Novo nascimento x conversão da alma - Parte 3

1.095 visualizações

Publicada em

Série Pastoreando uma igreja ferida – Parte 3

Publicada em: Espiritual
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.095
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
33
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
124
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Novo nascimento x conversão da alma - Parte 3

  1. 1. NOVO NASCIMENTO X CONVERSÃO DA ALMA
  2. 2. Para a maioria dos crentes estes dois conceitos significam a mesma coisa. Uma confusão nesse sentido pode gerar paradigmas teológicos equivocados e resultados frustrantes.
  3. 3. Nascer de novo: É a regeneração instantânea do espírito mediante a decisão tomada de entregar-se a Jesus. O novo nascimento leva a pessoa para o céu. “Ouvindo eles isto, compungiram-se em seu coração e perguntaram a Pedro e aos demais apóstolos: Que faremos, varões irmãos? E disse Pedro: Arrependeivos, e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo para perdão dos pecados, e recebereis o dom do Espírito Santo.” At 2: 37-38
  4. 4. A Bíblia diz que é necessário nascer de novo. É lógico que o novo nascimento abrange o aspecto inicial da conversão da alma, mas é só o início. O que é nascer de novo? É um novo nascimento do espírito humano. O Espírito de Deus recria o espírito e passa a habitar nele. É uma regeneração da vida espiritual. Nós a chamamos de salvação. Quanto tempo precisa para um espírito humano nascer de novo?
  5. 5. Conversão: É o processo perseverante da libertação, regeneração e reeducação da alma. A conversão coloca a pessoa em comunhão com Deus. “Porquanto o coração deste povo está endurecido, e com os ouvidos ouviram pesadamente e fecharam os olhos, para que nunca com os olhos vejam, nem com os ouvidos ouçam, nem do coração entendam, e se convertam, e eu os cure.” At 28:27
  6. 6.  A conversão leva tempo e tem o seu preço.  Demanda uma mudança de direção, valores e paradigmas sob vários aspectos, sincronizando os pensamentos com os pensamentos de Deus, afetando todo o nosso comportamento e relacionamentos.  Nascer de novo é a regeneração instantânea do espírito, conversão é o processo perseverante de libertação e regeneração da alma.  A salvação é grátis, mas tornar-se um discípulo lhe custará tudo.  Você pode ser salvo e não ser convertido. Por que? Porque a conversão acontece na alma. A salvação acontece no espírito.
  7. 7. O que é a sua alma? Você é um ser trino: um corpo, uma alma e um espírito. “E o mesmo Deus de paz vos santifique em tudo; e todo o vosso espírito, e alma, e corpo sejam plenamente conservados irrepreensíveis para a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo. I Ts 5:23  Seu espírito é a parte do seu ser onde você experimenta a consciência, comunhão e a intuição de Deus.  Sua alma é basicamente sua mente, sua vontade e suas emoções.  Seu corpo é sua casa.
  8. 8. Nada é mais perigoso que um ser humano salvo, porém não convertido. Você sabe que nasceu de novo, mais ainda pensa com a velha mente, seus velhos hábitos ainda o dominam, algumas atitudes ainda não mudaram, alguns raciocínios errados ainda continuam iguais.
  9. 9. As convicções negativas permanecem. Pensamentos malignos ainda frequentam a sua mente e tentam estrangular a voz da consciência. Corrupção, amargura, inveja, ódio ainda continuam com você. Você ainda luta com alguns desejos descontrolados. Mas você é salvo. Não se sabe por quanto tempo o espírito santo vai contender com a sua carnalidade, mas até então, você está salvo.
  10. 10. OS TRÊS ASPECTOS DA RESTAURAÇÃO.
  11. 11. 1.REGENERAÇÃO. A regeneração é o processo de sermos gerados de novo, por um novo espírito e novos valores. Entendendo que, na prática, isso engloba o processo de evangelização, o novo nascimento e um discipulado, até que a pessoa possa estabelecer um compromisso real com os valores do Reino de Deus, sendo capaz de desenvolver uma “vida devocional própria”.
  12. 12. “Que, quanto ao trato passado, vos despojeis do velho homem, que se corrompe pelas concupiscências do engano, e vos renoveis no espírito do vosso sentido, e vos revistais do novo homem que, segundo Deus, é criado em verdadeira justiça e santidade. Pelo que deixai a mentira e falai a verdade cada um com o seu próximo; porque somos membros uns dos outros. Irai-vos e não pequeis; não se ponha o sol sobre a vossa ira. Não deis lugar ao diabo. Aquele que furtava não furte mais; antes, trabalhe, fazendo com as mãos o que é bom, para que tenha o que repartir com o que tiver necessidade. Não saia de vossa boca nenhuma palavra torpe, mas só a que for boa para promover a edificação, para que dê graça aos que a ouvem. E não entristeçais o Espírito Santo de Deus, no qual estais selados para o Dia da redenção. Toda amargura, e ira, e cólera, e gritaria, e blasfêmias, e toda malícia seja tirada de entre vós. Antes sede uns para com os outros benignos, misericordiosos, perdoando-vos uns aos outros, como também Deus vos perdoou em Cristo.” Ef 4: 22-32
  13. 13. DOIS SUB-ASPECTOS DA REGENERAÇÃO QUE DESTACAREMOS NESTE TEXTO.
  14. 14. Despojar-se do velho homem e se revestir do novo. Uma troca de valores e procedimentos que faz jus ao novo nascimento. É fundamental uma transformação de valores. Não se pode transformar uma pessoa ou tratar dos problemas espirituais dela sem mudar os valores.
  15. 15. Não deis lugar ao diabo. Simultaneamente, após despojar-se do velho homem e se revestir do novo, o apóstolo Paulo adverte que não devemos dar lugar ao diabo. Não podemos separar nossos valores e procedimentos de uma respectiva influência espiritual. Veja bem que essas admoestações foram feitas aos “santos que estão em Éfeso e fiéis em Cristo Jesus” Ef 1:1
  16. 16. De acordo com o contexto da igreja em Éfeso, quando se instala uma situação de descontrole em relação a ira, mentira roubo e etc..., essa área se torna um (topos) lugar - jurisdição de satanás na vida do “fiel” em Cristo . Essas portas de descontrole precisam ser fechadas. Obs: Jejum e oração. O conceito de liberdade espiritual e maturidade se fundamentam no exercício do domínio próprio como fruto do nosso relacionamento com Deus.
  17. 17. 2. LIBERTAÇÃO. Este processo se resume em um aconselhamento específico, onde se aplica de forma inteligente e o poder do sacrifício de Jesus Cristo, lidando com a “história” pessoal, geracional e territorial e o “estilo de vida” da pessoa em questão. Podemos dizer que que a libertação corresponde a 10% do pacote da santificação. Libertação é fundamental, mas não é tudo.
  18. 18. A ênfase da libertação não é atacar diretamente a exploração demoníaca ou os sintomas de perseguição espiritual latentes na vida da pessoa, antes, é lidar com as causas fundamentais: Culpas, vergonhas, traumas, ressentimentos, iniquidades geracionais, pactos estabelecidos através do ocultismo, portas de carnalidade envolvendo dependência emocional, sentimental, orgânica, sexual, etc.
  19. 19. A libertação tem por finalidade “zerar” todo crédito de injustiça acumulado pessoalmente e gerencialmente (por herança). É o processo de emudecer qualquer possibilidade de acusação satânica ou perseguição espiritual, viabilizando uma atmosfera espiritual fértil. A libertação ministrada com discernimento, em uma pessoa genuinamente regenerada, é um divisor de águas em sua vida.
  20. 20. 3. REEDUCAÇÃO. A reeducação visa construir um caráter de obediência em áreas que tínhamos uma história de pecados e derrotas. O maior desafio reside, na reeducação da identidade (espiritual, sexual, vocacional, etc.), na reintegração da personalidade, no desengessamento da alma em relação a estruturas e sofismas emocionais, morais, racionais, mudança de hábitos e abandono de vícios.
  21. 21. O processo de libertação quando ignora a reeducação da alma torna-se irresponsável e ineficaz. É neste momento que a regeneração se aprofunda. Podemos entender melhor a reeducação, através de três posicionamentos que devem fazer parte do nosso estilo de vida de seguir a Jesus:  Aprender a desaprender;  Aprender a reaprender;  Aprender a aprender sempre.
  22. 22. APRENDER A DESAPRENDER. Eliminar argumentos e raciocínios contrários à sabedoria de Deus e que encarceram a alma. É um descondicionamento emocional e moral em relação a maus hábitos, ideologias falsas e posturas erradas. Esse é um processo de despojamento. São mudanças internas que afetam diretamente o estilo de vida.
  23. 23. “Pelo que, despojando-vos de toda sorte de imundícia e de todo vestígio do mal, recebei com mansidão a palavra em vós implantada, a qual é poderosa para salvar as vossas almas.” Tg 1:21
  24. 24. As feridas da alma criam uma terrível oportunidade para as especulações e raciocínios malignos serem implementados. Esses raciocínios são interpretados pelo apóstolo Paulo como “fortalezas da mente”, ou seja, “um cárcere construído por pensamentos”. “Porque as armas da nossa milícia não são carnais, mas, sim, poderosas em Deus, para destruição das fortalezas; destruindo os conselhos e toda altivez que se levanta contra o conhecimento de Deus, e levando cativo todo entendimento à obediência de Cristo.” II Co 10:4-5
  25. 25. As prisões da alma consistem em pensamentos malignos que se estabelecem devido, principalmente, às feridas e injustiças sofridas. É necessário não apenas tratar essas feridas como confrontar esses raciocínios à mente de Cristo, quem têm o poder de sustentar um quadro espiritual de miséria sobre vários aspectos da vida e dos relacionamentos. Pensamentos baseados em intolerância, violência, amargura, sarcasmo, desprezo, isolamento, inferioridade, soberba, religiosidade denominacionalidade, e etc.
  26. 26. Precisamos a aprender a desaprender essas ideologias. para isso, um relacionamento devocional diário com a palavra de Deus é imprescindível, promovendo resultados realmente surpreendentes.
  27. 27. APRENDER A REAPRENDER. É estar aberto para novos conceitos e valores que nos aproximam mais de Deus e que nos reconciliam com pessoas. Essa é a essência do quebrantamento. Reaprender é aprender de novo. Isto requer paciência e muita humildade. Em uma realidade onde todos erram, a maior virtude é a capacidade de se corrigir. Esse é um processo psicoterapêutico que aprimora a qualidade de vida.
  28. 28. APRENDER A APRENDER SEMPRE. Temos um estilo de vida de humildade, disciplina e sabedoria que precisa ser preservado. Aprender sempre, de tudo e de todos, demostrando gratidão. Uma vida de crescer na graça e no conhecimento do Senhor Jesus. Aas maiores e mais preciosas lições vêm de fontes que menosprezamos.
  29. 29. “Mas Deus escolheu as coisas loucas deste mundo para confundir as sábias; e Deus escolheu as coisas fracas deste mundo para confundir as fortes. E Deus escolheu as coisas vis deste mundo, e as desprezíveis, e as que não são para aniquilar as que são; para que nenhuma carne se glorie perante ele”. I Co 1:27-29
  30. 30. Temos que ter cuidado com o perigo da “síndrome da maturidade”. Pessoas que desaprenderam a aprender. A pessoas que se sentem tão maduras, que já apodreceu e nem percebe. “Melhor é o jovem pobre e sábio do que o rei velho e insensato, que não se deixa mais admoestar” Ec 4:13
  31. 31. FIM

×