Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo

      Nome: Joseane de Santana Tavares                4º semestre/n...
testemunho de pessoas que citam programas defendidos e promovidos pelo
candidato em gestões como o ministro da saúde no go...
Campanha do candidato Plínio de Arruda Sampaio – PSOL

       O tempo do candidato na propaganda eleitoral gratuita é bem ...
A questão da democracia, bem como o poder dos eleitores como forma
de colocar sob a responsabilidade de um político a sua ...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Observação e Análise da Propaganda Eleitoral Gratuita - Joseane de Santana Tavares

1.502 visualizações

Publicada em

Trabalho apresentado durante o 2º semestre de 2010 para a disciplina "Teoria da Comunicação" ministrada pela Profª Drª Tânia Callegaro. Autor: Joseane de Santana Tavares.

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.502
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
8
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Observação e Análise da Propaganda Eleitoral Gratuita - Joseane de Santana Tavares

  1. 1. Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo Nome: Joseane de Santana Tavares 4º semestre/noturno OBSERVAÇÃO E ANÁLISE DA PROPAGANDA ELEITORAL GRATUITA Candidatos escolhidos: - José Serra (PSDB) para presidência; - Dilma Roussef (PT) para presidência; - Plínio de Arruda Sampaio (PSOL) para presidência. Justificativa: A escolha dos candidatos à presidência deve-se ao fato de apresentarem características bem diferentes em relação à apresentação de suas candidaturas, mesmo que almejem o mesmo posto. Muito embora os candidatos devessem apresentar propostas em relação ao que pretendem realizar caso sejam eleitos, a maior parte do horário eleitoral gratuito é destinado à denúncias e testemunhos do que cada um realizou em sua vida política em detrimento do que é da competência do presidente da república e do que, de fato poderá ser realizado. Observações e análise: Campanha do candidato José Serra – PSDB Um primeiro dado observado na propaganda eleitoral do candidato José Serra é a favela cenográfica utilizada como fundo para sua apresentação que, com ele unido ao povo canta: - Quando Lula sair é o Zé que eu quero lá! Favela cenográfica com tantas favelas no Brasil e pessoas reais? Brasil realidade ou ficção? Outro objeto de observação e análise é o conteúdo da propaganda, inicialmente o candidato apresenta uma série de informações apontando para o problema da corrupção da receita federal em relação à quebrar o sigilo fiscal de sua filha, denúncias e rememoras acerca da corrupção ocorrida dentro da casa civil. Num segundo momento José Serra modifica sua campanha dando ênfase à sua trajetória de vida com sua história como homem simples nascido e morador de uma vila operária, líder estudantil e um dos responsáveis pelo processo de democratização da política brasileira e, posteriormente há o
  2. 2. testemunho de pessoas que citam programas defendidos e promovidos pelo candidato em gestões como o ministro da saúde no governo do presidente Fernando Henrique Cardoso e governo do estado de São Paulo. Outro dado levantado em suas argumentações é o fato de ser originário de família pobre. Com esta informação o candidato, afirma enxergar os pobres de maneira diferente da candidata da oposição, sendo para ele uma vantagem em relação a ela e uma condição de ser o novo presidente. As defesas e propostas do candidato se remetem aos programas por ele realizados em gestões anteriores conforme citado anteriormente, as promessas que merecem destaque são: a ampliação na construção e reforma de hospitais, o programa saúde da família, clínica especializada para tratamento de dependentes de drogas, entregas em domicílio de remédios, promessa de implantação do programa mãe brasileira (a exemplo do programa mãe paulistana implantado pelo governo de SP), aumento no número de AMES no Brasil, implantação do programa Zilda Arns para atendimento de deficientes e pessoas que sofreram algum tipo de acidente, investimentos em equipamentos modernos e tecnologia de ponta para a saúde, mais vacinas. A propaganda é finalizada com a música modificada da cantora Elba Ramalho: “bate bate bate coração, porque o Brasil merece mais”. Campanha da candidata Dilma Roussef - PT A campanha da candidata Dilma Roussef é apresentada tendo como fundo um caminho que será percorrido ao longo da apresentação e a música de fundo remete à sensação de esperança. Do ponto de vista do conteúdo, a candidata tem o apoio do atual presidente Luís Inácio Lula da Silva que defende o trabalho feito pela candidata na Casa Civil além de exaltar sua força enquanto mulher, defendendo a idéia de que ela possa ser a primeira presidenta do Brasil. No decorrer há a apresentação de sua trajetória de vida como líder estudantil, sua luta contra a ditadura, a candidata foi presa, é muito estudiosa, tem amor pelo Brasil, é uma pessoa para cima, em relação a sua vida pessoal a propaganda apresenta que ela se casou em Porto Alegre, tem uma filha, portanto é importante vê-la em seu papel enquanto tal, com ênfases a sua sensibilidade. Sua formação acadêmica é em economia, como líder política e participou do processo de democratização do país, foi a primeira mulher a assumir a secretaria da fazenda do Rio Grande do Sul, a Secretaria de Minas e Energia do Rio Grande do Sul, o Ministério de Minas e Energia do Brasil e o Ministério da Casa Civil, demonstrando grande capacidade de coordenação. A defesa da propaganda é que para mudar o país é importante ter uma relação afetiva com seu povo, esta relação não é só cognitiva. Em relação às propostas não houve referências a nenhuma proposta concreta.
  3. 3. Campanha do candidato Plínio de Arruda Sampaio – PSOL O tempo do candidato na propaganda eleitoral gratuita é bem curto, a propaganda abusa das cores amarelo e vermelho, com desenhos abstratos, imagens do fotógrafo Sebastião Salgado, imagens produzidas no computador, jovens apresentando temas que são apresentados pelo partido como: reforma agrária, reforma tributária, violência contra a mulher, junto a estas informações o tema principal é “PSOL 50 você tem opção”. Como conteúdo a campanha do candidato Plínio de Arruda Sampaio divide-se entre a denúncia sobre as semelhanças das ações políticas dos partidos PT e PSDB e a apresentação da necessidade de mudanças políticas para uma forma radical. Além disso, apresenta que as propostas dos partidos em dominância almejam a disputa por poder em detrimento do que o partido acredita ser necessário a luta pela igualdade social. Nesta perspectiva a propaganda diferentemente das demais apresenta muito mais do que um candidato, mas a defesa de um partido que se coloca como um novo partido para uma velha política. Dentre as bandeiras defendidas pelo partido estão: a luta pela ética e justiça social contrapondo a ostentação do poder, ficar ao lado dos excluídos e não dos ricos e realização da redistribuição radical da renda. Como finalização de uma das propagandas o candidato Plínio de Arruda Sampaio termina com a frase: “Resgatar um sonho de liberdade, de igualdade e de opção.” Considerações finais: De modo geral, diante do desinteresse causado pela onda de corrupção promovida por diversos partidos políticos, seguida da falta de propostas concretas, muitos brasileiros deixaram de acompanhar a propaganda eleitoral e com isso a deixar de conhecer as propostas apresentadas pelos partidos através do horário destinado a propaganda eleitoral gratuita. Esta moção, ao invés de motivar os candidatos a realizarem propagandas que busquem o incentivo da população em relação ao que pode ser feito para melhorar a situação do país se revertem para uma criatividade voltada para chamar à atenção dos eleitores pela via do entretenimento. Cada vez mais é notável propagandas com chamadas de humor, feitas por candidatos que não apresentam uma vida dedicada à carreira política, mas à vida artística ou religiosa, tirando do foco questões sociais, econômicas, culturais, educacionais, etc que deveriam tomar a frente nas campanhas em busca da melhoria do país.
  4. 4. A questão da democracia, bem como o poder dos eleitores como forma de colocar sob a responsabilidade de um político a sua representatividade é colocada de maneira indireta fora do contexto quando se ouve dizer que quando alguns candidatos estiveram à frente de cargos políticos eles fizeram isso ou aquilo. Mas, afinal, para quê os candidatos são eleitos e são pagos? Por acaso não é para servir ao bem do povo em suas mais variadas esferas? Em relação à campanha dos candidatos observados e analisados acima é importante ressaltar que há uma maneira muito semelhante em suas propagandas, sobretudo em relação ao primeiro e segunda candidata. Para além, da propaganda é possível notar o grande número de coligações realizados entre estes partidos, o que permite inferir sobre a justa denúncia realizada pelo partido Socialismo e Liberdade quando trata de uma disputa por poder sinalizada pelos partidos PT e PSDB. Do ponto de vista do conteúdo tratado nas propagandas, o primeiro candidato tem a preocupação de se colocar como o correto, como o “bonzinho” que quer o melhor para o país, denunciando a falta de competência da candidata da oposição Dilma Roussef. Suas propostas estão atreladas ao que já fora realizado e em determinado momento afirma a continuidade dos programas que deram certo do atual governo. A segunda candidata defende a continuidade do trabalho que já é realizado pelo atual governo com a preocupação de apresentar aos eleitores quem é e qual foi à trajetória da candidata. Propostas não são defendidas, mas há a utilização de imagens de pessoas simples que se sentiram incluídos na escala social por meio dos programas sociais implementados pelo atual governo. Já a propaganda do terceiro candidato analisado, como já fora levantado, apesar da escassez de tempo procura ser uma nova e radical opção diante da semelhança apresentada pelos candidatos anteriores. Este candidato não defende uma idéia pessoal, mas uma idéia do partido diante de temas polêmicos como, por exemplo: a reforma agrária, a violência contra a mulher, a redistribuição de renda, a legalização da maconha, a união entre casais homossexuais, etc. Diante deste quadro vale à pena refletir sobre a linguagem, o alcance e a possibilidade de realização das propostas que são apresentadas pelos candidatos e partidos, de modo que se possa pensar uma maneira diferente de fazer com que o povo brasileiro participe e volte a acreditar na política representativa como um mecanismo onde a maioria que, é o povo, é responsável pelo futuro do país e consequentemente de sua própria história.

×