GEOGRAFIA Economia do Mato Grosso do Sul Marco Aurelio Gondim [www.mgondim.blogspot.com]

9.447 visualizações

Publicada em

Slides feitos pelo Prof. Marco Aurélio Gondim de Geografia Regional sobre a Economia do Mato Grosso do Sul. Faça download grátis e use em suas aulas ou em seus estudos. Confira!

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
9.447
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
238
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
172
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

GEOGRAFIA Economia do Mato Grosso do Sul Marco Aurelio Gondim [www.mgondim.blogspot.com]

  1. 1. GEOGRAFIA DO MATO GROSSO DO SUL ECONOMIA Prof. Marco Aurélio Gondim www.gondim.net
  2. 2. MICRORREGIÕES GEOGRÁFICAS As Microrregiões homogêneas são áreas que agrupam dentro de um mesmo Estado, municípios com características físicas, sociais e econômicas de certa homogeneidade. O estado possui 11 microrregiões: 1) Baixo Pantanal 2) Aquidauana 3) Alto Taquari 4) Campo Grande 5) Cassilândia 6) Paranaíba 7) Três Lagoas 8) Nova Andradina 9) Bodoquena 10) Dourados 11) Iguatemi MRH de maior extensão - Baixo Pantanal MRH de menor extensão - Cassilândia
  3. 3. DIVISÃO POLÍTICO-ADMINISTRATIVA E MICRORREGIONAL
  4. 4. BOLSÃO  Microrregiões de Três Lagoas, Paranaíba e Cassilândia  Praticamente coincide com a Mesorregião do Leste de Mato Grosso do Sul  Três Lagoas, Brasilândia, Santa Rita do Pardo, Água Clara, Selvíria, Paranaíba, Aparecida do Taboado, Inocência, Cassilândia, Chapadão do Sul, Costa Rica e Paraíso das Águas.  Características geográficas - Área 80.907 km² - População 295.691 hab. (2012) - Densidade 3,65 hab./km²
  5. 5. COMPARATIVO DO PIB – MS, CENTRO-OESTE E BRASIL 2003-2010
  6. 6. ARRECADAÇÃO DE ICMS, POR ATIVIDADE ECONÔMICA (2007-2011)
  7. 7. PRODUTO INTERNO BRUTO
  8. 8. PRODUTO INTERNO BRUTO PER CAPITA (2003-2010)
  9. 9. ESTRUTURA DO PIB, POR ATIVIDADE ECONÔMICA (2002-2007)
  10. 10. PRINCIPAL ÁREA ECONÔMICA PLANALTO DA BACIA DO PARANÁ  solos florestais  terra roxa  transporte mais eficiente  proximidade da região Sudeste Fonte: Seplanct/MS, 2006
  11. 11. AGRICULTURA
  12. 12. POTENCIAL AGRÍCOLA Fonte: IBGE
  13. 13. AVALIAÇÃO DO POTENCIAL DOS RECURSOS NATURAIS
  14. 14. ÁREA COLHIDA DE MATO GROSSO DO SUL (2007-2011)
  15. 15. ÁREA COLHIDA DE MATO GROSSO DO SUL (2012-2013) • As culturas de soja e milho apresentaram os maiores crescimentos em relação à área plantada. • Soja: aumento de 10,4%, passando de 25,0 para 27,6 milhões de hectares. • Milho 2ª safra: aumento de 8,5%, passando de 7,6 para 8,3 milhões de hectares. • Outras culturas também apresentaram leves aumentos em relação à área, como o amendoim 1ª safra, aveia, canola, cevada e triticale. Fonte: Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) - 7/2/2013
  16. 16. PRODUÇÃO AGRÍCOLA DE MATO GROSSO DO SUL (2007-2011)
  17. 17. RANKING DOS PRINCIPAIS PRODUTOS AGRÍCOLAS EM MATO GROSSO DO SUL (2011)
  18. 18. EVOLUÇÃO DO VOLUME FÍSICO DE GRÃOS (2000-2011) Safra 2012/2013: 185,0 mi de toneladas (aumento de 11,3% em relação à safra passada) [Fonte: Conab – 7/2/2013]
  19. 19. SOJA • Safra 2012/2013: produção de 83,42 milhões de toneladas (crescimento de 25,7%) • 185,0 mi de toneladas (aumento de 11,3% em relação à safra passada) Fonte: Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) - 7/2/2013
  20. 20. MILHO • 2ª safra: aumento de 4,6%, passando de 39,1 para 40,9 milhões de toneladas. • Essa é a maior safra dessa cultura, superando a produção do milho 1ª safra, estimada em 35,1 milhões de toneladas. Fonte: Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) - 7/2/2013
  21. 21. PECUÁRIA
  22. 22. MAIOR PRODUÇÃO AGROPECUÁRIA DOURADOS • soja, arroz, café, milho, trigo, feijão, mandioca, algodão, amendoim e cana-de-açúcar • fartura de terra roxa
  23. 23. EFETIVO DE REBANHOS E PRODUÇÃO DE ORIGEM ANIMAL (2007-20111)
  24. 24. ABATE DE BOVINOS, BUBALINOS, SUÍNOS E AVES - 2005-2009
  25. 25. ESTABELECIMENTOS AGROPECUÁRIOS POR UTILIZAÇÃO DAS TERRAS (1985-2006)
  26. 26. ESTABELECIMENTOS AGROPECUÁRIOS POR CONDIÇÃO DO PRODUTOR (2006)
  27. 27. ESTABELECIMENTOS AGROPECUÁRIOS POR GRUPO DE ÁREA (2006)
  28. 28. ESTRUTURA DO SETOR AGROPECUÁRIO (2006) Silvicultura é a ciência que se ocupa das atividades ligadas a implantação e regeneração de florestas. Visa desta forma o aproveitamento e manutenção racional das florestas, em função do interesse ecológico, científico, econômico e social. Fonte: http://home.furb.br/lschorn/index.html
  29. 29. PECUÁRIA AFTOSA CONTAMINAÇÃO TRANSMISSÃO - bois, porcos, cabras - leite, carne e e ovelhas saliva do animal - humanos: acontece doente se a pessoa ficar em - água, ar e objetos constante contato e locais sujos - humanos não direto com animais contaminados transmitem o vírus entre si, mas podem levar na roupa PREVENÇÃO - medida preventiva: vacinas periódicas de 6 em 6 meses, a partir do 3º mês
  30. 30. PECUÁRIA AFTOSA SINTOMAS NOS ANIMAIS - afta na boca e na gengiva - feridas nas patas e nas mamas - febre - o animal não consegue pastar, perde peso e produz menos leite NOS HUMANOS - raros os casos de contaminação - febre leve e calafrios - bolha nas mãos e na boca - não chega a provocar morte
  31. 31. PECUÁRIA • Crescimento em função da falta de incentivos na agricultura • Baixo índice de procriação dos rebanhos em função da alimentação • Abate tardio dos novilhos (3 - 4,5 anos); ideal 12 meses (plenitude) • Grande prejuízo no desenvolvimento no 1º ano (seca) • Desmama • Troca de dentes com 1,5 ano • Necessidade de suplementação a pasto, com mistura mineral nas águas, devendo-se agregar uréia, na seca • Problemas com erosão (voçorocas)
  32. 32. PECUÁRIA • 2005: Foco de aftosa (vírus tipo O) no sul do MS (Eldorado, Japorã, Mundo Novo) • Medidas: sacrifício, inspeção 25km, investigação epidemiológica • Comunicação da ocorrência da AFTOSA à: - à Organização Mundial de Saúde Animal - ao Centro Pan-Americano de Febre Aftosa (Panaftosa) - aos países vizinhos e - aos países dos blocos econômicos
  33. 33. EXTRATIVISMO MINERAL
  34. 34. EXTRAÇÃO MINERAL Reservas: Destaque: • Maciço de Urucum • ferro • manganês • Sul de Corumbá • 1.160 m • calcário • mármore • Maior reserva de manganês do planeta • estanho • 3ª reserva de ferro • Início extração: 1930 • Poluição nos tributários do rio Paraguai • Desvio do córrego Urucum
  35. 35. CALCÁRIO • Bodoquena • Exploração localizada entre os vales dos córregos Cascavel e Escondido, afluentes do rio Salobra que, por sua vez, deságua no rio Miranda • A presença do calcário proporciona a formação de um relevo muito frágil • Correção dos solos ácidos • Fabricação de cimento
  36. 36. PRODUÇÃO MINERAL BRUTA (2005-2009)
  37. 37. PRODUÇÃO MINERAL BENEFICIADA (2005-2009)
  38. 38. INDÚSTRIA
  39. 39. INDÚSTRIA • Corumbá: Pólo industrial do Centro-Oeste – Fiação, curtume, cimento, beneficiamento de produtos agrícolas – Possibilidade da formação de um pólo siderúrgico com a utilização de gás natural (GASBOL) • Três Lagoas – Celulose, geração de energia elétrica, bebidas – Crescimento populacional
  40. 40. PRODUÇÃO, DESPACHO E CONSUMO DE CIMENTO PORTLAND (2004-2011)
  41. 41. MATADOUROS - Frigorífico (Set/2012) • Matadouros - Abatedouros - Frigoríficos de Bovinos / Bubalinos: 54 sendo 37 sob Inspeção Federal e 17 sob Inspeção Estadual; • Matadouros - Frigoríficos de Suínos: 9 sendo 6 sob Inspeção Estadual e 3 sob Inspeção Federal; • Matadouros - Frigoríficos de Aves: 5 todos sob Inspeção Federal; • Matadouro - Frigorífico de ovinos: 1 com Inspeção Federal; • Matadouro – Frigorífico de Avestruz: 1 com Inspeção Federal. • Obs.: Os estabelecimentos podem atuar no abate de mais de uma espécie de animais.
  42. 42. LATICÍNIOS (Set/2012) • 70 estabelecimentos industriais de leite e derivados • 27, incluso 7 usinas de beneficiamento e 5 postos de resfriamento, sob inspeção federal • 43 com inspeção estadual (ativo), incluso 9 usinas de beneficiamento.
  43. 43. PRODUÇÃO DE ÁLCOOL E AÇÚCAR (2000-2011)
  44. 44. UNIDADES PRODUTORAS DE ÁLCOOL E AÇÚCAR INSTALADAS (Agosto de 2012)
  45. 45. CANA-DE-AÇÚCAR • Hoje, o Estado tem 24 usinas em operação • Até o final de janeiro de 2013, já tinha um volume de 37,1 milhões de toneladas de cana • Na última safra, a moagem ficou em 33,85 mi t (crescimento de 14,03% quando comparados com 2010/2011) – MS é o 5º maior produtor do país, fica atrás de SP (330 mi t), MG (52 mi t), GO (53 mi t) e PR (40 mi t) – MS é o 5º produtor de açúcar – MS é 4º produtor de etanol anidro – MS é o 3º produtor de etanol hidratado. Fonte: Associação de Produtores de Bioenergia de MS
  46. 46. COMÉRCIO
  47. 47. CONCENTRAÇÃO DE EMPRESAS Fonte: IBGE
  48. 48. COMÉRCIO ATACADISTA, POR RAMO DE ATIVIDADE (2007-2011)
  49. 49. COMÉRCIO VAREJISTA, POR RAMO DE ATIVIDADE (2007-2011)
  50. 50. COMÉRCIO EXTERIOR (1998-2011)
  51. 51. EXPORTAÇÃO DOS 20 MAIORES PRODUTOS (2010-2011)
  52. 52. EXPORTAÇÃO PARA OS PRINCIPAIS BLOCOS ECONÔMICOS (2010-2011)
  53. 53. IMPORTAÇÃO DOS 20 MAIORES PRODUTOS (2010-2011)
  54. 54. PRINCIPAIS BLOCOS ECONÔMICOS DE ORIGEM DOS PRODUTOS (2010-2011)
  55. 55. TURISMO INDICADORES TURÍSTICOS DE MATO GROSSO DO SUL – 2005-2008
  56. 56. CLASSIFICAÇÃO DO MS Fonte: IBGE Elaboração: Semac (1) MS é 12º colocado. (2) MS é 14º colocado. (3) MS é 12º colocado. (4) MS é 12º colocado. (5) MS é 11º colocado. (6) MS é 13º colocado. (7) MS é 20° colocado. (8) MS é 13° colocado.
  57. 57. REFERÊNCIA • IBGE • História e Geografia do Mato Grosso do Sul – Gressler, Vasconcelos, Souza • Potencialidades sul-mato-grossenses. Valter Mangini Barros
  58. 58. Prof. Marco Aurélio Gondim www.gondim.net

×