Habitasull

278 visualizações

Publicada em

Trabalho Acg Web 2.0 engenharia cívil.

Publicada em: Tecnologia, Negócios
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
278
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Habitasull

  1. 1. HABITASULL ENGENHARIA CÍVIL A HISTORIA DA CONSTRUÇÃO CÍVIL Construção civil é o termo que engloba a confecção de obras como casas , edifícios , pontes , barragens , fundações de máquinas, estradas , aeroportos e outras infraestruturas, onde participam arquitetos e engenheiros civis em colaboração com técnicos de outras disciplinas. Os termos construção civil e engenharia civil são originados de uma época em que só existiam apenas duas classificações para a engenharia sendo elas civil e militar, cujo conhecimento, por exemplo de engenharia militar, era destinada apenas aos militares e a engenharia civil destinada aos demais cidadãos. Com o tempo, a engenharia civil, que englobava todos as áreas, foi se dividindo e hoje conhecemos vários divisões, como por exemplo a engenharia elétrica, mecânica, química, naval, etc. Exemplos como engenharia naval, dão origem à construção naval, mas ambas eram agrupadas apenas na grande área da civil.
  2. 2. Os termos construção civil e engenharia civil são originados de uma época em que só existiam apenas duas classificações para a engenharia sendo elas civil e militar, cujo conhecimento, por exemplo de engenharia militar, era destinada apenas aos militares e a engenharia civil destinada aos demais cidadãos. Com o tempo, a engenharia civil, que englobava todos as áreas, foi se dividindo e hoje conhecemos vários divisões, como por exemplo a engenharia elétrica, mecânica, química, naval, etc. Exemplos como engenharia naval, dão origem à construção naval, mas ambas eram agrupadas apenas na grande área da civil.
  3. 3. Em Portugal os técnicos responsáveis pelos projectos de construção civil (excetuando o caso dos projectos de edifícios de pequena dimensão, os quais podem ter como responsáveis técnicos habilitados com o antigo curso de Construtor Civil e Mestrado, agora designados por Agentes Técnicos de Arquitectura e Engenharia) têm que ser titulares de um curso superior, bacharelato ou licenciatura e têm que estar, respectivamente, inscritos na Associação Nacional dos Engenheiros Técnicos (ANET) ou na Ordem dos Engenheiros (OE) . Para projectos de grande responsabilidade, o bacharelato não é considerado formação suficiente, e a legislação portuguesa exige que o responsável técnico seja titular de uma licenciatura em Engenharia Civil.
  4. 4. Dicas para construção e reforma   1. Planeje sua obra e compre os materiais com antecedência; 2. Não contrate qualquer um para ser seu construtor, peça referências; 3. Fique atento. Um traço errado no reboco, no concreto, ou um ferro mal dimensionado pode levar à rachaduras e fissuras; 4. A profundidade do alicerce é importante, deve ficar colocado sobre terreno firme; 5. Uma parede mal planejada pode ser dinheiro no lixo, você pode ter que derrubá-la, por arrependimento; 6. É muito comum em nosso país as obras sem a presença do Engenheiro. Em nossas andanças por obras constatamos o seguinte: a) Os pedreiros e mestre de obras costumam , no momento de estimar a armadura das estruturas, subdimensionar as vigas e superdimensionar as lajes ; b) Uma armadura superdimensionada pode levar a gastos maiores com mão de obra e material e subdimensionada acarretará certamente fissuras indesejáveis, que proporcionarão ao proprietário a sensação de medo enquanto não for corrigido o problema, e aí virão novos gastos. De qualquer forma você acabará gastando mais do que deveria ; 7. Quem de nós ainda não viu aquelas fissuras ou trincas nos cantos inferiores das janelas ??
  5. 5. INFLUENCIA DA QUALIDADE   Atualmente, como já vem ocorrendo em setores da economia brasileira, determinados segmentos da construção civil vêm passando por um processo expressivo de reestruturação produtiva nos últimos anos. Embora a velocidade e o ritmo de adoção dessas mudanças seja bastante diferenciado nas diversas regiões do país, é inegável que, mais recentemente, um grande número de empresas passaram a adotar novos métodos de construção , baseadas na utilização de novas tecnologias e de novas formas de gestão da força de trabalho (AVILA, 2003).   Para Farah (1992), as características do setor, contudo, condicionam o uso e a difusão de novos produtos e tecnologias. Na construção civil , a reestruturação produtiva está mais ligada à utilização de novos materiais do que à introdução de novas máquinas. É o caso, por exemplo, das estruturas metálicas (que substituem as estruturas de concreto armado), dos painéis de gesso acartonado (que substituem as paredes de alvenaria) e da argamassa semi-pronta, adquirida em embalagens (que substitui a argamassa “rolada” no canteiro). É visível uma forte tendência à utilização de sistemas construtivos baseados na pré-fabricação de elementos antes produzidos no próprio canteiro, transformando o processo de construção em sistemas de montagem (FARAH, 1992).
  6. 6. FINANCIAMENTO MINHA CASA MINHA VIDA   *** Até 3 salários mínimos • Aporte de R$ 16 bilhões pela União. • Subsídio integral com isenção do seguro. • Isenção dos custos cartoriais para registro de imóveis. • A prestação será de no mínimo R$ 50,00 e poderá comprometer até 10% da renda, por 10 anos.  

×