano 2000
  90. 90. Aula 07 - Sistemas Integrados de GestãoMateus Cozer O modelo MRP dos anos 70 era baseado em três elementos–chave: programa mestre de produção, lista de materiais, quantidade em estoque Esquema de Funcionamento do MRP (SLACK et al., 1996) Elementos-Chave do MRP (LAURINDO & MESQUITA, 2000)  Definição das quantidades de cada produto final que se deseja produzir em um período  A demanda por matérias- primas e componentes está ligada a programação da produção (dependente) Programa Mestre da Produção Programa Mestre da Produção Lista de Materiais Lista de Materiais  Registro dos materiais que compõe a estrutura do produto  Definição da quantidade de cada um dos itens “filho” para a fabricação / montagem dos itens “pai” Quantidade em Estoque Quantidade em Estoque  Volume de itens em estoque Carteira de Pedidos Programa Mestre de Produção Previsão de Vendas Planej. das Necessidades de Materiais Lista de Materiais Quant. Em Estoque Ordens de Trabalho Planos de Materiais Ordens de Compra Um pouco mais de história
  91. 91. Aula 07 - Sistemas Integrados de GestãoMateus Cozer • Os sistemas MRP não consideravam adequadamente as restrições de capacidade do sistema produtivo • Para que os programas de produção gerados fossem viáveis, foram desenvolvidos procedimentos para verificação da capacidade de produção Centros de produção – com as respectivas capacidades Roteiros de produção – seqüências e tempos das diferentes tarefas • A nova geração dos MRPs passa a ser denominada de planejamento dos recursos de produção, ou MRP II, que agora também controlava outras atividades como mão- de-obra e maquinário. Um pouco mais de história
  92. 92. Aula 07 - Sistemas Integrados de GestãoMateus Cozer Apesar dos avanços obtidos, os sistemas MRP II ainda apresentam algumas deficiências conceituais  O sistema MRP II não determina o seqüenciamento das ordens alocadas aos diferentes centros de produção  Não existe garantia de que o status da fábrica e dos estoques corresponde ao do sistema  O MRP não busca explicitamente a otimização dos conflitos presentes no planejamento da produção. Ou seja, o modelo não propõe nenhuma forma objetiva de ação diante de eventuais limitações de capacidade detectadas (LAURINDO & MESQUISTA, 2000)  Os sistemas MRP II são independentes dos demais sistemas (administrativo, contábil, RH, entre outros) utilizados na empresa Um pouco mais de história
  93. 93. Aula 07 - Sistemas Integrados de GestãoMateus Cozer DenominaçãoDenominação ERP (Enterprise Resource Planning) ou SIGE (Sistemas Integrados de Gestão Empresarial) 1975 - ano no qual surgiu a empresa alemã – um símbolo do setor – SAP (Systemanalyse and Programmentwicklung, na tradução literal Análise de Sistemas e Desenvolvimento de Programas) Com o lançamento do software R/2, ela entrou para a história da área de ERP e ainda hoje é seu maior motor de inovação. Um pouco mais de história
  94. 94. Aula 07 - Sistemas Integrados de GestãoMateus Cozer A Gestão da Produção abrange um amplo conjunto de atividades envolvidas na obtenção dos bens e serviços para os clientes de uma empresa Modelo Conceitual da Produção (SLACK et al., 1996) Escopo da Gestão da Produção (SLACK et al., 1996) A produção obtém os recursos necessários e os transforma em bens e serviços para os clientes Uma definição ampla da produção inclui todas as atividades que possuem qualquer conexão com a geração de bens e serviços Recursos a Serem Transformados Materiais Informações Consumidores Instalações Pessoal Recursos de Transformação INPUT PROCESSO DE TRANSFORMAÇÃO OUTPUT Bens e Serviços Ambiente Ambiente Gestão da Produção Contabilidade e Finanças Des. de Produto / Serviço Marketing Recursos Humanos Compras Engenhari a / Suporte Técnico Gestão da Produção
  95. 95. Aula 07 - Sistemas Integrados de GestãoMateus Cozer O aumento da variedade de produtos e a introdução de novos conceitos gerenciais resultam em maior complexidade de Gestão da Produção e na necessidade de Sistemas de Informação Gestão da Produção
  96. 96. Aula 07 - Sistemas Integrados de GestãoMateus Cozer Fatores de Aumento da Complexidade da Gestão da ProduçãoFatores de Aumento da Complexidade da Gestão da Produção  Ampliação da oferta de produtos com o lançamento de novas opções para os clientes – aumento da variabilidade de produtos em produção  Foco nas competências centrais da empresa  Redução da verticalização e aumento do nível de outsourcing da produção  Maior necessidade de intercâmbio de informações com fornecedores  Maior exigência dos clientes em relação ao nível de serviço – garantia de disponibilidade do produto na data combinada  Necessidade de escala para competir em nível global  Fusões e aquisições para garantir o aumento do volume de produção  Integração da produção de diversas unidades globais Aumento da Complexidade de Gestão da Produção Necessidade de Sistemas de Informação para Apoiar a Gestão da Produção Gestão da Produção
  97. 97. Aula 07 - Sistemas Integrados de GestãoMateus Cozer Por exemplo, a Empresa X produz 15 famílias e centenas de modelos de compressores em 5 plantas localizadas em 4 países CaracterísticasCaracterísticas  A Empresa X produz soluções para refrigeração – compressores herméticos, unidades condensadoras e unidades seladas  A empresa produz 12 famílias de compressores centenas de modelos  A empresa introduz inovações e realiza melhorias constantes em sua linha de produtos  Sede no interior de Minas  Fábricas no Brasil (3), Argentina, Chile e Colombia  Estrutura de distribuição própria nos EUA com 10depósitos  Exportações para 50 países QuestõesQuestões  Qual será a demanda por produtos?  Onde produzir para atender determinado cliente?  Qual a data possível de entrega? Gestão da Produção
  98. 98. Aula 07 - Sistemas Integrados de GestãoMateus Cozer As empresas utilizam Sistemas de Informação de Gestão da Produção a fim de planejar e controlar o processo de manufatura em todos os seus níveis DefiniçãoDefinição Os Sistemas de Informação para Gestão da Produção são sistemas que provêem informações que suportam (Corrêa & Gianesi, 1993): o gerenciamento eficaz do fluxo de materiais, da utilização de mão-de-obra e dos equipamentos a coordenação das atividades internas com as atividades dos fornecedores e distribuidores e a comunicação / interface com os clientes no que se refere a suas necessidades operacionais QuestõesQuestões Os Sistemas de Informação para Gestão da Produção são sistemas de informação para apoio à tomada de decisões, táticas e operacionais, referentes às seguintes questões básicas (Corrêa et al., 1997): • o que produzir e comprar? • quanto produzir e comprar? • quando produzir e comprar? • com que recursos produzir? Gestão da Produção
  99. 99. Aula 07 - Sistemas Integrados de GestãoMateus Cozer Os Sistemas de Informação para Gestão da Produção devem ser capazes de apoiar a tomada de decisões  Planejar as necessidades futuras de capacidade produtiva da organização • Planejar os materiais comprados • Planejar os níveis adequados de estoques de matérias-primas, semi-acabados e produtos finais, nos pontos certos • Programar atividades de produção para garantir que os recursos produtivos envolvidos estejam sendo utilizados, em cada momento, nas coisas certas e prioritárias • Ser capaz de saber e de informar corretamente a respeito da situação corrente dos recursos (pessoas, equipamentos, instalações, materiais) e das ordens (de compra e produção) • Ser capaz de prometer os menores prazos possíveis aos clientes e depois fazer cumpri-los • Ser capaz de reagir eficazmente Gestão da Produção
  100. 100. Aula 07 - Sistemas Integrados de GestãoMateus Cozer Exercício • Quais são os principais objetivos de um sistema de produção? • Explique o fluxo de informações entre PCP, Vendas e Produção e o papel mediador executado pelo PCP nos “conflitos” normalmente existentes entre essas áreas • Escolha um produto final de sua empresa. Descreva sucintamente sua lista técnica e roteiros possíveis e explique como você configuraria o sistema (quais parâmetros) para obter o melhor resultado possível (atender o cliente, custo, produtividade) • Qual é o impacto resultante de erros nos apontamentos da produção? • Como a aplicação de um sistema de cálculo de necessidades pode afetar a relação de uma empresa com seus fornecedores e clientes? • O sistema de cálculo de necessidades de materiais pode ser considerado um sistema de planejamento da produção? • Discuta o processo de implantação do ERP em sua empresa, em face dos seus fatores críticos de sucesso
  101. 101. Aula 07 - Sistemas Integrados de GestãoMateus Cozer Leituras Complementares • DAVENPORT, T.H. (1998). Putting the Enterprise into the Enterprise System. Harvard Business Review, p. 121-131, July/Aug. • LAURINDO, F.J.B. & MESQUITA, M.A. (2000). Material Requirements Planning: 25 anos de história – uma revisão do passado e prospecção do futuro. Gestão e Produção, v.7, n.3, p.320-337, Dez. • SLACK, N.; CHAMBERS, S.; HARLAND, C.; HARRISON, A.; JOHNSTON, R. (1996). Administração da Produção. São Paulo. Atlas.

×