Uma crise  do tamanho do Mundo Luís Miguel Jardim  Docente da ESJM
<ul><li>A crise económica actual teve a sua génese na crise financeira americana e rapidamente alastrou-se ao continente E...
<ul><li>constituem alguns dos sintomas que caracterizam a actual crise económica.  </li></ul><ul><li>A visão redutora apre...
<ul><li>Fruto de um empobrecimento dos países mais ricos  o investimento em Africa caiu e  as exportações registam baixas ...
<ul><li>Em países como a Etiópia por exemplo, as rações para alimentar uma população faminta sofreram cortes na ordem dos ...
<ul><li>O Banco Mundial estima que em 2009 o continente africano vá perder 50 mil milhões de euros o que equivale a uma si...
<ul><li>Esta crise tem também atingido fortemente os países pobres da Ásia. No Bagladesh por exemplo, a forte queda das ex...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Uma Crise Do Tamanho Do Mundo

592 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
592
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
233
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Uma Crise Do Tamanho Do Mundo

  1. 1. Uma crise do tamanho do Mundo Luís Miguel Jardim Docente da ESJM
  2. 2. <ul><li>A crise económica actual teve a sua génese na crise financeira americana e rapidamente alastrou-se ao continente Europeu e Japão </li></ul><ul><li>O colapso do sistema financeiro americano teve repercussões imediatas nas economias do velho continente e nipónica. Desemprego, quedas acentuadas da produção e consequente abrandamento ao nível das exportações </li></ul>
  3. 3. <ul><li>constituem alguns dos sintomas que caracterizam a actual crise económica. </li></ul><ul><li>A visão redutora apresentada pela comunicação social ocidental tem levado a que se esqueça que esta crise tem uma dimensão verdadeiramente Mundial. Atinge, para além dos EUA, UE e Japão, os países do terceiro Mundo, e talvez com efeitos mais nefastos. </li></ul>
  4. 4. <ul><li>Fruto de um empobrecimento dos países mais ricos o investimento em Africa caiu e as exportações registam baixas consideráveis. Como se isto não bastasse os fundos para a solidariedade com os países do terceiro Mundo têm sofrido cortes. Países como a Áustria, Polónia e Hungria já anunciaram baixas nas suas comparticipações no fundo de solidariedade levando a que a Organização das Nações Unidas encerrasse o fornecimento de bens essenciais em algumas partes de Africa. </li></ul>
  5. 5. <ul><li>Em países como a Etiópia por exemplo, as rações para alimentar uma população faminta sofreram cortes na ordem dos 50%. Muitas crianças trocam as escolas pelas ruas para se dedicarem à mendicidade como forma de sustento. </li></ul><ul><li>Aliado a tudo isto surge ainda a queda no preço das matérias primas provenientes de Africa, como o cobre por exemplo. O flagelo da fome tende a alastrar nestes países. </li></ul>
  6. 6. <ul><li>O Banco Mundial estima que em 2009 o continente africano vá perder 50 mil milhões de euros o que equivale a uma situação de pobreza extrema para mais de 30 milhões de africanos e a morte de 700 mil crianças. </li></ul><ul><li>O número de subnutridos está a crescer mais rapidamente que a população no Mundo. </li></ul>
  7. 7. <ul><li>Esta crise tem também atingido fortemente os países pobres da Ásia. No Bagladesh por exemplo, a forte queda das exportações de peixe e da indústria textil fez com que, nos primeiros seis meses de 2009, trezentos mil pessoas perdessem o emprego. O PIB deste país sofreu uma quebra acentuada com consequências sociais gravíssimas para a população. </li></ul>

×