Um Compromisso com a Excelência na Gestão das Empresas e Organismos tutelados  Sessão de Apresentação de Resultados   Lisb...
Na sessão de hoje será efectuado um balanço dos resultados de algumas das principais empresas tuteladas por este Ministéri...
O Governo tem vindo a consagrar uma nova filosofia de gestão, apostando na contratualização de objectivos com as empresas ...
Os objectivos contratualizados têm um conjunto de características comuns que permitem assegurar a sustentabilidade do dese...
Na Assembleia Geral dos CTT em 29 de Junho de 2005 foram aprovadas as orientações estratégicas e contratualizados os  obje...
Na Assembleia Geral de 5 Dezembro de 2006 foram aprovadas as orientações estratégicas e fixados os objectivos para o Grupo...
Em Assembleia Geral foram aprovadas as orientações estratégicas e fixados os objectivos anuais para 2007 e plurianuais de ...
A estratégia da ANA está direccionada para a concretização de melhorias nas suas alavancas de valor – tráfego, qualidade, ...
Os objectivos plurianuais foram definidos tendo em conta a rentabilidade   do negócio Indicadores dos objectivos plurianua...
Em Assembleia Geral foram aprovadas as orientações estratégicas para a EDAB, SA <ul><li>Concretizar o  início da operação ...
Os anos de 2007 e 2008 serão ainda dedicados ao desenvolvimento do projecto, estando fixado como objectivo a concretização...
Para além da avaliação anual dos desvios, no final da fase de projecto será efectuada uma análise global do mesmo e o acci...
Em 2006 os CTT superaram os objectivos de desempenho face aos  peers Desempenho do Grupo CTT (1/3) 3 Fonte: Relatórios e C...
Apesar do crescimento de 5% nos proveitos, estes ficaram aquém do objectivo definido não tendo também sido atingido o obje...
Em 2006, os CTT superou o objectivo de atingir 17 milhões de euros de resultado líquido, obtendo 66,9 milhões de euros Des...
Em 2006, o Grupo TAP superou os objectivos aproximando-se do desempenho da média das congéneres europeias de referência RO...
Em termos de crescimento de receitas os objectivos e os resultados foram igualmente superados Fonte: Relatório e Contas 20...
Em 2006 a ANA apresentou um crescimento de proveitos e uma melhoria dos indicadores de rentabilidade, com excepção do ROCE...
A ANA, SA tem vindo a criar valor accionista e a aumentar a sua produtividade Desempenho da ANA, SA (2/3) ROCE/WACC Produt...
A rentabilidade operacional tem-se aproximado das congéneres enquanto que a produtividade já está acima das melhores práti...
Actualmente a EDAB, SA é uma empresa de projecto pelo que os seus indicadores devem ser lidos à luz dessa característica e...
O universo constituído pelos CTT, TAP, ANA e EDAB teve um bom desempenho em 2006, aumentando os seus proveitos operacionai...
…  aumentando os seus resultados operacionais EBITDA  (€ milhões ) +41,9% 4 Desempenho do Universo CTT, TAP, ANA e EDAB
…  aumentando o seu resultado líquido Resultados Líquidos  (€ milhões) +196,0% 4 Desempenho do Universo CTT, TAP, ANA e EDAB
O Governo irá prosseguir à contratualização de objectivos, alargando-a às restantes empresas e organismos tutelados pelo M...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Apresentação de Resultados - Julho 2007 (TAP, CTT, ANA, EDAB)

1.015 visualizações

Publicada em

Publicada em: Tecnologia, Negócios
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.015
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
20
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
5
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • Apresentação de Resultados - Julho 2007 (TAP, CTT, ANA, EDAB)

    1. 1. Um Compromisso com a Excelência na Gestão das Empresas e Organismos tutelados Sessão de Apresentação de Resultados Lisboa, 24 de Julho de 2007
    2. 2. Na sessão de hoje será efectuado um balanço dos resultados de algumas das principais empresas tuteladas por este Ministério, dando sequência ao compromisso assumido aquando da contratualização dos objectivos Em 2006, o universo empresarial constituído pelos CTT SA, TAP SGPS, SA e subsidiárias, ANA, SA e EDAB, SA apresentou uma evolução positiva em termos de crescimento e rentabilidade, com proveitos operacionais de 2.839 M€ (+13,7% face a 2005), resultados líquidos de 117,5 M€ (+195,9% face a 2005) e um EBITDA de 343 M€ (+ 41,9% face a 2005). 4 2 Em Assembleia Geral de cada uma das empresas, o accionista aprovou as orientações estratégicas e contratualizou os objectivos que enquadram a actuação dos respectivos Conselhos de Administração 1 O Governo tem vindo a consagrar uma nova filosofia de gestão, apostando na contratualização de objectivos com as empresas e organismos tutelados A maioria dos objectivos contratualizados com as Administrações do universo das SA foram superados existindo, no entanto, oportunidades de melhoria a prosseguir. 3
    3. 3. O Governo tem vindo a consagrar uma nova filosofia de gestão, apostando na contratualização de objectivos com as empresas e organismos tutelados <ul><li>Implementação de uma filosofia de gestão profissionalizada e consubstanciada na definição e controlo da consecução de objectivos ambiciosos mas atingíveis; </li></ul><ul><li>Desenvolvimento de uma cultura de orientação para o mercado e para as melhores práticas, comparando a performance da empresa com um conjunto de peers internacionais no seu mercado de referência; </li></ul><ul><li>Prosseguir um conjunto de práticas empresariais de referência que assegurem a sustentabilidade empresarial; </li></ul>Princípios Orientadores 1
    4. 4. Os objectivos contratualizados têm um conjunto de características comuns que permitem assegurar a sustentabilidade do desempenho empresarial Aferição da performance relativa face a um conjunto de peers de referência Combinação de desígnios de rentabilidade e de crescimento Materialização do conceito de Sustentabilidade Empresarial Foco no desempenho anual e plurianual Objectivos das Empresas Tuteladas Características dos objectivos definidos 1
    5. 5. Na Assembleia Geral dos CTT em 29 de Junho de 2005 foram aprovadas as orientações estratégicas e contratualizados os objectivos anuais para o Grupo CTT, em 13 de Setembro de 2006 <ul><li>Assegurar a prestação do serviço postal universal , garantindo o acesso dos cidadãos a serviços postais de alta qualidade a preços acessíveis e em condições de equidade , universalidade e continuidade ; </li></ul><ul><li>Promover o crescimento e manter a liderança nos negócios actuais ; </li></ul><ul><li>Desenvolver novas áreas de negócio nomeadamente as de Printing & Finishing , Soluções de Pagamento (via Payshop), Venda de Soluções Postais , Serviços Públicos e Serviços de Interesse Geral , Negócios Internacionais e mercados de influência ou de interesse (ex.: Espanha); </li></ul><ul><li>Gerar crescimento através da Inovação , lançando produtos que tenham a ver com a sua vocação essencial e recorrendo às oportunidades viabilizadas pelo desenvolvimento/ inovação no mundo das comunicações electrónicas (ex.: hub electrónico de comunicações postais, caixa postal electrónica) </li></ul>Orientações estratégicas 2 Indicadores dos objectivos anuais - ano 2006
    6. 6. Na Assembleia Geral de 5 Dezembro de 2006 foram aprovadas as orientações estratégicas e fixados os objectivos para o Grupo TAP, que deverá prosseguir o rumo de crescimento, mas também concretizar ganhos de eficiência <ul><li>Cumprir a sua missão enquanto principal companhia áerea nacional e desenvolver uma operação regional; </li></ul><ul><li>Expandir a rede de destinos nos mercados “core” e aumentar a capacidade actual; </li></ul><ul><li>Atingir uma performance comercial de elevado nível, tanto em Portugal como nos mercados internacionais; </li></ul><ul><li>Desenvolver activamente acções de melhoria dos custos variáveis, nomeadamente através de melhorias substanciais na performance de compras; </li></ul><ul><li>Concretizar fortes ganhos de eficiência, nomeadamente através de acções focalizadas nos custos com pessoal; </li></ul><ul><li>Gerir os negócios complementares de forma a assegurar a criação de valor no Transporte Aéreo; </li></ul><ul><li>Desenvolver uma cultura de elevado desempenho; </li></ul><ul><li>Reduzir a exposição ao risco nas principais alavancas do negócio (nomeadamente combustível); </li></ul>Orientações estratégicas 2 Indicadores dos objectivos anuais - ano de 2006
    7. 7. Em Assembleia Geral foram aprovadas as orientações estratégicas e fixados os objectivos anuais para 2007 e plurianuais de desempenho da ANA. Hoje é formalizado o Contrato de Gestão <ul><li>Reforçar e intensificar as actuações de Marketing Aeroportuário proactivo; </li></ul><ul><li>Aprofundar o desenvolvimento de medidas de melhoria da qualidade do serviço prestado aos passageiros das aeronaves; </li></ul><ul><li>Desenvolver os negócios não aviação ; </li></ul><ul><li>Melhorar a produtividade organizativa e conter a evolução dos custos operacionais ; </li></ul><ul><li>Assegurar uma rigorosa gestão do plano de investimentos em infra-estrutura aeroportuária; </li></ul><ul><li>Promover melhorias na eficiência de gestão e na comunicação ; </li></ul>Orientações estratégicas para a ANA, SA 2
    8. 8. A estratégia da ANA está direccionada para a concretização de melhorias nas suas alavancas de valor – tráfego, qualidade, performance comercial, eficiência, gestão de investimentos Indicadores dos objectivos anuais da ANA, SA INDICADOR Fórmula de Cálculo <ul><li>Performance relativa de produtividade face aos peers </li></ul><ul><li>Performance relativa do ROCE face aos peers </li></ul><ul><li>Evolução do tráfego de passageiros </li></ul><ul><li>Performance relativa dos proveitos non-aviation face aos peers </li></ul><ul><li>Performance relativa da margem EBITDA face aos peers </li></ul>( ROCE ANA excluindo investimento no NAL) ROCE PEERS % de aumento acumulado do tráfego de passageiros face ao ano base Peso proveitos non-aviation ANA Peso proveitos non-aviation PEERS Objectivo a atingir <ul><li>86% (2007) </li></ul><ul><li>95% (2008) </li></ul><ul><li>95% (2009) </li></ul><ul><li>100% (2010) </li></ul><ul><li>100% (2007) </li></ul><ul><li>105% (2008) </li></ul><ul><li>110% (2009) </li></ul><ul><li>115% (2010) </li></ul>2 (WLU/ colaborador) ANA (WLU/ colaborador) PEERS Margem EBITDA ANA Margem EBITDA PEERS <ul><li>7% (2007) </li></ul><ul><li>14% (2008) </li></ul><ul><li>21% (2009) </li></ul><ul><li>28% (2010) </li></ul><ul><li>80% (2007) </li></ul><ul><li>87% (2008) </li></ul><ul><li>94% (2009) </li></ul><ul><li>100% (2010) </li></ul><ul><li>127% (2007) </li></ul><ul><li>138% (2008) </li></ul><ul><li>146% (2009) </li></ul><ul><li>156% (2010) </li></ul>
    9. 9. Os objectivos plurianuais foram definidos tendo em conta a rentabilidade do negócio Indicadores dos objectivos plurianuais da ANA, SA INDICADOR Fórmula de Cálculo <ul><li>Performance do Índice de Sustentabilidade </li></ul><ul><li>Performance relativa da margem EBITDA face aos peers </li></ul>Margem EBITDA ANA Margem EBITDA PEERS Valor do Índice de Sustentabilidade para empresas de Capitais Públicos (MOPTC) no final do período <ul><li>Satisfação geral dos clientes nos 3 principais aeroportos </li></ul><ul><li>Indicador de Clima Organizacional e Capacidade de Mudança </li></ul>Avaliação qualitativa do accionista com base na evolução do inquérito de Satisfação Interna <ul><li>Cumprimento das metas estratégicas </li></ul>Avaliação qualitativa do accionista com base nos pressupostos e consecução do plano estratégico <ul><li>Capacidade de criação de valor para o accionista </li></ul>Valor do (ROCE ANA excluindo inv. NAL) / WACC ANA no final do período em função da execução do plano estratégico 1) Sujeito a avaliação da situação actual Objectivo a atingir <ul><li>Valor objectivo de 4 (escala de avaliação de 0 a 5) </li></ul><ul><li>a definir 1) (2007) </li></ul><ul><li>a definir (2008) </li></ul><ul><li>7.500 pontos (2009) </li></ul><ul><li>100% ( 2007) </li></ul><ul><li>105% (2008) </li></ul><ul><li>110% (2009) </li></ul><ul><li>115% (2010) </li></ul><ul><li>3,4 ( 2007) </li></ul><ul><li>3,5 (2008) </li></ul><ul><li>3,6 (2009) </li></ul><ul><li>3,7 (2010) </li></ul>2  Peso Aeroporto X x Índ. Satisfação Geral Aeroporto X (de acordo com inquérito regular ACI) <ul><li>110% (2007) </li></ul><ul><li>122% (2008) </li></ul><ul><li>122% (2009) </li></ul><ul><li>125% (2010 ) </li></ul><ul><li>60,0% (2007) </li></ul><ul><li>62,0% (2008) </li></ul><ul><li>64,0% (2009) </li></ul><ul><li>65,5% (2010) </li></ul>
    10. 10. Em Assembleia Geral foram aprovadas as orientações estratégicas para a EDAB, SA <ul><li>Concretizar o início da operação dentro dos prazos previstos e dos orçamentos aprovados ; </li></ul><ul><li>Desenvolver um Marketing Aeroportuário proactivo do aeroporto, no curto prazo como Low Cost Airport , e no médio/longo prazo como aeroporto turístico </li></ul><ul><li>Promover a instalação de empresas no perímetro do aeroporto ; </li></ul><ul><li>Procurar soluções multimodais que incluam e potenciem o transporte aéreo de carga em conjunto com as plataformas logísticas previstas; </li></ul><ul><li>Assegurar uma exploração comercial rentável da infra-estrutura aeroportuária; </li></ul>Orientações estratégicas para a EDAB, SA 2
    11. 11. Os anos de 2007 e 2008 serão ainda dedicados ao desenvolvimento do projecto, estando fixado como objectivo a concretização de um desvio nulo face ao calendário e orçamento previstos EDAB – Indicadores dos Objectivos Globais Anuais (2007, 2008) INDICADOR Fórmula de Cálculo Objectivo a atingir <ul><li>Desvio face à data de início de operação 1 </li></ul><ul><li>Desvio face ao orçamento 1 </li></ul><ul><li>Desvio = 0 meses </li></ul><ul><li>Desvio = €0 </li></ul>1) Indicadores de gestão de projecto aplicáveis no ano de 2007 e também em 2008 pois pelo menos dez meses do ano serão fase de projecto 2) Data Início da Operação Planeada: Outubro de 2008; Investimento Total Planeado: €33,1 milhões [ Data Início da Operação Aferida no Final do Ano – Data Início da Operação Planeada 2) ] [ Investimento Total Aferido no Final do Ano– Investimento Total Planeado 2) ] 2
    12. 12. Para além da avaliação anual dos desvios, no final da fase de projecto será efectuada uma análise global do mesmo e o accionista aferirá o cumprimento das metas estratégicas EDAB – Indicadores dos Objectivos Globais Plurianuais Anuais (2007, 2008) INDICADOR Fórmula de Cálculo Objectivo a atingir <ul><li>Desvio face à data de início de operação 1 </li></ul><ul><li>Desvio face ao orçamento 1 </li></ul><ul><li>Desvio = 0 meses </li></ul><ul><li>Desvio = €0 </li></ul>1) Indicadores de gestão de projecto aplicáveis no ano de 2007 e também em 2008 pois pelo menos dez meses do ano serão fase de projecto 2) Data Início da Operação Planeada: Outubro de 2008; Investimento Total Planeado: €33,1 milhões [ Data Início da Operação Aferida no Final do Ano – Data Início da Operação Planeada 2) ] [ Investimento Total Aferido no Final do Ano– Investimento Total Planeado 2) ] 2 <ul><li>Cumprimento das metas estratégicas </li></ul>Avaliação qualitativa do accionista com base nos pressupostos e consecução do Plano Estratégico <ul><li>Valor objectivo de 4 (escala de avaliação de 0 a 5) </li></ul>
    13. 13. Em 2006 os CTT superaram os objectivos de desempenho face aos peers Desempenho do Grupo CTT (1/3) 3 Fonte: Relatórios e Contas Performance relativa ROIC (%) ROIC CTT 3,0% 6,4% 50% Objectivo Performance relativa Margem EBITDA (%) Margem EBITDA CTT 8,0% 10,0% Objectivo 90% ROIC Peers 10,5% 10,4% Margem EBITDA Peers 9,1% 9,2%
    14. 14. Apesar do crescimento de 5% nos proveitos, estes ficaram aquém do objectivo definido não tendo também sido atingido o objectivo definido para o Índice de Qualidade de Serviço Desempenho do Grupo CTT (2/3) Fonte: Relatórios e Contas CTT; orçamento CTT; ANACOM Proveitos Operacionais (€ milhões) Índice de Qualidade de Serviço (pontos) +5% 240 49 100 2005 2006 Objectivo 814,1 Objectivo 3
    15. 15. Em 2006, os CTT superou o objectivo de atingir 17 milhões de euros de resultado líquido, obtendo 66,9 milhões de euros Desempenho do Grupo CTT (3/3) Fonte: Relatórios e Contas CTT; orçamento CTT; ANACOM Net Profit (€ milhões) 17 Objectivo 3
    16. 16. Em 2006, o Grupo TAP superou os objectivos aproximando-se do desempenho da média das congéneres europeias de referência ROIC TAP (%) Performance relativa ROIC (%) Margem EBITDAR TAP (%) Performance relativa Margem EBITDAR (%) Desempenho do Grupo TAP (1/2) Fonte: Relatório e Contas 2006 8,3% 10,9% -1,5% 2,7% 3 70% Objectivo 70% Objectivo ROIC Peers (%) Margem EBITDAR Peers (%) 12,5% 12,8% 3,5% 2,2%
    17. 17. Em termos de crescimento de receitas os objectivos e os resultados foram igualmente superados Fonte: Relatório e Contas 2006 Desempenho do Grupo TAP (2/2) 3 1.681,6 Objectivo 4,0 Objectivo Net profit (€ milhões) Proveitos operacionais (€ milhões)
    18. 18. Em 2006 a ANA apresentou um crescimento de proveitos e uma melhoria dos indicadores de rentabilidade, com excepção do ROCE cuja evolução foi influenciada pelos investimentos realizados EBITDA (€ milhões) 1) Líquido de investimentos financeiros Fonte: Relatório e Contas ROCE (%) Desempenho da ANA, SA (1/3) Proveitos Operacionais (€ milhões) Net profit (€ milhões) % non aviation +33,6% Margem EBITDA 39,3% 40,8% +15,0% NOPLAT (€ milhões) 44,3 47,4 Cap. empregue médio 1) 559,2 608,3 3 -0,1% 29,8% 29,6% +10,9%
    19. 19. A ANA, SA tem vindo a criar valor accionista e a aumentar a sua produtividade Desempenho da ANA, SA (2/3) ROCE/WACC Produtividade (WLU/Colaborador) WACC 6,4% 6,4% Efectivo médio 1.373 1.304 3 -2,1% +2,3 100% Destruição de valor Criação de valor Fonte: Relatório e Contas
    20. 20. A rentabilidade operacional tem-se aproximado das congéneres enquanto que a produtividade já está acima das melhores práticas – oportunidades de melhoria no desenvolvimento do non-aviation ROCE (%) face a empresas de referência Performance relativa face a empresas de referência WLU/efectivo (%) Desempenho da ANA, SA (3/3) Performance relativa face a empresas de referência % proveitos non aviation (%) Performance relativa face a empresas de referência Margem EBITDA (%) 3 Fonte: Relatório e Contas 78,9% 78,3% 2005 2006
    21. 21. Actualmente a EDAB, SA é uma empresa de projecto pelo que os seus indicadores devem ser lidos à luz dessa característica e não de uma empresa com um negócio já em exploração EBITDA (€ 000) Fonte: Relatório e Contas Desempenho da EDAB, SA Proveitos Operacionais (€ 000) Net profit (€ 000) -22,5% +20,0% -82,8% 3
    22. 22. O universo constituído pelos CTT, TAP, ANA e EDAB teve um bom desempenho em 2006, aumentando os seus proveitos operacionais… Desempenho do Universo CTT, TAP, ANA e EDAB Proveitos Operacionais (€ milhões) +13,7% 4
    23. 23. … aumentando os seus resultados operacionais EBITDA (€ milhões ) +41,9% 4 Desempenho do Universo CTT, TAP, ANA e EDAB
    24. 24. … aumentando o seu resultado líquido Resultados Líquidos (€ milhões) +196,0% 4 Desempenho do Universo CTT, TAP, ANA e EDAB
    25. 25. O Governo irá prosseguir à contratualização de objectivos, alargando-a às restantes empresas e organismos tutelados pelo MOPTC Empresas e organismos do MOPTC <ul><li>EP – Estradas de Portugal </li></ul><ul><li>INIR – Inst. Infraestruturas Rodoviárias </li></ul>Infra-Estruturas Rodoviárias <ul><li>CTT </li></ul><ul><li>ANACOM </li></ul>Comunicações <ul><li>TAP </li></ul><ul><li>ANA </li></ul><ul><li>EDAB </li></ul><ul><li>NAV </li></ul><ul><li>INAC </li></ul>Transporte Aéreo <ul><li>CP </li></ul><ul><li>REFER </li></ul><ul><li>RAVE </li></ul>Transporte Ferroviário <ul><li>APDL - Adm. Portos Douro e Leixões </li></ul><ul><li>APA – Adm. Porto de Aveiro </li></ul><ul><li>APL – Adm. Porto de Lisboa </li></ul><ul><li>APSS – Adm. Portos Setúbal e Sesimbra </li></ul><ul><li>APS – Adm. Porto de Sines </li></ul><ul><li>IPTM – Inst. Portos Transporte Marítimo </li></ul>Transporte Marítimo <ul><li>LNEC </li></ul><ul><li>INCI </li></ul>Construção e Imobiliário          Empresas / Organismos para as quais já foram contratualizados objectivos de gestão Próximas Empresas / Organismos a contratualizar os seus objectivos    <ul><li>Carris </li></ul><ul><li>STCP </li></ul><ul><li>Metropolitano de Lisboa </li></ul><ul><li>Metro do Porto </li></ul><ul><li>Metro do Mondego </li></ul><ul><li>Transtejo </li></ul><ul><li>IMTT – Inst. Transportes Terrestres </li></ul>Transportes Urbanos

    ×