Tese Mestrado Miguel Araujo Lean Healthcare

4.773 visualizações

Publicada em

short version of final presentation of Master Thesis in Lean Healthcare

Publicada em: Tecnologia, Negócios

Tese Mestrado Miguel Araujo Lean Healthcare

  1. 1. LEAN HEALTHCARE LEAN NOS SERVIÇOS DE SAÚDE TESE DE DISSERTAÇÃO MESTRADO INTEGRADO ENGENHARIA INDUSTRIAL E GESTÃO MIGUEL MONTENEGRO ARAÚJO FEUP, 2009 VII 20
  2. 2. Conteúdos 1. Objectivos 2. A evolução do Lean 3. Princípios e conceitos Lean Thinking 4. Do Sistema de Produção Toyota (TPS) ao Lean Healthcare 5. Lean Healthcare 6. O Lean Healthcare – best in class 7. Casos práticos (não incluídos nesta apresentação) 8. Um Roadmap para implementação do Lean na Saúde 9. Conclusões Miguel Araújo 2 de 28
  3. 3. 1. Objectivos A evolução do Lean – da indústria aos cuidados de saúde Estudo das melhores práticas, o estado da arte em Lean Healthcare Estudo dos casos de aplicação Lean Healthcare em Portugal Casos práticos em que o autor pode verificar Aplicabilidade das ferramentas de diagnóstico Lean com aplicação em unidades de saúde Criação de um modelo de implementação para a saúde Roadmap para o Lean Healthcare Miguel Araújo 3 de 28
  4. 4. 2. A evolução do Lean Henry Ford Introdução da Linha de Produção Toyota Taiichi Ohno e Shigeo Shingo Sistema de Produção Toyota Lean Services Conceitos e Principios Lean Aplicações nos serviços Deixa de ser algo apenas da Miguel Indústria Automóvel 4 de 28 Araújo
  5. 5. 3. Princípios e conceitos Lean Thinking CONHECER O CLIENTE quem servimos? DEFINIR VALOR o objectivo de todos PRINCIPIOS LEAN THINKING DEFINIR A campo de intervenção CADEIA DE VALOR OPTIMIZAR FLUXOS os meios a aplicar IMPLEMENTAR o sistema a usar O SISTEMA PULL PERFEIÇÃO insatisfação INOVAR SEMPRE a atitude certa Miguel Araújo 5 de 28
  6. 6. Conceito de Valor e Desperdício Excesso de Produção Defeitos/Qualidade 1 Stock 7 2 Esperas Mau Design de Processo 6 3 5 4 Movimentações Transportes Miguel Araújo 6 de 28
  7. 7. 1 7 2 Mudas na Saúde 6 3 5 4 1. Excessos de papelada, processos redundantes, efectuar testes redundantes, usar aplicação IV quando a medicação oral seria suficiente, múltiplas mudanças de cama e de serviço 2. Stocks de amostras em Lab. à espera de análise, utentes da urgência à espera de uma cama, pacientes à espera dos resultados dos testes de diagnóstico, excesso de materiais mantidos nas áreas 3. Esperas pela atribuição de camas, aguardar por “alta”, esperar por tratamento, por testes de diagnóstico, por medicamentos, por aprovações, pelo médico ou pelo enfermeiro 4. Transportes de amostras de laboratórios, transportar pacientes, transportar medicamentos, transporte de materiais 5. Movimentações - procurar documentos e materiais, entregar medicamentos, enfermeiros a tratar de doentes de diferentes alas 6. Perdas do processo - preparar medicamentos antes das necessidades dos doentes (ex. não aproveitar o potencial do staff) 7. Defeitos - erros de medicação/diagnóstico, identificação incorrecta de amostras, lesões causadas por medicação defeituosa Miguel Araújo 7 de 28
  8. 8. 4. Do TPS ao Lean Healthcare INDUSTRIA Linha de Sistema Produção produção Ford Toyota (TPS) Lean Thinking Década 1990 SAÚDE Lean Healthcare Casal Gilbreth Henry Ford - 1922 O pensamento Lean e os seus princípios libertam o Lean das suas origens na indústria automóvel e fazem dele uma filosofia de gestão aplicável em qualquer organização. Rapidamente surge o Lean nas diversas áreas de Serviços. Miguel Araújo 8 de 28
  9. 9. 5. O QUE É LEAN HEALTHCARE? HEALTHCARE Colocar o Cliente (paciente/utente) em primeiro lugar Definir valor em termos do Cliente (paciente/utente) Aprender a ver os 7 tipos de desperdícios na Área da Saúde Fazer “mais com menos” Deixar de fazer na perfeição o que não necessita de ser feito O Lean Healthcare é uma abordagem que permite desenvolver, melhorar e manter um processo excelente O Lean Healthcare traz consigo métodos e ferramentas que tem sido usadas, refinadas e comprovadas por mais de 50 anos de uso na indústria e no sector de serviços, para o sector da saúde Miguel Araújo 9 de 28
  10. 10. FLUXO TÍPICO DE UM PACIENTE Filas e amontoar de pacientes Actividades Paciente de NVA, ie Paciente Paciente visto pela Paciente admitido espera para equipa médica-enf espera atrasos e ser visto muda Paciente movido Paciente Paciente visto pelo Paciente espera espera para outro serviço médico especialista porque é porque paciente não há alternativa Miguel Araújo 10 de 28
  11. 11. 6. Best in class – Lean Healthcare Virginia Mason Medical Centrer Estratégia Cultura Principios próprios Rapid Improvement Events (RIE’s) Resultados Envolvimento de todos Miguel Araújo 11 de 28
  12. 12. Best in class – Lean Healthcare Bolton Improvement Care System (BICS) – UK Envolvimento de todos Estratégia e Objectivos Princípios Lean – eliminação contínua do muda RIE’s Resultados Miguel Araújo 12 de 28
  13. 13. 6.1 Lean na Saúde em Portugal Centro Hospitalar do Porto Logística – libertação de meios Consulta Externa Hospital de São João Logística Fluxos Maximizar valor das tarefas mais próximas ao paciente Iníciativas privadas Clinica dentária – produtividade Multi-clinicas – melhoria áreas administrativas Miguel Araújo 13 de 28
  14. 14. Pontos a reter CASOS INTERNACIONAIS LEAN NA SAÚDE - PORTUGAL • Estratégia bem definida • Projectos Isolados • Focus na eliminação do • Focus nos resultados desperdício • Envolvimento de uma parte • Eventos de melhoria rápida dos colaboradores (RIE) inseridos numa • Aplicação do Lean em estratégia de longo prazo algumas áreas das unidades de • Envolvimento de todas as saúde, sobretudo as de menor pessoas da organização contacto com o paciente • Aplicação do Lean em todas • Claro enfoque na Logística as áreas de uma unidade de • Primeiros passos…. Saúde Miguel Araújo 14 de 28
  15. 15. 7. Caso prático Diagnóstico Mapeamento da cadeia de valor (VSM) Entrevistas Análise de processos Análise de valor Identificação de plano de acções de melhoria Miguel Araújo 15 de 28
  16. 16. 8. Roadmap para DALean Healthcare ROADMAP o JORNADA LEAN Fase 1 Fase 2 Fase 3 Fase 4 Fase 5 8. Decisão/ 11. ESTRATEGIA Principios comprome- Steering Próximos Lean timento (porquê?) 1. Comprometer passos GESTÃO Estratégia de Comunicação desde o 1º dia Ondas de Melhoria Desenhar implementação Contínua OPERAÇÃO 2. Diagnóstico 4. VSM 6. VSM 9. 10. to-be 7. Planear 12. as-is Implementar Reportar (o quê?) Sustentabilidade OPERAÇÕES 5. Métricas Uniformizar AGENTES Capacidade e DE RIE’s 3. Aprender MUDANÇA competências (como?) Transferência de conhecimento e de boas práticas RH M&C Formação e Envolvimento de todos os Recursos Humanos Miguel Araújo 16 de 28
  17. 17. Lições aprendidas Não há receitas mágicas - O conhecimento lean é adquirido através de tentativa e erro Uma empresa Lean não é aquela que copia a Toyota e usa muitas ferramentas e soluções Lean Compreender os conceitos, ter visão e um plano, e as soluções Lean irão sendo aplicadas naturalmente Estar preparado para perder nas fases de “go live” e dar tempo ao tempo Aposta nas pessoas Isto é uma transformação que se deve alargar a todos na cadeia de valor Miguel Araújo 17 de 28
  18. 18. 9. Conclusões Lean é uma estratégia de longo prazo, onde existe um conjunto de técnicas e ferramentas que colocam em prática os planos definidos para alcançar os resultados pretendidos Os seus conceitos e ferramentas, comprovados por mais de 50 anos de experiência na Indústria, têm sido aplicados nos últimos anos nos Serviços Lean é uma metodologia que permite às unidades de saúde melhorar a qualidade dos cuidados prestados aos pacientes pela redução dos erros e dos tempos de espera Lean é um processo de pensamento mais do que uma simples lista de acções a implementar. Miguel Araújo 18 de 28
  19. 19. 9. Conclusões As melhores práticas internacionais mostram a evolução do Lean Healthcare e verificam-se pontos em comum Portugal está a dar os primeiros passos no Lean na Saúde, ainda muito em áreas logísticas e administrativas O diagnóstico às duas unidades mostra a aplicabilidade dos princípios e das ferramentas de diagnóstico e melhoria. O roadmap resulta da análise das melhores práticas, experiência da indústria e serviços, e pelo acompanhamento dos casos existentes no nosso país. Ferramenta útil e prática para implementação do Lean Nos próximos anos o Lean Healthcare terá um grande crescimento, avançando cada vez mais para áreas próximas do paciente, e a logística procurando ser totalmente integrada com a Gestão Hospitalar, uma gestão Lean. Miguel Araújo 19 de 28
  20. 20. LEAN NOS SERVIÇOS DE SAÚDE 1932, Frida Kahlo TESE DE DISSERTAÇÃO DE MIGUEL ARAÚJO PORTO, 20 DE JULHO DE 2009 Miguel Araújo 20 de 28

×