RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS
ASSOCIADO À COMUNICAÇÃO
Miguel de Carvalho
Mestre em Ensino do 1º Ciclo do Ensino Básico

carvalho....
INTRODUÇÃO
Resolução de Problemas
Uma das grandes finalidades da matemática leccionada nas escolas é
desenvolver nos estudantes a cap...
Comunicação (matemática)
A comunicação é um processo matemático bastante importante e, por isso,
transversal a todos os ou...
Programa de Matemático do Ensino
Básico
ME-DEB (2007)
Competências transversais à aprendizagem da matemática

Resolução de...
Problemática
Como emergiu a problemática?
No decorrer da prática
Pedagógica

Como formar
indivíduos
matematicamente
compet...
Objectivos

Identificar os contributos da resolução de
problemas associados à comunicação

(matemática).
Questões de Investigação
1. Qual a atitude que o professor deve ter na
resolução de problemas?

2. Que estratégias de moti...
METODOLOGIA
Desenho
Metodologia:

Investigação-acção
1. Metodologia de trabalho útil para os docentes;
2. Enfatiza a prática de resolu...
Recolha de Informação
Observação participante
•
•

Diários de bordo;
Guião de apresentação em sala de aula;

Análise docum...
APRESENTAÇÃO E DISCUSSÃO
DOS RESULTADOS
Análise Global
Diários de bordo do
investigador

Avaliação da
resolução das
situações
problemáticas

Registo de
observação...
Análise Global
Análise Global

Resolução
dos
problemas

• Os alunos conseguem
resolver as situações
problemáticas atingindo
o resultado c...
Análise Global
Análise Global
Análise Global
Ao longo deste processo a taxa de sucesso dos alunos foi
aumentado, o que revela que os alunos estavam
pred...
Análise Global
Quanto à comunicação matemática, depois de
comparadas as exposições dos alunos durante as seis
situações pr...
Resposta às Questões de Investigação
1. Qual a atitude que o professor deve ter na realização
de problemas?
 criar condiç...
Resposta às Questões de Investigação
2. Que estratégias de motivação implementar para a
resolução de problemas?
formular ...
Resposta às Questões de Investigação
3. Como promover a comunicação em sala de aula?

 incentivar os seus alunos a exprim...
Bibliografia
• APM (1988). Renovação do currículo para o ensino básico.
Lisboa: APM.
• ME-DEB (2001). Currículo Nacional d...
Deve o professor/educador despertar no
aluno a sua essência de “ser” pensante e
criador.

Miguel de Carvalho
Mestre em Ens...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Comunicação Congresso Educação e Sociedade

144 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
144
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
4
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Comunicação Congresso Educação e Sociedade

  1. 1. RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS ASSOCIADO À COMUNICAÇÃO Miguel de Carvalho Mestre em Ensino do 1º Ciclo do Ensino Básico carvalho.miguelde@gmail.com
  2. 2. INTRODUÇÃO
  3. 3. Resolução de Problemas Uma das grandes finalidades da matemática leccionada nas escolas é desenvolver nos estudantes a capacidade de utilizarem a matemática no seu quotidiano, recorrendo à resolução de problemas. Palhares, 2004 A resolução de problemas é uma das finalidades primordiais do ensino da matemática, sendo transversal a todas as áreas da Matemática, como a todos os níveis de escolaridade. APM, 1988
  4. 4. Comunicação (matemática) A comunicação é um processo matemático bastante importante e, por isso, transversal a todos os outros. Através desta, as concepções matemáticas são expostas e partilhadas na sociedade. Ponte e Serrazina, 2000 O programa de matemática deve usar a comunicação para promover a compreensão da Matemática, de modo que todos os alunos: • organizem e consolidem o seu pensamento matemático para comunicar; • expressem as suas ideias matemáticas de modo coerente e claro; • alarguem o seu conhecimento matemático; • usem a linguagem matemática como meio de expressão matemática precisa. NTCM, 1994
  5. 5. Programa de Matemático do Ensino Básico ME-DEB (2007) Competências transversais à aprendizagem da matemática Resolução de Problemas • capacidade matemática fundamental, que deve ser dominada pelos alunos (a nível da matemática como no quotidiano); • actividade essencial para a aquisição de diversos conceitos, representações e procedimentos matemáticos. Comunicação (matemática) • capacidade transversal que envolve a linguagem oral e escrita, incluindo o domínio progressivo da linguagem matemática.
  6. 6. Problemática Como emergiu a problemática? No decorrer da prática Pedagógica Como formar indivíduos matematicamente competentes? Professor reflexivo Prevenir para: • insucesso escolar; • abandono escolar
  7. 7. Objectivos Identificar os contributos da resolução de problemas associados à comunicação (matemática).
  8. 8. Questões de Investigação 1. Qual a atitude que o professor deve ter na resolução de problemas? 2. Que estratégias de motivação implementar para a resolução de problemas? 3. Como promover a comunicação em sala de aula?
  9. 9. METODOLOGIA
  10. 10. Desenho Metodologia: Investigação-acção 1. Metodologia de trabalho útil para os docentes; 2. Enfatiza a prática de resolução de problemas reais; 3. Permite melhorar o desempenho enquanto docente. Amostra: 18 sujeitos • • • • 10 rapazes e 8 raparigas; Idade: entre os 6 e os 7 anos; Classe social: baixa e média; Escola do 1º Ciclo do Concelho de Loures.
  11. 11. Recolha de Informação Observação participante • • Diários de bordo; Guião de apresentação em sala de aula; Análise documental • • 6 situações problemáticas; Guião de avaliação das situações problemáticas
  12. 12. APRESENTAÇÃO E DISCUSSÃO DOS RESULTADOS
  13. 13. Análise Global Diários de bordo do investigador Avaliação da resolução das situações problemáticas Registo de observação das exposições dos alunos
  14. 14. Análise Global
  15. 15. Análise Global Resolução dos problemas • Os alunos conseguem resolver as situações problemáticas atingindo o resultado correcto, através das estratégias encontradas.
  16. 16. Análise Global
  17. 17. Análise Global
  18. 18. Análise Global Ao longo deste processo a taxa de sucesso dos alunos foi aumentado, o que revela que os alunos estavam predispostos e receptivos às actividades, tendo consciência que estas capacidades têm necessariamente de ser dominadas. Na aplicação da quarta e da sexta situação problemática houve uma grande dificuldade na compreensão do problema por parte dos alunos. Esta dificuldade prende-se primeiramente por envolver o conceito de “dobro” e o conhecimento de números superiores a trinta, sendo este último ainda uma grande dificuldade para alguns sujeitos da nossa amostra.
  19. 19. Análise Global Quanto à comunicação matemática, depois de comparadas as exposições dos alunos durante as seis situações problemáticas aplicadas, é possível atestar que os alunos são matematicamente comunicativos pois, na sua generalidade, apresentam-se seguros na sua exposição, com um discurso matematicamente correcto, completamente claro e perceptível por parte dos seus colegas.
  20. 20. Resposta às Questões de Investigação 1. Qual a atitude que o professor deve ter na realização de problemas?  criar condições de resolução de problemas, (papel activo no desenvolvimento desta capacidade);  analisar as estratégias dos alunos e os resultados obtidos;  proporcionar estes momentos com regularidade permite aos alunos adquirir experiência e confiança no modo de procurar os dados necessários, de proceder à sua interpretação e de os cruzar, para obter o que lhes é solicitado.
  21. 21. Resposta às Questões de Investigação 2. Que estratégias de motivação implementar para a resolução de problemas? formular problemas que estejam ligados ao seu dia-a-dia;  integrar o nome dos alunos nos enunciados dos problemas;  pedir aos alunos que exponham as suas estratégias à turma;  promover o debate em sala de aula (“Como pensaste? Há alguém que pensou de forma diferente?”)
  22. 22. Resposta às Questões de Investigação 3. Como promover a comunicação em sala de aula?  incentivar os seus alunos a exprimir-se, a partilhar e a debater (conjecturas, estratégias);  questionar os seus alunos estimulando a sua linha de pensamento, conduzindo o discurso, e introduzindo vocábulos específicos (“Como pensaste? Então formaste conjuntos!”)
  23. 23. Bibliografia • APM (1988). Renovação do currículo para o ensino básico. Lisboa: APM. • ME-DEB (2001). Currículo Nacional do Ensino Básico. Lisboa: ME-DEB; • ME-DEB (2007). Programa de Matemática do Ensino Básico. Lisboa: ME-DEB; • NCTM (1991). Normas para o currículo e a avaliação em Matemática escolar. Lisboa: APM e IIE. • NCTM (1994). Normas profissionais para o ensino da Matemática. Lisboa: IIE e APM. • Palhares, P. (2004). Elementos da Matemática para Professores do Ensino Básico. Lisboa: Lidel. • Ponte, J. P. & Serrazina, M. L. (2000). Didáctica da Matemática. Lisboa: Universidade Aberta.
  24. 24. Deve o professor/educador despertar no aluno a sua essência de “ser” pensante e criador. Miguel de Carvalho Mestre em Ensino do 1º Ciclo do Ensino Básico carvalho.miguelde@gmail.com

×