Orientações para o trabalho final

1.286 visualizações

Publicada em

Orientações para o trabalho final da disciplina

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.286
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
49
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Orientações para o trabalho final

  1. 1. ANÁLISE DE CONTEÚDO
  2. 2. Spradley Análise Etnográfica Minayo Análise de Conteúdo conectada ao macro-contexto e análise Bardin hermenêutica Análise Categorial-Temática e outras modalidades Teixeira Análise Ídeo-Central TuratoAnálise de Conteúdo conectada Lefevre&Lefevre ao micro-contexto AC Discurso do Sujeito Coletivo
  3. 3. ANÁLISE DE CONTEÚDO• Definição  É uma técnica de investigação que tem por finalidade a descrição sistemática e quantitativa do conteúdo manifesto.• Âmbito  Aplicável a todos os meios de comunicação e tipos de conteúdos.• Instrumentos  Analíticos qualitativos; suportes informáticos e estatísticos.
  4. 4. AC – LAURENCE BARDINUM CONJUNTO DE TÉCNICAS DE ANÁLISE DASCOMUNICAÇÕES VISANDO OBTER, PORPROCEDIMENTOS SISTEMÁTICOS E OBJETIVOS DEDESCRIÇÃO DO CONTEÚDO DAS MENSAGENS,INDICADORES QUE PERMITEM A INFERÊNCIA DECONHECIMENTOS RELATIVOS ÀS CONDIÇÕES DEPRODUÇÃO/RECEPÇÃO DESTAS MENSAGENS.
  5. 5. ANÁLISE DE CONTEÚDO1. é a técnica usada para estudar e analisar as variáveis de maneira objetiva, sistemática e quantitativa.2. pode ser aplicada virtualmente a qualquer forma de comunicação (artigos, imprensa, livros, conversas, cartas, regulamentos, rádio, televisão).3. o pesquisador pode analisar, a personalidade de alguém (avaliando seus escritos); as intenções, (análise dos conteúdos das mensagens); desvendar as ideologias, auditar conteúdos das comunicações e compará-los com padrões, ou determinados objetivos.
  6. 6. VANTAGENS1. É uma metodologia utilizável em todas as áreas científicas;2. É autónoma do objecto;3. É pouco dispendiosa;4. Produz dados quantificáveis e de leitura universal;5. Produz dados qualificados (por exemplo, tendências).
  7. 7. DESVANTAGENSA AC apresenta algumas dificuldades frente a outrasmetodologias;• Definição de uma amostra representativa;• Determinação de unidades possíveis de analisar e medir;• Definição operacional de categorias;• Obtenção de formas confiáveis de codificação.
  8. 8. ETAPAS1. Fase de preanáliseLeitura flutuante; escolha e aceitação da amostra;formulação das hipóteses e dos objetos; definição dasunidades de registo; definição de categorias e unidadesde registro.2. Exploração do materialOperações de identificação, codificação e tabulação deunidades de registro e de categorias.3. Tratamento dos resultados obtidosTratamento estatístico; tratamento qualitativo dandosuporte a procedimentos de inferência, interpretação evalidação.
  9. 9. ETAPAS Realizar uma análise inicial do material coletado e organizado; realizar um estudo minucioso do conteúdo coletado (palavras e frases que o compõem); buscar o significado do material coletado (comparar, avaliar, descartar) o acessório, reconhecer o essencial e selecioná-lo em torno das ideias principais;
  10. 10. ETAPAS escolher uma unidade de análise para agrupar os conteúdos;agrupar as unidades segundo algum critério;proceder o tratamento estatístico conveniente
  11. 11. SUGESTÃO DE ROTEIROVariáveis de Forma:1. Identificação.2. Breve descrição da rede social.3. Dia/Mês/Ano do conteúdo escolhido.4. Tempo - identificação, em minutos e segundos,do tempo do conteúdo analisado.
  12. 12. SUGESTÃO DE ROTEIROVariáveis do Discurso1. Registro dos indivíduos presentes na rede social.2. Registro do ator com maior intervenção na rede social.3. Tema predominante.4. Material selecionado.5. Unidades de análise.6. Análise do material.7. Conclusões.

×