Estratégias Inovadoras em E-mail Marketing

10.304 visualizações

Publicada em

Curso sobre e-mail marketing ministrado em 2007 e 2008 para executivos e profissionais de comunicação (publicidade, jornalismo, relações públicas, marketing).

Publicada em: Negócios
3 comentários
17 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Coloquei em meu blog um MindMap interessante sobre o livro 'Estratégias de Email Marketing' - Vale a pena conferir: http://www.estrategiasdemarketing.com.br/assuntos-variados/livro-estrategias-de-email-marketing-resenha/

    Abraços
       Responder 
    Tem certeza que deseja  Sim  Não
    Insira sua mensagem aqui
  • O artigo os '10 mitos do e-mail marketing' que utilizei neste curso é da Juliana Padron, da W3P Projetos Web (www.w3p.com.br).
    Desculpe não ter citado a fonte antes, Juliana. Vou tentar achar o arquivo original da palestra e atualizar.
       Responder 
    Tem certeza que deseja  Sim  Não
    Insira sua mensagem aqui
  • SIMPLESMENTE FANTÁSTICO
    POR ISSO ESSE MEU PRIMO ESTA COM O BURRO
    NA SOBRA HA ANOS.
    DEUS DEU ESSE FANTASTICO DOM DE ENSINAR
    AS PESSOAS A FICAREM RICOS COMO ELE.

    UM ABRAÇO
    SUCESSO
       Responder 
    Tem certeza que deseja  Sim  Não
    Insira sua mensagem aqui
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
10.304
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
468
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1.027
Comentários
3
Gostaram
17
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Estratégias Inovadoras em E-mail Marketing

  1. 1. Breve Currículo – Paulo Milreu Engenharia Elétrica/Eletrônica Administração – Ênfase Marketing Pós-graduação Comunicação Corporativa Em 1987 comecei a trabalhar com informática Em 1995 conheci a Internet Em 1998 comecei a trabalhar com Internet Fundei uma produtora de sites
  2. 2. Agenda Módulo I Como planejar de forma eficaz ações de e-mail marketing Módulo II Criação e desenvolvimento de e-mail marketing Módulo III Gerenciamento de campanhas de e-mail marketing Módulo IV Mensuração de resultados das campanhas
  3. 3. Antes de começarmos...
  4. 4. 12 anos de Internet... Quem é o consumidor?
  5. 5. 12 anos de Internet... Quem é o consumidor? Quem nasceu em 1995 tem 12 anos. Quem tinha 12 anos, tem agora 24 anos. Esse consumidor não conhece um mundo sem internet, sem e-mail, sem messenger. Será que ele toma suas decisões da mesma forma?
  6. 6. Um novo consumidor Valoriza menos a propaganda. Ouve mais indicações de amigos, experts e até mesmo de marcas que ele considera relevantes. Seu impulso de compra é motivado pela tentativa de se sentir parte de uma comunidade. Para atingir esse consumidor são necessárias ações de cross-media.
  7. 7. 10 Tendências de Consumo Jovem 1. Geração Seleção 2. Consumo Viral 3. Consumo da Expectativa 4. Comportamento Indie 5. Design Nation 6. O Consumidor É o Conteúdo 7. Psiconomadismo 8. Mente Global, Alma Local 9. A Revolução Natural 10. Consumo do Vazio
  8. 8. Geração Seleção O jovem não quer perder mais tempo procurando as coisas que deseja consumir. Ele necessita de referências que pré- selecionem as melhores opções.
  9. 9. Consumo Viral O jovem, inseguro diante das decisões de consumo, busca referências confiáveis entre amigos. O próprio jovem torna-se a maior mídia disseminadora dentro do seu universo.
  10. 10. Consumo da Expectativa A expectativa da aquisição é mais intensamente vivida do que a própria posse do produto. A imagem do artigo é, muitas vezes, mais importante que o artigo em sim.
  11. 11. Comportamento Indie O jovem desafia o sistema como forma de se opor à massa, mesmo que apenas no discurso. A contracultura ganha força como produto.
  12. 12. Design Nation O design é cada vez mais um fator de decisão entre os jovens.
  13. 13. O Consumidor É o Conteúdo A interação da internet revela uma nova forma de conteúdo, principalmente para as novas gerações: os próprios usuários. A tecnologia permite que a juventudade expresse a sua criatividade e mostre os seus desejos. Por meio das informações que disponibiliza sobre si na internet, o jovem passa a ser ele mesmo o conteúdo.
  14. 14. Psiconomadismo A aceleração da sociedade provoca no jovem uma ânsia e uma tentativa de experimentar tudo, no menor tempo possível, sem se prender a crenças ou estilos.
  15. 15. Mente Global, Alma Local O jovem apóia discursos que colocam o Brasil no centro, mas continua antenado e curioso com o que vem de fora. Conectado com o mundo, o jovem percebe os valores do nosso país.
  16. 16. A Revolução Natural As novas gerações manifestam o desejo de buscar o bem-estar, o equilíbrio entre o corpo e a mente, entre o indivíduo e o meio-ambiente.
  17. 17. Consumo do Vazio O jovem é bombardeado por informações caóticas, estímulos e identidades. Por conta disso, consome cada vez mais um espaço no universo físico-virtual para lidar com o excesso de informações.
  18. 18. Rafinha TV1 Comunicação / São Paulo http://www.youtube.com/watch?v=JMR F_ZXms9E
  19. 19. Os 10 Mitos do E-mail Marketing Fonte: Juliana Padron (www.w3p.com.br)
  20. 20. 10 Mitos do E-mail Marketing 1. E-mail marketing é gratuito. 2. Fazer/enviar e-mail marketing é fácil. 3. E-mail marketing é spam. 4. Devo colocar um Assunto “misterioso” para despertar a curiosidade do usuário em ler minha mensagem. 5. O que importa é o número de destinatários: quanto mais, melhor. Fonte: Juliana Padron (www.w3p.com.br)
  21. 21. 10 Mitos do E-mail Marketing 6. Não posso/preciso usar e-mail marketing porque sou uma empresa pequena. 7. Se eu mandar e-mail marketing sempre, os consumidores vão fixar minha marca. 8. Nenhum usuário gosta de receber e-mail marketing ou e-mail marketing é chato. 9. Meus produtos não tem um perfil de venda por e-mail. 10. E-mail marketing é ferramenta com maior custo-benefício. Fonte: Juliana Padron (www.w3p.com.br)
  22. 22. A Internet no Brasil e no Mundo
  23. 23. Internet Brasileira
  24. 24. Internet Brasileira
  25. 25. Internet Brasileira
  26. 26. Internet Brasileira
  27. 27. Internet Brasileira
  28. 28. Internet Brasileira
  29. 29. Internet Brasileira
  30. 30. Internet Brasileira
  31. 31. Internet Brasileira
  32. 32. Internet Brasileira
  33. 33. Internet Brasileira 1.193.293 851
  34. 34. Internet Brasileira
  35. 35. Internet Brasileira
  36. 36. Internet Brasileira
  37. 37. Internet Brasileira Em 25/10/2007
  38. 38. Internet no Mundo
  39. 39. Internet no Mundo
  40. 40. Internet no Mundo
  41. 41. Internet no Mundo
  42. 42. Internet no Mundo
  43. 43. Internet no Mundo
  44. 44. Internet no Mundo
  45. 45. Módulo I Como planejar de forma eficaz ações de e-mail marketing Objetivos Mostrar quais os passos fundamentais para um planejamento de ações de e-mail marketing que podem gerar resultados efetivos. Analisando continuamente e retornando resultados.
  46. 46. Conceitos Básicos Marketing de permissão Economia da Atenção Opt-in e Opt-out Double Opt-in Peça Campanha
  47. 47. Marketing de Permissão Estratégia de marketing digital que desenvolve e gerencia o relacionamento com “prospects” e clientes (ativos ou nativos). Uma forma de comunicação de 2 vias. Permite interatividade e suprimento de informações. O inverso do “Marketing de Invasão”.
  48. 48. Seth Godin Escrito em 1999 quando Seth Godin era Vice-presidente de Marketing do Yahoo!. Foi lançado no Brasil em 2000. http://sethgodin.typepad.com/
  49. 49. Economia da Atenção O excesso de informação da era digital nos força a desenvolver estratégias de concentração. Em bom português: Não dá para prestar atenção em tudo o que recebemos via web. Precisamos filtrar essas informações.
  50. 50. Boas Maneiras do E-mail Marketing Criado pela ABEMD – Associação Brasileira de Marketing Direto. http://www.abemd.org.br/boasmaneiras.htm
  51. 51. Opt-in e Opt-out Opt-in: A ação de concordar em receber e-mails de uma determinada fonte, cadastrando-se em uma lista de e-mail. Opt-out: A ação de “descadastramento” de uma determinada lista de e-mails.
  52. 52. Opt-in O primeiro recebimento é muito importante, porque marca o início da relação. É preciso ter permissão para prosseguir o relacionamento, por meio do opt-in do receptor, tanto quando ele procura como quando é procurado. Quando é a pessoa quem procura a empresa, o campo onde é feita a opção pelo recebimento da mensagem deve estar visível e com descrição clara do produto ou serviço oferecido.
  53. 53. Opt-in Quando é a empresa quem procura a pessoa, tratando-se do primeiro contato deve-se informar como foi possível chegar a ela, explicitar o produto ou serviço oferecido e apresentar de forma visível a alternativa opt-in. Se a pessoa não responder o e-mail com essa alternativa assinalada, deve-se entender que não deseja receber novas mensagens.
  54. 54. Double Opt-in A dupla confirmação de alguém que se cadastrou para receber informações comerciais pela internet. Geralmente é feito automaticamente quando a pessoa se inscreve em uma lista de e-mail, enviando uma mensagem para a caixa postal dela e pedindo a confirmação da inscrição para que uma pessoa não se inscreva por uma outra. Só depois que o destinatário confirma a inscrição, devolvendo o e-mail para o remetente ou clicando num link de confirmação dentro da mensagem, é que o cadastramento é realizado.
  55. 55. Opt-out Toda mensagem precisa ter opt-out. É prerrogativa do receptor decidir o momento em que não quer mais receber mensagens de determinado emissário.
  56. 56. Peça de E-mail Marketing É composta pelos arquivos HTML e imagens (JPG ou GIF), estruturada de acordo com os padrões atuais da web. Compreende as premissas básicas para se ter sucesso nessa estratégia digital.
  57. 57. Campanha É o conjunto de ações que serão desenvolvidas para atingir os objetivos mercadológicos. No caso do e-mail marketing, é o conjunto de ações (envios) e peças de e-mail marketing que serão desenvolvidas.
  58. 58. Planejando uma Campanha Lembre-se do básico: A lista que receberá o e-mail deve ser opt-in. A permissão é o primeiro passo para se estabelecer o relacionamento com o cliente. Comece pelos itens: Relevância Personalização Periodicidade Visibilidade Testes e Mensuração Confiança
  59. 59. Relevância O que a pessoa receberá deve ter valor para ele. Se você manda um e-mail sobre cuidados com cachorros para sua lista de proprietários de gato é provável que você não satisfaça as necessidades deles. Pense sempre no seguinte: Se você fosse o destinatário e recebesse este e-mail, abriria? Gostaria de receber?
  60. 60. Personalização Trate o destinatário como único. Se você conhece o seu cliente, mostre para ele. Campanhas com o nome do destinatário no campo assunto tem altas taxas de abertura. Segmente sempre que possível. Divida a sua base em grupos com afinidades em comum. Com isto você cria uma relevância maior para cada público. Proprietários de cães e proprietários de gatos merecem peças diferentes, certo?
  61. 61. Periodicidade Defina a periodicidade da sua campanha. Receber três e-mails todo dia da sua empresa pode não interessar ao destinatário. Escolha se será semanal, mensal, ou até eventual, mas defina um espaço de tempo para enviar o próximo. Procure enviar sempre na mesma data. Se escolheu na quinta-feira, envie sempre nas quintas. Possibilite previsibilidade para o seu destinatário.
  62. 62. Relacionamento O mais importante. O objetivo da campanha deve ser criar um laço com o destinatário. Grave todo o contato que você estabeleceu com o cliente. Lembre-se que o seu destinatário não deve ser tratado apenas como um cliente e sim como quot;oquot; cliente.
  63. 63. Visibilidade A visibilidade é em todos os sentidos. A dobradinha quot;Dequot; e quot;Assuntoquot;, é que faz a diferença na abertura ou não do e-mail. Forneça um endereço para quem não conseguir visualizar a peça. Deixe visível o link para “descadastro”. Use também um link de quot;envie a um amigoquot;. Lembre-se: nem todos conseguem ver imagens em anexo por isso, use sempre as imagens no seu servidor. Envie sempre uma peça alternativa ao HTML, em formato texto (ou coloque um link).
  64. 64. Teste e Mensuração Essencial: Testar, testar e testar. Medir, medir e medir. Faça pequenos disparos com parte da sua base testando assuntos e peças diferentes. Registre todos os detalhes e lições aprendidas com a campanha. Guarde os números e compare os resultados com todas as outras campanhas.
  65. 65. Confiança A confiança é a chave de todo relacionamento. Você fornece o seu e-mail para quem não confia? Você abre um e-mail de quem não confia? Respeite sempre o destinatário. Deixe claro sua política de privacidade. Informe que você não vai nem vender, nem passar a ninguém os dados do seu destinatário a ninguém em hipótese nenhuma.
  66. 66. Qual o melhor horário? ... para enviar meu e-mail marketing? Analise sempre: Idade Profissão Assunto da campanha Tipo de interação Teste!
  67. 67. Módulo II Criação e desenvolvimento de e-mail marketing Objetivos Como combinar criatividade, inovação e o formato adequado para o meio. Limitações, anti-spam e como se adequar para atingir seu público.
  68. 68. Algumas Regras de Redação Não engane o prospect. Assuma sua identidade. Não force o prospect a responder. Deixe o prospect ir até você.
  69. 69. Não engane o prospect Poucas coisas deixam uma pessoa mais enfurecida do que receber um e–mail com um nome falso. Quase sempre é um nome próprio com um convite ou um falso reply, do tipo Re: sobre aquele assunto que conversamos outro dia. Distraído, o usuário acha que deve ser algum conhecido com o qual trocou e–mails e quando vê abriu um spam. Se você ou sua empresa recorrerem a esse tipo de expediente, espere um retorno zero de clientes.
  70. 70. Assuma sua identidade No campo DE, assuma seu nome ou de sua empresa. No campo ASSUNTO, uma frase que deixe claro o propósito do e-mail. Criatividade é fundamental para essa estratégia de 3 pontos: (1) não irritar (2) atrair a atenção e (3) cativar
  71. 71. Não force o prospect a responder Uma das estratégias mais conhecidas de e– mails de divulgação é encerrá–lo com a clássica frase: se não desejar mais receber nossos e– mails, clique no seguinte link. A maioria dos sites que fazem isso desejam apenas confirmar o recebimento da mensagem, para continuar enviando e–mails não– autorizados ao coitado do indivíduo que acreditou que se livraria deles. Se você fizer isso, o retorno provavelmente não será nulo: você deverá receber alguns e–mails muito inflamados e mal–educados.
  72. 72. Deixe o prospect ir até você Se depois de tudo isso o prospect não responder de forma nenhuma, nada de pânico. Você já pensou em criar uma newsletter periódica com seus mais recentes lançamentos e convidar o visitante de sua página a assiná– la? Ou quem sabe até mesmo criar uma comunidade virtual vinculada ao seu site? Isso pode trazer resultados mais interessantes do que redigir e-mails de permissão. E você ganha de quebra o respeito do prospect que agora virou um cliente.
  73. 73. Você sabe o que é Spam?
  74. 74. SPAM
  75. 75. Criação e Programação de E-mail Marketing
  76. 76. Arquitetura da Informação
  77. 77. Wireframe
  78. 78. Wireframe
  79. 79. Layout
  80. 80. Evitando o Spam Software Anti-spam Listas Anti-spam Open Relay SPF (Sender Policy Framework) Greylisting
  81. 81. Regras Anti-spam dos Provedores
  82. 82. Usuários querem mais controle contra spam Reuters - 28/03/2007 11:30 Bombardeados por spam, os usuários de e-mail querem mais ferramentas como botões de denúncia de fraudes que possam ajudar na eliminação de mensagens indesejadas que entopem caixas postais, afirma uma pesquisa divulgada nesta terça-feira. Segundo levantamento do grupo E-mail Sender and Provider Coalition, mais de 80 por cento dos usuários de e-mail nos Estados Unidos já usam esses recursos de denúncia de fraude e os links para deixarem de participar de listas de destinatários de e-mails como forma de melhor administrarem suas caixas de correio eletrônico. A pesquisa, que também foi conduzida pela empresa de pesquisa de marketing Ispos, ouviu 2.252 internautas que acessam e-mail por meio de sites como AOL, MSN/Hotmail, Yahoo! e Gmail. O levantamento descobriu que quase 80 por cento dos consultados usam os botões de denúncia de fraude ou de spam dos serviços de webmail quando eles não conhecem quem está mandando a mensagem, enquanto 20 por cento afirmam que usam o recurso como uma maneira rápida de eliminar endereços indesejados de suas listas de correio. Os usuários de webmail normalmente decidem clicar nos botões de quot;reportar como spamquot; ou quot;lixoquot; baseados apenas no endereço do remetente e na linha de assunto, sem abrir as mensagens, afirma a pesquisa. quot;Isso é um alerta para as pessoas que usam e-mail como ferramenta de marketingquot;, disse Trevor Hughes, diretor executivo do grupo. quot;Vocês estão sendo apagados antes mesmo de suas mensagens serem abertas.quot; Quase todos os usuários disseram que usariam um botão de quot;unsubscribequot; se ele fosse incorporado diretamente no programa de e-mail. A AOL foi um dos primeiros grandes provedores de Internet a incluir um botão de quot;reportar spamquot;. Agora, a companhia, cujo sistema de e-mail inteiro passar por esse sistema, bloqueia 1,5 bilhão a 2 bilhões de mensagens indesejadas por dia, ou 80 a 85 por cento de todos os e-mails que chegam a seus servidores.
  83. 83. Módulo III Gerenciamento de campanhas de e- mail marketing Objetivos Processos de gerenciamento estratégico de campanhas de e-mail marketing e newsletter digital. Utilizando plataformas robustas de e-mail marketing.
  84. 84. Ferramentas Outlook e outros programas de e-mail “Disparadores” Sistemas web via SENDMAIL, qMail e Postfix Sistemas web via SMTP Listas MAILMAN
  85. 85. Módulo IV Mensuração de resultados das campanhas Objetivos Métricas e metodologias para mensurar de forma segura os resultados de campanhas de e-mail marketing e newsletter.
  86. 86. Exemplos de Relatórios – Virtual Target
  87. 87. Relatórios de E-mail Marketing Opt-out Performance Erros Aberturas Visitas Aparência
  88. 88. Tipos de Erros
  89. 89. Evolução de Aberturas
  90. 90. E-mails Enviados X Aberturas
  91. 91. Tempo de Abertura
  92. 92. URLs Mais Visitadas
  93. 93. Cobertura do E-mail Marketing
  94. 94. Duração da Interação
  95. 95. Resoluções de Tela
  96. 96. Exemplos de Relatórios – Nitronews Motivos de Rejeição
  97. 97. Exemplos de Relatórios – Nitronews Detalhes do Envio
  98. 98. Exemplos de Relatórios – MediaPost
  99. 99. Exemplos de Relatórios – MediaPost
  100. 100. Exemplos de Relatórios – MediaPost
  101. 101. Finalizando... ... mas não concluindo...
  102. 102. Fontes de Pesquisa www.cetic.br http://www.cert.br http://registro.br http://email.uol.com.br/postmaster http://www.internetworldstats.com www.webinsider.com.br http://www.abemd.org.br http://www.imasters.com.br/artigo/2792
  103. 103. Fontes de Pesquisa http://webinsider.uol.com.br/index.php/20 04/07/05/marketing-de-permissao http://www.imasters.com.br/artigo/7237/e mail_marketing/10_mitos_do_e- mail_marketing www.ebitempresa.com.br http://super.abril.com.br/ytrends http://www.youtube.com
  104. 104. Fontes de Pesquisa http://www.google.com.br http://info.abril.com.br Juliana Padron (www.w3p.com.br)
  105. 105. Sistemas E-mail Marketing www.virtualtarget.com.br www.zartana.com www.mediapost.com.br www.activemail.com.br www.webmailer.com.br www.fracto.com.br www.alacarta.com.br www.mailsender.com.br
  106. 106. Mais dúvidas? paulo@milreu.com.br www.paulomilreu.com.br

×