12                           títulos para ler                             até ser grandePedimos a três escritores de liter...
IlUsTraçõEs DE aNDré lETrIa, DO lIvrO Versos para os pais Lerem aos FiLhos em Noites de Luar, aMbar                       ...
A História Interminável,                 “A lista começava a ficar muito                           Meia Hora para        L...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Páginas2 abril2011

2.761 visualizações

Publicada em

Páginas do Público de 2 de Abril de 2011. Dia Internacional do Livro Infantil. Blogue Letra pequena, de Rita Pimenta

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.761
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1.413
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Páginas2 abril2011

  1. 1. 12 títulos para ler até ser grandePedimos a três escritores de literatura para a infância e juventude que escolhessem três livrosque considerassem imprescindível ler enquanto se cresce: até aos 10 anos, dos 10 aos 15 e dos15 aos 18. Luísa Ducla Soares, Álvaro Magalhães e Ana Saldanha (um autor para cada escalão)ditaram as suas escolhas. E justificaram. André Letria, ilustrador, indicou-nos três obras quenão podem deixar de ser vistas antes de se chegar a adulto. E não pensou em idades. Hoje éDia Internacional do Livro Infantil, Hans Christian Andersen nasceu há 205 anos.Por Rita Pimenta
  2. 2. IlUsTraçõEs DE aNDré lETrIa, DO lIvrO Versos para os pais Lerem aos FiLhos em Noites de Luar, aMbar que, para além de um enredo nomeado para a Lista de Honra Winnie-the-Pooh ocupava, num cativante (de uma fantasia que do International Board on Books estudo recente, o 17.º lugar entre nos remete para a reflexão), nos For Young People em 2002, com os 100 livros mais lidos no século apresenta uma crítica velada à O Limpa-Palavras e outros Poemas. XX, calculando-se que, desde a sociedade. Pode ser lido a diversos A preferência do P2 vai para Todos primeira edição, em 1926, tenham níveis, conforme a idade da os Rapazes são Gatos (ilustração de sido vendidos cerca de 70 milhões criança. Alain Corbel, edição da ASA) de exemplares. A Menina do Mar, As Aventuras de Joanica-Puff, A Ilha do Tesouro, de R. L. de Sophia de de A. A. Milne Stevenson Mello Breyner Este livro, que narra as aventuras Esta extraordinária história Andresen de Joanica-Puff, um certo Urso agarra o leitor pelo pescoço logo Obra de uma Com Muito Pouco Miolo e seus na primeira frase e lança-o, sem grande poeta amigos (Mocho, Inhon, Kanga, regresso, na vertigem da leitura. que conheceu Coelho, Porquito, Trigue, etc.), é um é assim: “O sr. Trelawney, o Dr. bem de perto a infância, pois teve clássico da literatura-ela-mesmo livesey e os outros cavalheiros cinco filhos e para eles compôs (e não só da literatura infantil), um pediram-me que registasse, preto a história. Tem uma grande dos melhores livros de sempre, no branco, todos os pormenores beleza e simplicidade narrativa que pode ser lido muitas vezes, a respeito da Ilha do Tesouro, e vocabular, partilhando com as como se fosse sempre a primeira, já tudo de cabo a crianças o fascínio da autora pelo que “num clássico toda a releitura rabo, omitindo, mar. Estabelece a ligação entre é uma primeira leitura, pois ele porém, os dois mundos, o da terra e o do mar. nunca acaba de dizer o que tem elementos a dizer” (Italo Calvino). Ninguém relativos pode dar-se ao luxo de não ler à situação Dos 10 aos 15 este livro, tenha a idade que tiver. Houve uma altura em que eu e geográfica da ilha, porque Álvaro Magalhães a minha mulher praticávamos permanece religiosamente a leitura lenta e lá, ainda, uma parte do tesouro Álvaro festiva de um capítulo por dia, em que ficou por desenterrar.” Magalhães voz alta, com risos e comentários, Imperdível, pois. Trata-se de nasceu no como medida profiláctica e de outro clássico que tem navegado Porto e tem sanidade mental, também de calmamente pelo mar do tempo. 59 anos. resistência é intemporal o arquétipo das Primeiro à tristeza e à histórias aventurosas da caça ao livro para vulgaridade tesouro. Quando lemos a prosa crianças: (um exercício irrepreensível de stevenson, onde História com que recomendo nenhuma palavra ousa erguer a Muitas Letras. Autor das colecções vivamente a cabeça e nada provoca erosão, Triângulo Jota e Vampiros ou nem todos). Embora esquecemo-nos de que estamos por Isso (Edições ASA). Grande não seja muito a ler, que é o melhor que pode Prémio Calouste Gulbenkian apreciado por acontecer a qualquer leitor, já que de Literatura para Crianças e cá, ao contrário deixa de o ser, passando a viver no Jovens 2002 (modalidade de texto das incipientes mundo que aquele livro ergueu. literário) para o livro Hipopóptimos versões que dele E lá vai ele também a caminho da – Uma História de Amor. Foi fez a Disney, Ilha do Tesouro. c ID: 7827223 size: 6.905 by 432.57 FUNDAÇÃO CASA DA MUSICADos 0 aos 10 aqueles em relação aos quais sentimos uma empatia especial”. Por isso, quando, nas escolas,Luísa Ducla Soares pedem à autora uma lista de livros, Ducla Soares evita-as. “Ter à mão Luísa Ducla uma grande variedade e poder Soares nasceu escolher, de acordo com o próprio em Lisboa, gosto, é fundamental.” Apesar tem 71 anos disso, acedeu ao P2 e referiu e mais de “algumas obras que considera 100 títulos importantes”. publicados. Recebeu o Lengalengas e Prémio Calouste trava-línguasGulbenkian para o melhor livro de Existemliteratura infantil no biénio 1984- publicações de1985 (Seis Histórias de Encantar) diversos autorese o Grande Prémio Calouste portugueses.Gulbenkian pelo conjunto da sua Têm aobra em 1996. Foi seleccionada capacidadecomo candidata portuguesa ao de conquistar as crianças,Prémio Hans Christian Andersen ludicamente, para o interesseem 2004. pela língua, descobrindo que elaDa sua autoria, o P2 elege Se os pode tornar-se num jogo divertido,Bichos se Vestissem como Gente susceptível de ser partilhado com(ilustrações de Teresa Lima, edição colegas, amigos e familiares deda Civilização Editora). A escritora diversas gerações. Desenvolvemvai estar hoje em Setúbal, na livraria a imaginação, brincam comCulsete, às 15h, a comemorar o Dia o nonsense, a musicalidade,do Livro Infantil. desenvolvem a memória, pois sãoLuísa Ducla Soares tem reflectido fixados com enorme facilidade.“muito, ao longo do tempo” sobrese deve ou não haver um cânone As Viagensde livros de leitura imprescindível de Gulliver,para crianças. E conclui que não. de Jonnathan“Os livros são como os amigos: nem Swiftsempre os nossos melhores são Considero-oaqueles que têm mais qualidades um livroreconhecidas pelos adultos, são extraordinário,
  3. 3. A História Interminável, “A lista começava a ficar muito Meia Hora para Little Nemo in Slumberland (O agrada-me muito, não só pelade Michael Ende extensa — e um pouco bizarra. Mas Mudar a Minha Pequeno Nemo no Reino dos parte artística, mas também nobastian baltasar bux passava eu só podia escolher três livros... Vida, Alice Sonhos) (vol. I), de Winsor Mccay seu papel como ilustrador. Quetardes inteiras diante de um livro, Esta é uma das selecções possíveis”. Vieira Qualquer pessoa teria a ganhar nome dar a alguém que ilustraesquecido de tudo o que o rodeava “é um pouco a em conhecer esta obra. a bem e escreve? Escritor e ilustrador?e sem se dar conta que estava Metamorfose, de Franz Kafka febre de uma da sua educação visual. Fiquei autor? Ele foi o primeiro a criarcom fome ou com frio. até que lhe Gregor samsa acorda um dia determinada impressionado quando conheci um livro sem barreiras. Juntou ochegou às mãos o misterioso livro transformado em insecto. só época para o 1.º volume das tiras cómicas tipo de linguagem de um (escritor)que conta a história que nunca entra em pânico quando se entrar noutra”, de Winsor Mccay. E mais ainda e de outro (ilustrador). Não eraacaba. Ele vai descobrir, ao longo dá conta de que vai faltar ao diz a autora quando soube que tinham sido possível este livro nascer de duasde uma sofisticada aventura, emprego. Numa linguagem sobre a fase da vida retratada editadas pela primeira vez em pessoas. é também por isso que que o real e simples e “objectiva”, que neste livro. Qualquer um dos 1905 (no jornal New York herald), onde Vivem os monstros marca o imaginário intensifica o fascínio horrorizado romances juvenis de alice uma série que se manteve até a diferença. O protagonista nem não são coisas dos leitores, Kafka explora o vieira, desde o primeiro, rosa, 1926. O autor inovou no domínio aparece na capa. Ele mudou distintas ou absurdo e as consequências desta minha irmã rosa, pode ser lido da técnica e das as regras até na composição, separadas, transformação com proveito e com prazer por cores, impôs-se, introduziu uma sequência de mas as duas — as reacções pessoas de todas as idades. Este, resistiu e foi um páginas sem texto e sente-se metades de dos que o sobre branca, uma adolescente êxito. a própria que a história ali não precisa das uma totalidade rodeiam; a que não conhece o pai até aos 16 estrutura palavras. só mesmo um ilustrador mágica. Um dificuldade anos e é criada no meio do teatro da narrativa poderia pensar assim. a aceitação mundo ampara de aceitar (amador), retrata várias formas tornou-se, de de onde Vivem os monstros não foi o outro, porque a rejeição de ser família e aponta para a certa maneira, pacífica por parte dos adultos, masnenhum deles pode sobreviver da sua nova possibilidade de mudança. O precursora de as crianças foram à procura dopor si. se Fantasia morrer, identidade humor habitual de alice vieira uma diferente forma de contar. livro. ainda bem.também o nosso mundo, a que física, mais ameniza uma história sombria, ainda que algo perturbadoras,chamamos real, sucumbirá. Não do que ela própria; e até mesmo estruturada de uma forma que com sonhos fantásticos e surreais, Ponctuation, Kveta Pacovská eserá imprescindível este livro, os problemas práticos com realça a surpresa do desenlace. as histórias nunca perdem o O livro como obra de arte. Nestemas é muito difícil resistir-lhe. que se depara uma pessoa branca nasceu “entre aplausos” humor. a proximidade temporal ou em qualquer livro de KvetaQualquer jovem leitor se rende a transformada em insecto gigante e a sua criadora merece uma de outros autores fez com que o Pacovská, há uma mistura deele e se fecha num qualquer lugar num espaço concebido para ovação. universo de Mccay rivalizasse ilustração, design e escultura.para o poder ler sem interrupções corpos humanos. lida num com ambientes como o do algo muito táctil e artístico. as Para verou entraves, tal como faz bastian, período de transformações e de Feiticeiro de oz e da alice no país novas formas tecnológicas deapenas desejando, a cada página crises de identidade, esta obra- das maravilhas. No entanto, a produção de livros abrem muitas antes dos 18que passa, que aquele livro não prima magistral terá um enorme conjugação do seu estilo artístico possibilidades, mas há algo deacabe nunca e seja, como o seu impacto e nunca mais será com a abordagem inovadora insubstituível nestas criações. atítulo promete, interminável. esquecida. Ou seja, é para todas dos temas fez dele (também) um obra tem deQuerem melhor? as idades. André Letria clássico. a tira cómica passou a ser sentida, ser outra coisa. E o pequeno Nemo fica sempre a O Estranho Caso do Cão Morto, de André Letria continua a cair da cama abaixo vontade de tocarDos 15 aos 18 Mark Haddon a síndrome de asperger de que nasceu em Lisboa e tem quando acorda. no objecto livro. Kveta Pacovská,Ana Saldanha sofre o narrador, Christopher, 38 anos. Onde Vivem os Monstros, quando cria, é um achado estilístico que Já ilustrou de Maurice Sendak também tem a Ana Saldanha permite contar a história através livros de Impressiona pela estética e capacidade de nasceu no de um olhar inúmeros pelo conteúdo. aquele aspecto quebrar regras, Porto e tem despido das autores de cru e assustador conquistou- ser abstracta e manter uma série 52 anos. aprendizagens literatura para me logo. E é um universo que de pontos de contacto com as artes Doutorou- da socialização. a infância. Em 1999, ganhou o fascina as crianças. O medo e a plásticas. Com ela, a ilustração é se na Christopher é o Prémio Nacional de Ilustração ansiedade fazem parte do seu seguramente uma forma de arte Universidade detective ideal, com o livro Versos de Fazer mundo. sentem-se atraídas pelo ao nível das outras. é a Kveta de Glasgow um sherlock Ó-Ó, texto de José Jorge Letria. conteúdo sombrio do livro e pela Pacovská que se atribui a frase: “O com uma tese Holmes de 15 Tem visto os seus trabalhos exploração do livro ilustrado é a primeira galeriasobre Rudyard Kipling e a sua obra anos que usa os seleccionados para a Ilustrarte subconsciente de arte que uma criança visita.”infantil. Obteve menção honrosa do seus poderes (Bienal Internacional de Ilustração infantil, com as Não queria deixar de falar numPrémio Adolfo Simões Müller com de observação para a Infância) e faz parte da preocupações “quarto” livro, a mostrar como háTrês Semanas com a Avó (Verbo), e de dedução para descobrir o organização do encontro Farol próprias de lugar para novas ideias em que ao Prémio Cidade de Almada com assassino do cão do vizinho. ao de Sonhos (Rumos e Luzes quem está a técnica digital tem bastante peso.Círculo Imperfeito (Presença) e foi longo deste processo, confirma para o Livro Infantil Ilustrado). crescer. Não Trata-se da adaptação do clássicofinalista do Prémio UNESCO de que a vida, tal como os números Criou a editora Pato Lógico e vale a pena criar só mundos cor- robinson Crusoe por ajubelLiteratura Infantil e Juvenil em primos, é lógica, mas tem regras vai estrear-se este ano na edição de-rosa, os miúdos têm resistência apenas em imagens (editado pelaProl da Tolerância (1997). No ano impossíveis de determinar. é de livros digitais. A série Foxy & e capacidade para ultrapassar Mediavaca). Um exemplo feliz depassado, a Biblioteca Internacional um livro de leitura fácil, um dos Meg é um dos seus trabalhos que os medos. Os livros podem contar um clássico com requinte. Eda Juventude de Munique exemplos de ficção crossover. preferimos. ajudar nisso. Maurice sendak sem texto.seleccionou obras da autora para aFeira do Livro Infantil e Juvenil deBolonha. Escreve preferencialmentepara adolescentes e jovens e asua colecção mais recente, AnaSaldanha, vai em cinco títulos.De entre as muitos livrospublicados, o maior aplauso doP2 vai para Escrito na Parede(Caminho).Para responder a este desafio,a autora pediu a várias pessoas,“nomeadamente com 16 anose outras mais velhas”, querecomendassem três livros.“Algumas não sugeriram nenhumtítulo (“Três?! Só três?”, “Não gostode listas”, “Assim, de repente,não me lembro de nada”). Outraslembraram-se dos suspeitos docostume: policiais, bestsellers, domomento, clássicos, dos programasescolares. Duas ou três fizeram-me ir às estantes procurar livroslidos há muito tempo e quaseesquecidos, como Esteiros e osromances de Erico Veríssimo.Tive ainda uma grande surpresa.“Adorei, até sonhava com ele”,disse a minha sobrinha Isabel sobreO Quinto Filho, de Doris Lessing,lido aos 15 anos”, revela a escritora.

×