Riscos naturais 9ºano

590 visualizações

Publicada em

Neste powerpoint podem encontrar uma ajuda à vossa aprendizagem.Caso não consigam abrir a hiperligação o link está aqui:http://www.escolavirtual.pt/html/AulasExemplo/9geo_09_1/index.html

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
590
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
19
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
10
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Riscos naturais 9ºano

  1. 1. UM OLHAR SOBRE…RISCOS NATURAIS Risco e catástrofe Furacões e tornados
  2. 2. RISCOS E CATÁSTROFES Risco Natural Catástrofes Naturais Exemplos (notícias) Tipos de riscos
  3. 3. RISCO E CATÁSTROFE…COMO SE DISTINGUEM? • Risco Natural – probabilidade de ocorrência de um processo natural potencialmente destruidor num dado local. • Catástrofe natural – processo inesperado e indesejável de origem natural, que provoca perdas humanas, materiais, ambientais e económicas impedindo o normal funcionamento da sociedade afetada, de tal forma que as necessidades básicas de suporte de vida não são asseguradas de forma satisfatória.
  4. 4. RISCO NATURAL - EXEMPLO • ““Elevado grau de probabilidade” de cheias no Douro durante madrugada • A Protecção Civil do Porto considera que "há um elevado grau de probabilidade" de que venham a ocorrer cheias no rio Douro esta madrugada, indicou uma fonte da câmara, que já accionou o "dispositivo habitual nestas circunstâncias". • A estimativa, devido à forte precipitação prevista para esta madrugada e às descargas de barragens, é que o período mais critico ocorra às 6h, estando localizados no Porto como pontos mais críticos o Postigo do Carvão, Miragaia e o Cais da Ribeira. • A Protecção civil e a Câmara do Porto estão a "contactar individualmente" os residentes e os responsáveis por estabelecimentos comerciais junto ao Douro, avançou à agência Lusa fonte camarária. • O Parque da Alfândega já foi disponibilizado para estacionamento de veículos, bem como para colocação de bens que não possam ser acondicionados pelos proprietários. • A Câmara do Porto garantiu ainda a colocação de um bote em Miragaia destinado a saídas de emergência. • Durante a tarde desta sexta-feira, numa nota publicada na sua página na Internet, a Câmara de Vila Nova de Gaia alertou para a "possibilidade de subida das águas do Douro até [ao] limite das estradas marginais" e remeteu para o aviso da Autoridade Nacional de Protecção Civil sobre a possibilidade de "inundações rápidas em zonas historicamente vulneráveis, mais prováveis nas bacias dos rios Minho, Lima, Cávado, Ave, Vouga, Douro e Mondego".” • Fonte: in público
  5. 5. CATÁSTROFE NATURAL - EXEMPLO • Cheias em Águeda e cortes nas linhas de comboio do Norte e Beira Alta • Pessoas acamadas em duas ruas de Águeda tiveram de recorrer à Protecção Civil para almoçar. O nível da água alcança os dois metros. Os Bombeiros Voluntários estão a transportar de barco quem lhes leva comida e medicamentos. A informação foi dada ao PÚBLICO pelo adjunto do comando de serviço Brites, que se encontra no local. A sua esperança era a baixa mar, prevista para as 13h. • As inundações em Águeda são a face mais visível do mau tempo que assola Portugal neste sábado e que obrigou já à suspensão da circulação ferroviária nas linhas da Beira Alta, no concelho Mortágua (distrito de Viseu) e do Norte, em Estarreja (distrito de Aveiro). A linha do Douro no concelho de Baião (distrito do Porto) também esteve cortada, mas a circulação já foi reposta. • A Protecção Civil de Águeda tinha aconselhado as pessoas a não saírem de casa este sábado de manhã e a evitarem a zona baixa da cidade. A situação tinha acalmado, por força da melhoria das condições atmosféricas verificadas no final do dia de sexta, mas o rio tornou a subir devido à chuva persistente no Caramulo. • Fonte: in público
  6. 6. RISCO NATURAL • O risco natural acaba por traduzir a possibilidade/probabilidade de ocorrência de perturbações que alteram o estado de segurança, existente ou previsto, e que provocam danos.
  7. 7. MODELO CONCEPTUAL DO RISCO
  8. 8. TIPOS DE RISCOS • Os riscos podem ser naturais e mistos, quanto às suas causas.
  9. 9. FURACÕES E TORNADOS Características Principais áreas de formação Exemplos(notícias) Consequências Medidas de proteção Hiperligação
  10. 10. METEOROLÓGICAS DOS FURACÕES E TORNADOS…QUAIS SÃO? Os furacões: Têm origem no mar Resultam de enormes sistemas de baixas pressões.
  11. 11. METEOROLÓGICAS DOS FURACÕES E TORNADOS…QUAIS SÃO? Os tornados: • São as perturbações mais violentas na atmosfera; • Podem gerar ventos ainda mais fortes que os furacões; • São um remoinho de vento.
  12. 12. PROBABILIDADE DE FURACÕES E TORNADOS NO MUNDO
  13. 13. PROBABILIDADE DE FURACÕES EM PORTUGAL
  14. 14. PROBABILIDADE DE TORNADOS EM PORTUGAL - NOTÍCIA
  15. 15. CONSEQUÊNCIAS DOS FURACÕES E DOS TORNADOS…QUAIS SÃO? Os furacões e os tornados têm diversas consequências, como • Perdas de vidas humanas e animais; • Destruição de infraestruturas, como pontes e estradas; • Destruição de campos agrícolas • Destruição da vegetação
  16. 16. MEDIDAS DE PROTEÇÃO- FURACÃO
  17. 17. MEDIDAS DE PROTEÇÃO- TORNADO

×