A retórica da governança       corporativa       Mateus Cozer          2013
Agenda• Descrever a dinâmica do capitalismo de  Estado• Mudar tudo para não mudar nada• O papel do BNDES• Jogos de elite• ...
Capitalismo de Estado      • Brazil is the most ambiguous member        of the state-capitalist camp: a        democracy t...
Capitalismo de Laços• Os donos do Brasil e suas conexões• Livro brilhante do Prof. Sérgio Lazzarini (2010)• Técnicas de an...
Os donos do poder• Grau de entrelaçamento societário desde 1996• Conceito de laço, aglomerações e atores de  conexão• Cada...
CAPITALISMO DE LAÇOS“Emaranhado de contatos, alianças e estratégiasde apoio gravitando em torno de interessespolíticos eco...
Eike Batista• Dono de uma fortuna de 10 bilhões de  dólares.• Maior doador individual da campanha  presidencial de Lula em...
Origem do SF redes: Crescimento e Conexão Preferencial(1) Redes de expanção continua por           CRESCIMENTO:meio da adi...
Ciência das Redes• Paul Erdös, Duncan Watts e Albert-László  Barabási• Emergência, redes sociais, e mundos  pequenos• Hubs...
Conceitos• Laço: relação entre atores sociais para fins  econômicos• As transações econômicas estão imersas em um  tecido ...
Um Mundo Pequeno• Rede de propriedade definida pelos laços de  participação societária entre donos e firmas.   – Firmas: E...
Jogos de Elite• Os grupos empresariais e suas interdependências• Doadores para a campanha presidencial de Lula  em 2006: V...
Conselho de administração                            Conselheiro                            Conselheiro participa         ...
Governança corporativa    • The debates about governance and        ethics have sprung from corporate       failure, not f...
Economia das Organizações• O estudo das organizações na abordagem da  nova economia das instituições (New  Institutional E...
Oliver Williamson• Ambiente institucional• Governança• Indivíduo
Finanças e direito de           propriedade• Capitalismo no início do século 21 é uma  coleção variada de sistemas econômi...
Firmas e mercados• “The Spirit of Enron and  the Capitalist Ethic”   –   Enron   –   WorldCom   –   Barings   –   LTCM   –...
remuneração dos altos executivosRanking Empresa                    CEO           Remuneração      Capitalização           ...
Palavras e Transações             Econômicas• Firmas, mercados e  contratos relacionais• Fluxo de informações  (palavras-t...
O campo financeiro• Capital: ferramentas financeiras estratégicas  – aquelas que transformam significativamente o    espaç...
Referências•   LAZZARINI, S. Capitalismo de    Laços. Rio de Janeiro: Elsevier,    2010.•   BARABASI, A. “Linked”. New    ...
A retórica da governança corporativa
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

A retórica da governança corporativa

610 visualizações

Publicada em

Publicada em: Negócios
1 comentário
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
610
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
1
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • O emaranhado de contatos, alianças e estratégias de apoio gravitando em torno de interesses políticos econômicos é o que Lazzarini (2011) denomina capitalismo de laços . Trata-se de um modelo assentado no uso de relações para explorar oportunidades de mercado ou para influenciar determinadas decisões de interesse. Essas relações podem ocorrer somente entre atores privados, muito embora grande parte da movimentação corporativa envolva, também, governos e demais atores na esfera pública (LAZZARINI, 2011). Em suma, segundo Lazzarini, capitalismo de laços deve ser entendido de forma mais genérica como “relação entre atores sociais para fins econômicos”. A análise é realizada em dois planos: o conjunto de firmas e o conjunto de proprietários. Proprietários são donos de firmas. O fato de BNDES, Previ, Bradesco e Mitsui serem proprietários da Vale indica, provavelmente, que eles interagem ou interagiram de alguma forma.
  • A retórica da governança corporativa

    1. 1. A retórica da governança corporativa Mateus Cozer 2013
    2. 2. Agenda• Descrever a dinâmica do capitalismo de Estado• Mudar tudo para não mudar nada• O papel do BNDES• Jogos de elite• Governança Corporativa
    3. 3. Capitalismo de Estado • Brazil is the most ambiguous member of the state-capitalist camp: a democracy that also embraces many of the features of Anglo-Saxon capitalism. • Brazil has spent most of its modern history in pursuit of state-driven modernisation.
    4. 4. Capitalismo de Laços• Os donos do Brasil e suas conexões• Livro brilhante do Prof. Sérgio Lazzarini (2010)• Técnicas de análise de redes – Bruce Kogut – The small world of corporate governance – Gerald McDermott – Embedded Politics – Gordon Walker – The small world of firm ownership – Robert Gibbons – Relational contracts• Redes de proprietários no Brasil como mundos pequenos
    5. 5. Os donos do poder• Grau de entrelaçamento societário desde 1996• Conceito de laço, aglomerações e atores de conexão• Cada R$ 100 mil de doação a políticos vencedores provocaria um incremento de 2,8% no valos da capitalização de mercado dos doadores.• Crise financeira de 2008.
    6. 6. CAPITALISMO DE LAÇOS“Emaranhado de contatos, alianças e estratégiasde apoio gravitando em torno de interessespolíticos econômicos” (LAZZARINI, 2011)
    7. 7. Eike Batista• Dono de uma fortuna de 10 bilhões de dólares.• Maior doador individual da campanha presidencial de Lula em 2006.• Imerso em um emaranhado de contatos, alianças e estratégias de apoio gravitando em torno de interesses políticos e econômicos.
    8. 8. Origem do SF redes: Crescimento e Conexão Preferencial(1) Redes de expanção continua por CRESCIMENTO:meio da adição de novos nodos adicionar um novo nó com m LinksWWW : adição de novos documentos CONEXÃO PREFERENCIAL :(2) Novo link para nós preferimos a probabilidade que um nó se conecta anodos altamente ligado. um nó com links k é proporcional a k.WWW : bem conhecida a ligação entre sites ki Π ( ki ) = Σ jk j P(k) ~k-3Barabási & Albert, Science 286, 509 (1999)
    9. 9. Ciência das Redes• Paul Erdös, Duncan Watts e Albert-László Barabási• Emergência, redes sociais, e mundos pequenos• Hubs e conectores
    10. 10. Conceitos• Laço: relação entre atores sociais para fins econômicos• As transações econômicas estão imersas em um tecido de relações sociais.• Preocupa-se com a opacidade da firma, sob a ótica do programa de mercados e hierarquias de Oliver Williamson.• A economia institucional (New Institutional Economics) e a sociologia econômica (Wirtschaftssoziologie) possuem um diálogo por meio dos autores Mark Granovetter e Oliver Williamson.
    11. 11. Um Mundo Pequeno• Rede de propriedade definida pelos laços de participação societária entre donos e firmas. – Firmas: Embraer, Vale – Proprietários: Bozano, Previ, Bradesco, BNDES, Mitsui, Oppenheimer• Aglomerações, atores de ligação e os mundos pequenos (small worlds)• Conectores: fundos de pensão de estatais e o BNDES
    12. 12. Jogos de Elite• Os grupos empresariais e suas interdependências• Doadores para a campanha presidencial de Lula em 2006: Vale, Camargo Corrêa, banco Itaú• Redes de grupos no Brasil: Andrade Gutierrez, Camargo Corrêa, Vale• Principais donos das IPOs: BNDES, Credit Suisse, UBS (BTG Pactual)• Conselheiros de interligação: José Mauro Mettrau, Raphael Magalhães e Antonio Bonchristiano
    13. 13. Conselho de administração Conselheiro Conselheiro participa do conselho administrativo de empresas em comum Conselheiro
    14. 14. Governança corporativa • The debates about governance and ethics have sprung from corporate failure, not from corporate success.• John Viney
    15. 15. Economia das Organizações• O estudo das organizações na abordagem da nova economia das instituições (New Institutional Economics) possui raízes no trabalho do autor Ronald Coase (1988).• Estudar o custo das transações como o indutor dos modos alternativos de organização da produção (governança) – Oliver Williamson.• Unidade de análise: a transação
    16. 16. Oliver Williamson• Ambiente institucional• Governança• Indivíduo
    17. 17. Finanças e direito de propriedade• Capitalismo no início do século 21 é uma coleção variada de sistemas econômicos. – Randall Morck• Governança Corporativa desenvolve-se como resposta à separação entre propriedade e controle administrativo da riqueza industrial e seus decorrentes conflitos de interesse – Adolph Berle e Gardiner Means
    18. 18. Firmas e mercados• “The Spirit of Enron and the Capitalist Ethic” – Enron – WorldCom – Barings – LTCM – AIG – BRF (Sadia e Perdigão) – Fibria (VCP e Arucruz) – Banco Panamericano – Banco Cruzeiro do Sul
    19. 19. remuneração dos altos executivosRanking Empresa CEO Remuneração Capitalização (milhões, US$) de mercado (bilhões, US$)1 IAC/Interactive Barry Diler 295 142 Capital One Financial Richard 249 18 Fairbank3 Yahoo Terry Semel 230 47Tabela 1: CEOs mais bem pagos dos EUA, 2005.Fonte: Clarke, 2007. Yahoo, Mkt Cap: 17.79B (15/02/2009) Fonte: http://www.google.com/finance?q=yahoo
    20. 20. Palavras e Transações Econômicas• Firmas, mercados e contratos relacionais• Fluxo de informações (palavras-transações).• Linguagem financeira
    21. 21. O campo financeiro• Capital: ferramentas financeiras estratégicas – aquelas que transformam significativamente o espaço organizacional em que são aplicadas• Habitus: mediação entre indivíduo e sociedade• Num plano complementar, assistimos recentemente os fundos de pensão das empresas estatais, dirigidos por ex-sindicalistas próximos do governo Lula, aceitar e incorporar a inovação das private equities (BTG Pactual).
    22. 22. Referências• LAZZARINI, S. Capitalismo de Laços. Rio de Janeiro: Elsevier, 2010.• BARABASI, A. “Linked”. New York: Plume, 2003.• WATTS, D. Six Degrees. New York: Norton, 2003.• Grün, R . Convergência das elites e inovações financeiras: a governança corporativa no Brasil. Revista Brasileira de Ciências Sociais (Impresso), São Paulo, v. 20, p. 67-90, 2005.

    ×