• Definição
• Tipos de SPA’s
• Epidemiologia
• Tratamento
• Processo de Enfermagem
Fonte: Google
 KARLA ROMANA*
 CÉSAR ANDRADE
 DIEGO TENÓRIO
 MIRELLY MELO
 RAFAELLA SOARES
 ROBERTA SANTOS
 SEBASTIÃO FELIPE
USO D...
Fonte: Google
 É considerada substância psicoativa (SPA) qualquer substância que,
utilizada por qualquer via de administração, altera o...
SPA
SISTEMA
LÍMBICO
DOPAMINA
SISTEMA
LÍMBICO
SPA FISSURA TOLERÂNCIA ABSTINÊNCIA
Presença de SPA
Ausência de SPA
O dopaminé...
É caracterizada por um padrão mal adaptado de consumo da
substância gerando diversos problemas na vida da pessoa, o indiví...
Quadro 33.1
Fonte: Google
Compreende numerosos transtornos que diferem entre si pela
gravidade variável e por sintomatologia diversa, mas que têm em...
Quadro 33.3
Fonte: Google.
É a principal substância psicoativa, lícita e de maior percentual de
uso entre a população. O início do uso entre adolesce...
• Processos de Psicoterapia;
• Naltrexone;
• Acamprasato;
• Topiramato.
Fonte: Google. Fonte: Google.
Cocaína:
Mesmo sendo uma substância estimulante do SNC, ela pode causas
sintomas psíquicos como o aumento do estado de vig...
Canabinóides (Maconha):
Substância ilícita mais usada no mundo seus efeitos relacionam-se com
sensação de leveza e relaxam...
Estimulantes:
As anfetaminas de uma forma geral, são usadas por meio de
formulações médicas ou de comprimidos não padroniz...
Opiáceos:
Consumo reduzido no Brasil, comportam substâncias como morfina e
dolantina, que admitem uso clínico. Usuários do...
Alucinógeno: Dietilamina de ácido lisérgico (LSD)
Sintomas:
• Flashbacks;
•Transtornos sensoperceptivos;
•Psicose;
•Alucin...
Tabaco
Dentre os mais eficientes de oferta de nicotina é o cigarro. A nicotina
ativa o sistema de recompensa por meio do a...
Solventes Voláteis
O impacto geral na população é menor. Incorporam os inalantes, a
ketamina e o ácido gama-hidroxibutíric...
Fonte: Google
 Avaliação Inicial:
 Visão geral do comportamento do cliente;
 Histórico de Enfermagem;
 Sinais e Sintomas.
 Diagnóst...
 Intervenções de Enfermagem:
 Atitude positiva em relação à pessoa que usa SPA;
 Manter objetividade na identificação d...
Ações relativamente simples e de baixo custo ofereceriam
prevenção ao uso das drogas ilícitas e não-ilícitas, porém, obser...
FILHO, Euclides Lunardelli. Prevenção Ao Uso De Substâncias Psicoativas Nas Universidades: Uma visão sobre
necessidades, r...
O uso de substâncias psicoativas
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

O uso de substâncias psicoativas

3.215 visualizações

Publicada em

Uso de substâncias psicoativas

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.215
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
8
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
85
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

O uso de substâncias psicoativas

  1. 1. • Definição • Tipos de SPA’s • Epidemiologia • Tratamento • Processo de Enfermagem Fonte: Google
  2. 2.  KARLA ROMANA*  CÉSAR ANDRADE  DIEGO TENÓRIO  MIRELLY MELO  RAFAELLA SOARES  ROBERTA SANTOS  SEBASTIÃO FELIPE USO DE SUBSTÂNCIAS PSICOATIVAS – SPA’S RECIFE, 2013.
  3. 3. Fonte: Google
  4. 4.  É considerada substância psicoativa (SPA) qualquer substância que, utilizada por qualquer via de administração, altera o humor, o nível de percepção ou o funcionamento cerebral, podendo ser legalmente usadas, prescritas ou ilícitas (ilegais);  O uso da substância psicoativa é relatados ainda a. C., extraídas das plantas eram comum fonte de prazer; séculos depois, iniciou a sua utilização como droga medicinal, com a finalidade anestésica (ópio);  Consideram-se os usos: experimental, recreacional, medicinal ou ritual;  A iniciação parte de fatores psicológicos, etiológicos sociais, familiares, genéticos e pessoais;  Na maior parte das vezes, o início de uso de substâncias psicoativas se dá no lar, com substâncias lícitas e contando com a anuência implícita ou explícita dos pais.
  5. 5. SPA SISTEMA LÍMBICO DOPAMINA SISTEMA LÍMBICO SPA FISSURA TOLERÂNCIA ABSTINÊNCIA Presença de SPA Ausência de SPA O dopaminérgico parece ser o principal envolvido na fisiologia das dependências químicas. O neurotransmissor dopamina está relacionado com sensação de prazer e acredita-se que ele atue no desenvolvimento do comportamento de dependência para a maioria das drogas psicotrópicas de abuso. Fonte: Google
  6. 6. É caracterizada por um padrão mal adaptado de consumo da substância gerando diversos problemas na vida da pessoa, o indivíduo dependente pode necessitar de quantidades gradativamente maiores da substância utilizada a fim de obter os efeitos desejados, pois o uso continuado determinou redução do efeito provocado. O controle em relação ao uso da substância gradativamente deixa de existir de modo que as tentativas de reduzir as quantidades utilizadas não têm sucesso. Com o consumo compulsivo e a impossibilidade de se controlar, o indivíduo começa a ter inúmeros problemas sócio ocupacionais. Várias esferas da vida podem ser prejudicadas tais como: família, emprego, trabalho, acadêmica e social.
  7. 7. Quadro 33.1
  8. 8. Fonte: Google
  9. 9. Compreende numerosos transtornos que diferem entre si pela gravidade variável e por sintomatologia diversa, mas que têm em comum o fato de serem todos atribuídos ao uso de uma ou de várias substâncias psicoativas, prescritas ou não por um médico, dentre eles:  Intoxicação aguda;  Uso nocivo para a saúde;  Síndrome de dependência (dipsomania, toxicomania);  Síndrome [estado] de abstinência;  Síndrome de abstinência com delirium;  Transtorno psicótico (ciúmes, paranoia, alucinações, psicose);  Síndrome amnésica;  Transtorno psicótico residual ou de instalação tardia;  Transtorno não especificados.
  10. 10. Quadro 33.3
  11. 11. Fonte: Google.
  12. 12. É a principal substância psicoativa, lícita e de maior percentual de uso entre a população. O início do uso entre adolescentes também está cada vez mais cedo. O álcool não é digerido, ele é absorvido pela mucosa dos órgãos e passa imediatamente para o sangue em estado puro. Ao ser metabolizado pelo fígado, pode trazer lesões de diversos níveis com padrões reversíveis ou não, como a esteatose hepática ou ainda a cirrose. O pâncreas, coração, músculos, o sistema nervoso central (SNC) e periférico (SNP) , além dos vasos, podem ser agredidos pelo álcool. NMDA GABA Sintomas da abstinência: o Taquicardia; o Alterações da pressão arterial e sudorese;  Agitação;  Crises Convulsivas;  Delirium Tremens.  Síndrome de Wernick.Fonte: Google.
  13. 13. • Processos de Psicoterapia; • Naltrexone; • Acamprasato; • Topiramato. Fonte: Google. Fonte: Google.
  14. 14. Cocaína: Mesmo sendo uma substância estimulante do SNC, ela pode causas sintomas psíquicos como o aumento do estado de vigília, euforia, sensação de bem estar, autoconfiança elevada e aceleração de pensamento, além de sintomas físicos:  FC;  T;  FR;  Sudorese;  Tremor de Extremidades;  Espasmos musculares;  Tiques;  Midríase. Tratamento: Não existe específico. Usos de antidepressivos inibidores da serotonina, como a paroxetina, fluoxetina e sertralina, podem reduzir os sintomas de fissura. Fonte: Google.
  15. 15. Canabinóides (Maconha): Substância ilícita mais usada no mundo seus efeitos relacionam-se com sensação de leveza e relaxamento, acompanhando ou não alterações de sensopercepção.  Reagudização de psicose;  Câncer de pulmão, bexiga e orofaringe; Síndrome do Pânico; Esquizofrenia. Tratamento: As psicoterapias consistem em uma das formas de tratamento que podem ser utilizadas em pacientes dependentes de maconha. Dentre elas, a terapia comportamental tem sido uma das mais utilizadas em vários serviços ao redor do mundo, mostrando resultados contrastantes. Fonte: Google.
  16. 16. Estimulantes: As anfetaminas de uma forma geral, são usadas por meio de formulações médicas ou de comprimidos não padronizados e legais. Seu uso clínico, sustenta-se com a finalidade de inibir o apetite. Sintomas:  Verborragia;  Euforia;  Irritabilidade;  Midríase;  Taquicardia; Tratamento: Na abstinência, podem ser utilizados benzodiazepínicos, ou ainda agonistas dopaminérgicos como a bromocriptina e a amantadina. São indicados a longo prazo antidepressivos, tricíclicos e inibidores da serotonina. Fonte: Google.
  17. 17. Opiáceos: Consumo reduzido no Brasil, comportam substâncias como morfina e dolantina, que admitem uso clínico. Usuários dos opiáceos, se submetem ao seu potencial efeito de analgesia que, em uso prolongado e em altas doses, provoca sensação de sedação, euforia e miose. Na overdose, pode apresentar níveis de inconsciência, bradicardia, depressão respiratória, convulsões e até induz ao coma. Tratamento: Na intoxicação aguda: Naloxona. Após, admite-se o uso de buprenorfina ou metadona como opiáceos substitutos, pois possuem baixo risco de abuso. Fonte: Google.
  18. 18. Alucinógeno: Dietilamina de ácido lisérgico (LSD) Sintomas: • Flashbacks; •Transtornos sensoperceptivos; •Psicose; •Alucinações Sedativos e Hipnóticos: Benzodiazepínicos. Usados para tratamento de ansiedade, possui alta capacidade ansiolítica e de sedação. Sintomas durante a abstinência: •Disforia; •Irritabilidade; •Insônia; •Alucinações. Tratamento: Não há tratamento padronizado. Fonte: Google.
  19. 19. Tabaco Dentre os mais eficientes de oferta de nicotina é o cigarro. A nicotina ativa o sistema de recompensa por meio do aumento nos níveis da dopamina. Sintomas:  Irritabilidade;  Fissura;  Déficits de atenção;  Alterações de sono;  Aumento de apetite. Tratamento: Estratégias de abstnência, medicações que diminuem a sensação de fissura, grupos de ajuda, gomas de mascar ou adesivos de reposição de nicotina. Fonte: Google.
  20. 20. Solventes Voláteis O impacto geral na população é menor. Incorporam os inalantes, a ketamina e o ácido gama-hidroxibutírico (GHB). Entre as substâncias mais usadas estão a cola, o cimento para PVC, os removedores, o thinner. Sintomas: Altas doses pode provocar comportamento autista e inabilidade na realização de tarefas cognitivas. Observação: O GHB tem características semelhantes às da MDMA, e por isso, é conhecido como ecstasy líquido. Sua ação é semelhante a de um neurotransmissor, inicialmente suprime a liberação da dopamina para posteriormente aumentá-la. Fonte: Google.
  21. 21. Fonte: Google
  22. 22.  Avaliação Inicial:  Visão geral do comportamento do cliente;  Histórico de Enfermagem;  Sinais e Sintomas.  Diagnósticos de Enfermagem:  Nutrição desequilibrada;  Risco de infecção;  Interação social prejudicada;  Déficit no autocuidado.  Resultados Esperados:  Admissão da dependência.  Apresenta manifestações de recuperação da auto-estima;  Expressa continuação no processo de recuperação;  Frequenta com a família grupos de apoio.
  23. 23.  Intervenções de Enfermagem:  Atitude positiva em relação à pessoa que usa SPA;  Manter objetividade na identificação das necessidades do cliente;  Esclarecimento total sobre o cuidado a ser seguido;  Não demonstrar de modo verbal ou não-verbal a descrença na recuperação.  Avaliação Final: Com base nos resultados esperados, faz-se uma avaliação final da evolução do comportamento do cliente. Fonte: Google
  24. 24. Ações relativamente simples e de baixo custo ofereceriam prevenção ao uso das drogas ilícitas e não-ilícitas, porém, observa-se que, muitas ações que são pregadas, esbarram em práticas enganosas que consomem recursos e não produzem resultado aceitável. Sugestões propõem atenção maior aos adolescentes, principalmente aqueles que cumprem medidas socioeducativas, já que, em maioria, são os grupos que mais submetem-se ao uso das SPA’s. Uma estratégia adequada seria é propiciar condições de aprendizado compartilhado, incentivando também os programas de educação em saúde e saúde na escola, para que se evitem os primeiros contatos às drogas. Essa realidade, está á nossa frente à algumas décadas, e infelizmente, estará ainda mais à frente por longos períodos. O essencial é que os profissionais envolvidos assumam o compromisso com coragem, amor e determinação. A educação é a base de tudo.
  25. 25. FILHO, Euclides Lunardelli. Prevenção Ao Uso De Substâncias Psicoativas Nas Universidades: Uma visão sobre necessidades, relevância E possibilidades. São Paulo: UNIFESP, 2008. GALVÃO, Ana Luiza; ABUCHAIM, Cláudio Moojen; SALGADO, Carlos Alberto Iglesias. Transtornos Psiquiátricos Relacionados Ao Uso De Substâncias Psicoativas. Data de Publicação: 10 set. 2010. – Revisão: 25 mar. 2011. Disponível em: <http://www.abcdasaude.com.br/artigo.php?757>. Acesso em: 15 set. 2013. PIRES, Felipe A. R. Dependência De Droga: Atuação das drogas no sistema nervoso central. Disponível em: <http://www.dependenciadedroga.com.br/?page_id=15>. Acesso em: 15 set. 2013. BARROS, Régis. Síndrome De Dependência a Substâncias Psicoativas. Disponível em: <http://www.regisbarros.com.br/servicos/49-sindrome-de-dependencia-a-substancias-psicoativas>. Acesso em: 15 set. 2013. BALTIERI, Danilo. Psicoterapia Seria o Tratamento Mais Indicado Para Largar a Maconha?. Disponível em: <http://www2.uol.com.br/vyaestelar/saude_maconha.htm>. Acesso em: 15 set. 2013. STEFANELLI, Maguida Costa; FUKUDA, Ilza Marlene Kuae; ARANTES, Evalda Cançado. Enfermagem Psiquiátrica Em Suas Dimensões Assistenciais. 1ª edição. Barueri, SP: Editora Manole Ltda, 2008 (Série Enfermagem).

×