Cabul, Afeganistão
Karkhla,  Paquistão
Tegucigalpa, Honduras
Siliguri, Índia
San Vicente, Colombia
Recife, Brasil
Congo, África Central
Irlanda do Norte,  décadas de 80 e 90
Chechênia, 1997 Kosovo, 1999
África,  desde sempre
Faixa de Gaza,  Palestina, 2004
Faixa de Gaza,  Palestina, 30/07/2006
Iraque, 2005
Israel, 2006 Líbano, 2006
etc, etc etc...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Infancia roubada

825 visualizações

Publicada em

Revoltante o que acontece com nossas crianças espalhadas pelo mundo.

Publicada em: Espiritual
1 comentário
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • I you invite to join the groups Slideshare (If not already):
    - ' BEAUTY OF PAKISTAN' - http://www.slideshare.net/group/beauty-of-pakistan
    - BANQUE DE CONNAISSANCES - http://www.slideshare.net/group/bank-of-knowledge
    - GREAT CAUSES and JUST CAUSES - http://www.slideshare.net/group/great-causes-and-just-causes
    - FOR A BETTER WORLD - http://www.slideshare.net/group/for-a-better-world

    Thank for sharing. Good weekend. :-)) Bernard
       Responder 
    Tem certeza que deseja  Sim  Não
    Insira sua mensagem aqui
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
825
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
16
Comentários
1
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • Três anos depois da queda do regime Talebã, - num país dilacerado pela guerra e onde as oportunidades de trabalho, alimentação e necessidades básicas são escassas -, crianças disputam migalhas de carvão que caem dos sacos transportados por caminhões da Cruz Vermelha, de modo a garantir seu próprio sustento e de suas famílias.
  • Crianças com idade entre 4 e 6 anos, em sua maior parte provenientes de famílias afegãs refugiadas da guerra civil que acomete seu país natal, trabalham em fábricas de tijolos. O seu desgastante trabalho consiste em virar os tijolos para que sequem mais rapidamente ao sol. O seu peso de criança permite que realizem seu penoso trabalho sem amassar os tijolos em que se apóiam.
  • Abutres e crianças disputam as sobras que encontram num aterro sanitário da capital hondurenha. Juan Flores e outras crianças reviram o lixo a fim de encontrar qualquer coisa que possa ser comido ou vendido.
  • Ruksana Khatun, de nove anos de idade, quebra pedras na periferia da cidade. Pequenas mãos calejadas em troca de um salário irrisório. Segundo a Organização Internacional de Trabalho, OIT, mais de 220 milhões de crianças trabalham no mundo, mais da metade delas em funções perigosas e em condições e horários precários, com jornadas de trabalho de até 17 horas.
  • Na entrada de um bordel, adolescente aguarda o próximo cliente. Dados divulgados pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância, UNICEF, revelam que milhões de crianças são vítimas da exploração sexual em todo o mundo. A cada ano, um milhão e duzentas mil crianças são vítimas de tráfico e venda. Triste mundo que assim trata as suas crianças.
  • A Organização Mundial da Saúde, OMS, estima existirem 100 milhões de crianças vivendo nas ruas do mundo subdesenvolvido ou em desenvolvimento, das quais 10 milhões no Brasil. Muitas destas crianças mantêm algum tipo de laço familiar, porém despendem a maior parte do tempo nas ruas, - pedindo esmola, vendendo coisas de pouco valor, engraxando sapatos, lavando vidros de carros -, a fim de complementar o ganho familiar. Não raro, se envolvem em pequenos furtos. Outras vivem de fato nas ruas, em grupos, dormindo em prédios abandonados, debaixo de pontes e viadutos, e em parques públicos. Nos dois grupos, os meninos são maioria. As meninas têm por destino a prostituição. Mais de 100 mil meninas são vítimas de exploração sexual no Brasil, conforme dados da Organização Internacional do Trabalho, OIT. A maioria dessas crianças abusa das drogas, que as ajudam a negar, a fugir da realidade, a matar a fome, e a se aquecer.
  • A avó de Chantis Tuseuo, de nove anos de idade, estende a mão para sua neta, gravemente desnutrida, que aguarda atendimento num posto de saúde nos arredores de Kinshasa. No mundo, segundo dados do UNICEF, estima-se que 55% das mortes de crianças estão associadas à desnutrição, à fome que debilita lentamente.
  • Na década de 1960 , o primeiro-ministro , unionista-moderado Terence O'Neill (mais tarde Lord O'Neill de Maine) tentou reformar o sistema, mas encontrou oposição extrema fundamentalista de líderes protestantes como o Reverendo Ian Paisley . O aumento da pressão pela reforma e de unionistas extremos levou ao surgimento do Movimento pelos Direitos Civis . Confrontos entre os habitantes fronteiriços e o Royal Ulster Constabulary levaram a conflitos entre comunidades cada vez maiores. O Exército Britânico, originalmente mandado a Irlanda do Norte para proteger nacionalistas de ataques, receberam boas-vindas acaloradas. Porém, o assassinato de 13 civis desarmados em Derry por paramilitares bretões inflamaram a situação e revoltou os nacionalistas nortistas contra o Exército Inglês. O surgimento do IRA , uma dissidência do fortemente marxista Official IRA , e uma campanha de violência dos unionistas como a Associação de Defesa do Ulster e outros, levaram a Irlanda do Norte à beira de uma guerra civil. Nos anos 70 e 80 , extremistas de ambos os lados cometeram diversos assassinatos em massa, geralmente, envolvendo civis inocentes. Os ataques mais notórios incluem o atentado a bomba de Le Mon e as explosões em Enniskillen e Omagh , praticados por Republicanos tentando trazer uma mudança política através de armamento de guerrilha . Contatos, inicialmente entre Adams e John Hume , líder do Partido Social Democrata Trabalhista , avançaram numa negociação pan-partidária, que em 1998 gerou o ' Bom Acordo da Sexta Feira . Uma maioria de ambas as comunidades da Irlanda do Norte aprovaram este acordo, assim como o povo da República da Irlanda , que emendaram a constituição, Bunreacht na hÉireann , para substituir a reivindicação sobre o território da Irlanda do Norte, reconhecendo o direito soberano de existência deste país, ao mesmo tempo em que reconheceu o desejo nacionalista de ver as duas Irlandas unificadas.
  • A partir de 1991, a Rússia perdeu o controle da Chechénia, daí pra cá a luta pela independência para constituir um Estado autónomo e separar-se da Federação Russa causam mortes. A barbárie terrorista chechena, que causou anteontem uma das matanças mais atrozes dos anos recentes na região do Cáucaso, assaltou o colégio de Beslan, uma cidade da república caucásica da Ossétia do Norte, e sequestrou mais de mil e 200 pessoas, entre crianças e adultos. Segundo diferentes versões, uma explosão acidental dentro da escola ou a intervenção directa das forças de segurança russas desencadearam o inferno. O comando abriu fogo contra os reféns e as tropas de assalto entraram a sangue e fogo. Os serviços de emergência tinham recuperado até naquele Sábado mais de 320 cadáveres, incluídos 175 de crianças de cinco a 14 anos. Os chechenos são vistos hoje como estrangeiros indesejados, suspeitos de terrorismo e vigiados pela polícia política constantemente. *********************************** O conflito em Kosovo - uma província da Sérvia que passa para a tutela da ONU em 1999 - é o mais recente capítulo do violento processo de dissolução da Ex -Iugoslávia . Habitado por vários povos, o país tem dificuldade em manter a unidade nacional desde sua criação, no final da I Guerra Mundial . Josip Broz Tito , o marechal Tito, consegue a coesão ao chegar ao poder, em 1945 . Tito estabelece o regime comunista e garante direitos iguais a seis repúblicas iugoslavas - Sérvia , Montenegro , Eslovênia , Croácia , Bósnia - Herzegóvina e Macedônia - e a suas regiões autônomas - Voivodina e Kosovo . Sua morte, em 1980 , associada ao colapso do comunismo, abala a federação. Cerca de 200 mil pessoas morrem na guerra, a mais grave em solo europeu após a II Guerra Mundial . Os albaneses de Kosovo (90% da população) iniciam uma violenta campanha pela independência em 1998 , sob o comando do Exército de Libertação de Kosovo (ELK). A opção pela luta armada acontece quase dez anos após a província ter sua autonomia cassada (1989) por Milosevic. Em represália, o presidente iugoslavo (no cargo desde 1997) incentiva a " limpeza étnica " contra civis albaneses, método usado na Bósnia. Negociações de paz fracassam e, em março de 1999 , a OTAN decide atacar a Iugoslávia. Num primeiro momento, os bombardeios acirram a repressão sérvia em Kosovo, e quase 1 milhão de albaneses kosovares fogem para nações vizinhas. Mas, após 78 dias de ofensiva e um saldo de 1,2 mil civis mortos, Milosevic capitula e retira suas tropas da região.
  • Ryszard Kapuscinski, jornalista polonês permaneceu na Africa 40 dos seus 70 anos viajando pelo continente A pobreza e o desencanto dos que estavam na parte de baixo da pirâmide social, aliados à ganância desmedida dos que estavam na parte de cima, criaram uma atmosfera de instabilidade e insatisfação que foi detectada pelas Forças Armadas. "Estamos num mundo paranóico e obsessivo de preconceitos, aversões e hostilidades enraizados na África.” A condição tribal da África, a confusão étnica e religiosa, é seu nervo sensível. A imprensa mundial atua na mídia periodicamente destacando um país africano pela calamidade que vive - Biafra, depois Etiópia, depois Sudão, etc. -, seguida de shows de caridade e envios de alimentos. Mas a fonte do problema jamais é estancada. "Muitas guerras na África são travadas em segredo, sem testemunhas, em lugares de difícil acesso, sem o conhecimento do resto do mundo ou, simplesmente, por ele ignoradas." Se cada massacre e chacina ganhasse as páginas dos jornais, o estômago do planeta não suportaria. A atmosfera onipresente é a do medo, da brutalidade, da tensão - seitas conspirando à noite, milhares morrendo à luz do dia, roubos diuturnos. Não há educação, livros, direitos básicos; intelectuais de classe média tratam logo de se exilar na Europa ou nos EUA, caso contrário serão perseguidos e calados. A água é um bem escasso, precioso como ouro, mais valioso que a companhia de uma mulher digna. Outra questão é a ascensão do islamismo. Kapuscinski não trata especificamente dela; fica claro, porém, o que a crença na proteção de Alá pode implicar para a vida de um nômade africano.
  • Gaza é a maior cidade dos territórios palestinianos, com uma população de 676 mil habitantes. É administrada pela Autoridade Nacional Palestiniana . Gaza, uma das cinco cidades principais dos antigos Filisteus , foi cenário de algumas façanhas de Sansão , que aí morreu. Em 333 a.C., caiu em poder de Alexandre o Grande e mais tarde dos Romanos . Assistiu às vitórias dos Macabeus , do califa Abu-Bekr, dos Templários e de Saladino . Em 1799, foi ocupada pelos Franceses, depois pelos Turcos e, em 1917, pelos Ingleses. Em 1948, foi entregue ao Egipto , com toda a faixa costeira, estando sob domínio egípcio até 1962. De 1967 até 1994, esteve sob domínio de Israel , o que facilitou o estabelecimento de colónias judias. Cenário de um levantamento popular palestiniano, especialmente desde 1987, Gaza foi dotada, em 1994, de um estatuto de autonomia. Não obstante, desde 2000, o território tem vindo a sofrer uma nova fase de confrontos violentos com Israel.
  • A guerra como ela é: optamos pela publicação dessas imagens a partir das reportagens de Robert Fisk, veterano correspondente no Oriente Médio do jornal The Independent , em que diz: "Se as pessoas vissem como é a guerra, elas não deixariam que acontecesse". Com as câmeras voltadas para a fronteira com o Líbano, o governo israelense voltou a aterrorizar e assassinar palestinos ao norte da Faixa de Gaza. Nesta sexta-feira, 28 de julho, a agência de notícias BBC noticiou que soldados e tanques israelenses teriam deixado a região. Antes, no entanto, fizeram uma incursão que resultou na morte de 29 palestinos em dois dias. Segundo a BBC, os bombardeios teriam continuado durante a retirada. Mais de 70 de pessoas ficaram feridas.
  • A expressão Ocupação do Iraque refere-se ao envio de tropas estadunidenses e internacionais ao Iraque no ano de 2003, por decisão do presidente George W. Bush , dos Estados Unidos da América . O pretexto da ocupação, inicialmente, foi achar armas de destruição em massa que, supostamente, o governo iraquiano teria em estoque e que, segundo Bush, representavam um risco ao seu país, abalado desde então pelos atentados terroristas de 11 de setembro de 2001 . O presidente Bush tomou a decisão de invadir o Iraque sem a aprovação do Conselho de Segurança da ONU , mas com o apoio dos então chefes de estado Silvio Berlusconi ( Itália ) José María Aznar ( Espanha ) e Tony Blair ( Reino Unido ) . Em 2004 , após 1 ano de ocupação, entretanto, o presidente Bush muda o discurso ao dizer que a ocupação faz parte da libertação de países e a promoção da Democracia e da Paz mundial. Em 2004, o presidente iraquiano Saddam Hussein é capturado e mantido preso num local não revelado. Seus filhos são mortos numa emboscada em Bagdá . Às 6 da manhã, horário de Bagdad, do dia 30 de dezembro de 2006, gerando posições contrárias de várias instituições internacionais, como a Amnistia Internacional, União Europeia e diversos outros países. Foi executado junto com dois de seus aliados, sendo um deles seu meio-irmão e recusou-se a vestir o capuz, normalmente utilizado para tal propósito. Antes de sua morte, Saddam pronunciou o nome do líder xiita iraquiano Moqtada Sadr. Os EUA entre 1981 e 2001 forneceram cerca de 50% das importações de armas de Saddam Hussein. A dívida de Saddam aos americanos atingiu entre o período 1988-1988 um montante entre 7 e 8 bilhões de dólares . Grande parte da infra-estrutura foi destruída na Guerra de 2003, foram contabilizados cerca de 140000 mortos iraquianos, militares e civis. Em 28 de Junho de 2004 , a ocupação terminou oficialmente e o poder foi transferido para um novo governo liderado pelo primeiro-ministro Iyad Allawi , apesar de, em dezembro de 2004, tropas dos Estados Unidos , da Grã-Bretanha e da Polônia ainda ocuparem o território iraquiano, com cerca de 160000 soldados e cerca de 20000 servidores civis. As hostilidades não cessaram até à presente data (Fevereiro de 2007) e continuam sob a forma de guerrilha de resistência e/ou terrorismo na qual os chamados insurgentes atacam diariamente as forças de ocupação. Existem vários grupos diferentes de insurgentes. Há terroristas islamistas que pretendem desestabilizar a situação...
  • O Conflito Israelo-libanês de 2006 ou em Israel chamada a segunda guerra do Líbano, iniciou-se no dia 12 de julho e foi travado entre forças israelenses e a milícia xiita Hezbollah. O estopim da guerra foi a "Operação Promessa Leal", durante a qual milicianos do Hezbollah dispararam foguetes katyusha sobre localidades e posições militares israelenses próximas ao território libanês. Simultaneamente houve uma incursão por parte dos militantes xiitas ao território de Israel que culminaram com o sequestro de dois soldados israelenses. Ao fim deste dia haviam 8 soldados israelenses mortos e dois capturados pela guerrilha islamica. Israel respondeu com a maior ação militar no Líbano desde a invasão de 1982, num conflito que deixou aproximadamente 1.500 mortos e destruiu parte importante da infraestrutura libanesa, além de deixar desabrigados perto de 900.000 libaneses (dos quais cerca de 250.000 não haviam retornado após quase um mês de terminado o conflito) e 500.000 israelenses. O cessar-fogo foi declarado no dia 11 de agosto do mesmo ano, após intensas negociações. A resolução 1701 foi aceita por ambas as partes e determinava, entre outros pontos, a cessação das hostilidades, a retirada das tropas israelenses do território libanês, o desarmamento do Hezbollah, e a atuação de forças armadas libanesas e de uma força armada internacional (UNIFIL) no sul do Líbano. A movimentação de tropas libanesas começou no dia 17 de agosto, e o bloqueio marítimo que Israel impôs foi levantado no dia 8 de setembro.
  • Infancia roubada

    1. 1. Cabul, Afeganistão
    2. 2. Karkhla, Paquistão
    3. 3. Tegucigalpa, Honduras
    4. 4. Siliguri, Índia
    5. 5. San Vicente, Colombia
    6. 6. Recife, Brasil
    7. 7. Congo, África Central
    8. 8. Irlanda do Norte, décadas de 80 e 90
    9. 9. Chechênia, 1997 Kosovo, 1999
    10. 10. África, desde sempre
    11. 11. Faixa de Gaza, Palestina, 2004
    12. 12. Faixa de Gaza, Palestina, 30/07/2006
    13. 13. Iraque, 2005
    14. 14. Israel, 2006 Líbano, 2006
    15. 15. etc, etc etc...

    ×