A arte egipcia

911 visualizações

Publicada em

História da Arte - Arte Egípcia

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
911
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
17
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
15
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

A arte egipcia

  1. 1. Arte Egípcia Profª Mírian Carlos
  2. 2. As divisões da história Egípcia na Antiguidade Antigo Império Por volta de 3.200 a 2.200 a.C. Médio Império Por volta de 2.000 a 1.1750 a.C. Novo Império Por volta de 1.580 a 1.085 a.C. Profª Mírian Carlos
  3. 3. Uma das principais civilizações da Antiguidade foi a que se desenvolveu no Egito, localizado no norte da África. A antiga civilização egípcia se concentrou ao longo do rio Nilo. Profª Mírian Carlos
  4. 4. Foi uma civilização bastante complexa na organização social e riquíssima em suas realizações culturais. Graças a sua escrita bem estrutura, que temos conhecimento sobre sua cultura. Os egípcios escreviam usando desenhos, não utilizavam letras. Desenvolveram três formas de escrita: hieróglifos, hierática e demótica. Profª Mírian Carlos
  5. 5. Hieróglifos – considerados a escrita sagrada. Hierática - uma escrita mais simples, utilizada pela nobreza e pelos sacerdotes; Demótica - a escrita popular. Profª Mírian Carlos
  6. 6. Mas o aspecto mais importante da cultura egípcia é a religião, que tudo orientava. Acreditava-se em vários deuses e na vida após a morte, sendo está mais importante que a vida terrena. Máscara funerária deTutancâmon. Profª Mírian Carlos
  7. 7. A arte egípcia refletia essa visão religiosa, que aparece representada em túmulos, esculturas, pinturas, vasos e outros objetos deixados junto aos mortos. É por isso também que a arquitetura egípcia se realizou sobretudo nas construções mortuárias. Profª Mírian Carlos
  8. 8. ARQUITETURA Construções religiosas, que abrigavam os restos mortais dos faraós. Deveriam apresentar: •solidez e durabilidade; •sentimento de eternidade; • aspecto misterioso e impenetrável. Divididos em três categorias: • Pirâmide - túmulo real, destinado ao faraó; • Mastaba - túmulo para a nobreza; • Hipogeu - túmulo destinado à gente do povo. Profª Mírian Pirâmides de Gizé Carlos
  9. 9. As pirâmides tinham base quadrangular, eram feitas com pedras. A porta da frente da pirâmide voltava-se para a estrela polar, a fim de que seu influxo se concentrasse sobre a múmia. O interior era um verdadeiro labirinto que ia dar na câmara funerária, local onde estava a múmia do faraó e seus pertences. Sarcófago do faraó Merneptá. Profª Mírian Carlos
  10. 10. Sarcófago de Mesré". XVIII Dinastia Egípcia (1550-1295 a.C.). Museu do Louvres. # Paris, França. Profª Mírian Carlos
  11. 11. PINTURA É uma pintura essencialmente simbólica, que segue rígidos padrões de representação, como: • ausência de três dimensões; • ignorância da profundidade; • colorido a tinta lisa, sem claro-escuro e sem indicação do relevo; • Lei da Frontalidade que determinava que o tronco da pessoa fosse representado sempre de frente, enquanto sua cabeça, suas pernas e seus pés eram vistos de perfil. Pintura na câmara tumular de Nefertari, Profª Mírian mulher de Ramsés II. Carlos
  12. 12. Profª Mírian Carlos
  13. 13. ESCULTURA Os egípcios acreditavam que, além de preservar o corpo do morto com a mumificação, era importante uma escultura que retratasse as características físicas e a condição social. O Escriba Sentado Profª Mírian Carlos
  14. 14. Detalhe do espaldar do trono de Tutancâmon. Museu Egípcio do Cairo. Os baixos-relevos egípcios, que eram quase sempre pintados. Recobriam colunas e paredes, dando um encanto todo especial às construções. Profª Mírian Carlos
  15. 15. Nesse relevo, o faraó Akhnaton quis ser representado com os filhos e a esposa, a rainha Nefertiti, sob a proteção do deus Aton, representado pelo sol , onde se desprendem raios solares portadores de bênçãos à família real. Profª Mírian Carlos
  16. 16. Os próprios hieróglifos eram transcritos, muitas vezes, em baixo-relevo. Templo de Abu-Simbell (séc. XIII a. C.) A intenção de deixar gravados para posterioridade os feitos do soberano. Profª Mírian Carlos
  17. 17. VÍDEOS RELACIONADOS A CULTURA EGÍPCIA Egito Antigo (7:42) Akhenaton, o Herege (9:48) A descoberta da tumba de Tutankhamon (7:00) Ramses II e sua tumba mortuária (10:07) Profª Mírian Carlos
  18. 18. Observe os símbolos do alfabeto hieróglifo e escreva o seu nome, da direita para a esquerda, tal qual um escriba fazia no tempo dos faraós. Profª Mírian Carlos
  19. 19. Referências da pesquisa -PROENÇA, Graça. História da Arte. São Paulo: Ática, 2005. - PROENÇA, Graça. Descobrindo a História da Arte. São Paulo: Ática, 2005. - FARTHING, Stephen. Tudo sobre Arte. Rio de Janeiro: Sextante, 2010. - História da Arte. http://www.historiadaarte.com.br/ Acesso: outubro/2014. - Antigo Egito. http://pt.wikipedia.org/wiki/Antigo_Egito Acesso: outubro/2014 - A escrita Egípcia. http://antigoegito.tripod.com/escrita.htm . Acesso: outubro/2014. - A descoberta da escrita. http://descobertadaescrita.blogspot.com.br/2012/11/a-descoberta- da-escrita.html . Acesso: outubro/2014. - O Fascínio do Antigo Egito. http://antigoegito.tripod.com/index2.htm Acesso: outubro/2014. Profª Mírian Carlos

×