Tráfico humano e trabalho escravo
A partir do século XV, com a expansão marítima europeia, a história africana mudaria
pro...
Conhecer o funcionamento do tráfico internacional de escravos da África para o Brasil desde o seu início,
no século XVI, a...
a) Pesquise e descubra: qual o significado da palavra Olodumaré?
b) Que acontecimento histórico está sendo apresentado na ...
Atividade 2 – As principais rotas do tráfico de escravos
Observe o mapa acima e identifique:
a)Qual o título do mapa?
b) Q...
Atividade 3 – O comércio de negros escravos na África
TEXTO 1
Os africanos capturados pelos grandes senhores do interior e...
Imagem 2
Imagem 3
Imagem 4
Imagem 5
Após a leitura do texto e observação das imagens, selecione trechos do texto para utilizá-los como
legen...
Atividade 4 - Por dentro de um navio negreiro
As figuras 1 e 2 retratam projetos da disposição interna de um navio negreir...
Figura 2
Gravura - interior de um navio negreiro
Texto 1
Os navios chamados tumbeiros (túmulos marítimos) transportavam de cem a
quatrocentos cativos, acorrentados, dois a dois, n...
II - Produto:
Utilizando os recursos da informática a turma deverá elaborar um mapa interativo apresentando, através
de li...
Tráfico humano e trabalho escravo
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Tráfico humano e trabalho escravo

667 visualizações

Publicada em

Atividade sobre tráfico humano e trabalho escravo

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
667
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
6
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Tráfico humano e trabalho escravo

  1. 1. Tráfico humano e trabalho escravo A partir do século XV, com a expansão marítima europeia, a história africana mudaria profundamente. Em 350 anos a África forneceria cerca de 12 milhões de escravos para a América, dos quais 4 a 5 milhões para o Brasil, no maior deslocamento forçado de população ocorrido na história da humanidade. RIBEIRO, Marcus Venicio. Uma história em que entrem todos. In: Nossa história. Ano 1, nº 4, fev. 2004. p. 85.
  2. 2. Conhecer o funcionamento do tráfico internacional de escravos da África para o Brasil desde o seu início, no século XVI, até sua extinção no século XIX é o objetivo desta atividade. I – Proposta de atividade: A partir da leitura e análise de mapas, textos historiográficos, gravuras e letras de música, os alunos, organizados em duplas, deverão realizar as atividades propostas a seguir: 1. Atividade inicial: Interpretação da música Olodumaré, de Antonio Nóbrega. Caso queira conhecer a biografia desse grande artista brasileiro que nasceu em Recife, Pernambuco, em 1952, acesse o link: http://www.antonionobrega.com.br/biografia.php Agora,acesseolinkabaixoparaescutaramúsica: Olodumaré https://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=ECGQ5UvgFcg Antonio Nóbrega Vou me embora dessa terra... - olodumaré... Para outra terra eu vou... - olodumaré... Sei que aqui eu sou querido... - olodumaré... Mas não sei se lá eu sou... - olodumaré... O que eu tenho pra levar... - olodumaré... É a saudade desse chão... - olodumaré... Minha força, meu batuque... - olodumaré... Heranças da minha nação... Ainda me lembro Do terror, da agonia, Como um louco eu corria Para poder escapar. E num porão De um navio, dia e noite, Fome e sede e o açoite Conheci, posso contar. Que o destino Quase sempre foi a morte, Muitos só tiveram a sorte De a mortalha ser o mar. Na nova terra Novos povos, novas línguas, Pelourinho, dor, à mingua, Nunca mais pude voltar. E mesmo escravo Nas caldeiras das usinas, Nas senzalas e nas minas Nova raça fiz brotar. Hoje essa terra Tem meu cheiro, minha dor, O meu sangue, meu tambor, Minha saga pra lembrar.
  3. 3. a) Pesquise e descubra: qual o significado da palavra Olodumaré? b) Que acontecimento histórico está sendo apresentado na 1ª parte da letra da música? c) O que o narrador quer dizer com os versos “Muitos só tiveram a sorte de a mortalha ser o mar”? d) De onde o “eu lírico” saiu e para onde ele se dirigiu? Esse movimento foi voluntário? Justifique sua resposta destacando os versos que confirmam sua opção. e) Quais as impressões do eu lírico sobre a “nova terra”? f) Qual o significado dos versos finais da música?
  4. 4. Atividade 2 – As principais rotas do tráfico de escravos Observe o mapa acima e identifique: a)Qual o título do mapa? b) Que portos do Brasil recebiam os navios negreiros? c) De que regiões da África saíam os negros escravos que eram traficados para o Brasil? d) Está correto dizer que a venda de escravos negros se fazia exclusivamente para a América? Utilize elementos do mapa para justificar sua resposta.(V.:0,2) e) A maioria dos escravos que desembarcavam na Bahia eram sudaneses ou bantos? E no Rio de Janeiro?
  5. 5. Atividade 3 – O comércio de negros escravos na África TEXTO 1 Os africanos capturados pelos grandes senhores do interior eram vendidos aos corretores africanos, que organizavam seu transporte até o litoral. Durante o percurso até essa região, os escravos seguiam em caravana, ligados dois a dois por paus bifurcados nos dois extremos, atados pela nuca. Recebiam apenas uma pequena ração de comida e eram obrigados a caminhar rapidamente, sob pressão do chicote dos condutores. (...) Chegando ao litoral, eram mantidos em aldeias especiais enquanto aguardavam o momento de venda para os europeus. Nesse intervalo - que podia durar alguns meses -, trabalhavam para os grandes senhores locais. Por fim, os escravos eram conduzidos a uma grande praça e vendidos aos traficantes europeus. Completamente nus, eram examinados pelos cirurgiões. Braços e pernas com defeitos, falta de dentes, problemas de visão, mais de 35 anos, tudo era avaliado, e os que apresentassem essas características eram rejeitados e devolvidos aos corretores, que os vendiam, então, aos grandes senhores africanos a preços reduzidos. Os que passavam nessa inspeção eram marcados com ferro em brasa e recolhidos aos fortes europeus enquanto aguardavam a chegada dos navios negreiros. (Adaptado de: DREGUER, Ricardo e TOLEDO, Eliete. A afirmação europeia: séculosXVII e XVIII. São Paulo:Atual,2000 (Coleção história: cotidiano e mentalidades) Imagem 1
  6. 6. Imagem 2 Imagem 3
  7. 7. Imagem 4 Imagem 5 Após a leitura do texto e observação das imagens, selecione trechos do texto para utilizá-los como legendas das imagens.
  8. 8. Atividade 4 - Por dentro de um navio negreiro As figuras 1 e 2 retratam projetos da disposição interna de um navio negreiro, segundo relatório inglês de 1815. FIGURA 1
  9. 9. Figura 2 Gravura - interior de um navio negreiro Texto 1
  10. 10. Os navios chamados tumbeiros (túmulos marítimos) transportavam de cem a quatrocentos cativos, acorrentados, dois a dois, nos porões, numa viagem que se estendia de trinta a sessenta dias. Até os primeiros anos do século XVIII, cerca de 20% dos cativos morriam na travessia, cometendo suicídio, sucumbindo ao “banzo” (tristeza) ou atacados por doenças, como disenteria, escorbuto, sarampo, varíola e sarna. KOK, Glória Porto.A escravidão no Brasil colonial.São Paulo:Saraiva,2012 Texto 2 Para economia de espaço os negros eram transportados sentados. (...) De meados do século XVII em diante os grandes veleiros da época passaram a alojar homens, mulheres e crianças em distintos patamares. Sabe-se, igualmente, que os cativos viajavam assentados em filas paralelas, de uma à outra extremidade de cada cobertura. Ao se deitarem para dormir, curvavam-se para trás, depondo a cabeça sobre o colo dos que os seguiam imediatamente. Os esforços eram no sentido de obter "peças de escravos", selecioná-las por estatura, idade, sexo e vigor, marcá-las com o ferrete e mantê-las com saúde até aos embarques via Novo Mundo. Na marcação das "peças", como se tratasse de animais ou de simples objetos, untavam-lhe primeiro com sebo o local a receber o ferrete, geralmente no braço, no estômago e mesmo no rosto. Nada menos que três naus conduziram cada uma acima de 1000 cabeças. Só a de nome Na. Sra. do Popolo levou 1079. Mas as desvantagens também se fizeram sentir, porque o veículo (navio) ficou mais pesado, menos controlável, menos obediente ao leme, mais sujeito aos vendavais e mais atingível pelos corsários. Nestas ocasiões imprevisíveis, o recurso consistia em atirar ao oceano valiosas porções do carregamento (dos escravos). Somente João Soeiro empregava no tráfico legal, como no sub-reptício, mais de 30 navios transportadores. (...)" http://www.portalsaofrancisco.com.br/alfa/escravidao-no-brasil/magnatas-do-trafico-negreiro.php a) Observando as imagens acima o que você pode concluir sobre a quantidade de negros escravos que eram embarcados nos navios negreiros na África com destino aos portos da América? b) Quais eram os interesses envolvidos nesse comércio que justificam o transporte de escravos na situação observada na questão anterior? c) Os textos 1 e 2 apontam algumas razões que explicam o alto número de mortos durante a travessia do Atlântico nos navios negreiros. Identifique-as. https://www.youtube.com/watch?v=ECGQ5UvgFcg
  11. 11. II - Produto: Utilizando os recursos da informática a turma deverá elaborar um mapa interativo apresentando, através de links, as informações obtidas a partir da pesquisa realizada. Cada dupla ficará responsável pela inserção de um link contendo uma informação que contribua para explicar o funcionamento do tráfico negreiro para a América e para o Brasil, desde o século XV até o século XIX.

×